Capela do Menino Deus (Rio de Janeiro)

bairro do Rio de Janeiro
Fachada principal da capela
Altar da capela

A Capela do Menino Deus é uma capela católica localizada na Rua do Riachuelo, no bairro da Lapa, no município do Rio de Janeiro, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

HistóriaEditar

A sua história confunde-se com a da fundação do antigo Convento de Santa Tereza. Numa manhã de maio de 1742, Madre Jacinta de São José e a sua irmã Francisca, passeavam pelo Caminho da Bica (depois, Rua de Matacavalos; atualmente, Rua do Riachuelo), onde exploraram uma antiga chácara ali existente, a Chácara da Bica. Encontraram a antiga casa em ruínas e, por entre o arvoredo em abandono, uma fonte. Ao regressar à casa, pediram ao tio delas, Manuel Pereira Ramos, que adquirisse a propriedade, no que foram satisfeitas.

As duas irmãs para lá se transferiram, fundando o Recolhimento do Menino Deus, primeiro convento das monjas carmelitas descalças na então Colônia, sob a direção de madre Jacinta São José. Tendo dado início à construção da primitiva capela, a mesma foi consagrada e teve sua primeira missa celebrada em 1 de janeiro de 1744. Mais tarde, diante da ameaça de demolição quando da retificação do traçado daquela importante via urbana, as irmãs, à época, obtiveram a promessa e o empenho do então governador Gomes Freire de Andrade, 1.º Conde de Bobadela (1685-1763), de que tal não aconteceria. De fato, pode verificar-se que, no local, a rua faz uma curva notável, quase em frente à capela.

Aquele governante, afirma-se que impressionado pela reputação de virtude de madre Jacinta, obteve, junto ao então bispo do Rio de Janeiro, o terreno onde se encontrava a Ermida do Desterro, no Outeiro do Desterro (atual bairro de Santa Tereza), para onde se transferiram as instalações do convento, permanecendo no antigo local apenas a Capela do Menino Deus. Com o tempo, a capela foi abandonada, caindo em ruínas. Foram recolhidos, então, ao convento, a imagem do Menino Deus e as demais relíquias.

Em 1925, a capela veio a ser reconstruída, após ter sido praticamente toda demolida a antiga capela pelo Conselho Superior da Sociedade de São Vicente de Paulo, com autorização das freiras do Convento de Santa Tereza, sob condição de que fosse reconstruída. Foram, assim, devolvidas, à capela, as relíquias da época de madre Jacinta (a imagem do Menino Deus, o cálice e os sinos), as quais foram transladadas em procissão no dia 6 de janeiro de 1925. De acordo com a tradição, o escritor Machado de Assis aqui passou num natal para assistir à missa, tendo escrito, a seguir, o seu "Auto de Natal". Consta, ainda, que o seu telhado é de telhas feitas nas coxas dos escravos e que, na parte superior da abóbada, existem marcas das mãos dos escravos que a construíram.

CaracterísticasEditar

De planta retangular, a capela possui área de setenta metros quadrados. O edifício apresenta dois pavimentos. A fachada é em estilo neoclássico. O seu interior apresenta nave única, recoberta por abóbada, iluminada naturalmente pelo lado direito por quatro janelas em arco de volta perfeita ornadas por vitrais, mais uma na sacristia. O coro alto encontra-se sobre a porta principal.

BibliografiaEditar

  • Acervo Particular da Sociedade de São Vicente de Paulo no Brasil.
  • J. M. de Macedo, Um Passeio pela Cidade do Rio de Janeiro, Livraria Editora Zelio Valverde, 1942.
  • M. Corrêa, Terra Carioca – Fontes e Chafarizes, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, reproduzido nas Oficinas Gráficas do Departamento de Imprensa Oficial da Secretaria Municipal de Administração ed., da do de Janeiro, P. C. R., Ed., Imprensa Nacional, 1939, vol. 4.
  • Moreira de Azevedo, O Rio de Janeiro, Livreiro Editor do Instituto Histórico Brasileiro, 1877, vol. 1.

Ligações externasEditar