Abrir menu principal
Cătălina Ponor
Cătălina Ponor.PNG
Informações pessoais
Nome completo Cătălina Ponor
Apelido Cata
Modalidade Ginástica artística feminina
Especialidade solo e trave
Representante Romênia
Nascimento 20 de agosto de 1987 (31 anos)
Constança, Dobruja
Nacionalidade Romênia romena
Compleição Peso: 46 kg Altura: 1,55 m
Nível sênior
Treinador Octavian Belu
Coreógrafo Mariana Bitang
Clube Farul Constanta > Dinamo Bucuresti
Período em atividade 20022017

Cătălina Ponor (Constança, 20 de agosto de 1987) é uma ex ginasta romena que competiu na categoria artística da modalidade ininterruptamente entre os anos de 1991 e 2007, quando decidiu deixar oficialmente os treinos por "razões médicas".[1] Em 2011, voltou a treinar com a equipe romena na cidade de Izvorani com o objetivo de ir aos Jogos Olímpicos de Londres.[2]

Cata, como é conhecida e chamada por parentes e amigos, alcançou o ápice da sua carreira em 2004, durante a edição de Atenas dos Jogos Olímpicos.[3] Na ocasião, a ginasta, de apenas 16 anos, conquistou três medalhas de ouro: por equipes, na trave e no solo - sendo a única atleta da competição a conquistar mais de três ouros, considerada por isso "a melhor estrela" da competição.[4][5]

Índice

BiografiaEditar

Cătălina Ponor nasceu na cidade de Constança, Romênia em 20 de agosto de 1987, e mudou-se de sua cidade apenas para treinar ginástica.[6] Em 2005, sua vida pessoal veio a público. No começo do ano, a jovem, de até então, dezessete anos, descobria um irmão que sua mãe nunca havia mencionado: Seus pais divorciaram-se quando as crianças eram muito jovens e seu pai mudou-se para a Suécia com o menino. A revelação mudou a vida e os rumas da carreira de Cătălina.[7]

CarreiraEditar

Cătălina inicou sua vida na ginástica aos quatro anos, em 1991. Aos quatorze entrou para a equipe júnior e aos quinze já integrava a elite sênior da ginástica romena.[6][8]

Seus aparelhos de melhores resultados e rendimento são o solo e a trave.

ROM JúniorEditar

Ponor iniciou sua carreira treinando no ginásio Farul Sport Club, com os treinadores Matei Stanie e Gabriela Dosoftei. Em 2002, fora descoberta pelos treinadores da equipe romena, Octavian Belu e Mariana Bitang, e convidada a integrar a equipe junior nacional. Convite aceito, Cătălina mudou-se para a cidade sede do ginásio de Deva. Sua passagem por essa categoria foi de apenas um ano, o que impossibilitou sua participação em campeonatos, devido ao tempo de preparo.[6]

ROM SêniorEditar

Em 2003, Cătălina iniciou seu treinamento na elite sênior romena e em seguida, vieram seus primeiros campeonatos.[8] O primeiro, na Copa do Mundo, de etapa realizada em Stuttgart - 2003, rendeu a Catalina duas medalhas: o ouro na trave, com a pontuação final de 9,587 e o bronze no solo, com o score de 9,237.[9]

No ano seguinte, na primeira etapa da Copa do Mundo,[10] dessa vez realizada na cidade de Gante, Ponor conquistava mais duas medalhas - dois ouros. O primeiro, no solo, veio com a pontuação de 9,350 e o segundo, na trave, com o total de 9,662. Ainda em 2004, na etapa de Glasgow da mesma competição, a ginasta conquistou mais medalhas.[11] Novamente no solo e na trave, ela atingiu pontuações ainda maiores que nas disputas anteriores - 9,650 e 9,700, respectivamente. Na terceira etapa da Copa, agora em Lyon, Cătălina baixou a média na execução e subiu ao pódio apenas na segunda colocação em ambos os aparelhos. Já na quarta etapa, em Cottbus, a jovem voltou às primeiras posições e às medalhas de ouro, tanto na trave quanto no solo. Na final da Copa do Mundo, realizada em Birmingham, Ponor manteve seu posto de número um da trave.

Em 2004, aos dezessete anos, a romena atingira o ápice de sua forma. No Campeonato Europeu, de edição realizada na cidade de Amsterdam, Cătălina conquistou três medalhas, todas de ouro.[6][12] A primeira veio na disputa por equipes, onde as romenas deixaram o time russo com a medalha de prata. Em seguida, vieram as competições por aparelhos. A trave e o solo renderam a Ponor novas medalhas de ouro e pontuações ainda mais altas, mostrando as mudanças em suas rotinas, que as deixavam com notas de execução ainda maiores.[13][14]

Em agosto de 2005, Catalina envolveu-se com seu segundo problema no ano: foi pega pelo treinador, ao lado de suas companheiras de equipe Florica Leonida e Alexandra Eremia, desrespeitando a concentração mantida durante as competições. As três voltavam de uma noite de festa e foram punidas severamente. Ambas as atitudes repercutiram mais que o previsto e a equipe nacional fora dissolvida, voltando cada atleta a treinar com seu treinador de base.[15] Apesar dos incidentes, Cătălina manteve suas boas apresentações na trave durante mais uma edição do Campeonato Europeu, tido como o mais disputado dentre os continentes. O resultado para a ginasta: mais uma medalha de ouro. Em 2006, após a contratação de Nicolae Forminte para a equipe nacional, Ponor resolveu não voltar à equipe para treinar com ele, preferindo permanecer com seu primeiro treinador. Após participar da edição daquele ano do Campeonato Europeu, Cătălina anunciou sua aposentadoria alegando problemas físicos. Em 2007, com o intuito de participar das Olimpíadas de Pequim, a ginasta, agora com vinte anos, voltou a treinar[16] e participou apenas do Campeonato Mundial de Stuttgart, na Alemanha. Em dezembro do mesmo ano, sem muitas justificativas, Cătălina Ponor encerrou definitivamente a carreira,[17] alegando apenas problemas físicos.

Assim, ela abandonou a ginástica artística como tri-campeã europeia da trave, tri-medalhista de ouro em apenas uma edição olímpica, tri-medalhista em Mundiais em uma única edição e tetra campeã da Copa do Mundo na trave.

Campeonatos Mundiais de Ginástica ArtísticaEditar

Ponor participou de quatro edições da competição - Anaheim, Melbourne, Stuttgart e Tóquio. Seu melhor desempenho foi na edição de 2003 do evento, na qual conquistou três medalhas de prata; Em Tóquio, 2011, se classificou para duas finais, mas não obteve nenhuma medalha, sendo esta considerada sua pior participação em competições do tipo.

Anaheim 2003Editar

Em sua primeira competição de nível mundial, Ponor obteve três medalhas. Subiu ao pódio por três vezes na segunda colocação.[9]

A primeira veio por equipes, ao disputar o campeonato ao lado de Oana Ban, Alexandra Eremia, Florica Leonida, Aura Andreea Munteanu e Monica Roşu. A equipe americana, anfitriã, fora a única a superar as romenas. As australianas completaram o pódio.[14] No dia de disputas por aparelhos, Cătălina foi novamente ao pódio. Na trave, fora superada pela chinesa Fan Ye, por 0,3 décimos. E no solo, a ginasta ficou atrás da brasileira Daiane dos Santos.[6][8]

Melbourne 2005Editar

Catalina chegou a Melbourne - Austrália como a principal atleta da competição, uma vez que havia ganhado três medalhas olímpicas de ouro no ano anterior.[15]

Sua segunda participação em Mundiais, em Melbourne - Austrália, trouxe para Ponor apenas uma medalha de bronze, na trave, atrás das americanas Nastia Liukin - estreante em Mundiais - e Chellsie Memmel, campeã do individual geral desta edição. Após os incidentes em sua vida pessoal e profissional, Ponor estava mudada e adotava uma postura agressiva, o que surpreendeu seus admiradores e companheiros de esporte na época, por resultar em ruins colocações.[15][18]

Stuttgart 2007Editar

Ao voltar para a ginástica, este fora o único campeonato de que participou. Em Stuttgart - Alemanha, Cătălina colaborou para a conquista da medalha de bronze da equipe romena. Ao lado de Sandra Izbasa, Steliana Nistor, Cerasela Patrascu, Daniela Druncea e Andreea Grigore, a equipe fora apenas superada pelas americanas e chinesas, ouro e prata, respectivamente.[19]

Tóquio 2011Editar

Depois de ter anunciado a aposentadoria, a ginasta voltou a competir no Mundial de Tóquio. Ponor ajudou a equipe romena a se classificar na quarta colocação para a final por equipes, após obter o total de 44,132 nos três aparelhos nos quais competiu (com exceção das barras assimétricas). Na final por equipes, colaborou com o time romeno a alcançar a 4ª colocação. Classificada para a final da trave, a ginasta pontuou 14,241, suficiente para a sétima colocação.[20]

Assim, Cătălina encerrou sua participação em Mundiais com cinco medalhas - três de prata e duas de bronze.

Jogos OlímpicosEditar

Atenas 2004Editar

Em sua primeira participação olímpica, Ponor demonstrou que teria um grande futuro na ginástica ao alcançar - aos dezessete anos - o feito de sua compatriota Nadia Comaneci: ganhar três medalhas de ouro em apenas uma edição dos Jogos.[21][22]

A primeira veio ao lado das compatriotas Oana Ban, Monica Rosu, Silvia Stroescu, Daniela Sofrinie e Alexandra Eremia na disputa por equipes. Mais tarde, no dia de competições por aparelhos, Ponor deixou a favorita, Carly Patterson, com a medalha de prata na disputa na trave. Sua compatriota, Eremia, completou o pódio.

Por fim, no solo, com 9,750, Cătălina conquistou - com a maior margem até então atingida em Olimpíadas (0,188) - sua terceira medalha de ouro na competição,[23] realização inédita desde 1988, quando a também romena Daniela Silivas conquistou três medalhas de ouro em uma única edição olímpica.[24][25]

Londres 2012Editar

Em sua segunda participação Olímpica conquistou a medalha de prata no solo e ficou em 4° lugar na trave após ser superada por aly raisman em ambos

Principais resultadosEditar

Ano Evento AA Equipe        
2003 Copa do Mundo – Stuttgart    
Campeonato Mundial de Ginástica Artística      
2004 Copa do Mundo – Gante    
Copa do Mundo – Glasgow    
Copa do Mundo – Lyon    
Copa do Mundo – Cottbus    
Campeonato Europeu      
Jogos Olímpicos      
2005 Campeonato Europeu  
Campeonato Mundial de Ginástica Artística  
2006 Campeonato Europeu      
2007 Campeonato Mundial de Ginástica Artística  
2011 Campeonato Mundial de Ginástica Artística
2012 Campeonato Europeu      
Jogos Olímpicos    

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Ginasta tricampeã olímpica Ponor se aposenta antes de Pequim». Estadão. Consultado em 11 de novembro de 2013 
  2. «Catalina se simte ca la 16 ani». Pro Sport  Parâmetro desconhecido |aacessodata= ignorado (ajuda)
  3. «Ponor, maior rival de Daiane dos Santos, se aposenta definitivamente». UOL Olimpíadas. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  4. «Catalina Ponor Biography» (em inglês). PerfectPeople. Consultado em 10 de outubro de 2008. Arquivado do original em 14 de agosto de 2012 
  5. «PONOR Catalina - Romania». Federação Internacional de Ginástica. Consultado em 10 de novembro de 2013. Arquivado do original em 11 de abril de 2012 
  6. a b c d e «Oh, Bella Catalina!» (em inglês). Kostiskal. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  7. «Catalina Ponor» (em inglês). Famouswhy. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  8. a b c «Catalina Ponor Profile» (em inglês). FIG site. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  9. a b «Catalina Ponor» (em inglês). GymBox. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  10. «Catalina Ponor - Biography» (em inglês). NetGimse. Consultado em 10 de outubro de 2008. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2013 
  11. «Daniele Hypólito ganha a prata na etapa do mundial na Escócia». JornalOnline. Consultado em 17 de novembro de 2008 [ligação inativa]
  12. «NOVA ENTRVISTA COM CATALINA PONOR». SuperTrafego. Consultado em 10 de outubro de 2008. Arquivado do original em 18 de junho de 2015 
  13. «Catalina Ponor Profile» (em inglês). Romanian Gymnastics. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  14. a b «Catalina Ponor» (em inglês). Beijing site. Consultado em 10 de outubro de 2008. Arquivado do original em 23 de junho de 2011 
  15. a b c Garavello, Murilo. «Acima do peso, loira e rebelde, Ponor diz que "é a melhor" na trave». UOL Esporte. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  16. Costa, Guilherma. «Favoritos por equipes na ginástica». Pluc.com. Consultado em 10 de outubro de 2008 [ligação inativa]
  17. «Catalina Ponor abandona a ginástica». GloboEsporte. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  18. «38. Campeonato Mundial de Ginástica Artística - Melbourne 2005». BestSports. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  19. «Perfil - Catalina PONOR». BestSports. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  20. «De volta, Catalina Ponor é o destaque do dia na trave pelo mundial». Sportv. Consultado em 5 de janeiro de 2011 
  21. «Beijing - Results from Athens» (em inglês). ABC News. Consultado em 10 de outubro de 2008 
  22. «Athens 2004» (em inglês). Beijing2008. Arquivado do original em 23 de junho de 2011 
  23. «Catalina Ponor leva o ouro no solo; Daiane termina em quinto». Universia.com. Consultado em 10 de outubro de 2008 [ligação inativa]
  24. «Catalina Ponor» (em inglês). COI. Consultado em 23 de junho de 2009 
  25. «Catalina Ponor é o grande nome da ginástica em Atenas». UOL Esportes. Consultado em 10 de outubro de 2008 

Ligações externasEditar