Abrir menu principal

Can You Ever Forgive Me?

Can You Ever Forgive Me?
Poderia Me Perdoar? (BRA)
 Estados Unidos
2018 •  cor •  107 min 
Direção Marielle Heller
Produção Anne Carey
Amy Nauiokas
David Yarnell
Roteiro Nicole Holofcener
Jeff Whitty
Elenco Melissa McCarthy
Richard E. Grant
Música Nate Heller
Cinematografia Brandon Trost
Edição Anna McCabe
Companhia(s) produtora(s) Archer Gray Productions
Distribuição Fox Searchlight Pictures
Lançamento  Estados Unidos 19 de outubro de 2018
Idioma inglês
Orçamento US$ 7,1 milhões
Página no IMDb (em inglês)

Can You Ever Forgive Me? (em português: Poderia Me Perdoar?) é um filme biográfico de comédia dramática americano dirigido por Marielle Heller e escrito por Nicole Holofcener e Jeff Whitty, baseado nas memórias da autora americana Lee Israel de mesmo nome. O filme é estrelado por Melissa McCarthy, como Israel, uma personagem que, vendo-se em apuros financeiros—pois não consegue revitalizar a carreira de escritora, forja cartas de escritores e dramaturgos famosos, já falecidos.

O filme foi lançado mundialmente no Festival de Cinema de Telluride, em 1 de setembro de 2018. Seu lançamento nos Estados Unidos ocorreu em 19 de outubro de 2018, por intermédio da Fox Searchlight Pictures. A obra recebeu aclamação da crítica, rendendo grandes elogios às atuações de McCarthy e Richard E. Grant. A organização National Board of Review nomeou-o como um dos dez melhores filmes de 2018; Grant venceu a categoria de Melhor Ator Coadjuvante da competição New York Film Critics Circle. Como reconhecimento, foi galardoado com duas nomeações para os Prémios Globo de Ouro de 2019 nas categorias de Melhor Atriz em Filme Dramático (Melissa McCarthy) e Melhor Ator Coadjuvante (Richard E. Grant), respectivamente.

EnredoEditar

Após o fracasso crítico e comercial da biografia de Estée Lauder, Lee Israel passa a lutar com problemas financeiros, bloqueio criativo e alcoolismo. Com seu agente incapaz de garantir um adiantamento para a nova biografia, Israel é forçada a vender seus bens para cobrir suas despesas; ela vende uma carta pessoal que recebeu de Katharine Hepburn para Anna, uma revendedora de livros local.

Durante a pesquisa para um romance sobre Fanny Brice, Israel aparece com a carta de Brice dobrada em um livro, que pega e oferece para vender para Anna. Anna oferta um preço baixo devido à falta de conteúdo interessante da carta. Israel começa a forjar e vender cartas de escritores, dramaturgos e atores falecidos, insinuando detalhes íntimos para obter um preço mais alto. Anna, que é fã dos excertos de Israel, tenta iniciar um relacionamento romântico com ela, mas é rejeitada.

Quando uma das cartas de Israel escritas por Noël Coward levanta suspeitas da real autoria, devido à discussão incauta de sua sexualidade, ela entra na lista negra de seus compradores. Incapaz de vender as falsificações, diz a Jack Hock, seu amigo, para vender cartas em seu lugar para que roubasse cartas autênticas dos arquivos da biblioteca para vender em seguida. Depois que seu gato morre sob os cuidados de Jack durante um desses roubos, Israel termina sua amizade, mas continua com sua parceria por necessidade.

Jack é capturado pelo FBI durante uma venda que, com a cooperação de Jack, serve a Israel como uma intimidação judicial para falsificação. Ela vai atrás dos serviços de um advogado, que a aconselha a mostrar contrição, conseguindo um emprego, fazendo serviço comunitário e se juntando aos Alcoólicos Anônimos. No tribunal, Israel confessa que gostou de fazer as falsificações e não se arrepende de suas atitudes, mas que os crimes não valeram a pena, porque as cartas não revelaram suas habilidades de escrita. Seguidamente, é condenada a cinco anos em liberdade condicional e seis meses em prisão domiciliar.

Algum tempo depois, Israel se reconcilia com Jack – que está morrendo de AIDS – e pede permissão para escrever um livro de memórias sobre suas falsificações; Jack concorda. Ela passa pela vitrine de uma loja e vê uma carta que forjou da escritora Dorothy Parker à venda por US$ 1 900. Desgostosa da situação, escreve ao proprietário da loja uma carta de tom sarcástico da falecida "Dorothy Parker". Percebendo que a carta é falsa, o proprietário retira do mostruário, mas coloca de volta onde estava depois de lê-la.

ElencoEditar

  • Melissa McCarthy como Lee Israel
  • Richard E. Grant como Jack Hock
  • Dolly Wells como Anna
  • Jane Curtin como Marjorie
  • Anna Deavere Smith como Elaine
  • Stephen Spinella como Paul
  • Ben Falcone como Alan Schmidt
  • Shae D'Lyn como Nell
  • Michael Cyril Creighton como Harry
  • Kevin Carolan como Tom Clancy
  • Marc Evan Jackson como Lloyd
  • Tim Cummings como Craig
  • Christian Navarro como Kurt
  • Joanna Adler como Arlene
  • Erik LaRay Harvey como Agent Solonas
  • Gregory Korostishevsky como Andre
  • Brandon Scott Jones como Glen
  • Mary McCann como Judge

Produção e lançamentoEditar

Em abril de 2015, foi anunciado que Julianne Moore protagonizaria Israel, personagem do roteiro de Nicole Holofcener;[1] em julho de 2015, Moore saiu do projeto.[2] Em 14 de maio de 2015, o ator Chris O'Dowd entrou para o elenco.[3] Em maio de 2016, Melissa McCarthy foi confirmada como a protagonista do filme, que seria dirigido por Marielle Heller.[4] Em janeiro de 2017, Richard E. Grant, Jane Curtin, Dolly Wells, Anna Deavere Smith e Jennifer Westfeldt adentraram ao elenco. As gravações começaram em janeiro de 2017, na cidade de Nova Iorque, e terminaram em 2 de março de 2017.[5][6]

Can You Ever Forgive Me? foi lançado mundialmente no Festival de Cinema de Telluride, em 1 de setembro de 2018.[7][8] Além disso, foi exibido no Festival Internacional de Cinema de Toronto, em setembro de 2018.[9] Nos Estados Unidos, seu lançamento ocorreu em 19 de outubro de 2018.[10]

RecepçãoEditar

Crítica profissionalEditar

No Metacritic, o filme conta com uma nota de 87 de 100 pontos, baseada em 48 críticas que indicam aclamação universal.[11] No agregador de avaliações Rotten Tomatoes, o filme tem aprovação de 98% com base em 204 avaliações, e uma avaliação média de 8,2/10. Segundo o consenso do portal, "habilmente dirigido e atado com obscura sagacidade, Can You Ever Forgive Me? prova ser um mostruário para afetar profundamente o trabalho de Richard E. Grant e Melissa McCarthy."[12]

Peter Debrudge, da revista Variety, escreveu: "É preciso de uma atriz tão encantadora como Melissa McCarthy para tornar Lee Israel não apenas perdoável, mas francamente amável. [...] O filme dá a impressão de que a Fox Searchlight está tentando esconder, ou pelo menos subestimar, o lado homossexual dessa história: Lee era lésbica, enquanto Jack, abertamente homossexual, dificilmente consegue passar por um hidrante sem pedir seu número de telefone."[13] Simi Horwitz, da publicação Film Journal International, escreveu: "A performance de McCarthy foi impressionante e seus papeis anteriores não puderam antecipar o quão destemida e credível ela é ao interpretar Lee Israel."[14] Eric Kohn, do IndieWire, escreveu: "[O filme] é uma comédia melancólica de puro charme, onde Heller canaliza o ambiente urbano obscuro de Woody Allen; a performance de McCarthy eleva o material de todas as formas."[15]

BilheteriaEditar

Can You Ever Forgive Me? arrecadou US$ 150 000 após exibição em 5 cinemas na semana de abertura.[16] Na segunda semana de abertura, arrecadou US$ 380 000 após exibição em 25 cinemas.[17] Na terceira semana, as exibições foram expandidas para 180 cinemas, gerando uma arrecadação de US$ 1 080 000.[18] No quarto fim de semana, arrecadou US$ 1 500 000 após exibição em 391 cinemas.[19] No quinto fim de semana, arrecadou US$ 880 000 em 555 cinemas, formulando uma bilheteria total de US$ 5 000 000. Apesar da nomeações ao Globo de Ouro, o filme teve uma leve queda de 27% na bilheteria, gerando US$ 246 000 no fim de semana e formulando uma bilheteria total de US$ 7 100 000.[20]

Referências

  1. Child, Ben (10 de abril de 2015). «Steal Alice: Julianne Moore to play celebrity letter forger». The Guardian. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  2. McNary, Dave (15 de julho de 2015). «Julianne Moore Leaves 'Can You Ever Forgive Me?'». Variety. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  3. Kroll, Justin (14 de maio de 2015). «Chris O'Dowd to Co-Star With Julianne Moore in 'Can You Ever Forgive Me' (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês). Consultado em 31 de janeiro de 2017 
  4. Thompson, Anne (17 de outubro de 2018). «'Can You Ever Forgive Me?': How Melissa McCarthy Replacing Julianne Moore Turned a Troubled Production into a Triumph». IndieWire. Consultado em 3 de novembro de 2018 
  5. N'Duka, Amanda (30 de janeiro de 2017). «Richard E. Grant & More Join Melissa McCarthy In 'Can You Ever Forgive Me'». Deadline Hollywood. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  6. «Can You Ever Forgive Me?» (PDF). Directors Guild of America. Consultado em 2 de março de 2017 
  7. Tapley, Kristopher (30 de agosto de 2018). «'First Man,' 'Front Runner' and 'Roma' Among 2018 Telluride Film Festival Selections». Variety. Consultado em 30 de agosto de 2018 
  8. «45th Telluride Film Festival (Program)» (PDF). Telluride Film Festival. 2018. pp. 13, 32. Consultado em 3 de novembro de 2018 
  9. Vlessing, Etan (24 de julho de 2018). «Toronto: Timothee Chalamet Starrer 'Beautiful Boy,' Dan Fogelman's 'Life Itself' Among Festival Lineup». The Hollywood Reporter. Consultado em 24 de julho de 2018 
  10. Merin, Jennifer (14 de outubro de 2018). «Movie of the Week October 19, 2018: Can You Ever Forgive Me». Alliance of Women Film Journalists. Consultado em 3 de novembro de 2018 
  11. «Can You Ever Forgive Me?». Metacritic. CBS Interactive. 2018. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  12. «Can You Ever Forgive Me». Rotten Tomatoes. Fandango. 2018. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  13. Debruge, Peter (2 de setembro de 2018). «Film Review: Melissa McCarthy in 'Can You Ever Forgive Me?'». Variety. Consultado em 3 de novembro de 2018 
  14. Horwitz, Simi (17 de outubro de 2018). «Film Review: Can You Ever Forgive Me?». Film Journal International. Consultado em 3 de novembro de 2018 
  15. Kohn, Eric (1 de setembro de 2018). «Can You Ever Forgive Me?' Review: Melissa McCarthy Gives Her Best Performance as a Forger Who Dreams of Fame — Telluride». IndieWire. Consultado em 3 de novembro de 2018 
  16. Brueggemann, Tom (21 de outubro de 2018). «Jonah Hill's 'Mid90s,' 'Can You Ever Forgive Me?,' and 'Wildlife' Start Strong». IndieWire. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  17. Brooks, Brian (28 de outubro de 2018). «'Suspiria' Opens Big with Year's Best Average; 'Can You Ever Forgive Me?' Solid: Specialty Box Office». Deadline Hollywood. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  18. Brooks, Brian (4 de novembro de 2018). «'Boy Erased' With Robust Bow; 'A Private War' Aims OK: Specialty Box Office». Deadline Hollywood. Penske Business Media. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  19. Brooks, Brian (11 de novembro de 2018). «'El Angel' Blessed With OK Bow; 'Chef Flynn' Solid, 'Boy Erased' Expands: Specialty Box Office». Deadline Hollywood. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  20. Brooks, Brian (18 de novembro de 2018). «'At Eternity's Gate' Paints Solid Start; 'Can You Ever Forgive Me' Crosses $5M: Specialty Box Office». Deadline Hollywood. Consultado em 22 de novembro de 2018 

Ligações externasEditar