Caio Cláudio Canina

Caio Cláudio Canina (em latim: Gaius Claudius Canina) foi um político da gente Cláudia da República Romana, eleito cônsul por duas vezes, em 285 e 273 a.C., com Marco Emílio Lépido e Caio Fábio Dorsuão Licino respectivamente. Foi também censor em 270 a.C. com Tibério Coruncânio.

Caio Cláudio Canina
Cônsul da República Romana
Consulado 285 a.C.
273 a.C.

Não se sabe se deixou descendentes. O tribuno Caio Cláudio, cujo exército conquistou, em 264 a.C., a cidade de Mesana, dando início à Primeira Guerra Púnica,[1][2] pode ter sido seu filho.

Primeiro consulado (285 a.C.)Editar

Foi eleito cônsul em 285 a.C. com Marco Emílio Lépido, mas só sabemos disto por causa dos Fastos Consulares.[3] Como a segunda década da história de Lívio se perdeu, não se sabe os feitos de seu consulado.

Segundo consulado (273 a.C.)Editar

Antes de ser eleito cônsul, comemorou um triunfo, em 17 de fevereiro de 272 a.C., sobre lucanos, samnitas e, provavelmente, brútios. Foi eleito cônsul novamente em 273 a.C., desta vez com Caio Fábio Dorsuão Licino, mas só sabemos disto por causa dos Fastos Consulares.[3] Durante seu mandato, foram fundadas as colônias de Cosa (Ansedônia) e Pesto.[4] Uma expedição romana — composta por Quinto Ogúlnio Galo, Quinto Fábio Máximo Gurges e Numério Fábio Pictor — foi enviada ao faraó do Egito Ptolemeu III, parente e aliado de Pirro de Epiro, que ameaçava intervir contra os interesses romanos no sul da Itália. Quando retornaram, os embaixadores fizeram seu relato ao Senado e devolveram ao Tesouro os presentes que receberam de Ptolemeu. Os senadores, porém, recusaram o nobre gesto e permitiram que eles conservassem a recompensa que receberam.[5][6]

Dorsuão Licino morreu no cargo, mas não houve eleição de um cônsul sufecto.

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Marco Valério Máximo Potito

com Caio Élio Peto

Caio Cláudio Canina
285 a.C.

com Marco Emílio Lépido

Sucedido por:
'Caio Servílio Tuca

com Lúcio Cecílio Metelo Denter

Precedido por:
'Mânio Cúrio Dentato III

com Sérvio Cornélio Merenda

Caio Cláudio Canina II
273 a.C.

com Caio Fábio Dorsuão Licino

Sucedido por:
'Lúcio Papírio Cursor II

com Espúrio Carvílio Máximo II


Referências

  1. Dião Cássio 11 fr. 43,5–10
  2. Zonaras 8,8.
  3. a b (em alemão) Gaius Claudius Canina. In: Der Neue Pauly (DNP). Volume 12/1, Metzler, Stuttgart 2002, ISBN 3-476-01482-7, Pg. 1099.
  4. Veleio Patérculo 1,14,7
  5. Dionísio de Halicarnasso, Antiguidades Romanas X, 14; Valério Máximo, Fatos e ditos memoráveis 4.3.9.
  6. Eutrópio Breviarium ab Urbe condita' II, 15

BibliografiaEditar