Caapiranga

Caapiranga é um município brasileiro do Estado do Amazonas, na Região Norte do país. Pertencente à Microrregião de Coari e Mesorregião do Centro Amazonense, possui uma população de 13 283 habitantes, de acordo com estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2020.[2]

Caapiranga
  Município do Brasil  
Frente do município de Caapiranga - AM
Frente do município de Caapiranga - AM
Símbolos
Bandeira de Caapiranga
Bandeira
Brasão de armas de Caapiranga
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Terra do Cará"
Gentílico caapiranguense
Localização
Localização de Caapiranga no Amazonas
Localização de Caapiranga no Amazonas
Mapa de Caapiranga
Coordenadas 3° 19' 39" S 61° 12' 32" O
País Brasil
Unidade federativa Amazonas
Região metropolitana Manaus
Municípios limítrofes Norte/Nordeste: Novo Airão;
Oeste/Sudoeste: Anamã, Anori e Codajás;
Leste: Manacapuru;
Sul: Beruri.
Distância até a capital 133 km em linha reta

185 km via fluvial

História
Fundação 28 de dezembro de 1981 (38 anos)
Aniversário 28 de dezembro
Administração
Prefeito(a) Francisco Braz (DEM, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 9 455,539 km²
População total (estimativa populacional - IBGE/2020[2]) 13 283 hab.
 • Posição AM: 57º
Densidade 1,4 hab./km²
Clima Equatorial (Am)
Altitude 32 m
Fuso horário Hora do Amazonas (UTC-4)
CEP 69425-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,569 baixo
 • Posição AM: 29º
PIB (IBGE/2017[4]) R$ 142 324,23 mil
 • Posição AM: 44°
PIB per capita (IBGE/2017[4]) R$ 11 101,73
Sítio https://www.caapiranga.am.gov.br/ (Prefeitura)
http://www.ale.am.gov.br/caapiranga/ (Câmara)

TopônimoEditar

"Caapiranga" é um termo oriundo da língua tupi. Significa "folha vermelha", através da junção dos termos ka'a ("folha") e pyrang ("vermelho").[5]

HistóriaEditar

O curso histórico de Caapiranga prende-se ao de Manacapuru. Em 15 de fevereiro de 1786, foi fundada, com o nome de Manacapuru, uma aldeia no local onde havia uma comunidade de índios Muras.

Em 27 de setembro de 1894, com o seu desenvolvimento, Manacapuru foi desmembrada de Manaus e passou a constituir município autônomo. Em 1939, Manacapuru perdeu parte de seu território para Manaus, ficando sua estrutura administrativa composta por três distritos: Manacapuru (sede), Beruri e Caapiranga.

Em 28 de dezembro de 1981, pela Emenda Constitucional nº 12, o distrito de Caapiranga foi desmembrado de Manacapuru e, acrescido de território adjacente até então pertencente a Anori, passou a constituir o novo município de Caapiranga, sendo instalado em 1º de janeiro de 1983, com a posse de prefeito e vereadores.

GeografiaEditar

Sua latitude é de 3º 19' 39" e a longitude de 61º 12' 32", possuindo uma área total de 9 457 km². Sua população estimada em 2016 era de 12 622 habitantes, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.[6]

Sua economia tem como base o cultivo do cará (nome dado na região ao inhame).

InfraestruturaEditar

SaúdeEditar

O município possuía, em 2009, 9 estabelecimentos de saúde, sendo todos eles públicos estaduais ou municipais, entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. Neles havia 14 leitos para internação.[7] Em 2014, 95% das crianças menores de 1 ano de idade estavam com a carteira de vacinação em dia.[8] Em 2015, foram registrados 173 nascidos vivos, ao mesmo tempo que o índice de mortalidade infantil foi de 17,3 óbitos de crianças menores de cinco anos de idade a cada mil nascidos vivos.[8] No mesmo ano, 31,2% das crianças que nasceram no município eram de mães adolescentes.[9] Cerca de 89,5% das crianças menores de 2 anos de idade foram pesadas pelo Programa Saúde da Família em 2014, sendo que 0,1% delas estavam desnutridas.[10] Conforme dados do Sistema Único de Saúde (SUS), órgão do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade devido a acidentes de transportes terrestres não registrou nenhum óbito em 2016, permanecendo com o mesmo resultado de anos anteriores, quando também não se registrou nenhum óbito neste indicador. Ainda conforme o SUS, baseado em pesquisa promovida pelo Sistema de Informações Hospitalares do DATASUS, não houve internações hospitalares relacionadas ao uso abusivo de bebidas alcoólicas e outras drogas entre 2008 e 2017.[11]

Até 2009, Caapiranga possuía 2 estabelecimentos de saúde especializados em Clínica Médica e Obstetrícia, e nenhum estabelecimento de saúde com especialização em Pediatria, Psiquiatria, Cirurgia Bucomaxilofacial ou Traumato-Ortopedia. Dos 9 estabelecimentos de saúde, apenas 1 deles era com internação.[7] Até 2016, havia 3 registros de casos de HIV/AIDS, sendo que todos estes casos registrados foram em pessoas até os 24 anos de idade.[12] Entre 2001 e 2012 houve 81 casos de doenças transmitidas por mosquitos e insetos, sendo as principais delas a dengue e a leishmaniose.[13]

Educação

O município de Caapiranga fez parceria com o SENAC/AM em 2019 durante a gestão do prefeito Francisco (Tico) Braz, trazendo a Unidade Móvel Fluvial José Roberto Tadros, a balsa-escola do SENAC, em março de 2019, com cursos profissionalizantes para a população nos segmentos de: Beleza, Informática, Gastronomia, Saúde, Gestão e Comércio.

Além do SENAC/AM, o município conta com a educação profissionalizante do CETAM, com cursos técnicos em diversos segmentos e cursos de curta duração, para o crescimento profissional da população caapiranguense.

O município conta com escolas das redes estadual e municipal, tanto na zona urbana quanto na zona rural.

Referências

  1. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  2. a b «Estimativas da população residente no Brasil e Unidades da Federação com data de referência em 1º de julho de 2020». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 27 de agosto de 2020. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010-2017». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de dezembro de 2017 
  5. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  6. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome IBGE_Pop_2016
  7. a b Cidades@ - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Serviços de saúde - 2009». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  8. a b Portal ODM (2014). «4 - reduzir a mortalidade infantil». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  9. Portal ODM (2015). «5 - melhorar a saúde das gestantes». Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  10. Portal ODM (2015). [hhttp://www.relatoriosdinamicos.com.br/portalodm/1-acabar-com-a-fome-e-a-miseria/BRA001013015/caapiranga---am «1 - acabar com a fome e a miséria»]. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  11. Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) (2014). «ODS 03: Saúde e bem-estar». Relatórios Dinâmicos. Consultado em 19 de dezembro de 2018 
  12. Portal ODS (2016). «ODS 03: AIDS e outras doenças transmissíveis». Relatórios Dinâmicos. Consultado em 13 de dezembro de 2018 
  13. Portal ODM (2012). «6 - combater a Aids, a malária e outras doenças». Consultado em 13 de dezembro de 2018