Campeonato Brasileiro de Futebol de 1981 - Série C

A Série C do Campeonato Brasileiro de Futebol de 1981 foi a primeira edição do Campeonato Brasileiro da Série C, chamada na época de Taça de Bronze, disputado por 24 equipes. O Olaria foi o campeão.[2][3][4]

Campeonato Brasileiro de 1981 - Série C
Taça de Bronze
Brasil
Dados
Participantes 24
Organização CBF
Período 8 de março1 de maio
Gol(o)s 108
Partidas 52
Média 2,08 gol(o)s por partida
Campeão Rio de Janeiro Olaria (1ª título)
Vice-campeão Pernambuco Santo Amaro
Promovido(s) não houve
Rebaixado(s) não houve
Melhor marcador Müller (São Borja) e Fabinho (Santo Amaro) – 5 gols[1]
Melhor ataque (fase inicial) Olaria – 14 gols
Melhor defesa (fase inicial) Capelense - 0 gols
Maior goleada
(diferença)
Piauí Piauí 5–0 Maranhão Moto Club
Estádio AlbertãoTeresina
15 de março
Soccerball.svg 1988 Brasil ►►

A competição só voltaria a ser disputada em 1988, com o nome de Divisão de Acesso, porque apenas em 1988 que o Campeonato Brasileiro voltaria a contar com o sistema de divisões, típico de campeonatos nacionais na maioria dos países.

O TorneioEditar

A Confederação Brasileira de Futebol previu a competição com seus 24 clubes, onde os estados do Rio de Janeiro e São Paulo teriam duas vagas cada, mais um clube de cada um dos outros 20 estados, que inicialmente apontariam seus representantes via seletiva.[5] A maior parte das federações realizou essa seletiva estadual.[6]

Porém, algumas federações não demonstraram interesse ou simplesmente agiram contra a participação dos seus clubes na competição, a exemplo dos clubes "pequenos" do estado de São Paulo que foram convidados a se retirar por Nabi Abi-Chedid, então presidente da Federação Paulista de Futebol, a despeito da seletiva paulista que havia sido realizada, ficando a competição sem clubes do referido estado. A Confederação Brasileira de Futebol chegou a mencionar e criticar tal atitude em uma carta aberta veiculada na Revista Placar.[7]

Outros clubes também não tiveram interesse em participar da competição e acabaram passando a vaga adiante, caso do Atlético Paranaense, que preferiu desmontar seu elenco a participar da competição que foi classificada como algo "humilhante".[8]

Primeira faseEditar

Na primeira fase ocorreram 12 confrontos eliminatórios em jogos de ida e volta, com jogo desempate, caso necessário.[9]

Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta Extra
Alagoinhas  0–0 (4−3 p)   Capelense 0–0 0–0 0-0
Corumbaense   3-4   Dom Bosco 0-1 3-3 -
Santo Amaro  4-3  Auto Esporte 1-0 3-3 -
Matsubara  0-1   Figueirense 0-1 0-0 -
Izabelense   4-4 (2−0 p)   América-AM 2-0 2-4 0-0
Colatina   2-4   Olaria 1-3 1-1 -
São Borja   3-1   Joaçaba 0-0 3-1 -
Baraúnas   4-1   Icasa 1-0 3-1 -
Taguatinga   1-3   Itumbiara 1-0 0-3 -
Guarani-MG   3-1   Sergipe 1-0 2-1 -
Moto Club   1-5   Piauí 1-0 0-5 -
Madureira   1-6   Paranavaí 0-1 1-5 -

Segunda faseEditar

As 12 equipes classificadas na Primeira Fase foram novamente dispostas em confrontos eliminatórios, desta vez sem os jogos de desempate, com o clube de melhor campanha sendo o classificado em caso de resultados iguais.[9]

Equipe 1 Total Equipe 2 Ida Volta
Itumbiara   2-4   Dom Bosco 1-3 1-1
Santo Amaro  2-1   Baraúnas 1-1 1-0
Olaria   3-0   Paranavaí 2-0 1-0
Alagoinhas   3-3 (M.C.)   Guarani-MG 2-1 1-2
Figueirense   1-3   São Borja 1-0 0-3
Izabelense   1-0   Piauí 1-0 0-0
  • M.C. - O classificado garantiu o direito por ter a melhor campanha na competição.

Terceira faseEditar

Na terceira fase os 6 clubes classificados foram divididos em dois grupos de três componentes, cabendo ao campeão de cada grupo a classificação para a final da Taça de Bronze de 1981.[9]

Grupo AEditar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Olaria 4 4 2 0 2 3 3 0
  São Borja 4 4 1 2 1 4 3 +1
  Dom Bosco 4 4 1 2 1 3 4 -1
  DBO OLA SBO
Dom Bosco 1-0 2-2
Olaria 2-0 1-0
São Borja 0-0 2-0

Grupo BEditar

Equipe Pts J V E D GP GC SG
  Santo Amaro 6 4 2 2 0 4 1 +3
  Izabelense 3 4 1 1 2 4 5 -1
  Guarani-MG 3 4 1 1 2 3 5 -2
  GUA IZA SAM
Guarani-MG 2-1 0-0
Izabelense 2-1 1-1
Santo Amaro 2-0 1-0

FinalEditar

Jogo de Ida

A primeira partida aconteceu em Marechal Hermes(antigo estádio do Botafogo. O "azulão" abriu a contagem aos 15 minutos do 1º tempo com Chiquinho. Os demais gols só foram sair após os 14 minutos do 2º tempo com Zé Ica e Leandro, que marcou dois, fechando o placar e a boa vantagem pro segundo jogo.[10]

Jogo de volta

O jogo de retorno foi realizado no dia do Trabalhador, em Recife, no Estádio do Arruda(grande palco esportivo pertencente ao Santa Cruz). Por conta da data comemorativa a partida foi realizada com "portões abertos".[1] A partida se manteve em 0 a 0 até estar faltando 10 minutos para o fim do tempo regulamentar, quando Derivaldo, aos 35 minutos do 2º tempo, fez o único gol da partida em favor do Santo Amaro. O resultado foi insuficiente para reverter a vantagem do Olaria, que acabou se consagrando campeão da Taça de Bronze.[10]

CampeãoEditar

O campeão da primeira edição da Terceira Divisão do Campeonato Brasileiro foi o Olaria, clube carioca do bairro homônimo, na zona norte do Rio de Janeiro. Para ser campeão o clube disputou 10 partidas onde obteve 6 vitórias, 1 empate e 3 derrotas. A equipe marcou 13 gols, sendo que o centro-avante Leandro e o ponta-esquerda Zé Ica foram os artilheiros da equipe, cada um marcando 4 gols.

Porem, nem tudo foi comemoração e ao final da competição a conta chegou e o clube se viu endividado, com um rombo de Cr$600 mil, com seus jogadores não vendo a hora de sair e os dirigentes se desdobrando para pagar os prêmios e as dividas. Fato curioso destes momentos do clube azulino é que um de seus atletas, Ricardo, recebeu uma proposta do Betis(tradicional clube de Sevilha, na Espanha) e simplesmente recusou.[11]

Campeão Brasileiro de 1981
Série C
 
Olaria Atlético Clube
(1º título)

Classificação FinalEditar

Time PG J V E D GP GC SG
1   Olaria 19 10 6 1 3 13 6 +7
2   Santo Amaro 19 10 5 4 1 11 9 +2
3   Dom Bosco 13 8 3 4 1 11 9 +2
4   Guarani 13 8 4 1 3 9 9 0
5   São Borja 12 8 3 3 2 10 5 +5
6   Izabelense 10 8 2 4 2 5 5 0
7   Baraúnas 7 4 2 1 1 5 3 +2
8   Figueirense 7 4 2 1 1 2 3 -1
9   Paranavaí 6 4 2 0 2 6 4 +2
10   Atlético de Alagoinhas 5 4 1 2 1 3 3 0
11   Piauí 4 4 1 1 2 5 2 +3
12   Itumbiara 4 4 1 1 2 5 5 0
13   América 3 2 1 0 1 4 4 0
14   Taguatinga 3 2 1 0 1 1 3 -2
15   Moto Clube 3 2 1 0 1 1 5 -4
16   Capelense 2 2 0 2 0 0 0 0
17   Auto Esporte 1 2 0 1 1 3 4 -1
18   Corumbaense 1 2 0 1 1 3 4 -1
19   Matsubara 1 2 0 1 1 0 1 -1
20   Colatina 1 2 0 1 1 2 4 -2
21   Joaçaba 1 2 0 1 1 1 3 -2
22   Sergipe 0 2 0 0 2 1 3 -2
23   Icasa 0 2 0 0 2 1 4 -3
24   Madureira 0 2 0 0 2 1 6 -4
PG – Pontos ganhos; J – Jogos disputados; V - Vitórias; E - Empates; D - Derrotas;
GP – Gols pró; GC – Gols contra; SG – Saldo de gols
Classificação
Campeão do campeonato
Vice-campeão do campeonato
Eliminados na Terceira Fase
Eliminados na Segunda Fase
Eliminados na Primeira Fase

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b «Taça de Bronze». Revista Plaar. 8 de maio de 1981. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  2. «Olaria Atlético Clube: 100 anos do time orgulho do futebol do Rio de Janeiro». Confederação Brasileira de Futebol. Consultado em 22 de fevereiro de 2021 
  3. Valle, Emmanuel do (16 de outubro de 2017). «O Olaria de 1971: A curta, porém intensa, "Era de Ouro do Alvianil da Rua Bariri"». Trivela. Consultado em 22 de fevereiro de 2021 
  4. «Vila Nova se torna o primeiro tricampeão da Série C; confira a lista completa dos campeões». ge. Consultado em 22 de fevereiro de 2021 
  5. «Bronze já tem critérios, é só ler!». Jornal dos Sports. Rio de Janeiro-RJ. 8 de janeiro de 1981. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  6. «Rapidas». Revista Placar. 30 de janeiro de 1981. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  7. «O fim do Nabismo». Revista Placar. 13 de março de 1981. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  8. Roberto José da Silva (17 de abril de 1981). «Curitiba redescobre sua paixão». Revista Placar. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  9. a b c «Campeonato Brasileiro Série C 1981». Bola na Área. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  10. a b Alexia Faria (17 de abril de 2018). «1981: Olaria campeão da Taça de Bronze». O Curioso do Futebol. Consultado em 11 de agosto de 2022 
  11. Hideki Takizawa (15 de maio de 1981). «Um título que deu prejuizo». Revista Placar. Consultado em 11 de agosto de 2022