Abrir menu principal

Campeonato Paulista de Futebol de 1998

Campeonato Paulista de Futebol de 1998
Campeonato Paulista de Futebol Profissional da Série A-1 de 1998
Dados
Participantes 16
Período 18 de janeiro – 10 de maio
Gol(o)s 480
Partidas 138
Média 3,48 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo (19º título)
Vice-campeão Corinthians
Melhor marcador França (São Paulo) - 12 gols
◄◄ São Paulo 1997 Soccerball.svg 1999 São Paulo ►►

O Campeonato Paulista de Futebol de 1998 foi a 97.ª edição da competição, promovida pela Federação Paulista de Futebol. O São Paulo foi o campeão, e França, do mesmo São Paulo, o artilheiro, com doze gols.

Índice

ParticipantesEditar

RegulamentoEditar

Na primeira fase, doze equipes, divididas em dois grupos com seis clubes cada, disputaram partidas em turno e returno dentro de cada chave. Os quatro melhores de cada grupo juntaram-se, na segunda fase, a Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, que estavam jogando o Torneio Rio-São Paulo. Os doze clubes remanescentes foram novamente divididos em duas chaves com seis times cada, jogando partidas em turno e returno dentro de cada grupo. Os dois melhores de cada grupo classificaram-se para as semifinais, disputadas em jogos de ida e volta. Os vencedores de cada semifinal enfrentaram-se nas finais, também em duas partidas. Os quatro clubes eliminados na primeira fase disputaram um quadrangular, conhecido como "Torneio da Morte". O último colocado desse grupo foi rebaixado à Série A2 em 1999.

Numa tentativa de atrair o público, o campeonato teve shows, sorteios de carros e até cheerleaders.[1] As rendas de todas as partidas foram previamente vendidas para a empresa VR (do ramo de vales-refeição), que pagou 41 milhões de reais, garantindo uma cota mínima em cada jogo para os clubes.[1] Assim, a VR não permitia a divulgação das rendas das partidas, embora os clubes já soubessem por antecedência quanto iriam ganhar.[1] O público pagante seguiu sendo divulgado, porém, em diversas partidas disputadas em estádios no interior, o total anunciado era sempre de seis mil pagantes, o mínimo exigido para que os clubes recebessem a cota.[2]

Primeira faseEditar

Classificação final
Grupo 1
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Ituano 19 10 6 1 3 27 15 12
2 São José 18 10 6 0 4 18 17 1
3 Portuguesa 14 10 4 2 4 19 18 1
4 União São João 14 10 4 2 4 14 18 -4
5 Portuguesa Santista 13 10 4 1 5 18 22 -4
6 Juventus 9 10 3 0 7 18 24 -6
Grupo 2
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Rio Branco 17 10 5 2 3 18 13 5
2 Guarani 16 10 4 4 2 16 13 3
3 Mogi Mirim 14 10 4 2 4 22 16 6
4 Matonense 14 10 4 2 4 17 21 -4
5 Internacional 13 10 3 4 3 15 16 -1
6 Araçatuba 7 10 1 4 5 12 21 -9
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols

Segunda faseEditar

Após uma fase pré-classificatória apenas com times menores, os quatro grandes do futebol paulista entraram na disputa a partir da segunda fase. Divididos em dois grupos, o Trio de Ferro classificou-se para as semifinais sem maiores problemas. A surpresa foi o Santos, eliminado pela Portuguesa de Desportos.

Classificação final
Grupo 1
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Corinthians 20 10 5 5 0 18 10 8
2 Palmeiras 19 10 5 4 1 20 17 3
3 Guarani 17 10 5 2 3 19 14 5
4 Ituano 12 10 3 3 4 14 14 0
5 Mogi Mirim 10 10 3 1 6 18 19 -1
6 União São João 4 10 1 1 8 7 22 -15
Grupo 2
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 São Paulo 25 10 8 1 1 31 10 21
2 Portuguesa 18 10 5 3 2 20 13 7
3 Santos 14 10 4 2 4 23 14 9
4 Matonense 13 10 4 1 5 18 21 -3
5 Rio Branco 11 10 3 2 5 16 29 -13
6 São José 3 10 0 3 7 9 30 -21
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols

Torneio da MorteEditar

Os quatro clubes eliminados na primeira fase disputaram um quadrangular para decidir o clube rebaixado à Série A2 em 1999. O Juventus ficou em último lugar e foi rebaixado.

Classificação final
Torneio da Morte
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Internacional 11 6 3 2 1 10 8 2
2 Araçatuba 10 6 3 1 2 6 3 3
3 Portuguesa Santista 8 6 2 2 2 7 8 -1
4 Juventus 4 6 1 1 4 8 12 -4
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols

SemifinaisEditar

Em uma das semifinais, o São Paulo classificou-se para a final sem maiores problemas, vencendo ambos os jogos contra o Palmeiras de Luís Felipe Scolari, Alex, Zinho, Paulo Nunes e Oséas, pelos placares de 2 a 1 e 3 a 1.

Na outra semifinal, o Corinthians, com melhor campanha, jogava por dois resultados iguais. Após um empate por 1 a 1 na primeira partida, a Portuguesa de Leandro, César e Émerson precisava vencer o jogo de volta para se classificar à final. Em desvantagem no placar por duas vezes, o Corinthians empatou o jogo com dois gols em pênaltis duvidosos, assinalados pelo árbitro argentino Javier Castrilli. O último (e mais polêmico dos dois pênaltis) saiu quase no fim da partida. O zagueiro César, da Portuguesa, afastou a bola com o peito, mas Castrilli argumentou que ele havia tocado intencionalmente com o braço, para desespero dos jogadores da Lusa, que cercaram o árbitro. Freddy Rincón converteu em seguida. O Corinthians empatou o clássico em 2 a 2 e foi às finais, enquanto os repórteres entrevistavam o zagueiro lusitano, que chorava copiosamente.

Data Placar
19 de abril Portuguesa 1×1 Corinthians
26 de abril Corinthians 2×2 Portuguesa
19 de abril Palmeiras 1×2 São Paulo
26 de abril São Paulo 3×1 Palmeiras

FinaisEditar

As finais foram disputadas no Morumbi, com o São Paulo precisando de dois resultados iguais para ser campeão. O Corinthians de Vanderlei Luxemburgo, Marcelinho Carioca, Gamarra, Vampeta e Rincón venceu a primeira partida por 2 a 1, adquirindo a vantagem de precisar de apenas um empate na finalíssima.

O último grande reboliço do campeonato foi a contratação de Raí, pelo São Paulo, para o jogo de volta. Como o regulamento era omisso, o clube pôde inscrevê-lo para disputar apenas uma partida, justo a grande final.

O Tricolor precisava de uma vitória simples para ser campeão. Liderado por Raí, Rogério Ceni, França, Serginho, Carlos Miguel e Denílson, o time impôs-se e terminou o primeiro tempo vencendo por 1 a 0, gol de Raí em sua reestreia. Após o intervalo, Didi empatou para o Corinthians, colocando o Timão próximo do bicampeonato, novamente em cima do São Paulo, como no ano anterior. Mas Raí lançou França, que fez 2 a 1. No fim da partida, França marcou 3 a 1 pro São Paulo e definiu o 19º paulista do clube.

Jogo de idaEditar

3 de maio de 1998 Corinthians 2–1 São Paulo Morumbi, São Paulo, SP
16 horas
  Histórico
Marcelinho Carioca   24'
Cris   67'
Ficha Fabiano   36' Público: 79 972
Árbitro: David Elleray (Inglaterra)

Corinthians: Nei, Rodrigo , Cris, Gamarra e Silvinho; Romeu, Vampeta, Rincón e Souza (Marcelinho Paulista); Marcelinho Carioca e Mirandinha (Didi, depois Célio Silva).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

São Paulo: Rogério Ceni, Zé Carlos, Capitão, Marcio Santos e Serginho; Alexandre Rotweiller, Gallo (Aristizábal), Fabiano e Denílson; França e Dodô.
Técnico: Nelsinho Baptista


Jogo de voltaEditar

10 de maio de 1998 São Paulo 3–1 Corinthians Morumbi, São Paulo, SP
16 horas
  Histórico
Raí   30'
França   57' e   82'
Ficha Didi   50' Público: 80 000
Árbitro: Sidrack Marinho

São Paulo: Rogério Ceni, Zé Carlos, Capitão, Márcio Santos (Bordon) e Serginho; Alexandre Rotweiller, Fabiano, Raí (Aristizábal) e Carlos Miguel (Gallo); França e Denílson.
Técnico: Nelsinho Baptista

Corinthians: Nei, Rodrigo (Didi), Cris, Gamarra e Silvinho; Romeu (Edílson), Vampeta, Souza (Marcelinho Paulista) e Rincón; Marcelinho Carioca e Mirandinha.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo



Campeão Paulista de 1998
 
SÃO PAULO
(19º título)

Referências

  1. a b c «Qual foi a renda?». Placar Tabelão 98 (2). São Paulo: Editora Abril. 17 de janeiro a 16 de fevereiro de 1998. 4 páginas. ISSN 0104-1762  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. «Campeonato Paulista». Placar Tabelão 98 (4). São Paulo: Editora Abril. 21 de março a 14 de abril de 1998. 5 páginas. ISSN 0104-1762  Verifique data em: |data= (ajuda)


  Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.