Caio Canínio Rébilo (cônsul em 37)

político
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Caio Canínio Rébilo (desambiguação).

Caio Canínio Rébilo (em latim: Gaius Caninius Rebilus; m. 57) foi um político romano nomeado cônsul sufecto em 37 com Aulo Cecina Peto. Foi identificado pelos estudiosos, como William Smith, como sendo o Rébilo mencionado por Sêneca, uma pessoa de status consular de mau caráter que enviou como presente uma grande soma em dinheiro a Júlio Grecino, que se negou a aceitar ao saber de quem vinha o presente[1]. Tácito informa que Rébilo se matou em 57, na época de Nero, cortando os pulsos já muito idoso e acrescenta que ninguém esperava que ele o fizesse por causa de sua índole[2].

Aulo Cecina Peto
Cônsul do Império Romano
Consulado 37 d.C.
Morte 57 d.C.

Ver tambémEditar

Cônsul do Império Romano
 
Precedido por:
'Sexto Papínio Alênio

com Quinto Pláucio
com Caio Vécio Rufo (suf.)
com Marco Pórcio Catão (suf.)

Cneu Acerrônio Próculo
37

com Caio Petrônio Pôncio Nigrino
com Calígula I (suf.)
com Cláudio I (suf.)
com Aulo Cecina Peto (suf.)
com Caio Canínio Rébilo (suf.)

Sucedido por:
'Marco Áquila Juliano

com Públio Nônio Asprenas
com Sérvio Asínio Céler (suf.)
com Sexto Nônio Quintiliano (suf.)


Referências

  1. Sêneca, De Benef. II, 21.
  2. Tácito, Anais XIII, 30.

Ligações externasEditar