Abrir menu principal

A Campanha da Fraternidade de 2009, organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, teve como tema Fraternidade e Segurança Pública e como lema A paz é fruto da justiça.

Índice

Objetivo GeralEditar

O objetivo geral desta campanha foi promover o debate sobre a segurança pública e difundir a cultura da paz a partir da busca da justiça social. Mostrar que a paz é fruto da justiça, como o próprio lema diz.

Objetivos permanentesEditar

  • Fomentar o espírito comunitário e a busca do bem comum nos cristãos e na sociedade.
  • Educar para a construção da vida em fraternidade através da justiça e do amor.
  • Conscientizar sobre a responsabilidade de todos na evangelização e promoção humana, buscando uma sociedade socialmente justa e solidária.
  • Ser solidário a todos

Objetivos específicosEditar

  • Sensibilizar as pessoas para reconhecer a violência em sua realidade pessoal e social, buscando que assumam a sua responsabilidade em relação à violência e à promoção da cultura da paz.
  • Denunciar os crimes contra a ética, a economia e administração pública e a injustiça presente na imunidade parlamentar para crimes comuns, o instituto da prisão especial e foro privilegiado.
  • Fomentar a educação para a paz, conscientizar sobre a negação de direitos como raiz da violência e romper com a visão do combate à violência com estratégias violentas.
  • Denunciar o modelo de punição no sistema penal brasileiro, fomentando a implementação de ações educativas, penas alternativas e fóruns de mediação de conflitos para superar os problemas de segurança.
  • Estimular a criação e a articulação de redes sociais populares com vistas à busca de justiça social e difusão da cultura da paz.
  • Fomentar ações que atuem sobre as causas da violência e insegurança pública.
  • Despertar a solidariedade para com as vítimas da violência.
  • Apoiar as políticas governamentais de direitos humanos.

Escolha do temaEditar

O tema da campanha foi escolhido a partir de uma sugestão do padre Gunther Alois Zgubic, que era coordenador nacional da Pastoral Carcerária por ocasião da rebelião ocorrida em São Paulo em 2006.[1]

Referências

  1. «Pe. Gunther despede-se do Brasil lembrando a Paixão de Cristo». Adital. Consultado em 14 de fevereiro de 2011 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar