Caneta Espacial

A Caneta Espacial (do inglês: Space Pen, também conhecida como a Caneta dos Astronautas), comercializada pela Fisher SPACEPEN Co., é uma caneta que utiliza cartuchos pressurizados de tinta e tem a capacidade de escrever sob a gravidade zero, de cabeça para baixo, debaixo d'água, sobre papel molhado e gorduroso, em qualquer ângulo, e em faixas de temperatura extremas.

Caneta Espacial

A Caneta Espacial Fisher foi inventada pelo industrial e fabricante da caneta Paul C. Fisher e é fabricado em Boulder City, Nevada, Estados Unidos. Canetas de outros fabricantes alegando algumas ou todas as habilidades da Caneta Espacial também têm aparecido no mercado.

TecnologiaEditar

A esfera presente na ponta desta caneta é feita de carbeto de tungstênio e é precisamente montada para evitar vazamentos. Uma esfera deslizante separa a tinta a partir do gás pressurizado. A tinta tixotrópica fica armazenada no reservatório hermeticamente fechado e sob pressão.A caneta pode escrever em altitudes de até 3810 metros. A tinta é forçada a sair devido ao ar comprimido a uma pressão de cerca de 35 psi (kPa 240). Temperaturas de operação variam de -35 a 120 graus Celsius. A caneta tem uma vida útil estimada (sem uso) de 100 anos.

Uma das primeiras patentes da caneta espacial está sob o registro US3285228, que foi apresentado em 19 de maio de 1965.[1]

ModelosEditar

Existem dois estilos de destaque da caneta: a caneta "AG7 Astronaut ", uma caneta retrátil com corpo longo fino em forma de uma caneta esferográfica comum, e a "bullet" que não é retrátil e tem o corpo mais curto do que as canetas comuns quando tampado, mas quando a tampa é afixada na parte traseira para a escrita assume o tamanho de uma caneta comum. Uma caneta deste modelo está em exposição permanente no Museu de Arte Moderna (Nova Iorque).

Vários dos modelos da Caneta Espacial (o modelo "Millennium" é um) são fabricados para escrever durante uma vida inteira para um usuário "médio". Como isto é muito vago, nas especificações do produto existe uma indicação de que a caneta vai escrever exatamente 30,7 milhas (cerca de 48,15 quilômetros).

Cartuchos de recargaEditar

Os cartuchos de recarga comuns da Caneta Espacial podem ser usados em qualquer caneta que utilize cartuchos no padrão das canetas esferográficas Parker bastando, para isso, utilizar o adaptador de plástico que é fornecido com cada recarga.

Existe uma grande variedade de cores de tinta disponíveis para os cartuchos de recarga da Caneta Espacial. Podem ser encontrados tanto os tradicionais azul e preto como cores variadas, entre elas: verde, vinho, púrpura e marrom.

Existem também alguns cartuchos especiais como o Guardião de Cheques (do inglês: Check Guardian) que possui uma tinta especial para evitar que a tinta da caneta seja removida para a adulteração de cheques.

Outro cartucho especial é aquele que escreve com tinta invisível. A única forma de visualizar aquilo que foi escrito é utilizando uma lâmpada ultravioleta.

NecessidadeEditar

Na terra, a gravidade puxa a tinta que está presente no reservatório de tinta das canetas comuns. Normalmente não percebemos isso pois é natural escrever com a esfera da caneta voltada para baixo. Porém ao tentar escrever de cabeça-para-cima percebemos que as canetas comuns falham após os primeiros traços.

No espaço, enquanto os astronautas estão em órbita, não existe uma força suficientemente forte os puxando em direção à terra. O mesmo ocorre com a tinta da caneta: como não há força puxando a tinta em direção alguma ela tende a permanecer no cartucho. Desta forma não é possível escrever no espaço com uma caneta comum.

Uso nos programas espaciais estadunidense e soviéticoEditar

Existe um mito que relata que o governo dos Estados Unidos teria gasto milhões para desenvolver uma caneta que escrevesse no espaço enquanto a União Soviética teria tomado a decisão mais simples e barata de usar lápis[2][3].

Como a maioria das lendas urbanas, esta não é totalmente falsa:

  • A NASA iniciou pesquisas para desenvolver uma caneta espacial, mas os custos do projeto se elevaram, levando ao seu cancelamento. Então os astronautas voltaram a usar lápis, como os homólogos cosmonautas soviéticos[2][3].
  • As pesquisas para o desenvolvimento da Caneta Espacial Fisher foram inteiramente financiadas pelo seu inventor, que tomou a iniciativa sem que houvesse uma solicitação formal da NASA. Tampouco houve financiamento por parte do Governo dos Estados Unidos. Depois de inventá-la, Fisher solicitou em 1965 que a agência espacial estadunidense a testasse. Após longos testes, a NASA decidiu adotar as canetas nas futuras missões Apollo. Registra-se que foram adquiridas 400 unidades a US$6 cada uma.
  • Os programas anteriores da NASA usaram lápis[4], mas os perigos que as pontas quebradas e o pó do grafite representavam para os aparelhos eletrônicos em condições de gravidade zero, assim como a madeira - substância inflamável - que os revestem[4] indicavam a necessidade de desenvolver uma alternativa.
  • Os cosmonautas russos usaram lápis comuns e lápis de cor em lousas de plástico até adotarem uma caneta espacial em 1969, com 100 unidades compradas para uso todas as futuras missões[5].
  • Em 2008, a caneta espacial usada por Gene Cernan a bordo da Apollo 17 foi leiloada por Heritage Auctions, arrematada por 23.900 dólares[6].

Referências

  1. Sakpal, Nilesh J Space pen | Zero gravity pen | Astronaut's pen AG7 - Fisher Space Pen Co.
  2. a b «Is it true that NASA spent thousands of dollars developing a space pen, whereas the Russians just took a pencil? | Posters | physics.org». www.physics.org. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  3. a b «FACT CHECK: NASA's 'Astronaut Pen'». Snopes.com (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019 
  4. a b «Fact or Fiction?: NASA Spent Millions to Develop a Pen that Would Write in Space, whereas the Soviet Cosmonauts Used a Pencil: Scientific American». web.archive.org. 20 de outubro de 2007. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  5. «Fisher Space Pen». history.nasa.gov. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  6. «Gene Cernan's Apollo 17 Lunar Module Flown Fisher AG-7 Space Pen... | Lot #58028». Heritage Auctions (em inglês). Consultado em 13 de novembro de 2019 
  • Este artigo foi inicialmente traduzido, total ou parcialmente, do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Space Pen», especificamente desta versão.

Ligações externasEditar