Abrir menu principal

Wikipédia β

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974, originalmente denominado Campeonato Nacional de Clubes pela CBD, foi a décima oitava edição do Campeonato Brasileiro e que terminou[1][2][3] com o clube carioca Vasco da Gama se consagrando campeão.

XVIII Campeonato Brasileiro de Futebol
Campeonato Nacional de Clubes de 1974
Brasil
Dados
Participantes 40
Organização CBD
Local de disputa  Brasil
Período 9 de março1º de agosto
Gol(o)s 948
Partidas 447
Média 2,12 gol(o)s por partida
Campeão Guanabara Vasco da Gama (1º título)
Vice-campeão Minas Gerais Cruzeiro
Melhor marcador Roberto Dinamite (Vasco da Gama) – 16 gols
Melhor ataque (fase inicial) Minas Gerais Atlético Mineiro – 33 gols
Melhor defesa (fase inicial) 8 gols:
Público 5 184 753
Média 11 599 pessoas por partida
◄◄ Brasil Brasileirão 1973 Soccerball.svg Brasileirão 1975 Brasil ►►

Como era ano de Copa do Mundo, a pressão para aumentar o número de clubes no Campeonato Brasileiro foi deixada um pouco de lado, para dar uma maior atenção à Seleção Brasileira de Futebol. Permaneceram, portanto, quarenta clubes em uma única divisão para todo o campeonato, porém incluindo o inédito critério de maior renda no critério de desempate, que favoreceu a classificação do Nacional/AM e do Fluminense para a segunda fase.

Índice

Fórmula de disputaEditar

Primeira Fase: Em turno único, duas chaves com vinte clubes em cada. Classificando para a próxima fase os dez primeiros colocados de cada chave, mais os dois próximos na classificação independente de chave, mais os dois clubes com maior arrecadação/público entre os não classificados pelos critérios anteriores.

Segunda Fase: Quatro grupos com seis clubes, em turno único. Classificando para a próxima fase o campeão de cada grupo.

Terceira Fase: Quadrangular final, turno único, onde todos os clubes se enfrentam, e sendo campeão aquele que tiver melhor campanha na fase final.

Primeira FaseEditar

Grupo AEditar

ResultadosEditar

Casa/Visitante AM-RN AM-RJ AT-PR AVA BAH BOT COTB DES FLA FLU GRÊ INT ITA OLA PAY REM SAM TIR VAS VIT
América-RN 1-3 0-1 1-1 0-1 1-0 0-0 0-2 1-0 0-2 2-0 0-0 2-3
América-RJ 2-0 3-0 2-0 1-2
Atlético-PR 1-2 1-0 1-0 1-2 3-0 1-0 4-0 2-0 1-1
Avaí 0-2 1-0 0-2 1-2 0-1 2-2 0-1 1-2 0-2 1-2 3-0 0-0
Bahia 1-0 1-1 1-1 0-2 1-0 0-1 0-0 1-0 2-1 1-1 1-1
Botafogo 1-1 3-1 5-1 0-0 0-2 1-0 2-3 0-0
Coritiba 0-1 0-1 0-1 3-2 2-1 0-2 1-1 3-0 1-1 3-2 1-1
Desportiva 1-0 2-3 0-1 1-1 0-5 1-0 0-1 0-0 2-1 1-0 0-0 1-1
Flamengo 2-1 4-0 0-0 1-0 0-0 3-0 4-0 1-1
Fluminense 1-1 1-1 0-1 2-1 2-3 2-0
Grêmio 2-1 2-0 2-2 1-2 1-0 1-0 2-0 4-0 1-0
Internacional 3-0 3-0 1-1 1-1 2-0 5-1 2-0 1-1
Itabaiana 1-3 1-0 2-0 0-1 2-1 0-1 0-1 1-2 1-0 2-1 0-3
Olaria 1-2 4-0 2-0
Paysandu 0-1 1-1 3-1 1-0 0-0 1-1 2-0 2-0 1-0 0-0 1-2
Remo 2-0 2-4 2-2 2-3 3-1 1-1 1-0 2-2 0-0 2-0 1-2 3-1
Sampaio Corrêa 0-0 1-0 0-1 1-0 2-2 1-1 0-2 1-2 3-1 1-1 2-0 0-3
Tiradentes 3-0 0-1 2-2 3-0 2-1 0-0 1-0 2-0 0-0 0-0 2-0 0-1
Vasco da Gama 0-1 1-0 0-0 0-0 2-0 1-2 3-1 1-1
Vitória 1-1 2-2 3-0 3-1 1-0 0-0 1-0 2-0 0-0 1-2 0-0

ClassificaçãoEditar

Pos. Squadra Pt J V E D GF GS SG
1 Grêmio 30 19 14 2 3 30 8 +22
2 Flamengo 29 19 12 5 2 29 8 +21
3 America 26 19 12 2 5 30 15 +15
4 Vitória 25 19 8 9 2 26 15 +11
5 Internacional 24 19 9 6 4 30 19 +11
6 Atlético Paranaense 22 19 9 4 6 24 17 +7
7 Vasco da Gama 22 19 7 8 4 19 13 +6
8 Bahia 22 19 7 8 4 15 14 +1
9 Coritiba 21 19 8 5 6 24 21 +3
10 Paysandu 20 19 6 8 5 16 16 0
11 Tiradentes 19 19 7 5 7 19 20 -1
12 Remo 16 19 5 6 8 22 27 -5
13 Olaria 16 19 5 6 8 17 22 -5
14 América de Natal 15 19 5 5 9 12 23 -11
15 Botafogo 15 19 4 7 8 26 29 -3
16 Fluminense 15 19 3 9 7 16 22 -6
17 Desportiva Ferroviária 14 19 4 6 9 11 27 -16
18 Sampaio Corrêa 12 19 4 4 11 14 26 -12
19 Itabaiana 10 19 5 0 14 11 30 -19
20 Avaí 7 19 2 3 14 11 30 -19

ClassificadosEditar

  • Grêmio, Flamengo, América-RJ, Vitória, Internacional, Atlético Paranaense, Vasco da Gama, Bahia, Coritiba, Paysandu e Fluminense[4] qualificados para a proxima fase.

Grupo BEditar

ResultadosEditar

Casa/Visitante AM-MG AT-MG CEA CEUB COTH CRU CSA FOR GOI GUA NA-AM NAÚ OP-MS PAL POR RNE SPA SCR SAN SPO
América-MG 2-1 1-0 0-1 0-1 0-3 2-0 0-0 0-2
Atlético-MG 1-1 2-1 0-1 3-1 0-1 1-0 0-0 2-1
Ceará 1-2 2-1 0-1 1-1 1-1 0-1 0-0 2-1 1-1 1-0 1-1
CEUB 0-2 2-4 1-2 1-0 0-0 0-2 1-1 0-0 1-1 1-1 1-3 1-0
Corinthians 3-1 0-1 1-1 2-0 1-0 0-0 2-2 1-1
Cruzeiro 2-2 1-2 1-0 0-0 3-0 1-0 0-0 1-1 0-1
CSA 0-5 1-3 1-0 0-3 0-1 0-1 1-2 0-1 0-2 0-0 0-0 0-1
Fortaleza 2-0 2-0 0-2 1-0 2-1 3-0 2-1 2-1 1-1 0-2 3-3
Goiás 3-1 0-0 0-1 4-0 0-0 0-0 1-1 0-0 2-0 0-3 3-2 1-0
Guarani 3-3 2-0 3-0 2-1 1-0 1-0 2-2 1-1
Nacional-AM 0-2 1-1 0-2 2-0 0-3 1-2 2-1 0-1 1-1 0-1 1-1 0-1
Náutico 2-0 2-1 2-0 1-1 0-0 2-0 0-1 3-1 0-0 1-1
Operário-MS 1-0 0-0 0-0 3-2 1-0 1-0 1-0 1-1 0-2 3-0 1-0 1-1
Palmeiras 1-0 1-2 1-1 0-0 2-2 1-0 4-3 0-4
Portuguesa 0-0 2-2 2-1 3-0
Rio Negro 1-0 1-1 0-0 3-1 1-0 1-0 2-1 0-4 0-1 2-4 2-0
São Paulo 1-2 2-0 1-1 1-1 1-1 0-0 2-1
Santa Cruz 2-3 3-3 0-0 1-3 3-0 0-0 2-1 0-0 0-0 0-3
Santos 1-0 1-0 1-2 3-0 1-1 1-1
Sport 2-2 1-0 1-1 1-4 0-0 0-2 1-0 1-1 1-1 1-1 1-1

ClassificaçãoEditar

Pos. Squadra Pt G V E P GF GS GP
1 Atlético Mineiro 26 19 11 4 4 33 20 +13
2 Cruzeiro 24 19 8 8 3 18 9 +9
3 Guarani 24 19 8 8 3 21 15 +6
4 São Paulo 24 19 7 10 2 22 12 +10
5 Santos 23 19 8 7 4 29 17 +12
6 Náutico 22 19 8 6 5 22 12 +10
7 Operário-MS 22 19 8 6 5 15 14 +1
8 Corinthians 22 19 7 8 4 26 16 +10
9 Portuguesa 21 19 5 11 3 19 16 +3
10 Fortaleza 20 19 8 4 7 21 19 +2
11 Goiás 20 19 7 6 6 21 18 +3
12 Palmeiras 20 19 6 8 5 22 20 +2
13 Rio Negro 19 19 6 7 6 17 23 -6
14 Sport 18 19 4 10 5 20 22 -2
15 América Mineiro 16 19 5 6 8 19 25 -6
16 Ceará 16 19 4 8 7 19 23 -4
17 Nacional-AM 14 19 5 4 10 14 27 -13
18 Santa Cruz 13 19 2 9 8 17 27 -10
19 CEUB 12 19 3 6 10 12 23 -11
20 CSA 4 19 1 2 16 6 35 -29

ClassificadosEditar

  • Atlético Mineiro, Cruzeiro, Guarani, São Paulo, Santos, Náutico, Operário-MS, Corinthians, Portuguesa, Fortaleza, Goiás,[5] Palmeiras[5] e Nacional-AM[4] qualificados para a proxima fase.

Segunda FaseEditar

Grupo 1Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Cruzeiro 10 5 5 0 0 11 3 8
2 Palmeiras 8 5 4 0 1 10 5 5
3 Flamengo 5 5 2 1 2 12 7 5
4 Guarani 4 5 2 0 3 5 7 -2
5 Bahia 2 5 0 2 3 3 8 -5
6 Paysandu 1 5 0 1 4 3 14 -11
  BAH CRU FLA GUA PAL PAY
BAH 0-1 1-1 1-1
CRU 1-0 2-1 4-1
FLA 1-3 3-0 6-0
GUA 3-1
PAL 2-0 3-1 2-1
PAY 0-1 1-2
Classificado para a terceira fase

Grupo 2Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Vasco da Gama 8 5 3 2 0 7 0 7
2 Vitória 6 5 2 2 1 5 3 2
3 Atlético Mineiro 5 5 2 1 2 8 6 2
4 Corinthians 4 5 1 2 2 3 5 -2
5 Nacional-AM 4 5 1 2 2 3 6 -3
6 Operário-MS 3 5 1 1 3 2 8 -6
  CAM COR NAC OPE VAS VIT
CAM 3-0 0-2 2-2
COR 1-0 2-2 0-0
NAC 0-1 0-0 1-0
OPE 1-3 0-2
VAS 2-0 3-0
VIT 1-0 0-0
Classificado para a terceira fase

Grupo 3Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Santos 9 5 4 1 0 8 2 6
2 Grêmio 8 5 4 0 1 7 3 4
3 Fortaleza 5 5 1 3 1 5 4 1
4 Náutico 4 5 1 2 2 7 8 -1
5 Coritiba 3 5 1 1 3 5 7 -2
6 America 1 5 0 1 4 2 10 -8
  AME CTB FOR GRE NAU SAN
AME 0-1 0-2
CTB 2-0 0-0
FOR 3-0 0-0 1-3 0-0 1-1
GRE 1-0 2-1 0-1
NAU 2-2 4-2 0-2
SAN 2-1 1-1
Classificado para a terceira fase

Grupo 4Editar

Time P J V E D GP GC SG
1 Internacional 8 5 3 2 0 6 2 4
2 Atlético Paranaense 7 5 2 3 0 5 3 2
3 São Paulo 5 5 1 3 1 3 3 0
4 Portuguesa 4 5 1 2 2 4 6 -2
5 Fluminense 3 5 1 1 3 4 6 -2
6 Goiás 3 5 0 3 2 4 6 -2
  ATP FLU GOI INT POR SPA
ATP 2-1 1-1
FLU 0-1 3-1 0-1
GOI 1-1 0-1 1-1
INT 1-1 2-0 1-1
POR 0-1
SPA 0-0 0-1 1-1
Classificado para a terceira fase

Fase finalEditar

Quandrangular final
Time PG J V E D GP GC SG
1   Cruzeiro 4 3 1 2 0 5 3 2
2   Vasco da Gama 4 3 1 2 0 5 4 1
3   Santos 2 3 1 0 2 4 5 -1
3   Internacional 2 3 0 2 1 3 5 -2
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols
21 de julho de 1974 Vasco da Gama 2 – 1 Santos Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 97.676
Árbitro:   Agomar Martins (RS)

Luís Carlos   15'
Roberto Dinamite   88'
Pelé   75'

21 de julho de 1974 Internacional 1 – 1 Cruzeiro Estádio Beira-Rio, Porto Alegre
Árbitro:   Oscar Scolfaro (SP)

Valdomiro   19' Roberto Batata   42'

24 de julho de 1974 Cruzeiro 1 – 1 Vasco da Gama Mineirão, Belo Horizonte
Público: 71.325
Árbitro:   Sebastião Rufino (PE)

Zé Carlos   44' Alfinete   58'

24 de julho de 1974 Santos 2 – 1 Internacional Morumbi, São Paulo
Público: 19.882
Árbitro:   Saul Mendes (BA)

Brecha   31'
Fernandinho   83'
Claudiomiro   50'

28 de julho de 1974 Santos 1 – 3 Cruzeiro Morumbi, São Paulo
Público: 40.616
Árbitro:   Armando Marques (SP)

Nenê Belarmino   77' Palhinha   30'
Nelinho   31'
Dirceu Lopes   36'

28 de julho de 1974 Vasco da Gama 2 – 2 Internacional Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 118.777
Árbitro:   Manuel Amaro de Lima (PE)

Roberto Dinamite   4'
Zanata   22'
Lula   65'
Escurinho   77'

Jogo extraEditar

Cruzeiro e Vasco ficaram empatados em primeiro lugar com quatro pontos, enquanto que Santos e Internacional ficaram com dois pontos. Nesse caso, o regulamento previa um jogo extra entre os dois primeiros colocados, com o jogo devendo ser realizado em Belo Horizonte, em função da melhor campanha do Cruzeiro ao longo do campeonato (38 pontos contra 34). Porém, em seu artigo 59, o regulamento do Campeonato Brasileiro de 1974 definia.

"Art 59 - Quando houver tentativa de agressão ou agressão por parte do público ou de dirigente, associado ou empregado do clube local a árbitro, seus auxiliares, dirigentes, empregados ou jogadores do clube visitante, o Departamento de Futebol da CBD reestruturará a tabela do Campeonato, invertendo o mando de campo de três jogos subsequentes do clube local". [Jornal O Globo, p. 40, 30/07/1974]

Na partida disputada no Mineirão, em 24/07/1974, entre Cruzeiro e Vasco que terminou empatada, o Vice-presidente do Cruzeiro, Carmine Furletti, invadiu o campo de jogo e tentou agredir o árbitro Sebastião Rufino após uma possível penalidade envolvendo Palhinha do Cruzeiro e Joel do Vasco na área do clube carioca. O jornal O Globo, em sua edição do dia 26/07/1974 publicou:

"Para Sebastião Rufino, Palhinha se atirou na o chão, encenando uma falta para tentar ganhar o jogo em seu final. Na súmula, o dirigente do Cruzeiro, Carmine Furletti, sofreu violenta carga. 'Ele tentou agredir-me'".

Os cruzeirenses alegavam que o artigo 59 não havia sido aplicado em outras oportunidades do mesmo campeonato, por isso, não deveria ser aplicado novamente. Mas na edição do dia 31/07/1974 do jornal O Globo, o presidente do Fluminense explicou o caso:

"O Regulamento visto pelo Flu

Explicação de Jorge Frias de Paula, presidente do Fluminense, para o fato de o artigo 59 do regulamento não ter sido aplicado antes: 'nenhum clube se lembrou de recorrer em tempo hábil. Os regulamentos existem para serem usados, desde que alguém se lembre de usá-los". [O Globo, p. 28, 31/07/1974)

Baseada, então, no regulamento, em razão do incidente de invasão de campo na partida anterior no Mineirão, a CBD, em comum acordo com os dirigentes do Vasco e do Cruzeiro determinou que a partida fosse disputada no Maracanã. Os mineiros tiveram de se contentar com a escalação de Wilson Piazza que teve um terceiro cartão amarelo não relatado pelo juiz na súmula, no jogo anterior, contra o Santos, e foram muito criticados pela imprensa local por estarem interessados na maior arrecadação com o público no Maracanã, e por isso aceitarem a decisão da CBD.

Durante a partida, os dois times apresentavam um futebol muito equilibrado. Apesar de o Cruzeiro ter um futebol mais técnico, o Vasco se mostrava bem no jogo. Mas o jogo se tornou um jogo nervoso e truncado, por conta de lances polêmicos protagonizados pelo juiz Armando Marques durante a partida. O Vasco abriu o placar com Ademir aos 14 minutos do primeiro tempo,após jogada ensaiada. O jogo seguia equilibrado, o Vasco teve sua chance ampliar o placar ainda na etapa inicial, em gol marcado por Jorginho Carvoeiro, mas anulado por alegado impedimento, configurando o primeiro de uma série de lances polêmicos do jogo. O Cruzeiro voltou melhor no segundo tempo, e o lateral direito Nelinho empatou a partida, num belo chute, aos 19 minutos do segundo tempo. Quando o Cruzeiro era melhor, Jorginho Carvoeiro foi lançado e colocou o Vasco na frente, aos 31 minutos do segundo tempo. O Cruzeiro ainda marcou o gol de empate, após jogada de linha de fundo, através do volante Zé Carlos, aos 43 minutos, porém o árbitro Armando Marques anulou o gol, em outro lance polêmico e muito reclamado pelos cruzeirenses. Ao final do jogo o juiz não deu nenhum acréscimo e encerrou a partida aos 45 minutos, fechando sua arbitragem com mais polêmica uma vez que os cruzeirenses reclamavam que o goleiro Andrada fizera a chamada "cera", retardando o jogo. Com um time que era marcado pela garra e não pela técnica, o Vasco se sagrou campeão sobre um poderoso Cruzeiro recheado de craques, em um jogo de muita polêmica em ambos os lados, antes mesmo de a bola rolar.

1 de agosto de 1974 Vasco da Gama 2 – 1 Cruzeiro Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 112.933
Árbitro:   Armando Marques (SP)

Ademir   14'
Jorginho Carvoeiro   78'
Nelinho   64'

Vasco: Andrada; Fidelis, Miguel, Moisés e Alfinete; Alcir, Zanata e Ademir; Jorginho Carvoeiro, Roberto Dinamite e Luis Carlos. Técnico: Mário Travaglini.

Cruzeiro: Vitor; Nelinho, Perfumo, Darci Menezes e Vanderlei; Piazza, Zé Carlos e Dirceu Lopes; Roberto Batata, Palhinha (Joãozinho) e Eduardo (Baiano). Técnico: Hilton Chaves.

PremiaçãoEditar

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974
 
Club de Regatas Vasco da Gama
Campeão
(1° título)

Classificação finalEditar

Classificação final
Time PG J V E D GP GC SG
1   Vasco da Gama 38 28 14 10 4 35 17 18
2   Cruzeiro 36 28 12 14 4 33 18 15
3   Santos 34 27 13 8 6 41 25 16
4   Internacional 34 27 12 10 5 40 26 14
5   Grêmio 38 24 18 2 4 37 11 26
6   Flamengo 34 24 14 6 4 41 15 26
7   Atlético Mineiro 31 24 13 5 6 41 26 15
8   Vitória 31 24 10 11 3 31 18 13
9   Atlético Paranaense 29 24 11 7 6 29 20 9
10   São Paulo 29 24 8 13 3 25 15 10
11   Palmeiras 28 24 10 8 6 32 25 7
12   Guarani 28 24 10 8 6 26 22 4
13   America 27 24 12 3 9 32 25 7
14   Náutico 26 24 9 8 7 29 20 9
15   Corinthians 26 24 8 10 6 29 21 8
16   Fortaleza 25 24 9 7 8 26 23 3
17   Operário-MS 25 24 9 7 8 17 22 -5
18   Portuguesa 25 24 6 13 5 23 22 1
19   Coritiba 24 24 9 6 9 29 28 1
20   Bahia 24 24 7 10 7 18 22 -4
21   Goiás 23 24 7 9 8 25 24 1
22   Paysandu 21 24 6 9 9 19 30 -11
23   Nacional-AM 18 24 6 6 12 17 33 -16
24   Fluminense 18 24 4 10 10 20 28 -8
25   Tiradentes 19 19 7 5 7 19 20 -1
26   Rio Negro 19 19 6 7 6 17 23 -6
27   Sport 18 19 4 10 5 20 22 -2
28   Remo 16 19 5 6 8 22 27 -5
29   Olaria 16 19 5 6 8 17 22 -5
30   América Mineiro 16 19 5 6 8 19 25 -6
31   Ceará 16 19 4 8 7 19 23 -4
32   América de Natal 15 19 5 5 9 12 23 -11
33   Botafogo 15 19 4 7 8 26 29 -3
34   Desportiva Ferroviária 14 19 4 6 9 11 27 -16
35   Santa Cruz 13 19 2 9 8 17 27 -10
36   Sampaio Corrêa 12 19 4 4 11 14 26 -12
37   CEUB 12 19 3 6 10 12 23 -11
38   Itabaiana 10 19 5 0 14 11 30 -19
39   Avaí 7 19 2 3 14 11 30 -19
40   CSA 4 19 1 2 16 6 35 -29
PG – pontos; J – jogos disputados; V - vitórias; E - empates; D - derrotas;
GP – gols pró; GC – gols contra; SG – saldo de gols
Fase Final e classificados para a Taça Libertadores da América de 1975
Eliminados nas Semifinais
Eliminados na Segunda Fase

Maiores públicosEditar

  • Aonde não consta informação sobre público pagante e presente, a referência é aos pagantes.[6]
  1. Vasco 2-2 Internacional, 118.777, 28 de julho de 1974, Maracanã.
  2. Vasco 2-1 Cruzeiro, 112.993, 1 de agosto de 1974, Maracanã.

Ver tambémEditar

Referências