Abrir menu principal

Campeonato Paulista de Futebol de 1971

Campeonato Paulista de Futebol de 1971
Campeonato Paulista da Divisão Especial de 1971
Dados
Participantes 17
Organização FPF
Período 27 de fevereiro[1] – 27 de junho[2]
Gol(o)s 132
Partidas 248
Média 0,53 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo (10º título)
Vice-campeão Palmeiras
Melhor marcador César Maluco – 18 gols
◄◄ São Paulo 1970 Soccerball.svg 1972 São Paulo ►►

O Campeonato Paulista de Futebol de 1971 foi a 70.ª edição do torneio, promovida pela Federação Paulista de Futebol, e teve o São Paulo como campeão e César Maluco, do Palmeiras, como artilheiro, com dezoito gols. [3]

Índice

RegulamentoEditar

Igual ao do ano anterior:

Primeira fase: Dos dezessete times da Primeira Divisão, os seis que disputaram o Robertão de 1970 só entraram na segunda fase. Os demais onze clubes jogaram entre si em turno e returno, com pontos corridos, em uma fase que ficou conhecida como "Paulistinha". Os seis primeiros colocados do Paulistinha classificaram-se para a segunda fase.[4]

Segunda fase: Os seis classificados do Paulistinha se juntaram aos seis times automaticamente classificados à segunda fase, disputando um torneio em pontos corridos, com turno e returno. A equipe com mais pontos ao fim dos turnos sagrou-se campeã. Havendo empate na primeira posição em número de pontos, haveria um jogo-desempate.

Rebaixamento: Assim como no ano anterior, não houve rebaixamento dos últimos colocados à Segunda Divisão.

Disputa do títuloEditar

Os cinco maiores times do estado, Corinthians, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo destacaram-se na disputa pelo título a partir do segundo turno.

O São Paulo de Gérson, Pedro Rocha e Pablo Forlán, defensor do título, tinha o melhor time do estado no momento (tanto que acabaria vice-campeão brasileiro na temporada) e, com uma campanha mais regular, manteve a liderança na metade final do returno. No entanto, os outros quatro grandes do estado mantiveram-se na perseguição, que ficou mais emocionante com a vitória do Corinthians de Rivelino sobre o líder nas últimas rodadas.

Porém, na sequência, o Santos de Pelé, Carlos Alberto Torres e Clodoaldo, que precisaria vencer todos os seus quatro jogos e torcer para que o São Paulo não pontuasse mais, apenas empatou com a Portuguesa e foi eliminado da disputa. Em seu antepenúltimo jogo, o São Paulo foi até Jundiaí e venceu o Paulista por 3 a 2, eliminando Corinthians e Portuguesa da disputa.

Restara apenas o Palmeiras de Ademir da Guia, Leão e Luís Pereira, com 28 pontos, podendo chegar a 36, contra o líder São Paulo, com 30 pontos, podendo chegar também a 36, sendo que ambos iriam se enfrentar justamente na última rodada. O Corinthians ainda atrapalhou o Palmeiras, ao segurar um empate prejudicial ao arqui-inimigo. Na sequência, o Palmeiras venceu o São Bento e a Ferroviária, chegando a 33 pontos, enquanto o São Paulo derrotava a Portuguesa, chegando ao jogo final contra o Palmeiras com um ponto a mais e precisando de um empate para sagrar-se campeão.

A decisão foi marcada pela polêmica. O São Paulo fez 1 a 0 com Toninho Guerreiro, e o Palmeiras precisaria virar o jogo. No segundo tempo, Leivinha empatou, mas o juiz Armando Marques anulou o gol legítimo, alegando toque de mão. Porém, mesmo o empate seria insuficiente ao Palmeiras, e o São Paulo sagrou-se bicampeão paulista.

Campanha do campeãoEditar

Primeiro turno

28 de fevereiro: São Paulo 3-1 Juventus
7 de março: Portuguesa de Desportos 3-2 São Paulo
12 de março: São Paulo 4-2 Paulista
21 de março: São Paulo 2-1 Palmeiras
28 de março: Ferroviária 1-2 São Paulo
31 de março: São Paulo 1-0 Ponte Preta
4 de abril: Corinthians 1-1 São Paulo
10 de abril: São Bento (Sorocaba) 1-3 São Paulo
17 de abril: São Paulo 1-0 Botafogo (Ribeirão Preto)
21 de abril: Santos 1-0 São Paulo
25 de abril: Guarani 0-1 São Paulo

Segundo turno

1 de maio: Juventus 0-1 São Paulo
8 de maio: São Paulo 2-0 Guarani
16 de maio: São Paulo 0-0 Santos
23 de maio: Botafogo (Ribeirão Preto) 1-2 São Paulo
26 de maio: São Paulo 3-0 São Bento (Sorocaba)
30 de maio: Ponte Preta 0-1 São Paulo
2 de junho: São Paulo 2-1 Ferroviária
6 de junho: Corinthians 1-0 São Paulo
12 de junho: Paulista 2-3 São Paulo
19 de junho: São Paulo 4-1 Portuguesa de Desportos
27 de junho: Palmeiras 0-1 São Paulo

Jogo do títuloEditar

27 de junho de 1971 Palmeiras 0–1[5] São Paulo Morumbi, São Paulo, SP
16 horas
  Histórico
Ficha técnica Toninho Guerreiro   5' do 1.º Público: 103 887 (115 435 presentes)
Renda: Cr$ 913 196 (recorde na época)
Árbitro: Armando Marques

Palmeiras: Leão; Eurico, Luís Pereira, Minuca e Dé; Dudu e Ademir da Guia; Edu, Leivinha, César Maluco e Pio (Fedato). Técnico: Mário Travaglini.

Campeão Paulista de 1971
 
SÃO PAULO
(10º título)

Classificação final[6]Editar

Grupo A
Pos. Time PG J V E D GP GC SG
1 São Paulo 36 22 17 2 3 39 17 22
2 Palmeiras 33 22 15 3 4 55 22 33
3 Corinthians 28 22 10 8 4 36 21 15
4 Santos 28 22 10 8 4 29 23 6
5 Portuguesa 28 22 12 4 6 40 28 12
6 Ponte Preta 22 22 9 4 9 22 19 3
7 Ferroviária 22 22 7 8 7 31 29 2
8 Guarani 19 22 5 9 8 22 29 -7
9 Juventus 16 22 6 4 12 21 36 -15
10 Botafogo-SP 13 22 3 7 12 19 38 -19
11 Paulista 11 22 3 5 14 19 37 -18
12 São Bento 8 22 2 4 16 14 48 -34

Referências

  1. «Tabelão». Placar (51). São Paulo: Editora Abril. 5 de março de 1971. 38 páginas. ISSN 0104-1762. Consultado em 20 de novembro de 2016. 
  2. «Tabelão». Placar (68). São Paulo: Editora Abril. 2 de julho de 1971. 37 páginas. ISSN 0104-1762. Consultado em 20 de novembro de 2016. 
  3. Futpédia. «Campeonato Paulista 1971». Consultado em 25 de março de 2013. 
  4. http://futpedia.globo.com/campeonato/campeonato-paulista/1971
  5. «O São Paulo venceu a última batalha». Folha de São Paulo, primeiro caderno - página 11. Consultado em 25 de outubro de 2017. 
  6. http://www.rsssfbrasil.com/tablessz/sp1971.htm