Cananor[1][2] (Kannur em malaiala) é uma cidade portuária do estado de Kerala, na costa sudoeste da Índia. Tem cerca de 528 mil habitantes. É conhecida como a terra dos teares e erudições.[carece de fontes?]

"Canonor" (Georg Braun e Frans Hogenberg. "Civitates orbis terrarum", vol. I, 1572).
Cananor
Kannur Skyline 3.jpg
Geografia
Continente
País
Tehsil
Kamalapur mandal (d)
State of India
Localidade
Kamalapur (en)
Distrito
Kannur district (en)
Capital de
Kannur district (en)Visualizar e editar dados no Wikidata
Área
9,41 km2 ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Altitude
0 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Coordenadas
Demografia
População
3 020 hab. ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Número de habitações
825 ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Densidade
320,9 hab./km2 ()
Funcionamento
Estatuto
Localidade da Índia (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
História
Evento chave
Identificadores
Código postal
670001Visualizar e editar dados no Wikidata
Prefixo telefônico
497Visualizar e editar dados no Wikidata

HistóriaEditar

Kannur era um importante porto que se dedicava ao comércio com a Pérsia e Arábia nos séculos XII e XIII.

Foi possessão portuguesa entre 1505 e 1663, quando passou para a posse Neerlandesa e, porteriormente, para a Britânica. Durante a presença portuguesa e inglesa era conhecida pelo nome aportuguesado de Cananor, que ainda hoje é muito usado.

Foi quartel-general militar da Índia britânica até 1887. Juntamente como Tellicherry foi a terceira maior cidade na costa oeste da Índia britânica no século XVIII, depois de Bombay e Karachi.[carece de fontes?]

A Fortaleza de Santo Ângelo de Cananor foi construída em 1505 por D. Francisco de Almeida, primeiro Vice-rei da Índia e está situada à beira mar a cerca de 3 km da cidade. Em 1509 encontramos João Vaz de Almada como alcaide-mor dela.[3]

A fortaleza mudou de mãos várias vezes. Em 1663, os holandeses apoderaram-se dela e vendaram-na à família real de Arakkal em 1772. Os britânicos conquistaram-na em 1790, e transformaram-na numa das suas maiores posições na costa do Malabar. Está bem preservada como monumento protegido sob a autoridade da "Archaeological Survey of India. Uma pintura deste forte, vendo-se barco com pescadores na Baía (de Mappila) está exposta no Rijksmuseum in Amesterdão. A cabeça de Kunjali Marakkar foi exibida na fortaleza depois do seu assassinato.

Aqui a polícia do Kerala está presente com seis oficiais de polícia afectados ao turismo para a proteção e guia dos turistas. Um deles, chamado Sathyan Edakkad escreveu e publicou um livro sobre esta fortaleza, intitulado Vasco da Gaamayum Charithrathile Kaanaappurangalum (Vasco da Gama e as páginas da história nunca vistas). Aí detalhou conhecimentos sobre a fortaleza e as praças das cercanias.

PraçasEditar

 
Centro de Cananor, na rua do Forte.

Referências

  1. Fernandes, Ivo Xavier (1941). Topónimos e Gentílicos. I. Porto: Editora Educação Nacional, Lda. 
  2. Paulo, Correia (Verão de 2020). «Toponímia da Índia — breve análise» (PDF). Bruxelas: a folha — Boletim da língua portuguesa nas instituições europeias. p. 4. ISSN 1830-7809. Consultado em 8 de outubro de 2020 
  3. receita extraordinária para João Vaz de Almada, alcaide-mor em Cananor

Ver tambémEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cananor


  Este artigo sobre Geografia da Índia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.