Abrir menu principal

Wikipédia β

Cama de Gato (telenovela)

Cama de Gato é uma telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo no tradicional horário das 18 horas entre 5 de outubro de 2009 a 9 de abril de 2010, em 161 capítulos, substituindo Paraíso e sendo substituída por Escrito nas Estrelas. Foi a 74ª "novela das seis" exibida pela emissora.

Cama de Gato
A Armadilha (PT)
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Drama
Romance
Suspense
Duração 45 minutos Aproximado
Criador(es) Duca Rachid
Thelma Guedes
País de origem  Brasil
Idioma original (Português)
Produção
Diretor(es) Ricardo Waddington
Diretor(es) de criação Amora Mautner
Elenco Marcos Palmeira
Camila Pitanga
Paolla Oliveira
Carmo Dalla Vecchia
Dudu Azevedo
Ronny Kriwat
Guta Gonçalves
Bia Arantes
Isabela Garcia
Emanuelle Araújo
Heloísa Perissé
Marcello Novaes
Paulo Goulart
Nívea Stelmann
Paula Burlamaqui
Ângelo Antônio
ver mais
Tema de abertura "Pelo avesso", Titãs
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 5 de outubro de 2009 - 9 de abril de 2010
N.º de episódios 161

Escrita por Duca Rachid e Thelma Guedes, com supervisão de texto de João Emanuel Carneiro, é escrita com a colaboração de Júlio Fischer, Thereza Falcão, Alessandro Marson e João Brandão, contou com a direção de Amora Mautner, Gustavo Fernandez, Thiago Teitelroit, André Felipe Binder, Roberto Vaz e Vinícius Coimbra, com direção geral de Amora Mautner e direção de núcleo de Ricardo Waddington.[1]

Contou com Marcos Palmeira, Camila Pitanga, Carmo Dalla Vecchia, Isabela Garcia, Heloísa Périssé, Marcello Novaes, Ângelo Antônio, Paula Burlamaqui, Paulo Goulart, Nívea Stelmann, Raquel Villar, Guta Gonçalves, Ronny Kriwat, Bia Arantes, Emanuelle Araújo, Dudu Azevedo e Paolla Oliveira nos papéis principais da história.[2]

A banda Titãs executou o tema de abertura, "Pelo avesso", presente em um CD lançado paralelamente ao folhetim, que contou com canções de Seu Jorge e Jota Quest, dentre outros. O título Cama de Gato é uma expressão popular do Brasil que significa "armar uma cilada", referência ao que a personagem Verônica faz com Gustavo.[3] Voltada ao público em geral, a telenovela foi bem-recebida pela crítica e pelo público, oscilando uma média de 24 pontos. Desta forma, conquistou o prêmio de melhor telenovela na categoria "drama" da cerimônia canadense Banff World Television,[4] e foi indicada a seis categorias do 12º Prêmio Contigo! de TV.

Índice

AntecedentesEditar

 Ver artigos principais: História da Rede Globo e Novela "das seis"

O setor de teledramaturgia da Rede Globo estreou no mesmo ano de sua inauguração, em 1965, com O Ébrio, no horário das 20 horas.[nota 1][6][7] No mesmo ano também seria criado o horário das 19 horas, com Rosinha do Sobrado.[8] Somente seis anos depois, seria posto à programação um terceiro horário de telenovelas: o das 18 horas. A primeira telenovela exibida pela emissora no horário foi Meu Pedacinho de Chão (1971), co-produção com a TV Cultura escrita por Benedito Ruy Barbosa.[9] Desde então, até 2009, haviam sido produzidas 73 novelas.[10]

Antes do término de Paraíso, ficou decidido que Thelma Guedes e Duca Rachid seriam as responsáveis pela sucessora, que iriam escrever sob a supervisão de João Emanuel Carneiro.[1]

ProduçãoEditar

 
As primeiras cenas de Cama de Gato foram gravadas no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.

Inspirado pelas histórias de e Buda, o texto começou a ser desenvolvido em abril de 2009, quando foi decidido que a então próxima novela "das seis" seria escrita por Guedes e Rachid.[11] Durante os primeiros 18 capítulos desenvolvidos, a dupla teve a ajuda de João Emanuel Carneiro.[12] As gravações começaram em 10 de julho de 2009.[13] A princípio, o Deserto do Atacama, no Chile, seria o lugar das primeiras cenas. Entretanto, devido ao risco de gripe suína, este foi mudado para a Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.[14] Foram quatorze dias de filmagens no local.[15] Ricardo Waddington, diretor da telenovela, disse que ficou "muito frustrado por não poder ir ao Chile", e que a equipe escolheu os lençóis do Maranhão "por lá ter uma extensão de horizonte perdido maior."[16] As demais cenas da telenovela foram filmadas no Estúdio A do Projac.[17] Inicialmente, a telenovela recebeu o título Pelo Avesso, que foi trocado para Cama de Gato um mês antes da estreia,[16] através da compra do nome, que era registrado ao filme homônimo, por R$ 15 mil.[18][19]

Escolha do elencoEditar

A escolha do elenco foi feita pela própria direção de teledramaturgia da Globo. Paolla Oliveira foi confirmada como vilã ainda em maio de 2009. No mês seguinte, já tinham sido escolhidos Marcos Palmeira como protagonista, além de Carmo Dalla Vecchia, Marcello Novaes, Heloísa Perissé, Pedro Paulo Rangel, Daniel Boaventura, Ailton Graça, Paulo Goulart, Luis Gustavo, Rosi Campos e Nívea Stelmann.[13] As próprias autoras decidiram que Camila Pitanga interpretaria Rosenilde.[20] O protagonista foi escolhido sob impulso da diretora geral, Amora Mautner, que era sua esposa, na época. Palmeira, decepcionado com seu papel em Três Irmãs, pretendia ficar um tempo longe da TV, mas ela o convenceu a voltar aos folhetins. Então, ela falou com Waddington, que lhe deu o papel.[21] Assim, foi concluído que Cama de Gato teria 54 atores.[22]

Cenário e caracterizaçãoEditar

O figurino do protagonista, Gustavo, refletiu a sua fase de pobreza, quando foi levado para o deserto pelo melhor amigo, Alcino, com o intuito de torná-lo uma pessoa menos materialista. De acordo com a figurinista Labibe Simão, as roupas do personagem passam a não ter identidade, porque ele aceita o que as pessoas lhe dão, como uma camisa polo surrada que ganhou de um pescador.[23] Os nomes dos filhos da personagem Rose - Glória, Tarcísio, Francisco e Regina[24] - são homenagens a Glória Menezes, Tarcísio Meira, Francisco Cuoco e Regina Duarte.[25][26] O personagem Bené é profundamente inspirado em Raí, de Quatro por Quatro, que também foi interpretado por Marcello Novaes, sendo seu papel de maior sucesso.[27] As roupas da personagem Verônica foram compostas "a partir de uma inspiração art déco, e de olho em grifes como Prada e Givenchy."[28]

EnredoEditar

  Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Gustavo Brandão é um homem rico, mas amargurado, dono da empresa de perfumes Aromas junto a Alcino Rodrigues, seu melhor amigo, e casado com a ambiciosa Verônica. Alcino é um bon-vivant, que aproveita a vida ao máximo, mas descobre que está com uma doença grave e com os dias contados. Ao perceber que Gustavo perdeu o prazer das coisas simples da vida, Alcino decide mandá-lo para um deserto, com a ajuda de Verônica e de Davi, irmão de Gustavo.[2] Com esta atitude, Alcino pretendia que Gustavo passasse por um momento de reflexão, que repensasse sua vida, seus valores. Só que Verônica aproveitou-se da situação para dar um fim no marido e ficar com toda a sua fortuna. Para isso, ela contou com a ajuda de Roberto, modelo da perfumaria e seu amante.[3]

Mas Rose, faxineira da Aromas, ouve o plano de Alcino, sem entender os motivos dele, e decide contar tudo ao patrão, porque achava que Alcino estivesse querendo dar um fim em Gustavo. Rose é uma mulher íntegra e honesta, ex-mulher do malandro Tião, e trabalha duro para sustentar seus quatro filhos, além do ex-marido, que não quer saber de trabalhar.[29] Na noite do lançamento de um novo perfume da Aromas, Rose e Taís, sua melhor amiga, entraram escondidas na festa e contaram sobre o plano de Alcino a Gustavo, que não acreditou e as demitiu. Mas no dia seguinte Gustavo acordou no meio de um deserto e, por meio de um bilhete que Alcino lhe deixou junto com um mapa, concluiu que foi seu melhor amigo que o mandou para aquele lugar no meio do nada. Enquanto isso, a modelo Natasha, exclusiva dos perfumes Aromas, é encontrada morta na casa de Gustavo. Com o desaparecimento do empresário, era natural que a culpa recaísse sobre ele.[3]

Alcino foi até o encontro do amigo no deserto, mas, no caminho, os capangas de Roberto abordaram-no e roubaram seu carro, o que fez com que ele seguisse a pé. Gustavo também foi perseguido pelos capangas, que receberam ordem para matá-lo, mas concluiu que eram capangas de Alcino. Os dois amigos acabaram se encontrando, mas, após uma discussão, Gustavo amarrou Alcino e seguiu viagem.[30] Mari, secretária de Alcino, sua amiga e confidente, o libertou, e ambos foram atrás de Gustavo. Os capangas de Roberto alcançaram Gustavo e, após um tiro, ele caiu de um penhasco. Alcino viu a cena de longe e sentiu-se culpado, acreditando que Gustavo havia morrido. Mas, na verdade, ele conseguiu se salvar.[3]

A partir daí, Gustavo faz de tudo para voltar ao Rio de Janeiro para provar sua inocência. Após trabalhar como boia-fria e lixeiro, encontra Rose, a ex-faxineira de sua empresa que o havia alertado sobre Alcino. Com a ajuda dela, Gustavo tenta provar que não teve culpa na morte da modelo e que tudo não passava de um plano de Alcino.[31] Para piorar as desconfianças de Gustavo sobre o amigo, Verônica seduz Alcino e eles se casam, o que leva Gustavo a achar que os dois estavam mancomunados. Mas Verônica é desmascarada perante Alcino, com a ajuda de Mari, que nunca acreditou na carinha angelical da moça. É quando Rose começa a trabalhar na Aromas, por causa de Alcino, que fica encantado por ela. Lá, a ex-faxineira vai juntando provas que inocentam Gustavo, mas que não apontam o verdadeiro culpado e sim, acusam outro inocente: Alcino.[3]

  Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

ExibiçãoEditar

A telenovela teria seu início no dia 7 de setembro de 2009.[13] Com o esticamento de Paraíso, a telenovela recebeu uma data fixa: 28. Entretanto, sua antecessora foi esticada novamente. A adaptação terminaria em 25 de setembro, mas foi adiada para 2 de outubro. Com isso, e Viver a Vida tendo sua estreia em 14 de setembro, a novela de Thelma e Duca teria apenas duas semanas de chamadas, o que prejudicaria seu desempenho.[32][33] O primeiro capítulo de Cama de Gato foi exibido oficialmente em 5 de outubro de 2009, na faixa das 18h pela Rede Globo.[2] Exibida de segunda a sábado,[3] recebeu inicialmente a classificação indicativa de livre para todos os públicos, sendo reclassificada como imprópria para menores de 10 anos. Sua abertura era transmitida ao som de "Pelo avesso", interpretada pela banda Titãs.[34] Seu desfecho foi mostrado em 9 de abril de 2010,[35] totalizando 161 capítulos, sendo substituída por Escrito nas Estrelas.[36][37] Cama de Gato foi vendida em mais de 20 países.[38][39] Em 2016 em toda Africa Francesa e inglesa a novela é exibida pelo canal Nina Tv com o título de "Redemption" no ano de 2016.[40].

ElencoEditar

 
Parte do elenco principal.

Marcos Palmeira interpreta Gustavo Brandão, um homem rico e amargurado, que é dono da perfumaria Aromas com seu sócio Alcino Rodrigues (Carmo Dalla Vecchia). Ele é casado com Verônica (Paolla Oliveira),[41] que só se juntou a ele por interesse, já que seu falido pai, Severo (Paulo Goulart), teve seus bens comprados pelo genro.[42] Com a ajuda de Alcino e do irmão de Gustavo, Davi (Ângelo Antônio), Verônica leva Brandão para um deserto, por ele ter perdido o prazer das coisas simples da vida. Tirando proveito da viagem, Verônica tenta dar um fim no marido e ficar com sua fortuna. Para isso, ela conta com a ajuda de Roberto (Dudu Azevedo), que é modelo da Aromas e seu amante.[43]

A faixineira Rose (Camila Pitanga)[44][45] ouve o plano de Alcino e conta para seu patrão, pensando que ele queria dar um fim em Brandão. Rose é ex-mulher de Tião (Aílton Graça) e trabalha duro para sustentar seus quatro filhos, Glória (Raquel Villar), Tarcísio (Heslander Vieira), Francisco (Gustavo Maya) e Regina (Julyana Garcia).[25] Na noite de lançamento de um perfume da loja, ela e sua amiga Taís (Heloísa Perissé) entram escondidas na festa e contam sobre o plano para seu chefe, que as despede. No dia seguinte, ele se encontra em um deserto no meio do nada. Enquanto isso, a modelo Natasha (Letícia Birkheuer) é encontrada morta e ele é tido como principal suspeito.[46]

Sofia (Paula Burlamaqui) é uma professora rigorosa com a educação de seus filhos, Pedro (Ronny Kriwat)[47] e Eurídice (Bianca Salgueiro). Como gosta de impor limites às crianças, ela vive em pé de guerra com a mãe, a esnobe Adalgisa (Yoná Magalhães).[48] Sólon (Daniel Boaventura)[49] é dono do clube Esplêndido da Glória e apaixonado por dança de salão. É namorado de Taís.[50] Mari (Isabela Garcia) é assistente de Alcino e se apaixona por ele.[51] O pipoqueiro Bené é interpretado por Marcello Novaes.[52]

MúsicaEditar

Cama de Gato
Trilha sonora de vários artistas
Lançamento 1 de janeiro de 2010 (2010-01-01)[53]
Gênero(s) Romântico
Idioma(s) Português
Formato(s) CD
Gravadora(s) Som Livre

O tema de abertura da novela, "Pelo avesso", é interpretado pela banda Titãs. A trilha sonora ainda inclui Seu Jorge, por "Seu Olhar" e Jota Quest, por "La Plata". Tais canções foram incluídas em um CD, cuja produção recaiu à Som Livre. Ao contrário das outras produções do canal, não foi lançada uma trilha sonora internacional.[34]

N.º Título Música Duração
1. "Porque eu sei que é amor"   Titãs  
2. "Para você guardei o amor" (com a participação de Ana Cañas) Nando Reis Débora e Pedro
3. "Um dia, um adeus"   Vanessa da Mata  
4. "Seu Olhar"   Seu Jorge  
5. "Linda Rosa"   Maria Gadú Sofia
6. "Sou Eu"   Diogo Nogueira  
7. "Pedindo pra voltar"   Marisa Monte Gustavo e Rose
8. "Beija-Flor/Mel da sua boca" (Pot-pourri) Marina Lima  
9. "O mundo"   Moska  
10. "Eu não sou santo"   Exaltasamba  
11. "Vem comigo que eu te levo pro céu"   Marcelo D2 Roberto, Veônica e Glória
12. "Pelo avesso"   Titãs Abertura
13. "La Plata"   Jota Quest Verônica
14. "Amar é perdoar" (Don't know why) Fábio Jr.  
15. "Odeon"   Fernanda Takai  
16. "Toda criança quer"   Palavra Cantada  

Lançamento e repercussãoEditar

AudiênciaEditar

Cama de Gato alcançou 25 pontos em sua estreia na Grande São Paulo, mesma audiência do primeiro capítulo de Paraíso, segundo o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística.[nota 2] Nos dias seguintes, a telenovela alcançou 26, 27 e 28 pontos.[57] Pelos próximos meses, a obra de Thelma Guedes e Duca Rachid manteve índices satisfatórios para a emissora.[58][59] No dia do Blecaute no Brasil e Paraguai em 2009, a novela alcançou 27 pontos.[60] Sua maior audiência foi no capítulo de 2 de março de 2010, quando conseguiu 33 pontos.[61] Seu desfecho alcançou média de 31 pontos,[62][63] com picos de 37.[64] A trama teve 55% de share em São Paulo e 65% em Recife. Por fim, a telenovela oscilou uma média de 24 pontos.[65]

Avaliação em retrospectoEditar

 
Patrícia Kogut, de O Globo, disse que Heloísa Perissé (foto) "promete bons momentos como Taís".[66]

Arcângela Mota do portal Terra disse que "Cama de Gato faz jus ao nome. Com um ritmo pouco comum ao horário das seis da Globo, a novela tem a essência de um emaranhado de golpes, segredos e armadilhas."[58] Joana Dale de O Globo disse que Daniel Boaventura era "um espetáculo",[67] e que Paolla Oliveira "dá conta do recado como a malvada e estilosa Verônica na trama das seis."[68] Patrícia Kogut, do mesmo noticiário, destacou Camila Pitanga, Oliveira, Ailton Graça e Marcello Novaes. De acordo com ela, "as autoras acenaram com uma produção cheia de ritmo", e a recomendou para quem "estava sentindo saudade de uma história carregada de eletricidade."[66]

Aina Pinto da IstoÉ Gente opinou que "[é] a estreia mais surpreendente de uma novela das seis nos últimos cinco anos [...] mas o elenco é para lá de irregular e uma parte dele tem desempenho sofrível."[69] Marcelo Marthe, da Veja, notou que "em comum, as personagens de Camila Pitanga e Paolla Oliveira são machucadas pela vida – e o público gosta."[70] Um colunista da Zero Hora foi negativo em relação aos vilões da trama, dizendo que "[ela] mais parece um baú de maldades."[71] Consoante Patrícia Villalba de O Estado de S. Paulo, "a novela brinca no quintal do seriado, apesar de contar a história clássica do apogeu e queda de um herói."[72] Jorge Brasil da revista Contigo! adjetivou-a de "um típico folhetim", mas "extremamente ágil, cheia de reviravoltas e ganchos."[73]

ProdutosEditar

A Globo Marcas iniciou a venda de produtos da telenovela através de seu site oficial. O escapulário de Rose e o pingente de Santo Expedito de Bené foram os primeiros a serem disponibilizados para compra.[74][75]

Prêmios e indicaçõesEditar

Cama de Gato recebeu seis indicações ao 12º Prêmio Contigo! de TV, inclusive a de melhor novela. Paolla Oliveira foi indicada à melhor atriz, Aílton Graça competiu em melhor ator coadjuvante e Guta Gonçalves em melhor atriz revelação. Por fim, Ronny Kriwat e Rainer Cadete representaram a trama na categoria melhor ator revelação.[76][77] Em 2010, a novela recebeu o prêmio de melhor telenovela internacional na categoria "drama" da cerimônia canadense Banff World Television.[4]

Notas

  1. Ilusões Perdidas, de Enia Petri foi a primeira telenovela exibida pela emissora. Contudo, sua produção recaiu à TV Paulista, tinha sido recém-comprada por Roberto Marinho, o que culminaria na sua transformação em Globo São Paulo.[5]
  2. Em 2009, cada ponto equivalia a 60 mil domicílios[54] na Grande São Paulo.[55][56]

Referências

  1. a b Castro, Daniel (16 de abril de 2009). «Nova das seis». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  2. a b c «"Cama de Gato", a nova novela das 18h, estreia nesta segunda». 4 de outubro de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  3. a b c d e f «Cama de Gato - Sinopse». Teledramaturgia. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  4. a b «"Cama de Gato" desbanca "Viver a Vida" em prêmio internacional». Folha de S. Paulo. 14 de junho de 2010. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  5. Memória Globo. «Ilusões Perdidas». Consultado em 23 de dezembro de 2013 
  6. «O Ébrio». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 28 de janeiro de 2011 
  7. «O Ébrio». Teledramaturgia. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  8. «Rosinha do Sobrado». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 28 de janeiro de 2011 
  9. «Meu Pedacinho de Chão». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 26 de janeiro de 2014 
  10. NaTelinha (4 de julho de 2009). «"Paraíso" será esticada na Globo». Consultado em 5 de julho de 2009 
  11. a b Castro, Daniel (3 de maio de 2009). «Histórias de Jó e Buda inspiram nova novela das seis». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  12. Mousse, Simone (30 de junho de 2009). «Dupla de novatas assina 'Pelo avesso'». O Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  13. a b c Padiglione, Cristina. «Bolívia entra em foco». O Estado de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  14. «Carmo Dalla Vecchia mostra o cenário de Cama de Gato, no Maranhão». Rede Globo. 22 de setembro de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  15. «Galã em Cama de Gato». Zero Hora. 7 de agosto de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  16. a b Dale, Joana (2 de agosto de 2009). «Em ritmo de aventura». O Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  17. «Direto do Projac: Elenco de Cama de Gato grava cena de casamento». Rede Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  18. «Cama de Gato - Bastidores». Teledramaturgia. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  19. Bergamasco, Daniel (21 de setembro de 2009). «TV Globo omite nome e paga pechincha por "Cama de Gato"». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  20. Trigo, Mariana (28 de junho de 2009). «Bem e mal, pobres e ricos». Zero Hora. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  21. Moreira, Paulo Ricardo (17 de setembro de 2009). «Empurrão da mulher». Jornal do Brasil. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  22. «Elenco grava primeiras cenas de "Cama de Gato", próxima novela das seis». Abril.com. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  23. Moreira, Paulo Ricardo (5 de agosto de 2009). «Empresário na pior». Jornal do Brasil. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  24. Contreiras, Tatiana (17 de janeiro de 2010). «Uma família em cena». O Globo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  25. a b Castro, Daniel (9 de agosto de 2009). «Mãe novela». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  26. «Ídolos da ficção». Jornal do Brasil. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  27. «Do começo ao fim». Jornal do Brasil. 21 de setembro de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  28. Villalba, Patrícia. «Vestida pra matar». O Estado de S. Paulo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  29. «Próximos capítulos». O Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  30. «Próximos capítulos». O Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  31. «Próximos capítulos». O Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  32. Castro, Daniel. «Globo estica "Paraíso" para salvar estreia da sucessora». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  33. Dauroiz, Alline (23 de agosto de 2009). «Audiência de Paraíso adia substituta». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  34. a b «Cama de Gato - Trilha Sonora». Teledramaturgia. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  35. «'Cama de Gato' chega ao fim hoje; confira alguns desfechos». Globo.com. 9 de abril de 2010. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  36. Redação Terra (13 de abril de 2010). «Elenco se reúne para assistir a estreia de novela». Terra diversão. Consultado em julho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  37. A Tarde On Line (12 de abril de 2010). «Escrito nas Estrelas estreia hoje com temática espírita». A Tarde. Consultado em julho de 2010  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  38. «Globo International—Press». Globotvinternational.com 
  39. NaTelinha (26 de agosto de 2010). «"Cama de Gato" bate recorde de audiência Portugal». Universo Online 
  40. Redeption
  41. «Filhote de Nazaré». Zero Hora. 30 de agosto de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  42. «Lobo em pele de cordeiro». Zero Hora. 4 de outubro de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  43. «Elenco de Cama de Gato». Teledramaturgia. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  44. Furlaneto, Audrey (27 de setembro de 2009). «Camila Pitanga será faxineira "invisível"». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  45. «A "faixineira" Camila Pitanga». IstoÉ Gente. 28 de setembro de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  46. «Gustavo muda o visual». Zero Hora. 28 de dezembro de 2009. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  47. «Nova aposta da TV». Zero Hora. 23 de setembro de 2009. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  48. «Professora rigorosa». Jornal do Brasil. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  49. «Cama de Gato >Personagens - Biografia - Sólon». Rede Globo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  50. Castro, Daniel. «As aparências enganam». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  51. «Cama de Gato: Mari». Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  52. «Raí em nova versão». Zero Hora. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  53. «CD Cama de Gato: Nacional». Americanas.com. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  54. «Quando vale a audiência?». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  55. «Entrelinhas». Folha de S. Paulo. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  56. Moreira, Paulo Ricardo (7 de outubro de 2009). «Dança dos números». Jornal do Brasil. Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  57. Moreira, Paulo Ricardo; Jornal do Brasil (11 de outubro de 2009). «Ibope em alta». Consultado em 7 de janeiro de 2014 
  58. a b Mota, Arcângela. «'Cama de Gato' segura audiência da faixa das seis». Terra. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  59. «Audiências». Jornal do Brasil. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  60. Moreira, Paulo Ricardo (13 de novembro de 2009). «Audiência do apagão». Jornal do Brasil. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  61. «Cama de Gato bate recorde de audiência na Globo». NaTelinha. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  62. «Último capítulo de "Cama de Gato" fica abaixo do recorde da novela». Folha de S. Paulo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  63. «Final de 'Cama de Gato' registra 31 pontos de audiência». Terra. 9 de abril de 2010. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  64. «Último capítulo de Cama de Gato chega a 37 pontos no Ibope». Ofuxico. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  65. Mattos, Laura (28 de janeiro de 2010). «Globo usa audiência diferente das outras emissoras». Folha de S. Paulo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  66. a b Kogut, Patrícia (7 de outubro de 2009). «'Cama de gato', crítica: Ação e folhetim tradicional às 18h». O Globo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  67. Dale, Joana (22 de novembro de 2009). «Ele é um espetáculo». O Globo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  68. Dale, Joana (24 de janeiro de 2010). «Soltando os bichos». O Globo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  69. «Tradição e agilidade». IstoÉ Gente. 19 de outubro de 2009. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  70. Marthe, Marcelo (23 de dezembro de 2009). «O embate das pisoteadas». Veja. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  71. «É cama de gato ou de cobras?». Zero Hora. 27 de dezembro de 2009. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  72. Villalba, Patrícia (27 de dezembro de 2009). «A primeira faz tchan, e a segunda faz tchun...». O Estado de S. Paulo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  73. Brasil, Jorge (14 de outubro de 2009). «Caí na rede de Cama de Gato. E você? Está curtindo a novela das 6?». Contigo!. Consultado em 9 de janeiro de 2014 
  74. Corrêa, Silvia (20 de dezembro de 2009). «Vende-se tudo». Folha de S. Paulo. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  75. «Entrelinhas». O Estado de S. Paulo. 23 de dezembro de 2009. Consultado em 8 de janeiro de 2014 
  76. Patrícia Teixeira (4 de maio de 2010). «Estrelas da TV agitam o Prêmio Contigo, no Copacabana Palace». O Fuxico. Consultado em 27 de setembro de 2011 
  77. «Confira os vencedores do 12º Prêmio Contigo! de TV». Terra. 4 de maio de 2010. Consultado em 10 de janeiro de 2014 

Ligações externasEditar