Abrir menu principal

Capela de Nossa Senhora da Apresentação

Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde julho de 2018). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
A capela está no interior da igreja de Carrazedo

A Capela de Nossa Senhora da Apresentação, também referida como Capela da Tapada, localiza-se na freguesia de Carrazedo, concelho de Amares, distrito de Braga, em Portugal.

No interior da igreja paroquial de Carrazedo, no lado esquerdo, encontram-se duas capelas funerárias: a de Nossa Senhora da Apresentação e a de Santa Margarida.

HistóriaEditar

A data exata de edificação da capela não é conhecida. Entretanto, muitos autores referem que foi Jerónimo de Sá de Azevedo, filho de Sá de Miranda, quem encomendou a construção da capela na segunda metade do século XVI, para servir de mausoléu a seu pai. Essa sepultura encontra-se no pavimento, sob uma grande pedra rasa, sem moldura nem decoração, juntamente com a de D. Briolanja Azevedo, esposa de Sá de Miranda, e mãe do encomendante.

A capela encontra-se classificada como Imóvel de Interesse Público por Decreto de 1971.

CaracterísticasEditar

A Capela de Nossa Senhora da Apresentação, de reduzidas dimensões, abre-se para a nave da igreja através de um arco de volta perfeita, em cantaria, sendo acedida por dois degraus. Em nossos dias apresenta-se despojada de qualquer elemento decorativo digno de nota, excetuando as duas grandes lápides rectangulares com as dimensões de 1,80 metros x 0,80 metros, inscrições em latim e português e com os sulcos pintados de preto.

Não existem informações que permitam conhecer se a sua estrutura e decoração originais eram mais complexas do que aquelas que chegaram até nós. Sabe-se, entretanto, que em 1750 a igreja paroquial foi reedificada, e que nessa ocasião as capelas foram conservadas, supondo-se que a sua estrutura foi mantida. O que se acredita tenha sido alterado foi a sua decoração, uma vez que nas "Memórias Paroquiais de 1758" o padre Domingos Gonçalves afirma que as duas capelas laterais tinham grades de madeira e eram muito antigas.

Ver tambémEditar