Viva (canal de televisão brasileiro)

Canal de televisão por assinatura
(Redirecionado de Canal Viva)

Viva é um canal de televisão por assinatura brasileiro de entretenimento pertencente à divisão de canais de TV a cabo do Grupo Globo. Foi inaugurado no dia 18 de maio de 2010 e está presente nas operadoras de televisão a cabo e satélite Sky, Claro TV, Vivo TV, Oi TV e TV Alphaville.[3] Exibe minisséries, seriados, novelas e programas de variedades que foram produzidos pela TV Globo.

Viva
Tipo Canal de televisão por assinatura
País  Brasil
Fundação 18 de maio de 2010 (12 anos)
por Roberto Irineu Marinho
Pertence a Grupo Globo
Presidente Daniela Mignani[1]
Cidade de origem Rio de Janeiro, RJ
Sede Rio de Janeiro, RJ
Slogan Emoção que não acaba!
Formato de vídeo 480p (SDTV)
1080i (HDTV)
Audiência 0,91 pontos (05/2019)[2]
Cobertura  Brasil
Página oficial canalviva.globo.com
Disponibilidade por satélite
Canal 43
Canal 543 (HD)
Canal 36 (HD) (Satélite Intelsat 34)
Canal 360
Canal 804 (HD)
Canal 336
Canal 936 (HD)
Canal 36 (HD) (Satélite SES-6)
Canal 36
Canal 537 (HD)
Canal 43
Canal 443 (HD)
Disponibilidade por cabo
Canal 43
Canal 543 (HD)
Canal 543 (HD)
Canal 43 (HD)
Disponibilidade digital
Simulcast
Simulcast
Simulcast

HistóriaEditar

No dia 18 de maio de 2010, foi inaugurado o Viva, da empresa de TV por assinatura Canais Globo, antiga Globosat[4]. O canal tem como princípio, desde sua estreia, dedicar grande parte de sua programação a programas de televisão exibidos originalmente na TV Globo. O objetivo inicial do canal era o de atingir o público de mulheres, com mais de 35 anos, de todas as classes sociais[5].

A grade de programação, na época da inauguração, era composta por reprises de telenovelas e outros programas do arquivo da TV Globo, reexibição de programas atuais daquela TV e do canal GNT em horários alternativos, além de “enlatados” dublados, ficando no ar até maio de 2012. Quando o canal estreou, duas novelas foram escolhidas para representar o gênero, como será exposto a seguir. Além disso, o canal dedicou o horário das 23h45 para minisséries da TV Globo. A partir de julho de 2011, o horário das minisséries foi remanejado para as 23h15.

Muitos programas humorísticos da TV Globo também foram exibidos no canal ao longo de sua trajetória, com algumas ainda sendo exibidos atualmente, sendo eles: A Turma do Didi, Aventuras de Didi, Chico Total, A Comédia da Vida Privada, TV Pirata, Viva o Gordo, Brasil Legal, Toma Lá Dá Cá, Minha Nada Mole Vida, Casos e Acasos, Sob Nova Direção, Ó Pai, Ó, Dicas de um Sedutor, Faça Sua História, O Belo e as Feras, Os Trapalhões, Zorra Total, A Grande Família, Chapa Quente, Os Caras de Pau, Pé na Cova, A Mulher Invisível, Mister Brau e Sai de Baixo, no ar desde maio de 2010 até, pelo menos, setembro de 2013. Em comemoração aos três anos do canal, foram produzidos e veiculados em agosto de 2013, quatro episódios inéditos dessa série com parte do elenco original. A emissora também exibe desde a fundação a Escolinha do Professor Raimundo, chegando a exibir uma releitura da mesma em 2015, com os episódios também exibidos pela TV Globo, a qual era co-produtora, em comemoração aos 25 anos do humorístico. Devido a boa repercussão, ganhou novas temporadas até 2020.[6] Também produziu um seriado próprio: Meu Amigo Encosto, em 2014.[7]

A música está presente no Viva desde o início. O primeiro programa musical exibido no canal foi Som Brasil, depois vieram Estação Globo e Globo de Ouro, com o ultimo ganhando uma releitura em 2014, recebendo o acréscimo do título Palco Viva, ficando no ar até 2016.[8] Quadros do programa Fantástico, cuja duração de cada episódio é pequena, também são exibidos no canal como Retrato Falado, As 50 Leis do Amor e Sexo Oposto. Para o público jovem, a emissora transmitiu e ainda exibe alguns programas, sendo eles: Sítio do Pica Pau Amarelo (com as versões de 1977[9] e 2001, sendo a última exibindo apenas as três primeiras temporadas), Sandy e Júnior, Caça Talentos[10], Flora Encantada, Planeta Xuxa, Clara e o Chuveiro do Tempo[11], Terra dos Meninos Pelados, O Relógio da Aventura, entre outros, além das temporadas antigas e recentes de Malhação. Os realitys shows também já tiveram espaço na emissora, como as reprises da primeira temporada do No Limite e as primeiras temporadas do Big Brother Brasil.[12][13]

O canal também produziu programas próprios, com alguns ainda estando no ar, visando homenagear grandes nomes da televisão brasileira, sendo eles: Reviva, Damas da TV[14], Viva o Sucesso, Rebobina, Grandes Atores, As Vilãs Que Amamos, As Crianças Que Amamos, É Tudo Novela!, Os Casais Que Amamos, Donos da História, Orgulho Além da Tela, Os Comediantes que Amamos, entre outros.

Durante o Carnaval de 2014, a emissora transmitiu os desfiles do Grupo de Acesso e das Campeãs do Carnaval do Rio de Janeiro, sendo essa a sua primeira transmissão ao vivo.[15] O canal também transmitiu o 26° Prêmio da Música Brasileira em 2015.[16]

Em 18 de maio de 2014, em comemoração aos 4 anos do canal, é lançado a sua versão em alta definição, estando disponível inicialmente em algumas operadoras em simulcast a versão SD. Junto com o sinal HD, a emissora lança sua nova identificação visual. Para se adequar com a mudança, todos os programas passaram a ser exibidos em 16:9 esticado, semelhante ao tradicional HD, no caso deste, é usado apenas nas produções especiais e mais recentes.[17]

Durante a exibição de Bebê a Bordo (1988-1989), o canal em 30 de abril de 2018, começou a compactar os capítulos a partir do 91, resumindo até 11 episódios em 5, numa atitude inédita que irritou seus telespectadores. Por não ter explicação aparente, o jornalista Maurício Stycer, do UOL, afirma em crítica que o Viva usa "lógica de TV aberta" para fazer os cortes: "a trama de Carlos Lombardi estaria provocando fuga de espectadores".[18] Cristina Padiglone, no site Telepadi, sugere que a trama foi rejeitada pela audiência conservadora e fez alusão aos cortes realizados em Perigosas Peruas e Celebridade, encurtadas em suas exibições no Vale a Pena Ver de Novo por baixas audiências.[19] Após as queixas, o Viva se pronunciou nas redes sociais afirmando que a telenovela será exibida na íntegra a partir de 7 de maio até 15 de julho, na plataforma Viva Play. Na TV, Bebê a Bordo continuará sendo exibida editada.[20]

 
Nas frames dos primeiros vídeos de divulgação da exibição de Da Cor do Pecado no canal Viva (carregados em sua página no YouTube), o nome da novela é ocultado ("capítulo inédito" acima, "nova novela" abaixo). O mesmo aconteceu nas redes sociais da emissora e em chamadas exibidas na TV no dia da estreia.

Durante a reprise de Da Cor do Pecado (2004) em 2021, que tem um título com expressão considerada racista, o Viva passou a exibir uma "cartela de contexto da época", avisando aos telespectadores ao final de cada novela que "esta obra reproduz comportamentos e costumes da época em que foi realizada". Tal aviso foi estendido a toda a programação no dia seguinte a estreia. A emissora também foi acusada de censura, por esconder o título da novela nas chamadas e em seu canal oficial no youtube.[21][22][23]

ProgramasEditar

O canal tem grande ênfase na exibição de produções dramatúrgicas da TV Globo, como novelas, séries e minisséries — incluindo as tramas de sucesso nas faixas das seis, sete e oito, séries de humor e tramas infantis, além de produções exibidas dentro do Fantástico como interprogramas e especiais de fim de ano ou de alguma ocasião especial.[24] Também eram exibidos programas de auditório e programas de variedades. Até 2017, tais atrações eram exibições de programas recentes, sendo substituídas por programas de suas primeiras exibições. Em 2019, a emissora deixa de exibir a íntegra dos programas recentes da Globo, focando exclusivamente em séries, minisséries, filmes (até 2020), telenovelas e algumas produções próprias com foco em produtos globais. O conteúdo estrangeiro que era exibido no canal, também deixa a grade, mas em 2020, retornando em 2022 com a novela mexicana Marimar.[25]

O canal exibe sete faixas de telenovelas, nos horários de 12h45 (tramas infantojuvenis), 14h40 (clássicos), 15h30 (novelas de maior apelo), 16h20 (temporadas antigas de Malhação), 16h50 (temporadas recentes de Malhação), 20h30 (novelas mexicanas) e 22h55 (tramas de maior sucesso), com reprises em horários alternativos como 2h10, 2h45, 10h45 e 11h15 (essas quatro faixas voltadas a Malhação), 3h20 e 11h45 (tramas mexicanas), 13h30 (horário das 23h), 23h45 (horário das 15h30), 0h35 (horário das 14h40) e 1h20 (horário das 12h45), além de maratonas aos sábados de 8h45 ás 12h45, esta voltada aos textos mexicanos e aos domingos das quatro faixas do canal das 9h25 ás 6h.

LogotiposEditar

  • 2010 - 2014: O primeiro logotipo era uma esfera na cor rosa e laranja, com a palavra Canal Viva dentro. Em 2012, passa a ficar apenas a palavra Viva.
  • 2014 - 2018: A esfera passa a ser dividida nas cores azul, amarelo, roxo, laranja e verde, seguindo um turno específico. Fazendo parte da mudança, a logo deixa de ser exibida no canto inferior direito e passa a ficar no topo da tela no canto inferior esquerdo e exibindo as suas cores, ao invés da marca d'água transparente, apresentando também a hashtag do programa exibido. Em 2016, passa a inserir na hashtag junto com o título do programa, a palavra NoViva.
  • 2018 - presente: A esfera deixa de existir e a palavra Viva passa a ficar solta, tendo um conceito semelhante ao extinto canal britânico com o mesmo nome. O logotipo padrão é na cor roxa, mas também havendo outras versões como verde, azul e laranja. Além da mudança, o canal também lançou frames das produções transmitidas nos intervalos comerciais, com uma legenda humorada, fazendo referência aos memes da internet.[26]

ControvérsiasEditar

Profissionais ligados à área de teledramaturgia, tanto os que trabalham na TV Globo e hoje estão fora da emissora, reclamam que não recebem pelo uso de suas imagens nas reapresentações no Canal Viva.[27][28] Para estes profissionais, a empresa deve pagar os direitos ao elenco da produção, este teria sido assunto nas reuniões de um grupo liderado por Antônio Fagundes, que visa cobrar melhores condições de trabalho.[28] Segundo três atores ouvidos pelo Blog Mundo da TV, mantido por Fernando Oliveira do R7, o Viva compra o conteúdo licenciado da Globo, sendo ela, portanto, que deveria pagá-los. Uma vez que ela é atual empregadora de boa parte dos atores e já os remunera, forma-se então um impasse jurídico.[28] No entanto, a coluna de Flávio Ricco consultou tanto o Viva quanto a Globo para obter respostas. A Globo declarou que todos recebem pelas reprises e que os pagamentos acontecem normalmente, já o Viva informa que não tem nenhuma obrigação de pagar direitos para autores, atores ou demais pessoas envolvidas, e justifica por que: "O contrato do Viva é de licenciamento do conteúdo da TV Globo e de outros fornecedores internacionais ou de produtoras independentes. Pagamos pelo conteúdo. Os fornecedores, como a TV Globo, BBC, CBSG etc, são responsáveis pelo pagamento dos direitos a seus contratados".[27]

Referências

  1. «Diretora do GNT, Dani Migani assume também Canal Viva». Telepadi. 21 de novembro de 2016 
  2. «Ranking TV paga: Viva passa Cartoon no ibope; veja 30 canais mais vistos». Universo Online. 12 de junho de 2019. Consultado em 23 de abril de 2022 
  3. «Consulte o número do canal na sua operadora». Viva. 20 de agosto de 2012. Consultado em 23 de janeiro de 2013 
  4. «Canal Viva é lançado no Rio». G1. 19 de maio de 2010. Consultado em 30 de agosto de 2021 
  5. «Novo canal de TV por assinatura 'Viva' pretende divertir e informar as famílias brasileiras». Jornal da Globo. 19 de maio de 2010. Consultado em 30 de agosto de 2021 
  6. AdoroCinema. «Conheça o elenco da nova Escolinha do Professor Raimundo». AdoroCinema. Consultado em 23 de abril de 2022 
  7. «Só elenco se salva em 'Meu amigo encosto', série do Viva - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut. Consultado em 23 de abril de 2022 
  8. ANDRADE, LI LACERDA e VINÍCIUS (3 de fevereiro de 2020). «Marca Globo de Ouro vira alvo de disputa entre Globo e SBT; saiba o motivo». Notícias da TV. Consultado em 23 de abril de 2022 
  9. «Primeira versão do 'Sítio do Pica-Pau Amarelo' voltará à TV. Saiba quando - Patrícia Kogut, O Globo». Patrícia Kogut. Consultado em 24 de abril de 2022 
  10. Reis, João Paulo. «Canal Viva confirma Caça Talentos como substituta de Estrela Guia». observatoriodatv.uol.com.br. Consultado em 24 de abril de 2022 
  11. «F5 - Colunistas - Zapping - Cristina Padiglione - Premiação de Melhores do Ano sobreviverá ao fim do Domingão - 04/02/2021». f5.folha.uol.com.br. Consultado em 24 de abril de 2022 
  12. Redação. «Canal Viva reprisará primeira edição do No Limite durante as férias». observatoriodatv.uol.com.br. Consultado em 23 de abril de 2022 
  13. «'BBB': Canal VIVA e Globoplay anunciam a reexibição das duas primeiras temporadas do reality». Gshow. Consultado em 23 de abril de 2022 
  14. «Grandes atrizes relembram suas trajetórias em 'Damas da TV'». O Globo. 23 de agosto de 2013. Consultado em 30 de agosto de 2021 
  15. «Viva transmitirá desfiles do Grupo de Acesso e das campeãs do Carnaval». propmark. 24 de outubro de 2013. Consultado em 23 de abril de 2022 
  16. Castro, Thell de. «Viva exibe Prêmio da Música Brasileira pela primeira vez na TV por assinatura». Portal Revide. Consultado em 23 de maio de 2022 
  17. «Aos 4 anos, Viva lança canal em HD». Meio & Mensagem. 28 de abril de 2014. Consultado em 23 de abril de 2022 
  18. «Canal Viva usa lógica da TV aberta para cortar e encurtar "Bebê a Bordo"». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 29 de março de 2019 
  19. «Em decisão inédita, Viva retalha reprise de 'Bebê a Bordo', rejeitada por audiência conservadora - Telepadi». telepadi.folha.uol.com.br. 30 de abril de 2018. Consultado em 29 de março de 2019 
  20. «Após queixas, Viva diz que irá exibir capítulos de "Bebê a Bordo" editados». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 29 de março de 2019 
  21. Cristina Padiglone (20 de abril de 2021). «'Politicamente incorreta hoje? Viva faz advertência em 'Da Cor do Pecado'». Telepadi. Consultado em 23 de abril de 2021 
  22. Danielle Amorim (20 de abril de 2021). «Canal Viva exibe alerta em novelas antigas que reproduzem costumes preconceituosos». Notícias da TV. Consultado em 23 de abril de 2021 
  23. Mauricio Stycer (21 de abril de 2021). «Não basta fazer alerta em 'Da Cor do Pecado', é preciso explicar conteúdos inaceitáveis». Folha de S.Paulo. Consultado em 23 de abril de 2021 
  24. http://natelinha.ne10.uol.com.br/noticias/2015/06/19/viva-reestreia-o-programa-gente-inocente-90021.php
  25. «Marimar estreia no Viva neste mês». O Fuxico. 12 de março de 2022. Consultado em 23 de abril de 2022 
  26. «Canal Viva estreia nova identidade visual nesta segunda.». Antenados na SKY & Cia. Consultado em 23 de abril de 2022 
  27. a b Flávio Ricco; José Carlos Nery (27 de janeiro de 2014). «Viva explica por que não paga atores por reprises». UOL. Consultado em 16 de junho de 2014 
  28. a b c Fernando Oliveira (16 de junho de 2014). «Atores da Globo compram briga com o Canal Viva e exigem pagamento por reprises». Blog Mundo da TV. R7. Consultado em 16 de junho de 2014 

Ligações externasEditar