Abrir menu principal
Campeonato Brasiliense de Futebol
Candangão
Bandeira do Distrito Federal (Brasil).svg
Dados gerais
Organização FFDF
Edições 57 desde 1959 (60 anos)
Local de disputa  Distrito Federal,  Brasil
Número de equipes 12
Sistema Misto (turno classificatório)
Divisões
1ª Divisão2ª Divisão3ª Divisão
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

O Campeonato Brasiliense de Futebol, também conhecido como Campeonato Candango, Campeonato Metropolitano e apelidado de Candangão, é o torneio de futebol disputado no Distrito Federal brasileiro. O torneio classifica equipes para a série D do Campeonato Brasileiro, para a Copa do Brasil e para a Copa Verde. Um dos mais simpáticos Campeonatos do Brasil, visto que aceitou equipes de três unidades federativas:Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais.[1][2][3][4]

Índice

História

1959-1969 - Início Amador, Rivalidade entre Defelê e Rabello e Tentativa de Profissionalização

 Ver artigo principal: Defelê x Rabello

O campeonato brasiliense, que é disputado por clubes do Distrito Federal e Entorno, teve sua primeira edição realizada em 1959, antes da inauguração de Brasília, com nove equipes. Nessa época a competição ainda era amadora. Das equipes que disputaram a primeira edição do campeonato brasiliense, apenas o Clube de Regatas Guará e Luziânia continuam atuando. O Grêmio Brasiliense foi o primeiro campeão do torneio.

No início, as equipes eram formadas principalmente por setores do funcionalismo público e construtoras da capital. Nos primeiros anos após a equipe composta Departamento de Força e Luz, chamada Defelê por uma abreviação do nome do departamento,[5] começou a ganhar destaque, ganhando os três campeonatos seguintes, em 1960, 1961 e 1962.

Nessa época começou a primeira rivalidade do futebol brasiliense,[6] o Defelê começou a disputar a posição de potência do futebol local com o Rabello, equipe formada pelos empregados da construtora Rabello que ajudava na construção de Brasília.[7] Durante a década de 1960, muitas vezes os campeonatos eram disputados entre as duas equipes.

Outras equipes que se destaram nessa época foram as equipes do Grêmio Brasiliense, do Luziânia, do Guanabara e do Pederneiras. Entre 1964 e 1966, houve a disputa de dois campeonatos brasilienses, um profissional e outro amador, mas a iniciativa acabou não dando certo e o futebol no Distrito Federal voltou a ser amador em 1967.

O Defelê foi extinto em 1970 após ficar na última colocação, o Grêmio Brasiliense também teve seu último campeonato em 1970. O Rabello aguentou mais um ano, mas foi extinto em 1971.

1970-1975 - Estabilização e Participação do CEUB no Campeonato Brasileiro

O começo da década de 1970 não revelou times que tivessem um destaque como o Defelê e o Rabello. Nos cinco primeiros anos da década houve cinco campeões diferentes (Colombo, Serviço Gráfico, CEUB, Pioneira e Campineira).

Em 1973, o CEUB, time formado por alunos e funcionários do Centro de Ensino Unificado de Brasília conhecido como CEUB foi campeão do campeonato, com isso foi convidado pela CBD para disputar o campeonato brasileiro daquele ano. Com isso a equipe se tornou a primeira equipe do Distrito Federal a disputar a divisão principal do campeonato nacional

1976-1984 - Profissionalização definitiva e Hegemonia do Brasília

 Ver artigo principal: Brasília Futebol Clube

Em 1976, o futebol candango se profissionalizou de vez.[8] O Brasília Esporte Clube foi criado em 1975, e logo conquistou um tricampeonato nos anos de 1976 a 1978. Voltaria a ganhar um tricampeonato de 1982 a 1984, além de um título em 1980. Durante esse período o Brasília só não ganhou o título em 1979 e 1981. Com isso a equipe se torna a maior ganhadora do torneio, só perdendo o posto depois para o Gama

Nesse período houve também o surgimento de outras equipes tradicionais no Distrito Federal, como o Gama (campeão em 1979) e o Taguatinga (campeão em 1981). Outro ponto interessante é o crescimento do Guará, estando em quase todas as temporadas entre segundo e terceiro lugar.

Em 1973 e 1974 o Luziânia também participou do campeonato amador do Distrito Federal.

1985-1986 - Bicampeonato do Sobradinho

 Ver artigo principal: Sobradinho Esporte Clube

O Sobradinho foi campeão duas vezes seguidas, nos anos de 1985 e 1986. Em ambas as oportunidades, o Taguatinga ficou em segundo e o Brasília ficou em terceiro.

1987-1993 - Título do Tiradentes e Tricampeonato do Taguatinga

O Taguatinga já tinha sido campeão em 1981 e voltou a ganhar o título em 1989. Além disso ganhou um tricampeonato de 1991 a 1993. Foi o auge de um dos mais tradicionais times do Distrito Federal que entraria em licença em 1998.

O Brasília conquistou o título em 1987, sendo esse seu último título até o momento. Outro time tradicional, o Tiradentes foi campeão em 1988.

1994-1996 - Título do Guará e Bicampeonato do Gama

 Ver artigo principal: Clube de Regatas Guará

O Guará atualmente sem atividades no futebol profissional Distrito Federal. Eles sempre bateram na trave ficando 8 vezes em segundo e 11 vezes em terceiro. Em 1996 o Guará finalmente conseguiu o seu título.

O Gama ganhou o Bicampeonato em 1994 e 1995 e foi vice-campeão em 1996

O Luziânia é atualmente a equipe mais velha em atuação do Distrito Federal e retornou ao futebol profissional em 1996. O Luziânia bateu na trave em 1966 e 2012 e finalmente

conseguiu o seu primeiro titulo em 2014, e em 2016 de forma invicta conquistou o Bi-Campeonato Brasiliense.

1997-2003 - Hegemonia do Gama

 Ver artigo principal: Sociedade Esportiva do Gama

Durante os anos de 1997 a 2001, o Gama conquistou todos os títulos, se tornado assim o maior ganhador do campeonato brasiliense. Nessa época também houve o surgimento do Brasiliense Futebol Clube, começando assim o maior clássico do futebol candango atualmente, Brasiliense x Gama.

Em 2002 o Clube de Futebol do Zico (CFZ) quebrou uma hegemonia do Gama de cinco anos. No ano seguinte, em 2003 o Gama conquistaria seu décimo título estadual, mantendo a hegemonia do clube

2004-2009 - Hexacampeonato do Brasiliense

 Ver artigo principal: Brasiliense Futebol Clube

Em 2004 o Brasiliense ganhou o seu primeiro título e ganharia os próximos cinco, se tornando o primeiro hexacampeão do torneio.

2010-2013 - Alternância entre Ceilândia e Brasiliense

 Ver artigo principal: Ceilândia Esporte Clube

Em 2010 o Ceilândia quebra a hegemonia do Brasiliense. Ele voltaria a ser campeão em 2012. O Brasiliense ganha o título em 2011 e 2013.

2014-2016 - Primeiro Título de Um Time do Entorno

 Ver artigo principal: Associação Atlética Luziânia

Em 2014 o Luziânia ganha o título e se torna a primeira equipe do entorno a ganhar o título. Em 2015, após um jejum de doze anos, o Gama consegue o título após bater o Brasília duas vezes na final. Com isso o Brasília fica com uma sequencia de três vices campeonatos seguidos, perdendo o título para o Brasiliense, Luziânia e o próprio Gama. Em 2016, novamente o Luziânia é campeão em cima do Ceilândia na final. Também a partir de 2014, o torneio passou a classificar as 2 melhores equipes para a Copa Verde.

2017 - O descenso de um grande e quebra de jejum

Em 2017, o Brasília acabou sendo rebaixado após uma péssima campanha na Elite com apenas 7 pontos em 11 jogos, obtendo 2 vitórias, 1 empate e 8 derrotas, além da pior defesa do campeonato: 26 gols sofridos. Já no lado branco-amarelo do Brasiliense, o Jacaré voltou a conquistar o estadual após um jejum que durou 4 anos, além de também voltar a disputar uma final. A conquista se deu após bater o Ceilândia; com um empate em 2x2 na ida e uma vitória por 3x2 na volta, o clube de Taguatinga voltou a ser campeão do Distrito Federal.

Campeões

Início Amador Pré Profissionalização

Edição Ano Campeão Vice-campeão Terceiro colocado Quarto colocado
1959 * Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante)
  • Título não reconhecido pela FFDF
Planalto (Gama) Guará (Guará)
1.ª 1960 Defelê (Brasília) Guará (Guará) Planalto (Gama)
2.ª 1961 Defelê (Brasília) Rabello (Brasília) Guará (Guará) Planalto (Gama)
3.ª 1962 Defelê (Brasília) Colombo (Núcleo Bandeirante) Rabello (Brasília) Guará (Guará)
4.ª 1963 Cruzeiro do Sul (Brasília) Rabello (Brasília) Nacional (Brasília)
5.ª 1964 Guanabara A (Brasília)
Rabello P (Brasília)
Dínamo (Brasília)
Defelê (Brasília)
Nacional (Brasília)
Colombo (Núcleo Bandeirante)
6.ª 1965 Pederneiras A (Brasília)
Rabello P (Brasília)
Guanabara (Brasília)
Colombo (Núcleo Bandeirante)
Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante)
Guará (Guará)
7.ª 1966 Guanabara A (Brasília)
Rabello P (Brasília)
Vila Matias (Brasília)
Luziânia (Luziânia (GO)
Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante)
Colombo (Núcleo Bandeirante)
Defelê (Brasília)
8.ª 1967 Rabello (Brasília) Cruzeiro do Sul (Brasília) Defelê (Brasília) Colombo (Núcleo Bandeirante)
9.ª 1968 Defelê (Brasília) Rabello (Brasília) Guará (Guará)
10.ª 1969 Coenge (Gama) Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante) Mariana (Gama)
11.ª 1970 Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante) Civilsan (Brasília) Serviço Gráfico (Brasília) Planalto (Gama)
12.ª 1971 Colombo (Núcleo Bandeirante) Serviço Gráfico (Brasília) CEUB (Brasília)
13.ª 1972 Serviço Gráfico (Brasília) CEUB (Brasília) Colombo (Núcleo Bandeirante) Piloto (Brasília)
14.ª 1973 CEUB (Brasília) Relações Exteriores (Brasília) Atlético (Brazlândia) Unidos de Sobradinho(Sobradinho)
15.ª 1974 Pioneira (Taguatinga) Jaguar (Núcleo Bandeirante) CEUB (Brasília) Humaitá (Guará)
16.ª 1975 Campineira (Brasília) CSU (Brasília) Relações Exteriores (Brasília)

A = Amador; P = Profissional 

  • Campeonato de 1959 não é oficializado pela FFDF.

Profissionalização Definitiva

Edição Ano Campeão Vice-campeão Terceiro colocado Quarto colocado
1.ª 1976 Brasília (Brasília) Guará (Guará) Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante)
2.ª 1977 Brasília (Brasília) Bandeirante (Núcleo Bandeirante) Taguatinga (Taguatinga) Canarinho (Taguatinga)
3.ª 1978 Brasília (Brasília) Taguatinga (Taguatinga) Guará (Guará)
4.ª 1979 Gama (Gama) Brasília (Brasília) Guará (Guará)
5.ª 1980 Brasília (Brasília) Gama (Gama) Guará (Guará) Sobradinho (Sobradinho)
6.ª 1981 Taguatinga (Taguatinga) Guará (Guará) Brasília (Brasília)
7.ª 1982 Brasília (Brasília) Guará (Guará) Tiradentes (Brasília)
8.ª 1983 Brasília (Brasília) Guará (Guará) Taguatinga (Taguatinga)
9.ª 1984 Brasília (Brasília) Sobradinho (Sobradinho) Taguatinga (Taguatinga) Guará (Guará)
10.ª 1985 Sobradinho (Sobradinho) Taguatinga (Taguatinga) Brasília (Brasília)
11.ª 1986 Sobradinho (Sobradinho) Taguatinga (Taguatinga) Brasília (Brasília)
12.ª 1987 Brasília (Brasília) Taguatinga (Taguatinga) Guará (Guará)
13.ª 1988 Tiradentes (Brasília) Guará (Guará) Taguatinga (Taguatinga)
14.ª 1989 Taguatinga (Taguatinga) Sobradinho (Sobradinho) Ceilândia (Ceilândia)
15.ª 1990 Gama (Gama) Taguatinga (Taguatinga) Guará (Guará)
16.ª 1991 Taguatinga (Taguatinga) Guará (Guará)
17.ª 1992 Taguatinga (Taguatinga) Tiradentes (Brasília) Brasília (Brasília)
18.ª 1993 Taguatinga (Taguatinga) Gama (Gama) Guará (Guará)
19.ª 1994 Gama (Gama) Sobradinho (Sobradinho) Brasília (Brasília) Samambaia (Samambaia)
20.ª 1995 Gama (Gama) Brasília (Brasília) Guará (Guará) Planaltina (Planaltina)
21.ª 1996 Guará (Guará) Gama (Gama) Sobradinho (Sobradinho) Luziânia (Luziânia (GO)
22.ª 1997 Gama (Gama) Brasília (Brasília) Sobradinho (Sobradinho) Planaltina (Planaltina)
23.ª 1998 Gama (Gama) Guará (Guará) Taguatinga (Taguatinga) Ceilandense (Ceilândia)
24.ª 1999 Gama (Gama) Dom Pedro II (Núcleo Bandeirante) Luziânia (Luziânia (GO) Guará (Guará)
25.ª 2000 Gama (Gama) Bandeirante (Núcleo Bandeirante) Brasília (Brasília) Dom Pedro II (Núcleo Bandeirante)
26.ª 2001 Gama (Gama) Brasiliense (Taguatinga) Brazlândia (Brazlândia) Bandeirante (Núcleo Bandeirante)
27.ª 2002 CFZ (Brasília) Gama (Gama) Brasiliense (Taguatinga) Bandeirante (Núcleo Bandeirante)
28.ª 2003 Gama (Gama) Brasiliense (Taguatinga) CFZ (Brasília) Luziânia (Luziânia (GO)
29.ª 2004 Brasiliense (Taguatinga) Gama (Gama) Ceilândia (Ceilândia) Unaí (Unaí (MG)
30.ª 2005 Brasiliense (Taguatinga) Ceilândia (Ceilândia) Paranoá (Paranoá) Gama (Gama)
31.ª 2006 Brasiliense (Taguatinga) Gama (Gama) Luziânia (Luziânia (GO) Ceilândia (Ceilândia)
32.ª 2007 Brasiliense (Taguatinga) Esportivo Guará (Guará) Ceilândia (Ceilândia) Gama (Gama)
33.ª 2008 Brasiliense (Taguatinga) Dom Pedro II (Núcleo Bandeirante) Ceilândia (Ceilândia) Gama (Gama)
34.ª 2009 Brasiliense (Taguatinga) Brasília (Brasília) Gama (Gama) Dom Pedro II (Núcleo Bandeirante)
35.ª 2010 Ceilândia (Ceilândia) Brasiliense (Taguatinga) Botafogo-DF (Guará) Ceilandense (Ceilândia)
36.ª 2011 Brasiliense (Taguatinga) Gama (Gama) Formosa (Formosa (GO) Botafogo-DF (Guará)
37.ª 2012 Ceilândia (Ceilândia) Luziânia (Luziânia (GO) Sobradinho (Sobradinho) Brasiliense (Taguatinga)
38.ª 2013 Brasiliense (Taguatinga) Brasília (Brasília) Ceilândia (Ceilândia) Gama (Gama)
39.ª 2014 Luziânia (Luziânia (GO) Brasília (Brasília) Brasiliense (Taguatinga) Sobradinho (Sobradinho)
40.ª 2015 Gama (Gama) Brasília (Brasília) Brasiliense (Taguatinga) Luziânia (Luziânia (GO)
41.ª 2016 Luziânia (Luziânia (GO) Ceilândia (Ceilândia) Brasiliense (Taguatinga) Gama (Gama)
42.ª 2017 Brasiliense (Taguatinga) Ceilândia (Ceilândia) Sobradinho (Sobradinho) Paracatu (Paracatu (MG)
43.ª 2018 Sobradinho (Sobradinho) Brasiliense (Taguatinga) Ceilândia (Ceilândia) Luziânia (Luziânia (GO)
44.ª 2019 Gama (Gama) Brasiliense (Taguatinga) Real (Núcleo Bandeirante) Paracatu (Paracatu (MG)

Títulos

Por Clube

Clube Campeão Anos dos Títulos Vice Anos dos Vices
  Gama (Gama) 12 1979, 1990, 1994, 1995, 1997, 1998, 1999, 2000, 2001, 2003, 2015, 2019 7 1980, 1993, 1996, 2002, 2004, 2006, 2011
  Brasiliense (Taguatinga) 9 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2013, 2017 5 2001, 2003, 2010, 2018, 2019
  Brasília (Brasília) 8 1976, 1977, 1978, 1980, 1982, 1983, 1984, 1987 7 1979, 1995, 1997, 2009, 2013, 2014, 2015
  Taguatinga (Taguatinga) 5 1981, 1989, 1991, 1992, 1993 5 1978, 1985, 1986, 1987, 1990
  Rabello (Brasília) 4 1964, 1965, 1966, 1967 3 1961, 1963, 1968
  Defelê (Brasília) 4 1960, 1961, 1962, 1968 1 1964
  Sobradinho (Sobradinho) 3 1985, 1986, 2018 3 1984, 1989, 1994
  Ceilândia (Ceilândia) 2 2010, 2012 3 2005, 2016, 2017
  Luziânia (Luziânia (GO) 2 2014, 2016 2 1966, 2012
  Grêmio Brasiliense (Núcleo Bandeirante) 2 1959, 1970 1 1969
  Guanabara (Brasília) 2 1964, 1966 1 1965
  Guará (Guará) 1 1996 8 1960, 1976, 1981, 1982, 1983, 1988, 1991, 1998
  Colombo (Núcleo Bandeirante) 1 1971 2 1962, 1965
  CEUB (Brasília) 1 1973 1 1972
  Tiradentes (Ceilândia) 1 1988 1 1992
  Serviço Gráfico (Brasília) 1 1972 1 1971
  Cruzeiro do Sul (Cruzeiro) 1 1963 1 1967
  Pederneiras (Brasília) 1 1965 0
  Coenge (Gama) 1 1969 0
  Pioneira (Taguatinga) 1 1974 0
  Campineira (Brasília) 1 1975 0
  CFZ de Brasília (Brasília) 1 2002 0
  Atlético Taguatinga (Taguatinga) 0 2 1977, 2000
  Real (Núcleo Bandeirante) 0 2 1999, 2008
  Planalto (Gama) 0 1 1959
  Dínamo (Brasília) 0 1 1964
  Vila Matias (Brasília) 0 1 1966
  Civilsan (Brasília) 0 1 1970
  Relações Exteriores (Brasília) 0 1 1973
  Jaguar (Núcleo Bandeirante) 0 1 1974
  CSU (Brasília) 0 1 1975
  Botafogo-DF (Novo Gama (GO) 0 1 2007

Por Localidade

Localidade Campeão Vice
  Brasília 24 19
  Taguatinga 15 12
  Gama 13 8
  Núcleo Bandeirante 3 5
  Ceilândia 3 4
  Sobradinho 3 3
  Luziânia (GO) 2 2
  Guará 1 9
  Cruzeiro 1 1

Campeões consecutivos

Octacampeonatos

  • Gama: 1 vez (1994-95-96-97-98-99-00-01)

Hexacampeonatos

Tetracampeonatos

Tricampeonatos

Bicampeonatos

Artilheiros

Participações

Em negrito, os clubes participantes da edição de 2018

Clube Localidade Participações
Gama   Gama 43
Guará   Guará 39
Brasília   Brasília 36
Sobradinho   Sobradinho 36
Ceilândia   Ceilândia 34
Luziânia   Luziânia (GO) 24
Taguatinga   Taguatinga 23
Brasiliense   Taguatinga 18
Tiradentes   Ceilândia 17
Real   Núcleo Bandeirante 17

Participações no Campeonato Brasileiro

Clube Série A Série B Série C Série D
Total
(1959-2018)
R   Total
(1971-2018)
P   R   Total
(1981-2018)
P   R   Total
(2009-2018)
P  
  Brasília 7 3 3 0
  Gama 6 2 10 1 2 5 2 1 2
  CEUB 3 0 0 0
  Rabello 3 0 0 0
  Brasiliense 1 1 7 1 1 5 1 1 2
  Taguatinga 1 5 3 0
  Guará 1 3 2 0
  Sobradinho 1 3 1 1
  Cruzeiro do Sul 1 0 0 0
  Defelê 1 0 0 0
  Guanabara-DF 1 0 0 0
  Tiradentes-DF 0 2 1 3 0
  Ceilândia 0 1 4 5
  Atlético Taguatinga 0 1 0 0
  CFZ de Brasília 0 0 3 0
  Real 0 0 3 0
  Ceilandense 0 0 2 0
  Planaltina 0 0 2 0
  Luziânia 0 0 1 3
  Botafogo-DF 0 0 1 1
  Legião 0 0 1 0
  Paranoá 0 0 1 0
  Formosa 0 0 0 1

Status dos clubes no Campeonato Brasileiro de Futebol de 2017:

Clubes Licenciados ou Inativos

Ranking de Torcidas

Para medir as torcidas do Distrito Federal, a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) realizou uma pesquisa no mês de dezembro de 2014 no âmbito da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios do Distrito Federal.[9] A pesquisa contou com uma amostra de 24.892 domicílios em todas as 31 regiões administrativas do Distrito Federal. De acordo com o levantamento, apenas 5,9% da população do Distrito Federal torce para uma equipe local[10] Dois clubes, Brasiliense e Gama, mobilizam nada menos que 73,2% da torcida dos clubes locais, aparecendo o Gama em primeiro lugar, com 45,0% das preferências e o Brasiliense com 28,2%.

As torcidas locais, no entanto, são pequenas se comparadas às torcidas de times de fora. O Gama, maior torcida local, é apenas a 9ª torcida no cômputo geral, abaixo de Flamengo, Vasco, Corinthians, São Paulo, Botafogo, Fluminense, Palmeiras e Cruzeiro. O Flamengo é a maior torcida com mais da metade dos torcedores.

Ver também

Referências