Abrir menu principal

Campeonato Pernambucano de Futebol - Série A2

Campeonato Pernambucano de Futebol - Série A2
Pernambucano - Série A2
Bandeira de Pernambuco.svg
Dados gerais
Organização Federação Pernambucana de Futebol (FPF)
Edições 24 (23 edições desde 1995)
Outros nomes Campeonato Pernambucano da Segunda divisão, Segundona Pernambucana
Local de disputa  Pernambuco,  Brasil
Número de equipes Varia conforme o ano
Sistema Pontos corridos, (Primeiro Fase) e seguido de Mata-Mata, (Segunda Fase)
Divisões
Série A1Série A2Série A3
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

O Campeonato Pernambucano de Futebol - Série A2 mais conhecido como Campeonato Pernambucano da Segunda Divisão ou simplesmente Pernambucano A2, é a competição profissional deste esporte no estado de Pernambuco. Organizada pela Federação Pernambucana de Futebol em 1977 e anualmente desde 1995, é o segundo nível do futebol profissional entre clubes de Pernambuco abaixo somente do Pernambucano - Série A1, a elite do futebol do estado, e acima do Pernambucano - Série A3, último nível do futebol do estado que retorna a ter três divisões.[1]

Disputado desde 1977 e anualmente sem interrupções desde 1995, tem como maiores campeões o Vera Cruz com três conquistas e o Petrolina, também com três conquistas e é o atual campeão, conquistando o título em 2018 de forma invicta contra o Centro Limoeirense no primeiro jogo um empate em 1 a 1, na grande decisão a Fera Sertaneja venceu pelo placar de 3 a 0.

HistóriaEditar

A segunda divisão do futebol de Pernambuco é um lugar para se descobrir novos talentos, que almejam uma carreira no mundo da bola e também a vitrine para muitos clubes do interior Pernambuco, poderem promover suas cidades sedes proporcionando uma movimentação turística e econômica. Clubes tradicionais do interior do estado que estão atualmente na elite profissional do futebol pernambucano como; Central de Caruaru, Salgueiro, Flamengo de Arcoverde, Afogados, Vitória das Tabocas e recentemente o Petrolina, já disputaram esta competição. Times das regiões metropolitanas do Recife, também já disputaram a segunda divisão. Cidades turísticas como; Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Caruaru, Garanhuns, Goiana, dentre outras cidades tanto do interior quanto cidades da Região Metropolitana do Recife, já tiveram ou tem notoriedade no cenário futebolístico tanto a nível estadual, quanto a nível nacional, proporcionando credibilidade turística e econômica gerando empregos e visibilidade de seus municípios.

InícioEditar

Dos anos 1977Editar

Pernambuco tem sido o (CELEIRO DE GRANDES PROMESSAS) do futebol de Pernambuco. Inicialmente, o campeonato foi desenvolvido em 1977 para que clubes que não estavam inscritos ou em condições na época, poderem ter um campeonato paralelo a primeira divisão, assim tinham datas jogáveis em seus calendários e tanto clubes quanto jogadores, poderiam continuar com suas atividades. Também visando atrair o futebol do Interior, a Federação Pernambucana de Desportos, criou o Campeonato Pernambucano da 2ª Divisão, em 1977. A competição contou com a participação de dez clubes e foi disputado entre 28 de agosto de 1977 a 09 de outubro do mesmo ano. No final, três equipes terminaram a competição empatadas com 14 pontos: Maguary, Ferroviário e União Peixe. Porém, no 1º critério de desempate, o União ficou na terceira colocação por ter cinco vitórias contra seis das duas outras equipes. Então no 2º critério de desempate deu Associação Atlética Maguary, clube do município de Bonito. O "Alvianil Bonitense", como era conhecido, terminou com um saldo de 10 gols contra nove do Ferroviário, dessa forma a equipe conquistou o inédito título e se tornou a primeira equipe campeã do certame. Apesar de ter o nome de Segunda Divisão, ela só promoveu seus campeões para a série A1 a partir da Série A2 de 1996. Entre 1999 a 2002, apesar de não ser a última divisão do estado de Pernambuco nesses anos, a Série A2 nunca rebaixou nenhuma equipe para a extinta Série A3, que na época era chamada de Copa do Interior das Ligas Municipais.

Século XXI e atualmenteEditar

Atualmente, a série A2, é uma competição voltada as equipes com elenco Sub-23 e com mesclas de jogadores acima dessa idade. Este formato é voltado para revelar novos talentos e não sobrecarregue a folha salarial de clubes com teto salario muito inferior. A rigorosidade da federação com os estádios utilizados na competição. Clubes que não desbebeção com as exigências da federação, tem seus estádios vetados e impossibilitados para o publico por motivos de segurança. A FPF exige que os clubes se adequem com antecedência para que se caso não possa ter condições de participar da competição possa ser substituídos ou que seja revisto o formato da competição. A cada inicio de ano, os clubes que queiram participar da competição, se reúnem com o presidente e com o secretario de competições, para decidir o formato e como será realizado o torneio.

Formato da competiçãoEditar

Assim como na primeira divisão e como em outros estaduais, como o Campeonato Paulista ou Campeonato Carioca, o formato de disputa é dividido em duas fase. Na primeira fase, os times são divididos em grupos classificatórios onde os melhores clubes avançam para a fase seguinte. O número de equipes classificadas, varia conforme o número de equipes participantes e a formato aprovado aprovado pelos clubes em reunião com a direção de competições da FPF. Na segunda fase, as equipes classificadas jogam o resto do campeonato num sistema eliminatório de mata-mata em dois jogos de ida e volta até a final, onde as duas ultimas equipes disputarão o título e o campeão e o vice ganharão o direito de jogarem na elite do futebol pernambucano.

Desde 2017, a competição teve um formato diferente aos anos anteriores, onde só o campeão será promovido.[2] Devido ao calendário do futebol brasileiro ter poucas datas disponíveis e as datas FIFA e visando se adequar a atual realidade do calendário nacional, cujo números de datas vem se reduzindo para a realização dos Campeonatos Estaduais, nos anos de 2017 e 2018, apenas o Campeão do Pernambucano A2, esteve classificado para o Pernambucano da Série A1 — 2019, esta decisão foi decidida em reunia com os clubes participantes da série A2 e com o presidente da federação Evandro Carvalho e com o diretor de competições Murilo Falcão.

A série A2 não tem rebaixamento desde 2002, sendo considerada como último nível do estadual, mas com a reformulação da primeira divisão e a adoção de um número fixo de clubes participantes do estadual em suas divisões, a FPF pretende movimentar o futebol do interior e revelar novos talentos. Com o objetivo de formatar o futebol, principalmente no interior do estado, a ideia é que em 2019, as duas primeiras divisões tenham no minimo 10 equipes cada e um formato mais enxuto e na série A2, duas equipes voltem a serem promovidas. Assim, a A2 voltaria a ter rebaixamento e retornaria com a série A3.

CampeõesEditar

Campeonato PernambucanoEditar

Ano Part Campeão Vice-campeão Terceiro colocado Quarto colocado
1977 10  
Maguary (Bonito) (1)(1)
 
Ferroviário (Recife)
 
União Peixe (Pesqueira)
 
AGA (Garanhuns)
1978 - 1994 Não disputado
1995 06  
Sete de Setembro (Garanhuns) (1)
 
Centro Limoeirense (Limoeiro)
 
Ferroviário (Recife)
 
Casa Caiada (Recife)
1996 12  
Flamengo de Arcoverde (Arcoverde) (1)
 
1º de Maio (Petrolina)
 
não informado
 
não informado
1997 08  
Ferroviário (Serra Talhada) (1)
 
Grêmio Petrolândia (Petrolândia)
 
Serrano (Serra Talhada)
 
Surubim (Surubim)
1998 10  
Unibol (Paulista) (1)
 
Surubim (Surubim)
 
Centro Limoeirense (Limoeiro)
 
Serrano (Serra Talhada)
1999 12  
Central (Caruaru) (1)
 
Íbis
(Paulista)
 
Ferroviário (Recife)
 
1º de Maio (Petrolina)
2000 17  
AGA (Garanhuns) (1)
 
Centro Limoeirense (Limoeiro)
 
Petrolina (Petrolina)
 
Surubim (Surubim)
2001 18  
Petrolina (Petrolina) (1)
 
Intercontinental (Recife)
 
Unibol (Paulista)
 
Serrano (Serra Talhada)
2002 14  
Itacuruba (Itacuruba) (1)
 
1º de Maio (Petrolina)
 
Egipciense (São José do Egito)
 
Íbis (Paulista)
2003 13  
Porto (Caruaru) (1)
 
Serrano
(Serra Talhada)
 
Centro Limoeirense (Limoeiro)
 
Barreiros (Barreiros)
2004 17  
Ypiranga (Santa Cruz do Capibaribe) (1)
 
Ramalat (Ouricuri)
 
Desportiva Vitória (Vitória de Santo Antão)
 
Vera Cruz (Vitória de Santo Antão)
2005 17  
Estudantes (Timbaúba) (1)
 
Central (Caruaru)
 
Salgueiro (Salgueiro)
 
Surubim (Surubim)
2006 10  
Vera Cruz (Vitória de Santo Antão) (1)
 
Cabense
(Cabo de Santo Agostinho)
 
Belo Jardim (Belo Jardim)
 
Sete de Setembro (Garanhuns)
2007 14  
Salgueiro (Salgueiro) (1)
 
Sete de Setembro (Garanhuns)
 
Centro Limoeirense (Limoeiro)
 
Petrolina (Petrolina)
2008 15  
Vitória (Vitória de Santo Antão) (1)
 
Cabense
(Cabo de Santo Agostinho)
 
América (Recife)
 
Afogadense (Afogados da Ingazeira)
2009 12  
Vera Cruz (Vitória de Santo Antão) (2)
 
Araripina (Araripina)
 
Ferroviário (Cabo de Santo Agostinho)
 
Afogadense (Afogados da Ingazeira)
2010 13  
Petrolina (Petrolina) (2)
 
América (Recife)
 
Decisão (Bonito)
 
Olinda (Olinda)
2011 09  
Serra Talhada (Serra Talhada) (1)
 
Belo Jardim (Belo Jardim)
 
Timbaúba (Timbaúba)
 
Decisão (Bonito)
2012 15  
Chã Grande (Chã grande) (1)
 
Pesqueira (Pesqueira)
 
Olinda (Olinda)
 
Cabense (Cabo de Santo Agostinho)
2013 15  
Vitória (Vitória de Santo Antão) (2)
 
América (Recife)
 
Timbaúba (Timbaúba)
 
Araripina (Araripina)
2014 16  
Vera Cruz (Vitória de Santo Antão) (3)
 
Atlético Pernambucano (Carpina)
 
Belo Jardim (Belo Jardim)
 
Jaguar (Jaboatão dos Guararapes)
2015 12  
Belo Jardim (Belo Jardim) (1)
 
Vitória
(Vitória de Santo Antão)
 
Afogados (Afogados da Ingazeira)
 
Barreiros (Barreiros)
2016 12  
Flamengo (Arcoverde) (2)
 
Afogados (Afogados da Ingazeira)
 
Timbaúba (Timbaúba)
 
Cabense (Cabo de Santo Agostinho)
2017 10  
Pesqueira (Pesqueira) (1)
 
Decisão (Bonito)
 
Cabense (Cabo de Santo Agostinho)
 
Sete de Setembro (Garanhuns)
2018 15  
Petrolina (Petrolina) (3)(INV)
 
Centro Limoeirense (Limoeiro)
 
Decisão (Bonito)
 
Serrano (Serra Talhada)
2019 08  
a definir
 
a definir
 
a definir
 
a definir
(INV) Campeão invicto
(1) 1977 - Disputado em turno único, e três equipes, Maguari, Ferroviario e União Peixe, terminaram empatadas com 14 pontos ganhos cada. O que determinou o titulo foi o Maguari ter saldo de gols maior que o Ferroviário (que tinha o mesmo numero de vitorias); e o União Peixe que teve menor numero de vitórias que o Ferroviário, ficando na terceira colocação.

TítulosEditar

Os maiores campeões da Série A2, são o Vera Cruz Futebol Clube e o Petrolina Social Futebol Clube, ambos com três conquista na competição. Com dois títulos cada são: Associação Acadêmica e Desportiva Vitória das Tabocas e Flamengo Esporte Clube de Arcoverde, ambos com duas conquistas cada.

Títulos Por ClubeEditar

Clube Campeão Anos do Títulos Vice Anos dos Vices
  Petrolina 3 2001, 2010 e 2018  0
  Vera Cruz 3 2006, 2009 e 2014 0
  Vitória das Tabocas 2 2008 e 2013 1 2015
  Flamengo de Arcoverde 2 1996 e 2016 0
  Maguary 1 1977 0
  Sete de Setembro 1 1995 1 2007
  Ferroviário de Serra Talhada 1 1997 0
  Unibol 1 1998 0
  Central 1 1999 1 2005
  AGA 1 2000 0
  Itacuruba 1 2002 0
  Porto-PE 1 2003 0
  Ypiranga 1 2004 0
  Estudantes Timbaúba 1 2005 0
  Salgueiro 1 2007 0
  Serra Talhada 1 2011 0
  Chã Grande 1 2012 0
  Belo Jardim 1 2015 1 2011
  Pesqueira 1 2017 1 2012

  Campeão invicto.

Títulos por cidadeEditar

Cidade Títulos Vices
  Vitória de Santo Antão 5 1
  Petrolina 3 2
  Caruaru 2 1
  Garanhuns 2 1
  Serra Talhada 2 1
  Arcoverde 2 0
9 cidades 9 4

Títulos por RegiãoEditar

Região Títulos Vices
Agreste 8 8
Sertão 8 7
Zona da Mata 7 1
Grande Recife 1 8

EstatísticasEditar

ParticipaçõesEditar

O clube com maior participação na competição é o Íbis Sport Club, com vinte e uma participações, recorde na história do torneio.

Campeões invictosEditar

Uma vez
  • Petrolina — 2018 (primeiro campeão invicto da história do campeonato)

Campeões das décadasEditar

Década de 2000

AGA e Petrolina, com um título (2000-01, respectivamente)

Década de 2010

Petrolina, com dois títulos (2010-18)

ArtilheirosEditar

O Maior artilheiro da competição é o jogador Jôsi do Olinda, com 19 gols marcados e também o único a ser o artilheiro em três edições seguidas, somando 48 gols.

Ano Artilheiro Clube
(cidade)
Gols
Série A2 2000   Joelson Palmares
(Palmares)
9
Série A2 2001   Jefferson desconhecido 16
Série A2 2002   Gonçalves Ypiranga
(Santa Cruz do Capibaribe)
11
Série A2 2003   Clodoaldo Porto
(Caruaru)
12
  Fabian
Série A2 2004   Bibi Ypiranga
(Santa Cruz do Capibaribe)
18
Série A2 2005   Carlos Eduardo Vera Cruz
(Vitória de Santo Antão)
9
Série A2 2006   Sérgio Lopes Belo Jardim
(Belo Jardim)
15
Série A2 2007   Maciel Petrolina
(Petrolina)
9
Série A2 2008   Alan Vitória
(Vitória de Santo Antão)
13
Série A2 2009   Patrick Vera Cruz
(Vitória de Santo Antão)
15
Série A2 2010   Nego Pai Belo Jardim
(Belo Jardim)
11
Série A2 2011   Jôsi Olinda
(Olinda)
11
Série A2 2012   Jôsi Olinda
(Olinda)
19
Série A2 2013   Jôsi Olinda
(Olinda)
18
Série A2 2014   Pedro Maycon Belo Jardim
(Belo Jardim)
13
Série A2 2015   Sillas Vitória
(Vitória de Santo Antão)
12
Série A2 2016   Erikys Flamengo
(Arcoverde)
7
  Samuel Souza Vera Cruz
(Vitória de Santo Antão)
Série A2 2017   Edson Cabense
(Cabo de Santo Agostinho)
10
Série A2 2018   Daniel Floro Centro Limoeirense
(Limoeiro)
7

EstádiosEditar

O Ministério do Esporte em 2016, lançou um sistema que avalia os estádios de futebol no Brasil, o Sisbrace.[3] O critério de avaliação se baseia com uma nota que varia de uma bola até cinco bolas, sendo uma a pior nota.

No início do ano de 2017, a CBF proibiu que os clubes mandassem seus jogos longe do seu estado de origem. Com isso, muitos clubes que manifestaram o interesse em disputar a competição, não tiveram seus estádios aprovados, caso das equipes Petrolina Social Futebol Clube e 1º de Maio Esporte Clube,[4] que ficaram de fora da competição devido ao seu estádio Paulo de Souza Coelho o Paulo Coelho, não apresentar os laudos finais para estar apto para partidas com público. Ambas equipes, cogitaram em mandarem seus jogos no estádio da Juazeirense, o estádio Adauto Morais em Juazeiro, cidade que fica na divisa entre o estado de Pernambuco e o estado da Bahia. Mas devido esta proibição, por mais outro ano, a cidade de Petrolina fica sem representantes no certame.

Em 2018, a série A2 contou com dois dos maiores estádios de futebol de Pernambuco. Os estádios Ilha do Retiro, com capacidade de 35.020 pessoas e o Estádio dos Aflitos, com capacidade de 22.856 pessoas, foram utilizados no campeonato graças as participações das categorias de base de Sport e Náutico.[5]

PremiaçãoEditar

Atual Campeão do Campeonato Pernambucano de Futebol de 2018 - Série A2
 
Petrolina Social Futebol Clube
Campeão
(3º título)


Vice Campeão: Terceiro Colocado: Quarto Colocado: Artilheiro:
  Centro Limoeirense   Decisão   Serrano-PE   Daniel Floro (Centro Limoeirense) – 7 gols

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Terceira divisão do Pernambucano está aprovada e FPF trabalha para implementar em 2019». Tiago Morais em Instant Articles às 18:18. 4 de abril de 2018. Consultado em 19 de novembro de 2018 
  2. Série A2 do Campeonato Pernambucano 2017 dará acesso a apenas um timePor GloboEsporte.com, Caruaru, PE. 20 de junho de 2017, às 20h30. Atualizado em 21 de junho de 2017, às 12h37.
  3. «Ministério do Esporte lança em São Paulo o Sistema Brasileiro de Classificação de Estádios». Ministério do Esporte. 28 de janeiro de 2016. Consultado em 29 de janeiro de 2016 
  4. «Sem estádio, times de Petrolina estão fora da Série A2 do Pernambucano». Por Emerson Rocha no globoespot.com. 29 de agosto de 2017. Consultado em 29 de agosto de 2017 
  5. Náutico vai participar as Série A2 do Campeonato Pernambucano.

Ligações ExternasEditar

  1. Página com todos os campeões da Série A2 de 1977 até 2011
  2. Site oficial da Federação Pernambucana de Futebol
  3. Página com todos os campeões e vices da Série A2 de 1977 até 2010
  4. Site RSSSF Sobre o Pernambucano Série A2 - Inglês