Abrir menu principal

Campeonato Catarinense de Futebol de 2016 - Série A

Campeonato Catarinense de 2016 - Série A
Catarinense Havan 2016
Dados
Participantes 10
Organização FCF
Anfitrião Santa Catarina
Período 30 de janeiro8 de maio
Gol(o)s 246
Partidas 92
Média 2,67 gol(o)s por partida
Campeão Chapecoense (5º título)
Vice-campeão Joinville
Rebaixado(s) Camboriú
Guarani de Palhoça
Melhor marcador Bruno Rangel (Chapecoense) – 10 gols
Melhor ataque (fase inicial) Chapecoense – 35 gols
Melhor defesa (fase inicial) Figueirense – 16 gols
Maiores goleadas
(diferença)
Camboriú 6–1 Guarani de Palhoça
Estádio RobertãoCamboriú
2 de março
 
Criciúma 5–0 Inter de Lages
Estádio Heriberto HülseCriciúma
21 de março
 
Criciúma 5–0 Camboriú
Estádio Heriberto HülseCriciúma
9 de abril
Público 263 267
Média 2 861,6 pessoas por partida
◄◄ 2015 Soccerball.svg 2017 ►►

O Campeonato Catarinense de Futebol de 2016 da Série A, ou Catarinense Havan 2016,[1] por motivos de patrocínio, foi a 91ª edição da principal divisão do futebol catarinense. O campeonato foi disputado por dez equipes no sistema de pontos corridos, com os campeões de turno e returno fazendo o confronto final em partidas de ida e volta. Os pontos serão zerados ao final do turno e, caso a mesma equipe conquistasse o turno e o returno, seria campeã sem a disputa de final.[2]

A Chapecoense sagrou-se campeã depois de 4 anos da sua última conquista. No jogo de ida, a Chapecoense venceu a partida contra o Joinville por 1–0, na Arena Joinville. No jogo de volta, na Arena Condá, o Joinville saiu na frente com gol de Diego Felipe, mas no segundo tempo Bruno Rangel empatou a partida em 1–1.[3]

Junto com a Chapecoense e com o Joinville, Criciúma e Figueirense classificaram-se para a Copa do Brasil de 2017. Para a Série D de 2017, classificaram-se o Brusque, Metropolitano e o Inter de Lages. As equipes do Guarani de Palhoça e Camboriú tiveram as piores campanhas e foram rebaixados á Série B de 2017.[4]

RegulamentoEditar

Diferentemente da fórmula de disputa adotada na edição de 2015, a competição foi disputada em três fases: turno, returno e final.

A primeira fase (turno), foi disputada entre 30 de janeiro e 3 de março, as dez equipes jogarão entre si em nove rodadas e o primeiro colocado na tabela de classificação garante uma vaga na final. A segunda fase (returno), que foi disputada entre 6 de março e 24 de abril, ocorreu da mesma maneira, com a única diferença da inversão dos mandos de campo em relação à primeira fase. Da mesma forma, o primeiro colocado do segundo turno disputará a final. Caso a mesma equipe vencesse os dois turnos, ela seria automaticamente declarada campeã, sem a necessidade de disputa da final.

As equipes que não disputarem a final do Campeonato Catarinense (de 3º a 10º - ou de 2º a 10º caso a mesma equipe vença os dois turnos) terão sua classificação determinada por meio de todos os jogos das duas primeiras fases (turno e returno) agregados. Os quatro primeiros colocados disputarão a Copa do Brasil de 2017. Os três melhores colocados que não disputam alguma divisão do Campeonato Brasileiro garantirão uma vaga na Série D de 2016 e Série D de 2017. Os dois últimos colocados serão rebaixados para a Série B de 2017.[5]

 
Logo alternativo do Campeonato Catarinense de 2016, sem o patrocinador.

Critérios de desempateEditar

Em caso de empate por pontos entre dois ou mais clubes, os critérios de desempate são aplicados na seguinte ordem:

  1. Número de vitórias;
  2. Saldo de gols;
  3. Gols pró;
  4. Confronto direto;
  5. Menor número de cartões vermelhos;
  6. Menor número de cartões amarelos;
  7. Sorteio.

Com relação ao quarto critério (confronto direto), considera-se o resultado dos jogos somados, ou seja, o resultado de 180 minutos. Permanecendo o empate, o desempate se dará pelo maior número de gols marcados no campo do adversário. O quarto critério não será considerado no caso de empate entre mais de dois clubes.

Equipes participantesEditar

EstádiosEditar

Chapecoense Joinville Criciúma Avaí
Arena Condá Arena Joinville Heriberto Hülse Ressacada
Capacidade: 20 089 Capacidade: 20 160 Capacidade: 19 900 Capacidade: 17 826
       
Figueirense
Localização dos times no estado.
Camboriú
Orlando Scarpelli Estádio Robertão
Capacidade: 19 584 Capacidade: 3 300
   
Brusque Inter de Lages
Augusto Bauer Vidal Ramos Júnior
Capacidade: 5 000 Capacidade: 7 720
   
Guarani de Palhoça Metropolitano
Renato Silveira João Marcatto
Capacidade: 3 000 Capacidade: 10 000
   

Primeira fase (turno)Editar

 Ver artigo principal: Resultados da primeira fase

Segunda fase (returno)Editar

 Ver artigo principal: Resultados da segunda fase

FinalEditar

Jogo de ida
1º de maio Joinville   0 – 1   Chapecoense Arena Joinville, Joinville
16:00
Súmula Ananias   82' Público: 11 576
Renda: R$ 207.658,65
Árbitro:  SC Héber Roberto Lopes
Jogo de volta
8 de maio Chapecoense   1 – 1   Joinville Arena Condá, Chapecó
16:00
Bruno Rangel   68' Súmula Diego Felipe   41' Público: 15 279
Renda: R$ 294.920,00
Árbitro:  SC Sandro Meira Ricci

PremiaçãoEditar

Campeonato Catarinense de 2016
 
Chapecoense
Campeão
(5º título)

Classificação geralEditar

Pos Times Pts J V E D GP GC SG % Classificação ou Rebaixamento
1   Chapecoense 41 20 12 5 3 35 18 +17 68,33 Campeão e classificado para a Copa do Brasil de 2017
2   Joinville 32 20 8 8 4 25 19 +6 53,33 Vice-campeão e classificado para a Copa do Brasil de 2017
3   Criciúma 32 18 10 2 6 31 17 +14 59,26 Classificados para a Copa do Brasil de 2017
4   Figueirense 26 18 7 5 6 20 16 +4 48,15
5   Brusque[nota 3] 24 18 6 6 6 23 26 –3 44,44 Classificados para a Série D de 2016 e Série D de 2017
6   Inter de Lages 23 18 6 5 7 25 28 –3 42,59
7   Metropolitano 22 18 6 4 8 22 31 –9 40,74
8   Avaí 20 18 6 2 10 17 24 –7 37,04
9   Guarani de Palhoça 17 18 4 5 9 24 33 –9 31,48 Rebaixados à Série B de 2017
10   Camboriú 15 18 3 6 9 24 34 –10 27,78

EstatísticasEditar

ArtilhariaEditar

Hat-tricksEditar

Jogador Clube Adversário Placar Data Ref.
  Aldair Camboriú Guarani de Palhoça 6–1 2 de março [9]
  Bruno Rangel Chapecoense Avaí 4–0 20 de março [10]
  Élvis Criciúma Inter de Lages 5–0 21 de março [11]

Maiores públicosEditar

Estes são os dez maiores públicos do Campeonato:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada
1 15 279 Chapecoense   1–1   Joinville Arena Condá 8 de Maio Final (Jogo 2)
2 11 576 Joinville   0–1   Chapecoense Arena Joinville 1º de Maio Final (Jogo 1)
3 11 021 Figueirense   1–0   Avaí Orlando Scarpelli 10 de abril 7ª (Returno)
4 8 842 Chapecoense   4–0   Camboriú Arena Condá 12 de março 2ª (Returno)
5 8 426 Avaí   1–0   Figueirense Ressacada 25 de fevereiro 7ª (Turno)
6 7 582 Figueirense   1–1   Chapecoense Orlando Scarpelli 2 de abril 6ª (Returno)
7 7 397 Avaí   0–2   Criciúma Ressacada 5 de março 1ª (Returno)
8 6 699 Chapecoense   4–0   Avaí Arena Condá 20 de março 4ª (Returno)
9 6 553 Joinville   1–0   Camboriú Arena Joinville 3 de abril 6ª (Returno)
10 5 924 Chapecoense   1–0   Figueirense Arena Condá 21 de fevereiro 6ª (Turno)

Menores públicosEditar

Estes são os dez menores públicos do Campeonato:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada
1 36 Guarani de Palhoça   3–2   Camboriú Renato Silveira 23 de abril 9ª (Returno)
2 153 Metropolitano   2–1   Criciúma João Marcatto 20 de abril 8ª (Returno)
3 184 Metropolitano   0–1   Figueirense João Marcatto 3 de março 9ª (Turno)
4 187 Guarani de Palhoça   2–3   Metropolitano Renato Silveira 14 de fevereiro 5ª (Turno)
5 194 Metropolitano   2–2   Guarani de Palhoça João Marcatto 27 de março 5ª (Returno)
6 217 Guarani de Palhoça   3–1   Inter de Lages Renato Silveira 13 de março 2ª (Returno)
7 224 Guarani de Palhoça   2–1   Criciúma Renato Silveira 1º de abril 6ª (Returno)
8 259 Guarani de Palhoça   4–2   Brusque Renato Silveira 8 de abril 7ª (Returno)
9 333 Metropolitano   4–1   Avaí João Marcatto 13 de março 2ª (Returno)
10 348 Camboriú   6–1   Guarani de Palhoça Estádio Robertão 2 de março 9ª (Turno)

Média de públicoEditar

Estas são as médias de público dos clubes no Campeonato. Considera-se apenas os jogos da equipe como mandante:

Pos. Time Média Total Mandos Maior Menor
1   Chapecoense 6 639 66 390 10 15 279 3 307
2   Joinville 5 282 52 823 10 11 576 2 079
3   Figueirense 4 762 42 858 9 11 021 1 405
4   Avaí 3 533 31 797 9 8 426 1 476
5   Criciúma 3 176 28 584 9 4 432 1 495
6   Inter de Lages 1 598 14 382 9 3 020 706
7   Brusque 1 352 12 168 9 2 719 413
8   Camboriú 586 5 274 9 1 103 348
9   Metropolitano 507 4 563 9 898 184
10   Guarani de Palhoça 492 4 428 9 1 565 36

Seleção do CampeonatoEditar

Ver tambémEditar

Notas e referências

Notas

  1. A princípio, o 9º colocado no Catarinense de 2015 seria rebaixado à segunda divisão. Entretanto, o Atlético de Ibirama, 8º colocado, pediu licença da competição junto à Federação Catarinense de Futebol e o Guarani se manteve na primeira divisão.[7]
  2. O Metropolitano utilizou o Estádio João Marcatto em Jaraguá do Sul, o estádio Monumental do SESI, ficou fechado por conta das obras na pista de atletismo, que visaram a preparação do complexo para ser um centro de treinamento da Olimpíada do Rio.[8]
  3. Conforme o regulamento da competição, apenas os quatro primeiros colocados ganhariam uma vaga para a Copa do Brasil de 2017, porém com a classificação da Chapecoense para a Copa Libertadores da América de 2017 via Copa Sul-Americana de 2016, o clube ganhou o direito de começar a disputar a Copa do Brasil de 2017 a partir das oitavas de final, por este motivo, abriu uma vaga a mais. Portanto, o Brusque, 5º colocado da competição, também ganhou o direito de disputar a Copa do Brasil de 2017.

Referências

  1. «Havan é a patrocinadora oficial do Catarinense 2016». 17 de fevereiro de 2016. Consultado em 5 de dezembro de 2017 
  2. «FCF publica Regulamento Geral 2016» 
  3. «Chapecoense fatura bicampeonato do Catarinense mesmo com derrota para o Avaí na Arena Condá». DC. 7 de maio de 2017. Consultado em 10 de outubro de 2017 
  4. «Almirante Barroso e Metropolitano são os rebaixados no Catarinense 2017». ND Online. 23 de abril de 2017. Consultado em 12 de outubro de 2017 
  5. «CAMPEONATO CATARINENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL DA SÉRIE "A" DE 2016 - REGULAMENTO ESPECÍFICO» (PDF). Federação Catarinense de Futebol. 16 de dezembro de 2015. Consultado em 29 de dezembro de 2015 
  6. «Cadastro Nacional de Estádios de Futebol» (PDF). CBF. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  7. «Catarinense: Guarani de Palhoça herda vaga na elite e apresenta técnico» 
  8. «Metropolitano acerta hoje os últimos detalhes para o aluguel do Estádio João Marcatto em 2016». Rádio Nereu Ramos. 12 de novembro de 2015. Consultado em 12 de abril de 2019 
  9. «Em jogo de golaços, Tigre empata em casa na última bola com o Brusque: 4 a 4». Globo Esporte. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  10. «Com hat-trick de Girotto, Chape goleia o Tubarão». Site da Chapecoense. 19 de março de 2017. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  11. «Com hat-trick de Rentería, Tubarão goleia Inter de Lages». Globo Esporte. Consultado em 17 de outubro de 2017 
  12. «Top da Bola premia os destaques do Campeonato Catarinense 2017». DC. 24 de maio de 2017. Consultado em 19 de outubro de 2017 

Ligações externasEditar