Abrir menu principal

Caniço (Santa Cruz)

cidade e freguesia de Santa Cruz
Portugal Portugal Caniço 
  Freguesia  
Brasão de armas de Caniço
Brasão de armas
Localização no concelho de Santa Cruz
Localização no concelho de Santa Cruz
Caniço está localizado em: Madeira
Caniço
Localização de Caniço na Madeira
Coordenadas 32° 38' N 16° 51' O
País Portugal Portugal
Região Flag of Madeira.svg Madeira
Concelho SCR1.png Santa Cruz
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Milton Marco Neto Teixeira
Área
- Total 12,00 km²
População (2011)
 - Total 23 368
    • Densidade 1 947,3 hab./km²
Código postal 9125-014
Website www.jf-canico.pt

O Caniço é uma cidade e freguesia portuguesa do concelho de Santa Cruz, na ilha da Madeira. Tem 12 km² de área, 23 368 habitantes (2011) e uma densidade populacional de 1 947,3 hab/km². Localiza-se a uma latitude de 32.633 (32°38') Norte e a uma longitude de 16.85 (16°51') Oeste. É banhada pelo Oceano Atlântico a sul e é montanhoso a norte. Foi elevado à categoria vila a 19 de abril de 2000[1] e a cidade a 10 de junho de 2005.[2]

No Caniço, localiza-se a estátua do Coração de Jesus, mais conhecida por Cristo Rei, na ponta do Garajau.[2]

HistóriaEditar

A denominação da povoação vem do nome dado à planta Phragmites communis, vulgarmente chamada de carriço ou caniço, que existia abundantemente na zona à altura da descoberta da ilha da Madeira.[3]

Fora do Funchal e de Machico, o Caniço foi um dos dez primeiros lugares criados e povoados e, desde cedo, se procedeu ao arroteamento e cultivo das terras.[2][3]

Aquando da colonização, foi feita a divisão da ilha em duas capitanias, passando a linha divisória pela localidade do Caniço. Com efeito, a ribeira do Caniço constituía parte dessa linha, que partia da ponta da Oliveira e terminava na ponta do Tristão, no Porto Moniz.[2][3]

A Paróquia do Caniço foi fundada em 1438 ou 1440, sendo uma das mais antigas da ilha, e era constituída, a princípio, por duas igrejas. Uma na margem direita da ribeira, que tinha como orago o Espírito Santo, e outra na margem esquerda, a de Santo Antão. Com o tempo, a igreja de Santo Antão foi ganhando primazia em relação à outra. Em 1778, já as duas se encontravam em ruína e, em 1783, foi inaugurada a atual igreja paroquial do Caniço, cuja torre é mais recente e foi concluída em 1874.[2][3]

Os terrenos na margem direita da ribeira denominavam-se Caniço de Baixo para o Funchal e, mais tarde, Caniço de Baixo para a Cidade e pertenciam à capitania-donatária do Funchal, enquanto que os que ficavam na margem esquerda chamavam-se Caniço de Cima para Machico e pertenciam à capitania de Machico. Cada um dos sítios tinha o seu porto de mar, respetivamente, o dos Reis Magos, o mais antigo, e o do Portinho.[2][3]

Existia aqui um tabelião privativo, do qual existem registos desde 1488.[2]

Consta que o primeiro moinho que houve na Madeira, foi construído no Caniço, no sítio da Azenha, ainda em tempo de vida de João Gonçalves Zarco (c. 1390–1471).[2][3]

Em 1676, a freguesia da Camacha desmembrou-se do Caniço.[3]

Até 1835, a freguesia pertenceu ao concelho do Funchal e, nesse ano, foi incorporada no concelho de Santa Cruz.[3]

Em 19 de abril de 2000, a povoação do Caniço foi elevada a vila pelo Decreto Legislativo Regional n.º 10/2000/M, onde se pode ler, no preâmbulo: «A povoação do Caniço tornou-se no maior pólo de desenvolvimento turístico da Região Autónoma da Madeira, depois do Funchal, e é uma das zonas habitacionais mais apetecidas.»[1]

Em 10 de junho de 2005, a vila do Caniço foi elevada a cidade pelo Decreto Legislativo Regional n.º 8/2005/M, que a caracteriza, no preâmbulo, como «um dos maiores pólos de concentração de indústria e comércio regionais e uma das zonas habitacionais mais procuradas.[2]

Património edificadoEditar

Do património edificado do Caniço, constam a estátua do Coração de Jesus (Cristo Rei), na ponta do Garajau, o Forte da Atalaia de São Sebastião (de início do século XVII) e o Forte dos Reis Magos (construído no século XVIII com o propósito de defender a Ilha da Madeira de ataques de piratas e corsários).[4] Outros elementos culturais, classificados como imóveis de interesse público e local, são a Capela da Mãe de Deus, a Capela da Nossa Senhora da Consolação e o conjunto edificado dos Reis Magos.[2][3]

O monumento ao Coração de Jesus foi inaugurado a 30 de outubro de 1917, na ponta do Garajau, por ocasião das festas do Cristo Rei — nome pelo qual é mais conhecido —, em cumprimento de um voto do conselheiro Aires de Ornelas, filho do último morgado do Caniço.[2]

O Teleférico do Garajau, inaugurado em 2007, serve de transporte, para locais e turistas, de modo a se deslocarem de forma mais rápida e cómoda à Praia do Garajau e à Reserva Natural Parcial do Garajau. A viagem tem uma duração de 3 minutos, sendo possível fazer o trajeto só de descida ou subida, ou descida e subida.[5]

PopulaçãoEditar

     
Evolução da população, 1864/2011 Grupos etários, 2001 Grupos etários, 2011
População da freguesia do Caniço[6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
2 351 2 703 3 806 3 789 4 739 4 936 6 274 7 035 7 580 7 394 5 791 6 805 6 876 11 586 23 368
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 2 344 20,2% 1 519 13,1% 6 713 57,9% 1 010 8,7%
2011 4 805 20,6% 2 379 10,2% 14 615 62,5% 1 569 6,7%

Média do país no censo de 2001: 0/14 anos – 16,0%; 15/24 anos – 14,3%; 25/64 anos – 53,4%; 65 e mais anos – 16,4%

Média do país no censo de 2011: 0/14 anos – 14,9%; 15/24 anos – 10,9%; 25/64 anos – 55,2%; 65 e mais anos – 19,0%

Clima do CaniçoEditar

O Caniço apresenta um clima quente a maior parte do ano, com raras vagas de frio, que raramente descem dos 15°C. É um pouco ventoso, daí a sensação térmica ligeiramente mais baixa que em outras freguesias com o mesmo clima. As temperaturas mais baixas registadas no Caniço foram 1,1°C na Cancela, 3,5°C na Assomada, 6°C no Caniço Centro, 6,5°C no Caniço de Baixo, 0°C no Caniço de Cima, -0,7°C nas Eiras e 9°C nos Reis Magos, e a mais alta em todo o Caniço foi 41,5°C.

SítiosEditar

* Abegoaria
  • Assomada
  • Atalaia
  • Azenha
  • Barreiros
  • Bis Bis
  • Camarisco
  • Cancela
  • Caniço para a Cidade, Caniço para o Funchal ou Caniço de Baixo
  • Caniço para Machico ou Caniço de Cima
  • Castelo
  • Contrata
  • Cristo Rei
  • Eiras
  • Figueirinhas
  • Fontes
  • Galo
  • Garajau
  • Livramento
  • Mãe de Deus
  • Moinhos
  • Olaria
  • Palheiro do Ferreiro
  • Pedra Mole
  • Pedra Sina
  • Portinho
  • Ribeira dos Pretetes
  • Quinta
  • Serralhal e Amoreiras
  • Tendeira
  • Vale
  • Vargem
  • Zimbreiros

ImagensEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Caniço (Santa Cruz)
 
Vista panorâmica da Ponta do Garajau

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Decreto Legislativo Regional n.º 10/2000/M - Diário da República n.º 92/2000, série I-A de 2000-04-18
  2. a b c d e f g h i j k Decreto Legislativo Regional n.º 8/2005/M - Diário da República n.º 111/2005, série I-A de 2005-06-09
  3. a b c d e f g h i Silva, Fernando Augusto da, Pe; Azevedo de Meneses, Carlos (1978). Elucidário Madeirense (PDF). I. Funchal: Secretaria Regional da Educação e Cultura 
  4. «Forte dos Reis Magos». www.visitmadeira.pt. Consultado em 4 de junho de 2019 
  5. «Teleférico do Garajau». www.visitmadeira.pt. Consultado em 4 de junho de 2019 
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  Este artigo sobre geografia da Região Autónoma da Madeira, integrado no Projecto Madeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.