Abrir menu principal

Caio Aquílio Floro

Caio Aquílio Floro
Cônsul da República Romana
Consulado 259 a.C.

Caio Aquílio Floro (em latim: Caius Aquillius Florus) foi um político da gente Aquília da República Romana eleito cônsul em 259 a.C. com Lúcio Cornélio Cipião.

Consulado (259 a.C.)Editar

 
Teatro de operações da Primeira Guerra Púnica entre 261 e 259 a.C..
  Território siracusano
  Território cartaginês
  Territórios romanos
1. Vitória naval dos cartagineses na Batalha das ilhas Líparas (260 a.C. & 258-7 a.C.).
2. Vitória naval romana na Batalha de Milas (260 a.C.).
3. Romanos liberam o cerco de Segesta (260 a.C.).
4. Romanos são derrotados por Amílcar (não o Barca) em Hímera (260 a.C.).
5. Amílcar toma Enna e Camarina (259 BC).

Foi eleito cônsul com Lúcio Cornélio Cipião em 259 a.C., o sexto ano da Primeira Guerra Púnica. Ficou encarregado do comando do exército romano na Sicília, cujo objetivo principal era observar os movimentos do general cartaginês Amílcar durante o outono e o inverno, período no qual ele tomou Enna e Camerina.

Procônsul (258 a.C.)Editar

Permaneceu no comando no ano seguinte com poderes proconsulares, quando recebeu ordens de assumir o cerco a Mitistrato (Mistretta), uma fortaleza cartaginesa que já havia provocado um número considerável de baixas entre os romanos. Depois de um cerco duríssimo que durou mais de sete meses e que só foi resolvido com a chegada das legiões do cônsul Aulo Atílio Calatino, a fortaleza foi conquistada e os habitantes que não foram trucidados de imediato foram vendidos como escravos.

Por esta vitória, Floro recebeu um triunfo em 5 de outubro de 258 a.C..

Ver tambémEditar

Referências

BibliografiaEditar