Abrir menu principal

Wikipédia β

Campeonato Paulista de Futebol de 1971

O Campeonato Paulista de Futebol de 1971 foi a 70.ª edição do torneio, promovida pela Federação Paulista de Futebol, e teve o São Paulo como campeão e César Maluco, do Palmeiras, como artilheiro, com dezoito gols. [3]

Campeonato Paulista de Futebol de 1971
Campeonato Paulista da Divisão Especial de 1971
Dados
Participantes 18
Organização FPF
Período 27 de fevereiro[1] – 27 de junho[2]
Gol(o)s 132
Partidas 248
Média 0,53 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo (10º título)
Vice-campeão Palmeiras
Melhor marcador César Maluco – 18 gols
◄◄ São Paulo 1970 Soccerball.svg 1972 São Paulo ►►

Índice

RegulamentoEditar

Igual ao do ano anterior:

Primeira fase: Dos dezessete times da Primeira Divisão, os seis que disputaram o Robertão de 1970 só entraram na segunda fase. Os demais onze clubes jogaram entre si em turno e returno, com pontos corridos, em uma fase que ficou conhecida como "Paulistinha". Os seis primeiros colocados do Paulistinha classificaram-se para a segunda fase.[4]

Segunda fase: Os seis classificados do Paulistinha se juntaram aos seis times automaticamente classificados à segunda fase, disputando um torneio em pontos corridos, com turno e returno. A equipe com mais pontos ao fim dos turnos sagrou-se campeã. Havendo empate na primeira posição em número de pontos, haveria um jogo-desempate.

Rebaixamento: Assim como no ano anterior, não houve rebaixamento dos últimos colocados à Segunda Divisão.

Disputa do títuloEditar

Os cinco maiores times do estado, Corinthians, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo destacaram-se na disputa pelo título a partir do segundo turno.

O São Paulo de Gérson, Pedro Rocha e Pablo Forlán, defensor do título, tinha o melhor time do estado no momento (tanto que acabaria vice-campeão brasileiro na temporada) e, com uma campanha mais regular, manteve a liderança na metade final do returno. No entanto, os outros quatro grandes do estado mantiveram-se na perseguição, que ficou mais emocionante com a vitória do Corinthians de Rivelino sobre o líder nas últimas rodadas.

Porém, na sequência, o Santos de Pelé, Carlos Alberto Torres e Clodoaldo, que precisaria vencer todos os seus quatro jogos e torcer para que o São Paulo não pontuasse mais, apenas empatou com a Portuguesa e foi eliminado da disputa. Em seu antepenúltimo jogo, o São Paulo foi até Jundiaí e venceu o Paulista por 3 a 2, eliminando Corinthians e Portuguesa da disputa.

Restara apenas o Palmeiras de Ademir da Guia, Leão e Luís Pereira, com 28 pontos, podendo chegar a 36, contra o líder São Paulo, com 30 pontos, podendo chegar também a 36, sendo que ambos iriam se enfrentar justamente na última rodada. O Corinthians ainda atrapalhou o Palmeiras, ao segurar um empate prejudicial ao arqui-inimigo. Na sequência, o Palmeiras venceu o São Bento e a Ferroviária, chegando a 33 pontos, enquanto o São Paulo derrotava a Portuguesa, chegando ao jogo final contra o Palmeiras com um ponto a mais e precisando de um empate para sagrar-se campeão.

A decisão foi marcada pela polêmica. O São Paulo fez 1 a 0 com Toninho Guerreiro, e o Palmeiras precisaria virar o jogo. No segundo tempo, Leivinha empatou, mas o juiz Armando Marques anulou o gol legítimo, alegando toque de mão. Porém, mesmo o empate seria insuficiente ao Palmeiras, e o São Paulo sagrou-se bicampeão paulista.

Campanha do campeãoEditar

Primeiro turno

28 de fevereiro: São Paulo 3-1 Juventus
7 de março: Portuguesa de Desportos 3-2 São Paulo
12 de março: São Paulo 4-2 Paulista
21 de março: São Paulo 2-1 Palmeiras
28 de março: Ferroviária 1-2 São Paulo
31 de março: São Paulo 1-0 Ponte Preta
4 de abril: Corinthians 1-1 São Paulo
10 de abril: São Bento (Sorocaba) 1-3 São Paulo
17 de abril: São Paulo 1-0 Botafogo (Ribeirão Preto)
21 de abril: Santos 1-0 São Paulo
25 de abril: Guarani 0-1 São Paulo

Segundo turno

1 de maio: Juventus 0-1 São Paulo
8 de maio: São Paulo 2-0 Guarani
16 de maio: São Paulo 0-0 Santos
23 de maio: Botafogo (Ribeirão Preto) 1-2 São Paulo
26 de maio: São Paulo 3-0 São Bento (Sorocaba)
30 de maio: Ponte Preta 0-1 São Paulo
2 de junho: São Paulo 2-1 Ferroviária
6 de junho: Corinthians 1-0 São Paulo
12 de junho: Paulista 2-3 São Paulo
19 de junho: São Paulo 4-1 Portuguesa de Desportos
27 de junho: Palmeiras 0-1 São Paulo

Jogo do títuloEditar

27 de junho de 1971 Palmeiras 0–1[5] São Paulo Morumbi, São Paulo, SP
16 horas
  Histórico
Ficha técnica Toninho Guerreiro   5' do 1.º Público: 103 887 (115 435 presentes)
Renda: Cr$ 913 196 (recorde na época)
Árbitro: Armando Marques

Palmeiras: Leão; Eurico, Luís Pereira, Minuca e Dé; Dudu e Ademir da Guia; Edu, Leivinha, César Maluco e Pio (Fedato). Técnico: Mário Travaglini.

Campeão Paulista de 1971
 
SÃO PAULO
(10º título)

Classificação final[6]Editar

Grupo A
Pos. Time PG J V E D GP GC SG
1 São Paulo 36 22 17 2 3 39 17 22
2 Palmeiras 33 22 15 3 4 55 22 33
3 Corinthians 28 22 10 8 4 36 21 15
4 Santos 28 22 10 8 4 29 23 6
5 Portuguesa 28 22 12 4 6 40 28 12
6 Ponte Preta 22 22 9 4 9 22 19 3
7 Ferroviária 22 22 7 8 7 31 29 2
8 Guarani 19 22 5 9 8 22 29 -7
9 Juventus 16 22 6 4 12 21 36 -15
10 Botafogo-SP 13 22 3 7 12 19 38 -19
11 Paulista 11 22 3 5 14 19 37 -18
12 São Bento 8 22 2 4 16 14 48 -34

Referências

  1. «Tabelão». Placar (51). São Paulo: Editora Abril. 5 de março de 1971. 38 páginas. ISSN 0104-1762. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  2. «Tabelão». Placar (68). São Paulo: Editora Abril. 2 de julho de 1971. 37 páginas. ISSN 0104-1762. Consultado em 20 de novembro de 2016 
  3. Futpédia. «Campeonato Paulista 1971». Consultado em 25 de março de 2013 
  4. http://futpedia.globo.com/campeonato/campeonato-paulista/1971
  5. «O São Paulo venceu a última batalha». Folha de São Paulo, primeiro caderno - página 11. Consultado em 25 de outubro de 2017 
  6. http://www.rsssfbrasil.com/tablessz/sp1971.htm