O Compact Disc Read Only Memory (sigla CD-ROM), em português: Disco Compacto - Memória Somente de Leitura, é um tipo de CD desenvolvido em 1985.

Diagrama das camadas de um CD: [A] - camada de policarbonato onde os dados são codificados - [B] - camada refletora que reflete o laser - [C] - camada selada para evitar oxidação - [D] - as ilustrações são impressas nessa camada - [E] - o raio laser lê o disco de policarbonato, é refletido de volta e lido pela unidade de disco.

O termo compacto deve-se ao seu pequeno tamanho para os padrões vigentes, quando do seu lançamento, e memória apenas para leitura deve-se ao fato do seu conteúdo poder apenas ser lido e nunca alterado. O termo foi herdado da memória ROM, que contrasta com tipos de memória RW como memória flash.

A gravação era feita pelo seu fabricante. Existem outros tipos desses discos, como o CD-R e o CD-RW, que permitem ao utilizador normal fazer a suas próprias gravações uma ou várias vezes, respectivamente, caso possuísse o hardware e software necessários.

Os CD-ROMs podiam armazenar qualquer tipo de conteúdo, desde dados genéricos, vídeo e áudio, ou mesmo conteúdo misto. Os leitores de áudio normais, só podem interpretar um CD-ROM, caso este contenha áudio.

A norma que regulava o CD-ROM foi estabelecida em 1985 pela Sony e Philips.

EstruturaEditar

Basicamente, um CD-ROM é constituído de um disco de plástico transparente com duas faces, e um orifício no centro. A uma das faces deste disco, é aplicada uma liga metálica de alumínio, onde serão efetivamente armazenados os dados, e que cobre a maioria da superfície. Por cima da outra face são geralmente impressas imagens ou caracteres. Ambas as faces devem ser tratadas com cuidado, mas esta última especialmente, pois o menor dano pode inutilizar todo o disco. A face oposta é deixada limpa e livre para que o disco possa ser lido.

FuncionamentoEditar

 
Leitor de CD-ROM da Apple Inc.

Na liga metálica que cobre uma das faces do disco, degraus microscópicos, intercaladas com espaços (sem ação do laser), são impressos de forma contínua e em espiral, desde o centro até o limite exterior. Estas depressões e espaços, correspondem a 0s e 1s - bits ou dígitos binários - que são posteriormente codificados em informação pelos leitores de CD-ROM.

Fabricação do CDEditar

 
Torre de CD.
  1. O cliente manda para a fábrica o material da gravação de áudio ou dados em um CD-R, e envia mais um outro CD onde tem os arquivos das artes do material gráfico e do rótulo do CD.
  2. O CD-R será copiado e enviado ao setor de pré-masterização e o outro será encaminhado para o setor de pré-impressão, onde eles serão analisados.
  3. No setor de pré-masterização são verificadas fisicamente as condições do material enviado pelo cliente. Quando constatado que a informação pode ser "lida", o CD é enviado para a masterização.
  4. No setor de pré-impressão, os critérios das artes de material gráfico e rótulo são analisados. São verificados os dados como dimensões, localização das dobras, dados obrigatórios do solicitante e fabricante, etc. Quando aprovadas, as artes seguem para a produção.
  5. Seguindo da informação original e produzida a matriz (glass master) feita de vidro, com tamanho maior que o CD comum. No CD de vidro é colocada uma camada de fotossensível. Essa substância é aplicada a raio do laser e revelada como uma foto. Após o término do processo serão formadas micro cavidades, chamadas "pits". Na próxima etapa vai ser aplicada uma camada de níquel sobre o CD, terminando a masterização.
  6. No processo de eletroformação, o glass master é banhado através do processo eletroquímico, que torna a camada de níquel mais grossa, assim formando uma matriz metálica chamada de stamper.
  7. O stamper é separado do vidro, que serve para reaproveitamento. A matriz metálica passa por um processo de lixamento e corte, e vai para o setor de replicação.
  8. O stamper é posto em um molde na máquina que injeta policarbonato. Esse material se molda ao stamper, que forma um CD, e ainda recebe uma camada de alumínio e uma de verniz para proteger.
  9. Depois de replicado, o CD é transportado para o setor de silk screen, onde é impresso a arte do produto conforme as fotos enviadas pelo cliente.
  10. Depois de tudo isso o CD está pronto.

CapacidadeEditar

Alguns anos antes de 2005, os CD-ROMs com capacidade/tamanho de 650 megabytes (MB) foram substituídos pelos de 700 megabytes, passando então estes a ser os mais comuns, existindo, no entanto, outros formatos superiores. Mas, atualmente existem CDs de até 2 gigabytes (GB) de capacidade.

Tipo Tempo Setores Tamanho máximo de dados (bytes) Tamanho máximo de dados (MB)
"200 MB" (Mini CD) 21 a 25 minutos 94 500 193 536 000 184,6
"550 MB" 63 minutos 283 500 580 608 000 553,7
"650 MB" 74 minutos 333 000 681 984 000 650,3
"700 MB" 80 minutos 360 000 737 280 000 703,1
"800 MB" 90 minutos 405 000 829 440 000 791,0
"900 MB" 99 minutos 445 500 912 384 000 870,1

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.