Campeonato Amazonense de Futebol

O Campeonato Amazonense de Futebol, popularmente chamado de Barezão, é a competição organizada pela Federação Amazonense de Futebol para disputa do título de campeão estadual entre os clubes profissionais de futebol no estado do Amazonas. É disputado desde 1914, sendo que foi amador até 1963, tornando-se profissional a partir de 1964, e em 1966 passou a ser organizado pela FAF. É através deste que se definem os representantes amazonenses nos torneios nacionais como Copa Verde, Copa do Brasil de Futebol e Campeonato Brasileiro de Futebol - Série D.

Campeonato Amazonense de Futebol
Campeonato Amazonense
Bandeira do Amazonas
Dados gerais
Organização Federação Amazonense de Futebol
Edições 108 desde 1914 (110 anos)
Outros nomes Barezão
Local de disputa  Amazonas,  Brasil
Número de equipes 10
Sistema Misto (turno classificatório/grupos fechados)
Divisões
1ª Divisão2ª Divisão
Edição atual
editar

História

editar

O Campeonato Amazonense de futebol é o 2º mais antigo em disputa na Região Norte. A primeira edição da Primeira Divisão foi organizada em 1914 e disputada por 5 clubes de Manaus, membros fundadores da Liga Amazonense de Foot-Ball. O primeiro campeão foi o Manaos Athletic e atualmente os maiores campeões são Nacional (43 títulos) e Rio Negro (17 títulos), sendo também os únicos clubes em atividade que disputaram aquela primeira edição do campeonato (todos os demais se encontram extintos).

O Futebol no Amazonas

editar

O futebol chegou no Amazonas entre o final do século XIX e os primeiros anos do século XX, sendo praticado inicialmente em Manaus, basicamente por ingleses que chegaram durante a belle époque.[1] O primeiro clube esportivo de Manaus foi o eclético Sport Club Amazonense, fundado em 24 de Outubro de 1897 pela elite manauara. Porem, esse clube desapareceu por volta de 1900 sem se ter ideia de que praticou o futebol.

É em 1903 que se tem a primeira notícia de um jogo de futebol no Amazonas quando, em Março daquele ano, os Ingleses fizeram uma partida na praça Floriano Peixoto, no bairro da Cachoeirinha, em Manaus[2].

O primeiro clube fundado no estado em razão especial da prática do futebol foi o Racing Club Amazonense, fundado em 13 de Maio de 1906, pelo maranhense José Conduru Pacheco[3]. Quase um ano depois, em 19 de Abril de 1907, surgiu o segundo clube baré de futebol, o Sport Foot-ball Club Manáos, de cores vermelho e branco e fundado por Luiz Paulino[3]. Entre essas duas football assocations se deram os primeiros matches de futebol no Amazonas. Nessa época o foot-ball dividia atenções com esportes como esgrima, ciclismo, críquete, ginástica e remo.[4]

O que atraiu os ingleses para Manaus, assim como estrangeiros de diversas nacionalidades, foi o "ciclo da borracha" que representava muitas oportunidades. Ao chegar na cidade, trouxeram consigo o estilo sportman que foi bem aceito e incorporado na sociedade manauara. Como citado anteriormente, foram os ingleses que fundaram os primeiros clubs em Manaus e inicialmente vetavam o ingresso de brasileiros em suas equipes, o que era encarado com orgulho pelo Manáos Athletic Club[3], por exemplo. Nesse primeiro momento do "esporte bretão" em terras barés, era praticado numa temporada de Março a Julho, por conta do clima e também para os sportmen poderem praticar outros esportes.[5]

Com a popularização do foot-ball, inúmeros clubs foram surgindo em Manaus, e os matches passaram a ser divulgados e retratados nos jornais da cidade. Em 10 de Janeiro de 1914 foi fundada a primeira entidade de foot-ball do Amazonas, a Liga Amazonense de Foot-ball(LAFB), contando com entre 7 a 10 clubes filiados (alguns possuíam até 3 teams) que somavam 20 teams divididos em três divisões. O primeiro campeonato da liga foi realizado ainda em 1914, contando com clubes possuintes de jogadores de várias nacionalidades, podemos citar que o Manaos Athletic, um raro remanescente dos inúmeros clubes fundados por britânicos, veio a ser o campeão dessa histórica 1ª edição (e depois também da 2ª), sendo o único dos participantes que era composto unicamente por britânicos e por isso se consideravam "Os imbatíveis". Dentre os demais clubes da primeira divisão, tivemos o Club Vasco da Gama (clube fundado por portugueses), o Manaos Sporting (um misto de sportmen brasileiros e portugueses) e Nacional e Rio Negro (compostos unicamente por brasileiros).[5][6]

Com a especial popularidade, logo os clubs passaram a requerer ante a Intendência Municipal as praças e bosques públicos para efetuar seus trainings e matches. Foi isso que o recém-fundado Athletic Rio Negro Club fez para ter direito sobre a atual Praça da Saudade, onde fazia seus treinos, mandava seus jogos e eventualmente cedia para outros clubes. Os jogos ocorriam durante o dia todo, com o "horário nobre" sendo às 16h30, horário em que os primeiros teams (times principais) faziam suas pelejas. Já nos demais horários, se enfrentavam os clubes dos segundos e terceiros teams, em alguns casos ocorrendo partidas a partir das 5h30 da manhã.[1] Depois de algum tempo o Bosque Municipal, área verde distante do centro de Manaus, passou a ser a "sede oficial" da liga, onde foram realizados a maioria dos jogos.[5]

1914 a 1963, período do amadorismo

editar

De 1914 e 1963 o Campeonato Amazonense foi realizado no regime de futebol amador, onde os atletas jogavam o esporte por lazer e não como profissão. Deste período muitos clubes surgiram e outros tantos desapareceram, dentre os quais podemos citar Luso Sporting Club e União Esportiva Portuguesa(clubes de origem portuguesa, este último nascido da fusão do Club Vasco da Gama com outra equipe de orgiem lusitana), o Manaos Sporting (permaneceu até a década de 1930), o Princesa Isabel(disputou 12 edições entre 1948 e 1959), o Auto Esporte e o Santos (esses últimos os últimos campeões do amadorismo a não ingressar no futebol profissional). Durante o amadorismo nasceram as principais rivalidades do futebol baré, envolvendo principalmente o "trio de ferro"(Nacional, Rio Negro e Fast Clube) e também rivalidades momentâneas devido ao "sucesso" de clubes como União Portuguesa (nos anos 1930), América nos anos 1950 e Olímpico Clube a partir dos anos 1930 até os primeiros anos do profissionalismo. Houve ainda o inesperado e prejudicial hiato do Rio Negro que perdurou por 14 anos entre 1945 e 1960.

1964 - Hoje: O Profissionalismo

editar

Em 1964 o futebol oficial do estado adotou o regime profissional, devendo a partir dali os clubes exercerem o papel de empregadores de seus atletas, pagando-lhes um salário e oferecendo-lhes direitos de trabalhadores. Antes do profissionalismo chegar, os clubes locais pagavam prêmios e ofereciam condições para seus jogadores continuarem praticando o esporte, oferecendo vantagens para trazê-los de outros clubes. Por vezes, eram oferecidas vagas de empregos e os clubes de maior sucesso geralmente eram articulados com pessoas de poder na sociedade amazonense. Com a obrigação do futebol profissional, isso passou a ser proibido e o número de clubes aptos a participar do campeonato da primeira divisão caiu grotescamente, sendo que a maioria dos mais de 30 clubes filiados preferiu continuar no regime do amadorismo, caso por exemplo do Auto Esporte, uma potência dos anos 1960.

Ainda no amadorismo o futebol de Manaus já possuía bons públicos, ultrapassando por vezes a marca de 10 mil pessoas, no antigo Parque Amazonense. Os públicos bons traziam boas rendas, mas muitos bons jogadores acabavam por desistir da carreira ou iam para outros centros caso quisessem viver do futebol. Mesmo depois do profissionalismo, pequenos clubes do estado contratavam jogadores oferecendo empregos extra-esportivos oferecidos por dirigentes e parceiros. Logo houve a ampliação no Estádio Ismael Benigno e os jogos locais passaram a chegar à casa dos públicos de 20 mil pessoas. Com a inauguração do Estádio Vivaldo Lima nos anos 1970, o estadual entrou de vez para o hall dos regionais com grandes públicos, agora recebendo públicos de até 42 mil pessoas, alternando com o Pará no posto de melhores médias de público do Norte e Meio Norte (região que compreende aos estados do Maranhão e Piauí). Na época, Manaus e Belém tinham o mesmo contingente populacional. Os clubes começavam a se sustentar de rendas e criar patrimônios, e por este motivo foi construído o Estádio Vivaldo Lima, que fora o maior palco das grandes glórias do futebol "baré".

Clubes do Interior

editar

Por muitos anos o campeão amazonense era aclamado "Campeão da Cidade" pelo fato do torneio envolver apenas clubes de Manaus. O ingresso de clubes do interior poderia ter ocorrido pelo menos uma década antes, em 1970 quando o Atlético Brasil Clube de Itacoatiara tentou ingresso no campeonato. Como na época tudo dependia de aprovação, a entrada do clube foi vetada por votação dos clubes membros(apenas o Fast Clube votou a favor).

Ainda na década de 1970 ensaiou-se a entrada de Manacapuru com os rubro-negros do Manacapuru Esporte Clube. Humaitá, ligada a Manaus pela importante BR-319, também ensaiou ingressar com o Grêmio Esportivo de Humaitá. Já Parintins chegou a contatar a Federação Amazonense de Futebol para ingressar com clubes como Amazonas, Sul América e Nacional. Em 1974 chegou a ser confirmada a entrada de Itacoatiara e Parintins na Taça Amazonas daquele ano.[7] Porem, todas essas intenções acabaram não sendo concretizadas.

Apesar de todas as intenções, apenas em 1980 o Campeonato finalmente contou com sua primeira inscrição de um clube do Interior, ingressando duas agremiações: o Penarol Atlético Clube de Itacoatiara e o Olaria Esporte Clube de Humaitá. Em 1995 o Princesa do Solimões de Manacapuru foi o primeiro a ser finalista do torneio e dez anos mais tarde, em 2005 o Grêmio Coariense foi o primeiro clube fora de Manaus a ser campeão. Parintins, que foi uma das primeiras cidades do interior a idealizar um clube profissional, só terá sua primeira participação na Primeira Divisão em 2023, pelo menos 53 anos depois, com o Parintins Futebol Clube.

Ligas e entidades

editar

O campeonato foi organizado pelas seguintes entidades:[8]

  • Liga Amazonense de Foot-ball (LAFB) - fundada em 15 de janeiro de 1914, organizou os campeonatos de 1914 e 1915.
  • Liga Amazonense de Sports Athleticos (LASA) - Em janeiro de 1916 a LAFB mudou seu nome para este. Sob essa nomenclatura, foram organizados os campeonatos de 1916 e 1917, quando esta entidade foi dissolvida.
  • Federação Amazonense de Desportos Athleticos (FADA) - Fundada em 21 de Novembro de 1917, logo após a dissolução da LASA, organizou os campeonatos de 1918 a 1965. Foi durante sua fase que o futebol amazonense adotou o profissionalismo.
  • Federação Amazonense de Futebol (FAF) - Fundada em 26 de Setembro de 1966, organiza o "Barezão" de 1966 até os dias atuais.

Outras Ligas

editar

Devido a uma briga do Nacional com a FADA devido a um desentendimento com o Rio Negro em 1928, criou-se a Associação Manauense de Sports Athleticos (AMSA) em 1929. O Euterpe Football Club acompanhou o Nacional e ingressou nesta liga. A AMSA organizou seu estadual, mas acabou não sendo concluído. Naquele torneio aparecia pela primeira vez o São Raimundo, contando a AMSA ainda com clubes suburbanos como Andarahy Football Club, União Caixeiral Desportiva, Ribeiro Junior Football Club, Santa Cruz Football Club e Flamengo Football Club.

Em outra oportunidade, em 1966, os clubes saíram em debandada da FADA e fundaram a Federação Amazonense de Futebol, que atuou em litígio naquela temporada. Vendo isso a Confederação Brasileira de Desportos (CBD) resolveu reunir clubes do cenário amador de Manaus e organizou aquele que deveria ser a continuação do torneio oficial do estado. O torneio foi concluído, com título do tradicional XV de Agosto. No ano seguinte a FAF obteve reconhecimento e o torneio da CBD não mais foi realizado.

Entidades atuais

editar

A Federação Amazonense de Futebol (FAF) foi fundada em 26 de Setembro de 1966 com o intuito de gerir o futebol do estado, sua fundação foi motivada pela briga entre a ACLEA (Associação dos Cronistas e Locutores Esportivos do Amazonas) e a antiga Federação Amazonense de Desportos Atléticos (FADA). Seu primeiro presidente foi Flaviano Limongi. A Federação só obteve reconhecimento por parte da Confederação Brasileira de Desportos (CBD) em 9 de Setembro de 1967. Por esse motivo o estado ficou sem representantes no Campeonato Brasileiro de Futebol de 1967 (Taça Brasil). A FAF organizou bastante o futebol amazonense, nos seus primeiros anos a entidade trouxe a Seleção Brasileira para inaugurar o Estádio Vivaldo Lima.[8] A partir de 1991 a entidade passou a ser presidida por Dissica Valério Tomaz, dirigente apontado como omisso e desleixado com a organização do futebol local. Dissica é político ligado ao município de Eirunepé, onde foi prefeito e por conta do cargo foi condenado por improbidade administrativa.[9] Em 2022, depois de 30 anos de Dissica no cargo, foi eleito um novo presidente para a entidade, Ednailson Rozenha, figura ligada ao Fast Clube.[10]

A Associação do Cronistas e Locutores Esportivos do Estado do Amazonas(ACLEA) foi fundada em 5 de fevereiro de 1956 por jornalistas especializados ligados aos jornais "O Jornal" e "Diário da Tarde"(Grupo Archer Pinto), "Jornal do Commercio"(Diários Associados) e "Jornal A Crítica"; ainda contou com membros das emissoras de rádio Baré, Difusora e Rio-Mar(todas operando em AM). Desde sua fundação é a ACLEA a responsável pelo credenciamento da mídia esportiva do estado, além de assumir a organização do Torneio Início do Campeonato, que vinha sendo realizado desde 1920 (atualmente sem ser realizado desde 2017). Foi por conta de uma grave desavença da ACLEA com a gestão de Laércio Miranda, então presidente da Federação Amazonense de Desportos Atléticos, que foi idealizada e depois fundada a Federação Amazonense de Futebol, em 1967.[11] Atualmente a instituição está sediada em uma sala na Arena da Amazônia.

A Associação de Clubes Profissionais do Estado do Amazonas foi fundada em 6 de Novembro de 2014, ano da Copa do Mundo, da qual Manaus foi uma das sedes. A entidade teria por função reestruturar o futebol do estado e lutar pelos direitos dos clubes.[12] Na prática, a entidade não produziu frutos. Em 2015 sugeriu a organização da Copa Amazonas, com a ideia de ter calendário local no segundo semestre e esta foi realizada com o prêmio sendo uma vaga na Copa Verde.[13] Isso aconteceu pela decisão errada da entidade de sugerir a extinção da Segunda Divisão. Depois, por intermédio da mesma, decidiu-se que o estadual passaria ao 2º semestre, indo na contramão do calendário nacional.[14] Depois de ideias infrutíferas, a associação entrou em hiato, sem mais nada ser noticiado sobre suas atividades.

Participantes em 2024

editar
Pos. Rebaixados da Série A de 2023
  Iranduba
10º   Fast Clube
Pos. Promovidos da Série B de 2023
  Unidos do Alvorada
  São Raimundo-AM
  Equipe promovida da Série B 2023
Equipe Cidade Em 2023 Estádio (Mando) Capacidade Títulos (Último) Part.
Amazonas Futebol Clube   Manaus 1º (Série A) Carlos Zamith 5 000 1 (último em 2023) 5
Atlético Rio Negro Clube   Manaus 7º (Série A) Colina 10.000 17 (último em 2001) 84
Manauara Esporte Clube   Manaus 2º (Série A) Carlos Zamith 5 000 0 (não pussui) 3
Manaus Futebol Clube   Manaus 5º (Série A) Arena da Amazônia 44 000 5 (último em 2022) 11
Nacional Futebol Clube   Manaus 4º (Série A) Arena da Amazônia 44 000 43 (último em 2015) 104
Operário Esporte Clube   Manacapuru 8º (Série A) Gilbertão 8 000 0 (não possui) 6
Parintins Futebol Clube   Parintins 6º (Série A) Chicão 4 000 0 (não possui) 2
Princesa do Solimões Esporte Clube   Manacapuru 3º (Série A) Gilbertão 8 000 1 (último em 2013) 31
São Raimundo Esporte Clube   Manaus   2º (Série B) Colina 10 000 7 (último em 2006) 60
Unidos do Alvorada Esporte Clube   Manaus   1º (Série B) Carlos Zamith 5 000 0 (não possui) 1
Localização das equipes participantes do Campeonato Amazonense de Futebol de 2024

Campeões

editar

[15][16]

Edição Ano Campeão Vice-campeão Terceiro colocado Quarto colocado
Fase amadora
1914 Manaos Athletic (1) Nacional Manáos Sporting Vasco da Gama
1915 Manaos Athletic (2) Manáos Sporting Rio Negro Luso
1916 Nacional (1) Rio Negro União E. Portuguesa Manáos Sporting
1917 Nacional (2) Rio Negro
1918 Nacional (3) Rio Negro
1919 Nacional (4) Manáos Sporting
1920 Nacional (5) Rio Negro Manáos Sporting Amazonas
1921 Rio Negro (1) Luso
1922 Nacional (6) Rio Negro
10ª 1923 Nacional (7) Rio Negro
(1924-1926) Não houve campeonato
Extra 1926 Rio Negro Nacional
11ª 1927 Rio Negro (2) Luso Libertador
12ª 1928 Cruzeiro do Sul (1) Nacional Libertador Manáos Sporting
13ª 1929 Manáos Sporting (1) Libertador
14ª 1930 Cruzeiro do Sul (2)
15ª 1931 Rio Negro (3)
16ª 1932 Rio Negro (4) Fast Clube
17ª 1933 Nacional (8) Fast Clube
18ª 1934 União E. Portuguesa (1) Fast Clube
19ª 1935 União E. Portuguesa (2) Fast Clube
20ª 1936 Nacional (9) Fast Clube
21ª 1937 Nacional (10) União E. Portuguesa
22ª 1938 Rio Negro (5) Fast Clube
23ª 1939 Nacional (11) Rio Negro
24ª 1940 Rio Negro (6) Fast Clube Nacional
25ª 1941 Nacional (12) Rio Negro
26ª 1942 Nacional (13) Fast Clube
27ª 1943 Rio Negro (7) Olímpico
28ª 1944 Olímpico (1) Rio Negro
29ª 1945 Nacional (14) Rio Negro Olímpico
30ª 1946 Nacional (15) Olímpico Tijuca Clube Comercial
31ª 1947 Olímpico (2) Tijuca Clube
32ª 1948 Fast Clube (1) Barés América Nacional
33ª 1949 Fast Clube (2) Eldorado América Nacional
34ª 1950 Nacional (16) Fast Clube
35ª 1951 América (1) Fast Clube
36ª 1952 América (2) Fast Clube
37ª 1953 América (3) Fast Clube
38ª 1954 América (4) Nacional Guanabara São Raimundo
39ª 1955 Fast Clube (3) América Santos Olímpico
40ª 1956 Auto Esporte (1) Nacional
41ª 1957 Nacional (17) Fast Clube
42ª 1958 Santos (1) Auto Esporte Guanabara São Raimundo
43ª 1959 Auto Esporte (2) Nacional Santos Fast Clube
44ª 1960 Fast Clube (4) Auto Esporte Nacional Sul América
45ª 1961 São Raimundo (1) Rio Negro Auto Esporte Sul América
46ª 1962 Rio Negro (8) Nacional Auto Esporte São Raimundo
47ª 1963 Nacional (18) América Fast Clube Rio Negro
Fase profissional
48ª 1964 Nacional (19) São Raimundo Fast Clube América
49ª 1965 Rio Negro (9) Nacional Fast Clube América
CBD 1966 XV de Agosto
50ª 1966 São Raimundo (2) Rio Negro Nacional Fast Clube
51ª 1967 Olímpico (3) Nacional Fast Clube Rio Negro
52ª 1968 Nacional (20) Fast Clube São Raimundo Rio Negro
53ª 1969 Nacional (21) Fast Clube Olímpico América
54ª 1970 Fast Clube (5) Nacional Rodoviária Rio Negro
55ª 1971 Fast Clube (6) Rodoviária Nacional Olímpico
56ª 1972 Nacional (22) Fast Clube São Raimundo Rio Negro
57ª 1973 Rodoviária (1) Rio Negro Fast Clube Nacional
58ª 1974 Nacional (23) Rio Negro Sul América Fast Clube
59ª 1975 Rio Negro (10) Nacional Fast Clube São Raimundo
60ª 1976 Nacional (24) Rio Negro Fast Clube São Raimundo
61ª 1977 Nacional (25) Fast Clube Sul América América
62ª 1978 Nacional (26) Fast Clube São Raimundo América
63ª 1979 Nacional (27) Rio Negro Fast Clube América
64ª 1980 Nacional (28) Rio Negro Fast Clube Penarol
65ª 1981 Nacional (29) Fast Clube Sul América Penarol
66ª 1982 Rio Negro (11) Nacional Fast Clube Sul América
67ª 1983 Nacional (30) Rio Negro Penarol América
68ª 1984 Nacional (31) Rio Negro Fast Clube Penarol
69ª 1985 Nacional (32) Rio Negro Penarol Fast Clube
70ª 1986 Nacional (33) Rio Negro Penarol Fast Clube
71ª 1987 Rio Negro (12) Nacional Penarol Princesa do Solimões
72ª 1988 Rio Negro (13) América Princesa do Solimões Nacional
73ª 1989 Rio Negro (14) Nacional Sul América Princesa do Solimões
74ª 1990 Rio Negro (15) Nacional Sul América Fast Clube
75ª 1991 Nacional (34) Fast Clube São Raimundo Penarol
76ª 1992 Sul América (1) Rio Negro Nacional São Raimundo
77ª 1993 Sul América (2) Nacional Rio Negro Penarol
78ª 1994 América (5) Nacional Fast Clube Libermorro
79ª 1995 Nacional (35) Princesa do Solimões Libermorro América
80ª 1996 Nacional (36) Clíper Rio Negro São Raimundo
81ª 1997 São Raimundo (3) Princesa do Solimões Sul América Clíper
82ª 1998 São Raimundo (4) Rio Negro Nacional Sul América
83ª 1999 São Raimundo (5) Rio Negro Nacional Fast Clube
84ª 2000 Nacional (37) São Raimundo Rio Negro Sul América
85ª 2001 Rio Negro (16) Nacional São Raimundo Princesa do Solimões
86ª 2002 Nacional (38) Clíper São Raimundo Fast Clube
87ª 2003 Nacional (39) Rio Negro São Raimundo Sul América
88ª 2004 São Raimundo (6) Grêmio Coariense Nacional Princesa do Solimões
89ª 2005 Grêmio Coariense (1) Nacional São Raimundo Princesa do Solimões
90ª 2006 São Raimundo (7) Fast Clube Nacional Rio Negro
91ª 2007 Nacional (40) Fast Clube Princesa do Solimões São Raimundo
92ª 2008 Holanda (1) Fast Clube Nacional São Raimundo
93ª 2009 América (6) Nacional Fast Clube São Raimundo
94ª 2010 Penarol (1) Fast Clube Princesa do Solimões Nacional
95ª 2011 Penarol (2) Nacional Fast Clube São Raimundo
96° 2012 Nacional (41) Fast Clube Penarol Iranduba
97º 2013 Princesa do Solimões (1) Nacional Penarol Fast Clube
98º 2014 Nacional(42) Princesa do Solimões Fast Clube Nacional Borbense
99º 2015 Nacional(43) Princesa do Solimões Fast Clube Penarol
100º 2016 Fast Clube (7) Princesa do Solimões Nacional Rio Negro
101º 2017 Manaus FC (1) Nacional Fast Clube Princesa do Solimões
102º 2018 Manaus FC (2) Fast Clube Penarol Princesa do Solimões
103º 2019 Manaus FC (3) Fast Clube Nacional Penarol
104º 2020 Penarol (3) Manaus FC Fast Clube São Raimundo
105º 2021 Manaus FC (4) São Raimundo Amazonas Princesa do Solimões
106º 2022 Manaus FC (5) Princesa do Solimões Nacional Fast Clube
107º 2023 Amazonas FC (1) Manauara Princesa do Solimões Nacional
108º 2024 Manaus FC (6) Amazonas FC Manauara Parintins
Notas
  • Os campeonatos de 1917, 1945 e 1982 tiveram problemas judiciais entre Nacional e Rio Negro que se arrastaram por meses, mas decididos e resolvidos, apontaram os campeões que constam nesta lista.
  • Em 1926 o Campeonato Oficial foi cancelado. O torneio vencido pelo Rio Negro naquele ano era secundário mas, por ter sido o único a ser encerrado, muitos passaram a chamar o clube de "campeão da temporada".[15]
  • O primeiro campeonato profissional foi realizado ainda sob a tutela da Federação Amazonense de Desportos Atléticos, em 1964. A Federação Amazonense de Futebol realizou seu primeiro campeonato em 1966, de forma ainda não reconhecida pela C.B.D.
  • O torneio promovido pela C.B.D. em 1966, foi realizado em virtude do abandono da F.A.D.A. pelos clubes. O campeão foi o XV de Agosto, tradicional clube suburbano de Manaus, sediado no bairro de Petrópolis.[17]
  • Em 1967 não houve o Campeonato Amazonense de fato, mas a Federação reconheceu o campeão da Taça Amazonas de 1968 como campeão estadual.

  Títulos Invictos

editar

Títulos

editar

Títulos por equipe

editar
Clube Campeão Anos dos Títulos Vice Anos dos Vices
  Nacional (Manaus) 43 1916, 1917, 1918, 1919, 1920, 1922, 1923, 1933, 1936, 1937, 1939, 1941, 1942, 1945, 1946, 1950, 1957, 1963, 1964, 1968, 1969, 1972, 1974, 1976, 1977, 1978, 1979, 1980, 1981, 1983, 1984, 1985, 1986, 1991, 1995, 1996, 2000, 2002, 2003, 2007, 2012, 2014, 2015 23 1914, 1921, 1940, 1954, 1956, 1959, 1962, 1965, 1967, 1970, 1975, 1982, 1987, 1989, 1990, 1993, 1994, 2001, 2005, 2009, 2011, 2013, 2017
  Rio Negro (Manaus) 16 1921, 1927, 1931, 1932, 1938, 1940, 1943, 1962, 1965, 1975, 1982, 1987, 1988, 1989, 1990, 2001 26 1916, 1917, 1918, 1920, 1922, 1923, 1928, 1939, 1941, 1944, 1945, 1961, 1966, 1973, 1974, 1976, 1979, 1980, 1983, 1984, 1985, 1986, 1992, 1998, 1999, 2003
  Fast Clube (Manaus) 7 1948, 1949, 1955, 1960, 1970, 1971, 2016 28 1932, 1933, 1934, 1935, 1936, 1937, 1938, 1942, 1947, 1950, 1951, 1952, 1953, 1957, 1968, 1969, 1972, 1977, 1978, 1981, 1991, 2006, 2007, 2008, 2010, 2012, 2018, 2019
  São Raimundo (Manaus) 7 1961, 1966, 1997, 1998, 1999, 2004, 2006 3 1964, 2000, 2021
  América(Manaus) 6 1951, 1952, 1953, 1954, 1994, 2009 4 1955, 1960, 1963, 1988
  Manaus (Manaus) 6 2017, 2018, 2019, 2021, 2022, 2024 1 2020
  Olímpico(Manaus) 3 1944, 1947, 1967 2 1943, 1946
  Penarol (Itacoatiara) 3 2010, 2011, 2020 0
  Cruzeiro do Sul(Manaus) 2 1928, 1930 1 1929
  Auto Esporte(Manaus) 2 1956, 1959 1 1958
  Manaos Athletic(Manaus) 2 1914, 1915 0
  União Esportiva(Manaus) 2 1934, 1935 0
  Sul América (Manaus) 2 1992, 1993 0
  Princesa do Solimões (Manacapuru) 1 2013 6 1995, 1997, 2014, 2015, 2016, 2022
  Manaos Sporting(Manaus) 1 1929 2 1915, 1919
  Rodoviária(Manaus) 1 1973 1 1971
  Coariense(Coari) 1 2005 1 2004
  Amazonas FC (Manaus) 1 2023 1 2024
  Santos(Manaus) 1 1958 0
  Holanda (Rio Preto da Eva) 1 2008 0
  Clipper (Manaus) 0 2 1996, 2002
  Luso(Manaus) 0 1 1927
  Barés † (Manaus) 0 1 1948
  Eldorado † (Manaus) 0 1 1949
  Manauara (Manaus) 0 1 2023
  • Em "†", estão os clubes licenciados ou extintos.
  • De 1914 a 1963 o Campeonato foi disputado no regime amador.
  • De 1964 em diante foram disputados campeonatos do regime profissional

Título por cidade

editar
  • De 1914 a 1979 apenas clubes de Manaus haviam participado do campeonato.
  • Em 1980 houve o ingresso de dois clubes do interior: Penarol (Itacoatiara) e Olaria (Humaitá).[22]
  • A primeira final envolvendo um clube do interior foi a de 1995, com o Princesa do Solimões, de Manacapuru. O mesmo clube voltou a ser finalista em 1997, sendo vice-campeão das duas ocasiões.
  • O primeiro título de um clube do interior ocorreu em 2005, com o Grêmio Coariense, do município de Coari (hoje com cerca de 86 mil habitantes).[23]
  • O primeiro município do interior a ter dois títulos estaduais foi Itacoatiara, com a conquista do bicampeonato por parte do Penarol, em 2010 e 2011. Em 2020 o mesmo clube tornou a cidade também a primeira do interior com três conquistas.
  • Alguns clubes fizeram parcerias e atuaram em cidades diferentes, como no caso do Fast Clube, que mandou jogos em Tefé, Itacoatiara e recentemente em Manaquiri. Como é um clube fundado e sediado em Manaus, e sua ligação histórica é com a cidade, suas participações contam nas estatísticas de Manaus.
Cidade Títulos Vices
  Manaus 102 101
  Itacoatiara 3 0
  Manacapuru 1 6
  Coari 1 1
  Rio Preto da Eva 1 0

Os municípios de Manaus (51 clubes ao longo da história), Itacoatiara (Penarol e JC), Manacapuru (Princesa do Solimões e Operário), Coari (Coariense), Manicoré (CDC Manicoré, Humaitá (Olaria), Borba (Nacional Borbense), Iranduba (Iranduba) e por último Parintins (Parintins FC) tem clubes sediados que disputam ou disputaram o estadual. Os clubes Holanda e CEPE são sediados em Manaus mas por conta de parcerias, estiveram ligados a cidades do interior (Rio Preto da Eva e Iranduba, respectivamente).[24][25] O Parintins, com sede na cidade homônima, também tem ligação com Rio Preto da Eva, onde manda seus jogos.[26]

Participações

editar

Abaixo, segue uma lista dos clubes que participaram do campeonato Amazonense de Futebol no período em que este foi profissional(de 1964 a 2024). São possíveis 61 participações nessa fase do estadual.

Último campeonato contabilizado: Campeonato Amazonense de Futebol de 2024.

Equipe Fundação Cidade Participações Períodos Melhor Resultado Pior Resultado
Nacional 13 de Janeiro de 1913 Manaus 60 1964-1996 e 1998-Hoje Campeão (25 vezes) 7º lugar (2024)
Fast Clube 8 de Julho de 1930 Manaus 55 1964-1997, 1999-2002, 2004, 2006-2020, 2022 Campeão (1970, 1971 e 2016) Último (1983, 1992, 1997, 2000, 2023)
São Raimundo 18 de Novembro de 1918 Manaus 54 1964-1980, 1983-1992, 1996-2018, 2020-22, 2024 Campeão (6 vezes) Último (1965, 1979, 1984, 1985, 1990 e 2017)
Rio Negro 13 de Novembro de 1913 Manaus 51 1964-1976, 1979-1990, 1992-1993, 1995-1996, 1998-2009, 2011-2013, 2015-2019, 2023-2024 Campeão (8 vezes) Último (1995, 2008, 2009 e 2024)
Sul América 1 de Maio de 1932 Manaus 48 1964-1990, 1992-1993, 1996-2011 e 2013-2014, 2019 Campeão (1992 e 1993) Último (11 vezes)
América 2 de Agosto de 1939 Manaus 47 1964-2004 e 2006-2011 Campeão (1994 e 2009) Último (9 vezes)
Princesa 18 de Agosto de 1971 Manacapuru 31 1987-1991, 1995-1998, 2001-2002, 2004-2019, 2021-Hoje Campeão (2013) Último (1991)
Libermorro 7 de Dezembro de 1947 Manaus 27 1977-1989, 1993-1998, 2000-2002 e 2004-2008 3º lugar (1995) Último (12 vezes)
Penarol 8 de Agosto de 1947 Itacoatiara 25 1980-1989, 1989, 1991, 1993 e 2009-2015, 2017-2022 Campeão (2010, 2011, 2020) 11º lugar (2022)
Clíper 1 de Junho de 1952 Manaus 13 1996-2006, 2021-2022 Vice-campeão (1996, 2002) Último (1998, 2004 e 2006)
Manaus FC 5 de Maio de 2013 Manaus 11 2014-Hoje Campeão (2017, 2018, 2019, 2021, 2022, 2024) 6º lugar (2014, 2015, 2016)
Olímpico Clube 17 de Outubro de 1938 Manaus 8 1964, 1967-1973 Campeão (1967) 7º lugar (1970)
Iranduba 18 de Janeiro de 2011 Iranduba 9 2012-15, 2019-23 4º lugar (2012) Último lugar (2020, 2021 e 2023)
Rodoviária 20 de Janeiro de 1960 Manaus 6 1969-1973, 1976 Campeão (1973) 5º lugar (1969, 1972 e 1976)
Holanda 21 de Outubro de 2010 Rio Preto da Eva 6 2008-2009, 2012-2014, 2017 Campeão (2008) 9º lugar (2014)
Operário 10 de Junho de 1982 Manacapuru 6 2011-12, 2015, 2022-2024 5º lugar (2011) Último (2012 e 2015)
Amazonas FC 23 de Maio de 2019 Manaus 5 2020-Hoje Campeão (2023) 5º lugar (2020 e 2022)
CDC 30 de Maio de 2007 Manicoré 4 2009-2010, 2012 e 2018 8º lugar (2009) Último lugar (2018)
Coariense 6 de Janeiro de 1977 Coari 3 2004-2006 Campeão (2005) 6º lugar (2006)
Borbense 1 de Janeiro de 1989 Borba 3 2014-2016 3º lugar (2014) Último lugar (2016)
Manauara 30 de Novembro de 2020 Manaus 3 2022-Hoje 2º lugar (2023) 6º lugar (2022)
JC 11 de Janeiro de 2019 Itacoatiara 2 2021-Hoje 8º lugar (2021) Último lugar (2022)
Parintins 8 de Julho de 2021 Parintins/Rio Preto da Eva 2 2023-Hoje 4º lugar (2024) 6º lugar (2023)
Tarumã 1974 Manaus 1 2013 Último lugar (2013) Último lugar (2013)
Compensão Desconhecido Manaus 1 2010 8º lugar 8º lugar
ASA 8 de Março de 1967 Manaus 1 2010 Último lugar (2010) Último lugar (2010)
CEPE 3 de Agosto de 1983 Iranduba 1 2008 8º lugar 8º lugar
Olaria 5 de Outubro de 1977 Humaitá 1 1980 7º lugar 7º lugar
Unidos do Alvorada 15 de maio de 1995 Manaus 1 2024 9º lugar 9º lugar

Ranking de vezes entre os quatro primeiros

editar

Os clubes que mais vezes estiveram entre os quatro primeiros lugares, foram os seguintes(as posições obedecem o número de títulos, depois os vice-campeonatos e assim por diante):

Clube Títulos 2° Lugar 3° Lugar 4° Lugar Total
Nacional 25 16 11 04 56
Rio Negro 08 14 03 06 31
São Raimundo 06 03 08 09 26
Manaus FC 06 01 ** ** 06
Fast Clube 03 14 17 09 43
Penarol 03 ** 06 07 16
América 02 01 01 07 11
Sul América 02 ** 06 04 12
Princesa 01 06 04 09 20
Rodoviária 01 01 01 ** 03
Amazonas FC 01 01 01 ** 02
Coariense 01 01 ** ** 02
Olímpico 01 ** 01 01 03
Holanda 01 ** ** ** 01
Clíper ** 02 ** 01 03
Manauara ** 01 01 ** 02
Libermorro ** ** 01 01 02
Parintins ** ** ** 01 01
Nacional Borbense ** ** ** 01 01
Iranduba ** ** ** 01 01

Ranking Estadual de Posições

editar
  • 01° - 20 pontos, 02° - 17 pontos, 03° - 14 pontos, 04° - 12 pontos, 05° - 10 pontos, 06° - 08 pontos, 07° - 06 pontos, 08º - 04 pontos, 09ª - 02 pontos, 10º - 00 pontos.
P Clube Pontos
Nacional 1006
Fast Clube 730
Rio Negro 634
São Raimundo 593
Sul América 418
América 411
Princesa 366
Penarol 296
Manaus FC 171
10º Libermorro 160
11° Clíper 104
12° Olímpico 088
13° Rodoviária 081
12° Amazonas FC 071
13° Coariense 057
14° Iranduba 050
15° Holanda 040
16° Manauara 039
17º Operário 020
18° Parintins 020
19° Nacional Borbense 012
20° CDC Manicoré 012
21° Olaria 006
22° Compensão 004
23° CEPE 004
24° JC 004

Artilheiros

editar
Ano Artilheiro Clube Gols
1956 Padeirinho Fast Clube (Manaus) 15
1957 Quinha Olímpico (Manaus) 38
1958 Pretinho Santos (Manaus) 13
1959 Gordinho Auto Esporte (Manaus) 25
1960 Português Fast Clube (Manaus) 20
1961 Nonato Auto Esporte (Manaus) 10
Lacinha Nacional (Manaus)
1962 Sabá Nacional (Manaus) 8
1963 Edson Piola Fast Clube (Manaus) 23
1964 Santarém São Raimundo (Manaus) 13
1965 Sabá Burro Negro Rio Negro (Manaus) 10
1966 Sabá Burro Negro Rio Negro (Manaus) 8
1967 Irailton Olímpico (Manaus) 9
1968 Aírton São Raimundo (Manaus) 6
1969 Santos Rio Negro (Manaus) 9
1970 Afonso Fast Clube (Manaus) 10
Luís Darque Olímpico (Manaus)
1971 Edson Piola Fast Clube (Manaus) 10
1972 Walmir Coutinho Nacional (Manaus) 6
Rolinha São Raimundo (Manaus)
Santarém
1973 Ronildo São Raimundo (Manaus) 7
1974 Bibi Nacional (Manaus) 7
1975 Domingos Fast Clube (Manaus) 12
1976 Lívio Rio Negro (Manaus) 22
1977 Zezinho Nacional (Manaus) 17
Careca Sul América (Manaus)
1978 Careca Nacional (Manaus) 15
1979 Careca Nacional (Manaus) 15
1980 Edson Penarol (Itacoatiara) 19
1981 Jásson Nacional (Manaus) 14
1982 Índio Rio Negro (Manaus) 9
1983 Tita Rio Negro (Manaus) 14
1984 Dario Peito de Aço Nacional (Manaus) 14
1985 Tonho Penarol (Itacoatiara) 19
1986 Volnei Rio Negro (Manaus) 15
1987 Jásson Nacional (Manaus) 20
1988 Rildo Princesa do Solimões (Manacapuru) 6
1989 Sylvinho - carioca Nacional Futebol Clube (Manaus) 13
1990 Marcão Rio Negro (Manaus) 7
1991 Sabino Fast Clube (Manaus) 8
1992 Humberto Rio Negro (Manaus) 9
1993 Alcimar Nacional (Manaus) 8
1994 Ney Nacional (Manaus) 8
1995 Valmir Libermorro (Manaus) 4
Jorge Veras Nacional (Manaus)
1996 Alcimar Cliper (Manaus) 10
1997 Bugrão São Raimundo (Manaus) 17
1998 Jair Sul América (Manaus) 13
1999 Ivan Cliper (Manaus) 10
2000 Aílton Nacional (Manaus) 12
2001 Aílton Nacional (Manaus) 15
2002 Zé Carlos Cliper (Manaus) 16
2003 Torrinha Nacional (Manaus) 11
2004 Delmo São Raimundo (Manaus) 24
2005 Marinho Grêmio Coariense (Coari) 9
Diego Nacional (Manaus)
2006 Bazinho Fast Clube (Manaus) 13
Delmo São Raimundo (Manaus)
2007 Val Princesa do Solimões (Manacapuru) 9
2008 Ernandes Fast Clube (Manaus) 11
2009 Branco Nacional (Manaus) 12
2010 Charles Penarol (Itacoatiara) 10
Nando Princesa do Solimões (Manacapuru)
2011 Bazinho Operário (Manacapuru) 11
2012 Leonardo "Índio Negro" Nacional (Manaus) 14
2013 Robemar Penarol (Itacoatiara) 12
2014 Michel Parintins Princesa do Solimões (Manacapuru) 11
2015 Charles Fast Clube (Manaus) 13
2016 Jefferson Princesa do Solimões (Manacapuru) 9
2017 Leonardo "Indio Negro" Rio Negro (Manaus) 10
Marinho Holanda (Rio Preto da Eva)
2018 Hamilton Manaus FC (Manaus) 6
2019 Raílson Penarol (Itacoatiara) 7
2020 Geraldo Iranduba (Iranduba) 2
Emerson Bacas Fast Clube (Manaus)
Lucas "Espiga" Penarol (Itacoatiara)
Philip Manaus FC (Manaus)
Rafael Ibiapino
2021 Diego Rosa Manaus FC (Manaus) 7
2022 Max Princesa do Solimões (Manacapuru) 9
2023 Iury "Tanque" Manauara (Manaus) 8
2024 Rafael Ibiapino Manaus FC (Manaus) 7

Clássicos do Campeonato Amazonense

editar
  • Rio-Nal - o confronto é disputado desde 1914, quando se enfrentaram pelo 1º Campeonato Amazonense. É o confronto mais antigo da Região Norte do Brasil ainda em atividade e também o clássico mais tradicional do Amazonas, sendo o confronto mais disputado em terras barés, com quase 400 edições.[27]
  • Pai-Filho é o confronto entre Nacional e Fast Clube. O confronto recebe esse nome por conta do fato de o Fast Clube ter se originado de uma dissidência do Nacional, em 1930.[28]
  • Rio-Fas, é o clássico onde Rio Negro e Fast Clube se enfrentam, ambos fazendo parte do "trio de ferro" do estado. Apesar de nunca terem disputado uma final direta no estadual, participaram juntos de muitos triangulares ou quadrangulares finais.
  • Galo Preto, é disputado pelos vizinhos São Raimundo e Sul América, recebeu o nome por conta de rituais de macumba que eram feitos por torcedores antes dos confrontos. O clássico marcou a reinauguração do Estádio Ismael Benigno.[29]
  • Clássico do Interior - envolve as duas mãis tradicionais equipes do Interior do estado, o Penarol, de Itacoatiara e o Princesa do Solimões, de Manacapuru. São os clubes mais longevos e vitoriosos do Interior do estado.[30]

Jogos de destaque na atualidade

editar
  • Nacional x São Raimundo "Clássico Azul" - A rivalidade entre os dois clubes cresceu bastante desde 1996 quando o São Raimundo se tornou uma força no futebol local. Decidiram o estadual de 2000, com título do Nacional.
  • Rio Negro x São Raimundo "Clássico da Luta" - O confronto viveu seu auge no final dos anos 90, época de ouro do São Raimundo, onde o Rio Negro foi seu adversário mais forte. Decidiram os estaduais de 98 e 99, além de grande rivalidade até por volta de 2006.
  • Nacional x Princesa do Solimões - O confronto viveu o auge de sua rivalidade entre 2012 e 2015, quando os dois clubes fizeram várias decisões.
  • Amazonas x Manaus "Clássico Moderno" - Ambas equipes surgiram na década de 2010 e despontaram no cenário local e também apresentaram rápida ascensão no cenário nacional. Se encontraram no Campeonato Brasileiro de Futebol de 2023 - Série C e na final do estadual de 2024.[31]

Ver também

editar

Ligações externas

editar

Referências

  1. a b Santos, Francisco Jorge; Sampaio, Patrícia Maria Melo (2002). Estado do Amazonas em Verbetes. [S.l.]: Novo Tempo. 192 páginas. ISBN 85-7562045-2 
  2. «Noticias». Quo Vadis. Manaus-AM. 15 de março de 1903 
  3. a b c Gaspar Vieira Neto. Memórias do esporte bretão caboclo: os primórdios do futebol no Amazonas 1903 a 1914. Manaus: do autor, 2017.
  4. Souza, Eliza Salgado (2017). Panorama do Esporte em Manaus - 1897 a 1911 (PDF) (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Minas Gerais 
  5. a b c Normando, Tarcísio Serpa (setembro de 2007). «Nas praças, nas ruas e nos rios: a Amazônia esportiva em sua belle époque». EFDeportes. Buenos Aires, Argentina: Lecturas: Educación Física y Deportes. ISSN 1514-3465. Consultado em 19 de novembro de 2022 
  6. Leanderson Lima (14 de setembro de 2016). «História: Campeonato Amazonense de Futebol chega sua centésima edição». A Crítica. Manaus, Amazonas. Consultado em 22 de maio de 2022 
  7. «Na Taça». Jornal do Commercio. Manaus-AM. 18 de dezembro de 1973. Consultado em 5 de junho de 2022 
  8. a b «A Federação». Federação Amazonense de Futebol. 2022. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  9. «Juiz condena Dissica Tomaz, ex-prefeito de Eirunepé, por improbidade». Amazonas Atual. 24 de fevereiro de 2021. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  10. «Ednailson Rozenha é o novo presidente da FAF». Em Tempo. 4 de julho de 2022. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  11. «ACLEA comemora 63 anos de fundação». Alternativa Sports. 5 de fevereiro de 2019. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  12. Isabella Pina (7 de novembro de 2014). «O que é a Associação dos Clubes do AM? Quais suas funções? Entenda». Globo Esporte/AM. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  13. «Definitivo: Copa Amazonas terá cinco times e começará no dia 10 de outubro». Globo Esporte/AM. 1 de agosto de 2015. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  14. Gabriel Mansur (3 de setembro de 2015). «Associação de clubes do AM propõe estadual de 2016 para o 2º semestre». Globo Esporte/AM. Consultado em 20 de novembro de 2022 
  15. a b «Campeões Série A». Federação Amazonense de Futebol. Consultado em 9 de abril de 2024 
  16. «Campeonato Amazonense». Bola na Area. 2024. Consultado em 9 de abril de 2024 
  17. «Jornal do Commercio». Memória da Biblioteca Nacional. 17 de setembro de 1971. Consultado em 8 de maio de 2022 
  18. «Naça é tri invicto, sem vice». Jornal do Commercio. Manaus-AM. 27 de setembro de 1979. Consultado em 7 de junho de 2022 
  19. «24º aniversário do América hoje.». Jornal do Commercio. Manaus-AM. 2 de agosto de 1963. Consultado em 7 de junho de 2022 
  20. «Nacional Fast Clube Campeão Amazonense de 55». Esporte Ilustrado. Rio de Janeiro, RJ. 10 de maio de 1956. Consultado em 8 de novembro de 2022 
  21. Paulo Rogério (10 de maio de 2021). «São Raimundo perde para o Princesa mas garante vaga na Série D e Copa do Brasil e após 15 anos decide o estadual». Sports Manaus. Consultado em 8 de novembro de 2022 
  22. Ivana Vitória Ribeiro (8 de abril de 2012). «Representantes do interior do Amazonas se destacam no estadual de futebol». A Crítica. Consultado em 9 de abril de 2024 
  23. Gabriel Mansur (10 de abril de 2020). «Há 15 anos, o Grêmio Coariense era o primeiro time do interior a ser campeão amazonense». Globo Esporte-AM. Consultado em 9 de abril de 2024 
  24. Marcos Dantas (19 de julho de 2017). «Holanda-AM planeja retorno a Rio Preto da Eva, mas falta de apoio adia ideia». Globo Esporte-AM. Consultado em 9 de abril de 2024 
  25. Julyana Travaglia (3 de fevereiro de 2008). «Bola redesenha mapa do Amazonas». Folha de São Paulo. Consultado em 9 de abril de 2024 
  26. «Instalado em Rio Preto da Eva, Parintins Futebol Clube tem se destacado no Barezão 2024». No Ar. 2024. Consultado em 9 de abril de 2024 
  27. Lorenna Serrão (2 de março de 2014). «Memória esportiva Rio-nal, maior clássico do futebol amazonense, completa 100 anos». A Crítica. Consultado em 9 de abril de 2024. Cópia arquivada em 23 de janeiro de 2022 
  28. Rafael Luís Azevedo (26 de fevereiro de 2015). «Conheça os times e estádios de Manaus». Verminosos por Futebol. Consultado em 9 de abril de 2024 
  29. «Clássico Galo Preto entre São Raimundo e Sul América marca a inauguração do Estádio Ismael Benigno». Site do Governo do Amazonas. Junho de 2014. Consultado em 9 de abril de 2024 
  30. «Clássico do Interior: Penarol 0x0 Princesa do Solimões.». Federação Amazonense de Futebol. 19 de abril de 2017. Consultado em 9 de abril de 2024 
  31. João Felipe Alves (9 de março de 2024). «Manaus e Amazonas se enfrentam neste sábado (9), na Colina». A Crítica. Consultado em 9 de abril de 2024