Abrir menu principal

Caio Pápio Mutilo (em latim: Gaius Papius Mutilus; m. 88 a.C.) foi nobre samnita do clã dos "Varianos" (ou "Varrianos") conhecido por ter sido um dos dois cônsules das tribos italianas durante a Guerra Social (91-88 a.C.). Ele recebeu o comando do chamado "grupo samnita", que lutou no sul da península contra as forças da República Romana[1].

Guerra SocialEditar

O exército de Pápio Mutilo, que agregava a força das cidades italianas rebeladas no sul da península (hirpínios, pompeus, venúsios, iápiges, lucanos e samnitas) era equivalente ao exército romano na região. Seu colega, Quinto Popédio Silão, assumiu o comando do "grupo mársico", o exército das cidades do norte da Itália[2].

Pápio conseguiu muitas vitórias durante sua invasão ao território romano. Uma de suas mais famosas batalhas ocorreu na antiga cidade de Nola, depois da qual os italianos conseguiram capturar a cidade com toda a guarnição romana, 2 000 homens. Foram todos executados depois de não aceitarem a oferta de Pápio de se unirem a ele.

Depois desta vitória, Pápio tomou Estábias (em latim: Stabiae), Minérvio e Salerno, além do território de Nucéria, provocando grande temor nos habitantes da região. Estas conquistas lhe valeram muitos prisioneiros e escravos, além de 10 000 infantes e 1 000 cavaleiros, cedidos sob ameaça[3]. Durante toda a guerra, Pápio perdeu apenas duas batalhas, a primeira para Lúcio Júlio César, cônsul em 90 a.C., e a outra para Lúcio Cornélio Sula no ano seguinte. Depois desta última derrota, Pápio foi proscrito e se matou[1].

Referências

  1. a b Hornblower, Simon; Spawforth, Antony (1996). The Oxford classical dictionary (em inglês) 3ª ed. Oxford: Oxford University Press. p. 922 
  2. Salmon, E.T. (1958). «Notes on the Social War». Transactions and Proceedings of the American Philological Association (em inglês) (89): 159-184 
  3. Apiano (1913). Horace White, ed. The Histories of Appian. Guerras Civis (em inglês). 1. [S.l.]: Loeb Classical Library. p. 83