Cabeças Redondas

davi

Os Cabeças Redondas (Roundheads) eram a oposição parlamentar ao governo de Carlos I (1625 - 1649) na Inglaterra. Também conhecidos como Parlamentares, eles confrontaram Carlos I e seu partidários, conhecidos como Cavaliers, durante a Guerra Civil Inglesa. Eram em sua maioria puritanos burgueses e camponeses revoltados com o abuso do rei, liderados por Oliver Cromwell. Se recusavam a usar perucas, por isso, cabeças redondas: não usavam os comuns volteios de perucas brancas, repletos de cachos.[1] Representavam a nobreza rural puritana, desejosa de aumentar suas terras.

Cabeças Redondas
Roundheads
Líder Oliver Cromwell
Richard Cromwell
John Bradshaw
Thomas Fairfax
Fundação 1629
Dissolução 1678
Ideologia Liberalismo
Low Church
Não conformismo
Parlamentarismo
Republicanismo
Religião Protestantismo
Sucessor Whigs

Política do Reino Unido
Partidos políticos
Um cabeça redonda, por John Pettie.

IdeologiaEditar

A maioria dos cabeças-redondas buscava a monarquia constitucional no lugar da monarquia absoluta pretendida por Carlos; entretanto, no final da Guerra Civil Inglesa em 1649, a antipatia pública para com o rei era alta o suficiente para permitir que líderes republicanos como Oliver Cromwell abolissem a monarquia completamente e estabelecessem a Comunidade da Inglaterra.

O comandante-em-chefe dos cabeças-redondas durante a Primeira Guerra Civil Inglesa, Thomas Fairfax, permaneceu um defensor da monarquia constitucional, assim como muitos outros líderes cabeças-redondas, como Edward Montagu, 2º Conde de Manchester, e Robert Devereux, 3º Conde de Essex; no entanto, esta ala moderada foi derrotada por Cromwell e seus aliados mais aptos e radicais, que tiveram o apoio do Exército Novo e aproveitaram da percepção de traição de Carlos à Inglaterra em sua aliança com os escoceses contra o Parlamento.

A maioria dos puritanos e presbiterianos ingleses eram partidários dos cabeças-redondas, assim como muitos grupos religiosos de menor expressão, como os defensores de uma hierarquia descentralizada, conhecidos como independentes. No entanto, muitos cabeças-redondas eram membros da Igreja da Inglaterra, assim como muitos Cavaliers. As facções políticas dos cabeças-redondas incluíam os Escavadores, que formavam um grupo de proto-anarquistas, os Niveladores e o movimento apocalíptico cristão conhecido como Quinta Monarquia.

OrigensEditar

 
Um cabeça-redonda pergunta a um filho de um Cavalier: "E quando você viu seu pai pela última vez?"

Alguns puritanos, embora não todos, usavam o cabelo cortado rente ao redor da cabeça ou achatado e havia, portanto, um contraste óbvio entre eles e os homens da moda cortês, que usavam cachos longos. Durante a guerra e até mesmo após o fim do conflito, cabeça-redonda foi um termo de escárnio - no Novo Exército era uma ofensa punível chamar um colega soldado de cabeça-redonda. Isso contrastou com o termo "Cavalier" para descrever os partidários da causa monarquista. Cavalier também começou como um termo pejorativo - os primeiros proponentes usaram-no para comparar membros do partido Realista com Caballeros espanhóis que abusaram de protestantes holandeses durante o reinado de Isabel I - mas, ao contrário de cabeça-redonda, o termo Cavalier foi abraçado por aqueles que eram o alvo do epíteto.

Notas

  1. Macaulay 1856, p. 105.

ReferênciasEditar

  Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.