Canato de Carabaque

Canato de Carabaque

Canato

Safavid Flag.svg
Armenian Flag Khachen.png
1748 — 1822 
Flag of the Russian Empire (black-yellow-white).svg
Khanate of Karabakh in 1809-1817.JPG
Capital

História  
• 1748  Fundação
• 1822  Dissolução

O Canato de Carabaque ou Canato de Karabakh (em persa: خانات قره‌باغ; romaniz.: Xānāt e Qarebāq, em azeri: Qarabağ xanlığı) foi um semi-independente canato túrquico no território dos atuais estados de Arménia e Azerbaijão, fundado em 1748 sob suserania iraniana safávida[1] na região do Carabaque e áreas vizinhas.[2] O canato existiu até 1806,[3] quando o Império Russo tomou o controlo do território à Pérsia.[4] A anexação pela Rússia só seria formalizada pelo Tratado do Gulistão em 1813, quando, em resultado da Guerra Russo-Persa, Fate Ali Xá do Irão oficialmente cedeu o Carabaque ao czar Alexandre I da Rússia.[5][6] O canato foi abolido em 1822, após alguns anos de tolerância russa com os governantes islâmicos, e em seu lugar foi estabelecida uma província sob administração militar.[5]

Em 14 de maio de 1805, com a Guerra Russo-Persa de 1804-1813 ainda nos primeiros meses, Ibraim Calil Cã e o general russo Pavel Tsitsianov assinaram um acordo transferindo o Canato de Carabaque para o domínio russo. No entanto, o acordo foi de pouco valor, pois as fronteiras mudavam constantemente até o fim da guerra em 1813. Após a violação russa do acordo que reconheceu Ibraim Calil Cã e seus descendentes como governantes de Carabaque em perpetuidade, abolindo o canato em 1822, uma administração militar tinha entretanto sido formada. O controlo russo foi decisivamente confirmado com a Pérsia pelo Tratado de Turkmenchay de 1828.[7]

No total houve três cãs, todos membros do clã Javanxir;

O território de Carabaque fora originalmente governado por pequenos principados feudais arménios, brevemente vassalos do Reino da Geórgia no século XIII, no âmbito da Arménia Zacárida; a região é então submersa pelas invasões do Império Mongol e depois dos turquemenos. No final do século XIV, Carabaque foi conquistado por Tamerlão. A rápida desintegração de seu império dá lugar ao domínio da Confederação do Cordeiro Branco (1410–1468) e ao da irmandade rival da Confederação do Cordeiro Negro (1468–1501) que reinam sobre o país até à anexação ao Império Safávida em 1502. Após longas batalhas, o general otomano Farade Paxá finalmente ocupa Carabaque, no início do reinado do xá Abas I. Os turcos mantem-se no local até 1606 [8].

Referências

  1. Encyclopædia Britannica Online: History of Azerbaijan
  2. Abbas-gulu Aga Bakikhanov. Golestan-i Iram
  3. Gammer, Moshe (1992). Muslim resistance to the tsar. [S.l.]: Routledge. 6 páginas. ISBN 0-7146-3431-X. In 1805 the khans of Qarabagh, Shirvan and Sheki swore allegiance to Russia. 
  4. Swietochowski, Tadeusz (1995). Russia and Azerbaijan: A Borderland in Transition. [S.l.]: Columbia University Press. ISBN 0-231-07068-3 
  5. a b Potier, Tim (2001). Conflict in Nagorno-Karabakh, Abkhazia and South Ossetia: A Legal Appraisal. [S.l.]: Martinus Nijhoff Publishers. ISBN 90-411-1477-7 
  6. Croissant, Michael (1998). The Armenia-Azerbaijan Conflict: Causes and Implications. [S.l.]: Praeger/Greenwood. p. 12. ISBN 0-275-96241-5 
  7. Muriel Atkin. The Strange Death of Ibrahim Khalil Khan of Qarabagh. Iranian Studies, Vol. 12, No. 1/2 (Winter - Spring, 1979), pp. 79-107
  8. E. J. Brill, "Primeira Enciclopédia do Islão", Volume IV, p.727.