Campeonato Brasileiro de Futebol de 1988

XXXII Campeonato Brasileiro de Futebol
Copa Brasil de 1988
Dados
Participantes 24
Organização CBF
Local de disputa Brasil
Período 2 de setembro – 19 de fevereiro de 1989
Gol(o)s 548
Partidas 290
Média 1,89 gol(o)s por partida
Campeão Bahia (2º título)
Vice-campeão Internacional
Melhor marcador Nilson (Internacional) – 15 gols
Melhor ataque (fase inicial) Internacional – 35 gols
Melhor defesa (fase inicial) Vasco da Gama – 14 gols
Público 4 005 190
Média 13 811 pessoas por partida
Outras divisões
Divisão Especial Internacional-SP
Divisão de Acesso União São João
◄◄ 1987 Soccerball.svg 1989 ►►

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1988, originalmente denominado Copa Brasil[1][2] pela CBF e também conhecido pelo nome fantasia de Copa União,[3][4] foi a trigésima segunda edição do Campeonato Brasileiro[nota 1] e foi vencido pelo Bahia, tendo como vice-campeão o Internacional.

De seus 29 jogos, o Bahia venceu treze, empatou onze e perdeu cinco, com 33 gols a favor e 23 contra, sendo campeão ao vencer o Internacional por 2 a 1 no Estádio da Fonte Nova e empatar por 0 a 0 o segundo jogo, em pleno Estádio Beira Rio, em Porto Alegre. Nas quartas de final, havia eliminado o pernambucano Sport e, nas semifinais, o Fluminense, contra quem bateu o recorde de público da Fonte Nova, com 110 438 pagantes, no segundo jogo. A maior goleada conquistada pelo time do Bahia foi a vitória sobre o Santos por 5 a 1, em 7 de dezembro. Destacavam-se no time campeão: Ronaldo, João Marcelo, Paulo Rodrigues, Zé Carlos, Bobô e Charles, comandados pelo técnico Evaristo de Macedo.

O rompimento entre o Clube dos 13 e a CBF, ocorrido no ano anterior, terminou redundando num campeonato mais enxuto e competitivo, com apenas 24 clubes e, pela primeira vez, com um sistema verdadeiro de acesso e descenso, conforme recomendado pela FIFA. O regulamento estabelecido no início do campeonato foi cumprido: os quatro últimos colocados da Série A (Bangu, Santa Cruz, Criciúma e America do Rio de Janeiro) caíram para a Série B em 1989, sendo substituídos por Internacional de Limeira e Náutico, respectivamente campeão e vice do Campeonato Brasileiro Série B de 1988. Este sistema perdurou até 1992.[5]

Já o sistema de pontuação foi alterado, em caráter experimental. Cada partida passou a valer três pontos: em caso de vitória no tempo normal, o vencedor ficava com os três pontos e o perdedor, com zero; em caso de empate, cada clube ficava com pelo menos um ponto, e o terceiro ponto era disputado em cobranças de pênaltis. Porém, na fase final, permaneceu o sistema de contagem de pontos tradicional: dois pontos por vitória, um por empate e zero por derrota.[6]

ParticipantesEditar

Equipe Cidade Estado Em 1987 Estádio (mando) Título(s)
America Rio de Janeiro   RJ 16º (Módulo Amarelo) Wolney Braune 0 (não possui)
Atlético Mineiro Belo Horizonte   MG 3º (Módulo Verde) Mineirão 1 (1971)
Atlético Paranaense Curitiba   PR 3º (Módulo Amarelo) Pinheirão 0 (não possui)
Bahia Salvador   BA 11º (Módulo Verde) Fonte Nova 1 (1959)
Bangu Rio de Janeiro   RJ 4º (Módulo Amarelo) Moça Bonita 0 (não possui)
Botafogo Rio de Janeiro   RJ 9º (Módulo Verde) Maracanã 1 (1968)
Corinthians São Paulo   SP 16º (Módulo Verde) Pacaembu 0 (não possui)
Coritiba Curitiba   PR 12º (Módulo Verde) Couto Pereira 1 (1985)
Criciúma Criciúma   SC 6º (Módulo Amarelo) Heriberto Hülse 0 (não possui)
Cruzeiro Belo Horizonte   MG 4º (Módulo Verde) Mineirão 1 (1966)
Flamengo Rio de Janeiro   RJ 1º (Módulo Verde) Maracanã 3 (1980, 1982, 1983)
Fluminense Rio de Janeiro   RJ 7º (Módulo Verde) Maracanã 2 (1970, 1984)
Goiás Goiânia   GO 13º (Módulo Verde) Serra Dourada 0 (não possui)
Grêmio Porto Alegre   RS 5º (Módulo Verde) Olímpico 1 (1981)
Guarani Campinas   SP 2º (Módulo Amarelo) Brinco de Ouro 1 (1978)
Internacional Porto Alegre   RS 2º (Módulo Verde) Beira-Rio 3 (1975, 1976, 1979)
Palmeiras São Paulo   SP 8º (Módulo Verde) Parque Antártica 6 (1960, 1967, 1967 RGP, 1969, 1972, 1973)
Portuguesa São Paulo   SP 7º (Módulo Amarelo) Canindé 0 (não possui)
Santa Cruz Recife   PE 14º (Módulo Verde) Arruda 0 (não possui)
Santos Santos   SP 15º (Módulo Verde) Vila Belmiro 6 (1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968 RGP)
São Paulo São Paulo   SP 6º (Módulo Verde) Morumbi 2 (1977, 1986)
Sport Recife   PE 1º (Módulo Amarelo) Ilha do Retiro 1 (1987)
Vasco da Gama Rio de Janeiro   RJ 10º (Módulo Verde) São Januário 1 (1974)
Vitória Salvador   BA 5º (Módulo Amarelo) Barradão 0 (não possui)

Fórmula de disputaEditar

Primeira Fase: os 24 clubes foram divididos em 2 grupos. No primeiro turno (doze rodadas), os clubes de um grupo enfrentaram os clubes do outro grupo. No segundo turno (onze rodadas), todos os jogos foram entre clubes do mesmo grupo. Classificaram-se para a fase seguinte os dois primeiros colocados de cada grupo em cada turno. Os quatro últimos colocados no total geral de pontos foram rebaixados à Série B de 1989.

Fase Final (com quartas de final, semifinais e final): oito clubes em sistema eliminatório, com jogos de ida e volta e mando de campo do segundo jogo para o clube com melhor campanha. Em caso de empate na soma dos placares, prorrogação de trinta minutos no segundo jogo; permanecendo o empate, vantagem para o clube com melhor campanha, desaparecendo assim, nessa fase, a regra que estabelecia disputa de pênaltis em caso de empate.

Primeira faseEditar

Primeiro turnoEditar

Grupo A
Time PG J V E D PE GP GC SG
1   Fluminense 27 12 7 4 1 2 15 5 10
2   Internacional 27 12 6 5 1 4 18 8 10
3   Portuguesa 24 12 6 4 2 2 17 11 6
4   Atlético Mineiro 23 12 6 3 3 2 10 8 2
5   Flamengo 23 12 5 5 2 3 18 10 8
6   São Paulo 20 12 6 2 4 0 7 8 -1
7   Sport 20 12 4 5 3 3 10 10 0
8   Vitória 18 12 4 3 5 3 10 13 -3
9   Goiás 18 12 3 5 4 4 9 12 -3
10   Atlético Paranaense 16 12 3 5 4 2 10 9 1
11   Palmeiras 15 12 4 2 6 1 12 14 -2
12   Bangu 15 12 3 4 5 2 8 10 -2
Grupo B
Time PG J V E D PE GP GC SG
1   Vasco da Gama 27 12 7 3 2 3 19 11 8
2   Grêmio 24 12 7 3 2 0 15 5 10
3   Bahia 23 12 5 5 2 3 12 11 1
4   Guarani 22 12 5 5 2 2 10 9 1
5   Coritiba 16 12 3 4 5 3 8 11 -3
6   Santa Cruz 15 12 3 3 6 3 11 15 -4
7   Santos 14 12 3 4 5 1 10 9 1
8   Botafogo 12 12 2 4 6 2 8 13 -5
9   Cruzeiro 11 12 2 5 5 0 10 15 -5
10   Corinthians 10 12 1 5 6 2 6 13 -7
11   Criciúma 6 12 1 3 8 0 5 16 -11
12   America 6 12 1 3 8 0 16 4 -12
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; PE - pontos extras, obtidos em disputas de pênaltis; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols
Classificados à 2ª fase.

Segundo turnoEditar

Grupo A
Time PG J V E D PE GP GC SG TPG
1   Sport 21 11 5 3 3 3 10 10 0 41
2   Flamengo 20 11 6 2 3 0 14 9 5 43
3   Portuguesa 19 11 6 1 4 0 11 10 1 43
4   Internacional 19 11 4 5 2 2 17 15 2 46
5   São Paulo 19 11 3 6 2 4 14 10 4 39
6   Atlético Mineiro 17 11 2 7 2 4 12 14 -2 40
7   Palmeiras 16 11 3 5 3 2 9 8 1 31
8   Goiás 16 11 2 6 3 4 12 9 3 34
9   Atlético Paranaense 15 11 2 6 3 3 8 8 0 31
10   Bangu 13 11 1 6 4 4 7 12 -5 28
11   Vitória 12 11 3 3 5 0 11 17 -6 30
12   Fluminense 11 11 2 4 5 1 9 12 -3 38
Grupo B
Time PG J V E D PE GP GC SG TPG
1   Vasco da Gama 27 11 6 5 0 4 15 3 12 54
2   Cruzeiro 23 11 6 4 1 1 16 6 10 34
3   Corinthians 22 11 5 4 2 3 15 9 6 32
4   Bahia* 21 11 6 2 3 1 16 9 7 44
5   Coritiba 20 11 5 3 3 2 12 6 6 36
6   Botafogo 19 11 5 3 3 1 9 9 0 31
7   Santos 17 11 4 3 4 2 9 16 -7 31
8   Santa Cruz 12 11 2 4 5 2 8 13 -5 27
9   Grêmio 12 11 2 4 5 2 10 17 -7 36
10   Guarani 10 11 2 4 5 0 10 13 -3 32
11   Criciúma 8 11 0 5 6 3 7 18 -11 14
12   America 7 11 1 3 7 1 7 15 -8 13
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; PE - pontos extras, obtidos em disputas de pênaltis; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols; TPG - Total de pontos ganhos nos dois turnos
Classificados à segunda fase.
Classificados à segunda fase no primeiro turno.
Rebaixados à segunda divisão pelo total de pontos ganhos (TPG).

Obs.: Como o Vasco da Gama já estava classificado desde o fim do primeiro turno e conseguiu novamente estar na zona de classificação, a quarta vaga referente aos times do Grupo B foi ganha pelo Bahia, que possuía o maior total de pontos ganhos (TPG) entre os não-classificados.

Segunda faseEditar

  Quartas de final Semifinais Final
                             
1    Vasco da Gama 0 2(0)  
8    Fluminense 1 1(2)  
     Fluminense 0 1  
     Bahia 0 2  
4    Bahia 1 0(0)
5    Sport 1 0(0)  
     Bahia 2 0  
     Internacional 1 0  
3    Flamengo 0 0  
6    Grêmio 0 1  
     Grêmio 0 1
     Internacional 0 2  
2    Internacional 0 2
7    Cruzeiro 0 0  

Obs.: Em parênteses estão os resultados das partidas terminadas em prorrogação. No confronto Bahia × Sport, o Bahia foi classificado por ter maior total de pontos que o Sport.

DecisãoEditar

15 de fevereiro de 1989 Bahia   2 – 1   Internacional Estádio da Fonte Nova, Salvador

Bobô   36',   50' Leomir   19' Público: 90 508
Árbitro:   Romualdo Arpi Filho

Bahia: Ronaldo; Tarantini, João Marcelo, Claudir e Edinho; Paulo Rodrigues, Zé Carlos e Bobô; Osmar, Charles (Sandro) e Marquinhos. Técnico: Evaristo de Macedo.

Internacional: Taffarel; Luís Carlos Winck (Diego Aguirre), Aguirregaray, Nenê e João Luís; Norberto, Luís Carlos Martins e Leomir; Maurício (Heider), Nílson e Edu. Técnico: Abel Braga.


19 de fevereiro de 1989 Internacional   0 – 0   Bahia Estádio Beira-Rio, Porto Alegre

Público: 79 598
Árbitro:   Dulcídio Wanderley Boschilia

Internacional: Taffarel; Luiz Carlos Winck, Aguirregaray, Norton e Casemiro; Norberto, Luis Fernando e Luís Carlos Martins; Maurício (Heider), Nílson e Edu. Técnico: Abel Braga.

Bahia: Ronaldo; Tarantini, João Marcelo, Claudir (Newmar) e Paulo Róbson; Paulo Rodrigues, Zé Carlos e Bobô (Osmar); Gil Sergipano, Charles e Marquinhos. Técnico: Evaristo de Macedo.

PremiaçãoEditar

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1988
 
Esporte Clube Bahia
Campeão
(2° título)

Bola de Prata de 1988Editar

Os melhores jogadores do campeonato em suas posições, eleitos pela revista Placar:

  Taffarel   (Internacional)
  Alfinete (Grêmio)  Aguirregaray (Internacional)  Pereira (Bahia)  Mazinho (Vasco da Gama)
  Bobô (Bahia)  Paulo Rodrigues (Bahia)  Adílson Heleno (Criciúma)
  Vivinho (Vasco da Gama)  Nílson (Internacional)  Zinho (Flamengo)
Artilheiro:   Nílson (Internacional)|  Vencedor da Bola de Ouro.

Classificação finalEditar

Classificação final
Time PG J V E D PE GP GC SG
1   Bahia 56 29 13 11 5 4 33 23 10
2   Internacional 55 29 12 13 4 6 40 26 14
3   Fluminense 42 27 10 9 8 3 27 27 6
4   Grêmio 41 27 10 9 8 2 27 24 3
5   Vasco da Gama 57 25 14 8 3 7 36 16 20
6   Flamengo 44 25 11 8 6 3 32 20 12
7   Sport 43 25 9 10 6 6 21 21 0
8   Cruzeiro 35 25 8 10 7 1 26 23 3
9   Portuguesa 43 23 12 5 6 2 28 21 7
10   Atlético Mineiro 40 23 8 10 5 6 22 22 0
11   São Paulo 39 23 9 8 6 4 21 18 3
12   Coritiba 36 23 8 7 8 5 20 17 3
13   Goiás 34 23 5 11 7 8 21 21 0
14   Guarani 32 23 7 9 7 2 20 22 -2
15   Corinthians 32 23 6 9 8 5 21 22 -1
16   Palmeiras 31 23 7 7 9 3 21 22 -1
17   Botafogo 31 23 7 7 9 3 17 22 -5
18   Santos 31 23 7 7 9 3 19 25 -6
19   Atlético Paranaense 31 23 5 11 7 5 18 17 1
20   Vitória 30 23 7 6 10 3 21 30 -9
21   Bangu 28 23 4 10 9 6 15 22 -7
22   Santa Cruz 27 23 5 7 11 5 19 28 -9
23   Criciúma 14 23 1 8 14 3 12 34 -22
24   America 13 23 2 6 15 1 11 31 -20
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; PE - pontos extras, obtidos em disputas de pênaltis
GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols; AP - aproveitamento
Finalistas e classificados à Taça Libertadores da América de 1989.
Eliminados na segunda fase.
Rebaixados para a Série B de 1989.

ArtilheirosEditar

Pos. Jogador Equipe Gols
1   Nílson Internacional 15
2   Zé Carlos Bahia 9
  Bebeto Flamengo
4   Renato Atlético Mineiro 8
  Hamilton Cruzeiro
  Cuca Grêmio
  Gaúcho Palmeiras
  Kita Portuguesa
  Bismarck Vasco da Gama

Maiores públicosEditar

Público Mandante Placar Visitante Estádio Data Fase
1 110 438 Bahia   2–1   Fluminense Fonte Nova 12 de fevereiro de 1989 Semifinal
2 90 508 Bahia   2–1   Internacional Fonte Nova 15 de fevereiro de 1989 Final
3 79 598 Internacional   0–0   Bahia Beira-Rio 19 de fevereiro de 1989 Final
4 78 083 Internacional   2–1   Grêmio Beira-Rio 12 de fevereiro de 1989 Semifinal
5 75 157 Vasco da Gama   2–3   Fluminense Maracanã 1 de fevereiro de 1989 Quartas de final
6 71 621 Grêmio   0–0   Internacional Olímpico 9 de fevereiro de 1989 Semifinal
7 67 988 Cruzeiro   0–0   Internacional Mineirão 29 de janeiro de 1989 Quartas de final

Fonte: Acervo Folha de S.Paulo

Campanha do campeãoEditar

Primeiro turno
Bahia 1-1 Bangu (pênaltis: 6-5), 2/9
Bahia 1-0 Vitória, 7/9
Fluminense 3-0 Bahia, 11/9
Bahia 1-0 Flamengo, 18/9
Goiás 2-2 Bahia (pên.: 4-2), 25/9
Atlético-MG 1-1 Bahia (pên.: 4-1), 1/10
Bahia 1-1 Sport (pên.: 5-4), 9/10
Bahia 2-0 Atlético-PR, 16/10
São Paulo 0-2 Bahia, 22/10
Bahia 1-0 Palmeiras, 30/10
Internacional 3-0 Bahia, 6/11
Portuguesa 0-0 Bahia (pên.: 4-5), 9/11
Segundo turno
Bahia 2-1 Cruzeiro, 13/11
Vasco 0-0 Bahia (pên.: 5-3), 16/11
Guarani 0-0 Bahia (pên.: 3-4), 20/11
Bahia 0-1 Botafogo, 24/11
Bahia 2-0 Corinthians, 27/11
Criciúma 0-1 Bahia, 1/12
Coritiba 2-0 Bahia, 4/12
Bahia 5-1 Santos, 7/12
Bahia 3-1 Grêmio, 11/12
Santa Cruz 2-1 Bahia, 15/12
Bahia 2-1 America-RJ, 18/12
Quartas de final
Sport 1-1 Bahia, 29/1/89
Bahia 0-0 Sport, 1/2/89
Semifinais
Fluminense 0-0 Bahia, 9/2/89
Bahia 2-1 Fluminense, 12/2/89
Finais
Bahia 2-1 Internacional, 15/2/89
Internacional 0-0 Bahia, 19/2/89

PatrocínioEditar

A Coca-Cola teve grande destaque como patrocinadora nesta competição ao patrocinar a maioria das equipes, com exceção de Flamengo (Lubrax), Internacional (APLUB), Corinthians (Kalunga), Atlético-PR, Criciúma, Vitória (Banco Econômico), Sport (Banorte), Portuguesa, Guarani (Concretex) e Palmeiras (Agip) (estes dois últimos seriam também patrocinados pela Coca-Cola em 1989).

NotasEditar

  1. Anteriormente a unificação promovida pela CBF em 2010, este torneio era considerado a décima oitava edição do Campeonato Brasileiro.

Referências

Ligações externasEditar

Ver tambémEditar