Capricornis swinhoei

O serau de formosa (Capricornis swinhoei), também chamado de serau de Taiwan, é uma espécie do gênero Capricornis endémica à Taiwan.[1]

Como ler uma infocaixa de taxonomiaSerau de Formosa
Imagem de um Serau de Formosa, também chamado de Serau de Taiwan
Imagem de um Serau de Formosa, também chamado de Serau de Taiwan
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Cetartiodactyla
Família: Bovidae
Gênero: Capricornis
Espécie: swinhoei
Nome binomial
Capricornis swinhoei
Gray, 1862

TaxonomiaEditar

O serau de formosa é considerado por alguns autores como uma subespécie do serau japonês (Capricornis crispus), porém de acordo com Groves e Grubb (1985), C. swinhoei é uma espécie distinta.[2]

Distribuição e habitatEditar

C. swinhoei é endémico à Taiwan, e pode ser encontrado em 11 dos 16 condados do país (Taipei, Ilan, Hualien, Hsinchu, Taichung, Nantou, Chia-I, Tainan, Kaohsiung, Ping-tung e Tai-tung). O habitat da espécie consiste tanto das faces rochosas de montanhas, como também de florestas coníferas e decíduas. Excremento foi encontrado em pastagens alpinas dominadas por Yushania niitakaymensis, em florestas com Juniperus formosana, Juniperus squamata, Tsuga chinensis e Abies kawakamii e em cumes. Áreas íngrimes e rochosas são utilizadas como refúgio contra ameaças.[2]

DescriçãoEditar

O comprimento da cabeça e o corpo é entre 80-114 centímetros, e a altura dos ombros é de 50-60 cm, enquanto o peso é entre 17-30 kg, medidas menores que outras espécies de serau. A pelagem é macia, curta, encaracolada e menos espessa que a pelagem do C. crispus. A cor do corpo é marrom escuro, e a espinha dorsal é marcada por uma linha preta. Ao contrário de outros seraus presentes no continente, a nuca do C. swinhoei não tem uma crina extensiva, embora seja mais ereta. A cauda é curta.[2]

A única marca notável é um quadrado de pelagem, de branco creme a dourado, que corre do queixo, sob a mandíbula e até a parte superior da garganta. Há um par de glândulas presentes na frente dos olhos. Tanto machos quanto fêmeas tem chifres pontudos que curvam-se, com pouca inclinação, para trás. Os chifres não têm medida exata, porém Nowak (1991) descreveu os chifres de Capricornis como medindo entre 15,2 e 25,5 centímetros de comprimento, e como o C. swinhoei é o menor de seu gênero, é acreditado que a medida dos seus chifres caiam na menor medida das estimativas.[2]

Biologia e ecologiaEditar

Pouco é conhecido sobre sua estrutura populacional, porém acredita-se que as altas altitudes do Parque Nacional Yushan tenham uma densidade de 22 indivíduos por quilômetro quadrado. Não existem predadores nativos do C. swinhoei, embora o Neofelis nebulosa possa ter sido um predador antes de ser extinto em Formosa. A espécie pode competir com o Cervus unicolor swinhoei e o Muntiacus reevesi micrurus, os outros dois grandes herbívoros da ilha, embora essa competição seja mitigada devido à segregação de habitat. [2]

A espécie é herbívora, alimentando-se de partes juvenis de coníferas e grama e arbustos. As plantas prediletas para alimentação são a Urtica fissa, Elatostema edule, Anisogonium esculentum, Begonia laciniata, Polygonum chinensis, Chamabainia cuspidata, Mussaenda parviflora, Perrottetia arisanensis, e Pellionia arisanensis. Embora a Urtica fissa seja venenosa, não parece afetar o C. swinhoei. No Zoológico de Taipei, indivíduos alimentaram-se de 2,3 quilogramas por dia, consistindo uma quantidade de 1.940 kcal diárias.[2]

Interações humanasEditar

A espécie é considerada de pouco preocupação de extinção pela União Internacional pela Conservação da Natureza. Populações sempre foram pequenas, porém na década de 1970 começaram a haver preocupações em relação ao alto nível de caça da espécie. Embora ilegal, a caça ainda ocorre, principalmente entre novembro e março. Em 1989 o governo taiwanês listou a espécie como uma espécie rara e preciosa sob o ato de proteção ambiental da nação. Ela pode existir em contato próximo com humanos.[1][2]

Referências

  1. a b c «Formosan Serow» (em inglês). Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza. Consultado em 1 de novembro de 2021 
  2. a b c d e f g «Capricornis swinhoei» (em inglês). Ultimate Ungulate. Consultado em 1 de novembro de 2021