Abrir menu principal
Canastra Suja
Poster oficial do filme.
 Brasil
2018 •  cor •  120 min 
Direção Caio Soh
Produção Mistika
Coprodução Simtz
Roteiro Caio Soh
Elenco Marco Ricca
Adriana Esteves
Pedro Nercessian
Bianca Bin
Cacá Ottoni
David Junior[1]
Gênero drama
suspense
Distribuição ArtHouse
Lançamento 21 de junho de 2018
Idioma português

Canastra Suja é um longa-metragem brasileiro do gênero suspense. Com direção, roteiro e produção de Caio Sóh, o filme foi lançado em 21 de junho de 2018.[1][2] Em agosto do mesmo ano, a produção constou na lista dos 22 candidatos a representar o Brasil na disputa do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2019,[3] mas a Comissão Especial de Seleção (formada por Bárbara Paz, Lucy Barreto, Jorge Peregrino, Flávio Ramos Tambellini, Jeferson De, João Jardim e Hsu Chien) acabou elegendo O Grande Circo Místico.[4]

SinopseEditar

Quem vê Batista (Marco Ricca) e Maria (Adriana Esteves) andando pela rua com seus três filhos, Pedro (Pedro Nercessian), Emília (Bianca Bin) e Rita (Cacá Ottoni), acha que o grande problema deles é a filha caçula que sofre de autismo. Porém, as questões dessa família são bem mais complicadas. Batista é um alcoólatra tentando abandonar o vício por insistência familiar. Maria é uma esposa dedicada que vive um caso tórrido com o Tutu (David Junior), namorado de sua filha Emília, que se faz de pudica, mas seduz Lucas (João Vancini), seu patrão. Pedro, o primogênito, está perdido na entrada da vida adulta. Durante a trama, o conceito familiar desaba aos poucos.[5]

EnredoEditar

Batista (Marco Ricca) é um manobrista de um estacionamento de um hotel de alto padrão que sofre de alcoolismo e mora nos subúrbios do Rio de Janeiro com sua esposa, a dona de casa Maria (Adriana Esteves); e seus três filhos: o mais velho Pedro (Pedro Nercessian), para quem ele consegue um emprego no estacionamento do hotel; Emília (Bianca Bin), que é recepcionista e secretária de um médico jovem e rico; e Rita (Cacá Ottoni), uma adolescente que sofre de autismo. O filme mostra os problemas que a família enfrenta em casa, como os constantes conflitos entre Batista e Pedro e as tentativas de Batista de assediar suas filhas quando está alcoolizado, e também os dramas particulares de cada membro.

Pedro tem vergonha do pai devido aos problemas com bebidas e chega a pichar o muro da casa escondido com xingamentos a Batista. O pai consegue um emprego para ele no estacionamento do hotel, mas um dia, um cliente dá pela falta de seu celular e a culpa logo recai na equipe de manobristas, formada por Batista, Pedro e um terceiro homem. Quando Pedro se recusa a deixar seu chefe revistar sua mochila, mesmo diante da insistência do pai, as suspeitas caem sobre ele e ele não volta mais para trabalhar, criando um clima tenso com Batista. Adicionalmente, imagens das câmeras da garagem mostram Batista manobrando o carro do cliente em questão e demorando demasiadamente para sair de dentro dele após estacioná-lo. Seu chefe imediatamente deduz que ele foi o ladrão e o demite. Com isso, Batista mergulha ainda mais no álcool. Posteriormente, o cliente revela ter encontrado o celular em sua casa.

Após o episódio, Pedro pede um trabalho a Tutu (David Junior), namorado de sua irmã, para poder sair da casa do pai. Tutu o convida para entrar num esquema de prostituição por meio do qual ele será pago para praticar sexo anal ativo com homens ricos. Tutu o leva para a mansão de seu chefe Celso (Milhem Cortaz), que o acolhe e o apresenta a seus clientes. Logo, ele ganha a atenção de Donato (Remo Rocha), um dos principais fregueses de Celso, que o convida para ir a Armação dos Búzios. Ainda inseguro e tímido, Pedro recusa o convite, mas acaba indo para um quarto na mansão com Donato. O nervosismo de Pedro não o permite fazer sexo com Donato e ele eventualmente pede para encerrar o encontro, enfurecendo Donato. Os dois brigam e Pedro o machuca. Furioso, Celso repreende e ameaça Pedro e Tutu, mas um dos clientes da casa reconhece Pedro do hotel e o resgata, permitindo a ele voltar para a casa dos pais.

Enquanto isso, Maria vive um relacionamento extraconjugal com Tutu, que a visita regularmente em casa para vender anabolizantes e fazer sexo. Maria chega ao ponto de amarrar Rita à cama dela para poder fazer sexo em paz no quarto ao lado.

Emília, por sua vez, também mantém um segundo relacionamento, no caso, com seu chefe, um rico médico. Um dia, enquanto dá banho em sua irmã Rita, ela checa um exame de gravidez, que dá resultado positivo, e chora. Maria descobre o exame no lixo e pressiona a filha para revelar quem é o pai, mas esta se esquiva.

Na reta final do filme, Batista retorna para casa após uma noite de bebedeira e encontra a família discutindo a gravidez. Emília revela que o exame não era dela, e sim de Rita, e a família imediatamente expulsa Batista de casa. Posteriormente, Emília descobre que Batista não é o pai da criança. Passado algum tempo, a família é vista reunida em casa e festejando alegremente. Emília segura uma criança negra em seus braços, sugerindo que quem estuprou Rita foi Tutu.

ElencoEditar

MúsicaEditar

Trilha sonoraEditar

RecepçãoEditar

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Indicação Resultado Ref.
2016 11º Fest Aruanda Melhor Ator Marco Ricca Venceu [6]
Melhor Roteiro Caio Sóh Venceu
Melhor Ator Coadjuvante Pedro Nercessian Venceu
2017 Festival de Cinema de Los Angeles Melhor Ator Coadjuvante Venceu [7]
Melhor Ator Marco Ricca Venceu [8]
Melhor Diretor Caio Sóh Venceu
Melhor Filme Canastra Suja Venceu
Melhor Atriz Cacá Ottoni Indicado

Referências

  1. a b c d «NOS CINEMAS: Canastra Suja». Visao Arte. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  2. «Canastra Suja: filme faz radiografia de uma família suburbana carioca». Favo do Mellone. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  3. «Oscar 2019: Conheça os 22 filmes brasileiros que podem concorrer, quem escolhe e as datas mais importantes». G1. Grupo Globo. 24 de agosto de 2018. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  4. Fabro, Nathalia (11 de setembro de 2018). «'O Grande Circo Místico' representará Brasil na indicação ao Oscar 2019». Galileu. Grupo Globo. Consultado em 19 de janeiro de 2019 
  5. «Canastra Suja». Cine Click. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  6. «Filme sobre o direito à moradia vence o Fest-Aruanda 2016». Cultura Estadão. 15 de dezembro de 2016. Consultado em 18 de março de 2017 
  7. [1]
  8. «'Canastra Suja' com Adriana Esteves ganha o prêmio de melhor filme». Drivia. Consultado em 18 de março de 2017 

|- |2019 |Grande Prêmio do Cinema Brasileiro |Melhor Atriz |Adriana Esteves