Abrir menu principal

Carcinoma de células pequenas

(Redirecionado de Carcinoma de pequenas células)
Carcinoma de pequenas células
Micrografia de um carcinoma de pequenas células do pulmão mostrando células com núcleos fundidos, pequena porção de citoplasma e cromatina pontilhada. Espécime obtida por punção aspirativa por agulha fina. Coloração de Field.
Especialidade oncologia
Classificação e recursos externos
ICD-O: 8041/3
MedlinePlus 000122
eMedicine med/1336
MeSH D018288
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

O carcinoma de pequenas células, carcinoma microcítico ou carcinoma de células tipo grão de aveia (oat-cells carcinoma)) é um tipo de câncer muito agressivo que ocorre, com maior frequência, nos pulmões,[1] embora, ocasionalmente, também possa surgir em outras partes do corpo, como no colo do útero,[2] na próstata,[3] e no trato gastrointestinal.

Gráfico mostrando a incidência do câncer de pulmão de pequenas células (em vermelho, à direita), comparada à de outros tipos de câncer de pulmão, com as frações de fumantes versus não-fumantes para cada tipo.[4]

Índice

TiposEditar

  • Carcinoma de pulmão de células pequenas: Em inglês é conhecido como "carcinoma de células tipo grão de aveia (oat-cell carcinoma), por sua aparência ao microscópio. Crescem rapidamente e na maioria dos casos (67 a 75%) já se espalhou para outros órgãos no momento do diagnóstico. Representam 16% dos cânceres de pulmão.[5]
  • Carcinoma de células pequenas combinado: Além do carcinoma de células pequenas pode ser visto um outro tipo carcinoma simultâneo (adenocarcinoma, carcinoma de células grandes ou carcinoma de células escamosas). O prognóstico é pior, pois é mais difícil tratar dois cânceres simultaneamente.
  • Carcinoma de células pequenas extrapulmonar: "Extra" nesse caso tem sentido de fora dos pulmões. Podem afetar aparato genital feminino (26% dos casos), tubo gastrointestinal (23% dos casos), vias urinárias (19%), cabeça e pescoço (16%) ou ter outra origem (4%). Em 13% dos casos, diagnosticaram uma metástase com origem desconhecida.[6]

CausasEditar

Os fatores que aumentam o risco de desenvolver o câncer de pulmão de pequenas células incluem[7]:

HistopatologiaEditar

O carcinoma de pequenas células é uma neoplasia indiferenciada composta de células aparentemente primitivas.

Como o nome indica, o carcinoma de pequenas células é composto por células menores do que o normal, com pouco espaço para citoplasma. Alguns pesquisadores identificam isso como uma falha do mecanismo que controla o tamanho das células.[8]

Sinais e sintomasEditar

Alguns dos possíveis sintomas incluem[7]:

  • Dor no peito;
  • Dificuldade para respirar ou para engolir;
  • Tosse seca persistente;
  • Perda de apetite e/ou peso;
  • Cansaço;
  • Ruído ao respirar;
  • Tosse com sangue (incomum);
  • Mudança na voz (incomum);
  • Síndromes paraneoplásicas;

Em um número significante de casos, o carcinoma de pequenas células pode produzir hormônios ectópicos, incluindo o hormônio adrenocorticotrópico (ACTH) e o hormônio antidiurético (ADH). A produção ectópica de grandes quantidades de ADH leva à síndrome de secreção inapropriada de hormônio antidiurético (SIADH). A síndrome miastênica de Lambert-Eaton é uma condição paraneoplásica bem conhecida ligada ao carcinoma de pequenas células.[9]

TratamentoEditar

Dificilmente curável o tratamento tem como objetivo prolongar a sobrevida (em média 2 anos) e melhorar a qualidade de vida. A sobrevivência é de apenas 20% após 5 anos do diagnóstico. Em mais de 80% dos casos o mais eficiente é usar quimioterapia combinando cisplatina com dois outros quimioterápicos: etoposídeo, vincristina, doxorrubicina ou ciclofosfamida. Esses medicamentos são injetados a cada 3 semanas em 4 a 6 sessões, que pode ser associada com radioterapia a partir da 4ª sessão. Em menos de 5% dos casos a cirurgia é útil, pois quase sempre o câncer de células pequenas já se espalhou antes do diagnostico. Se o câncer não responder a quimioterapia ou reaparece em menos de 6 meses o prognóstico é extremamente ruim, e provavelmente não responderá a outros tratamentos.[10]

Referências

  1. Small-cell carcinoma em Dicionário Médico de Dorland
  2. Nasu K, Hirakawa T, Okamoto M; et al. (2011). «Advanced small cell carcinoma of the uterine cervix treated by neoadjuvant chemotherapy with irinotecan and cisplatin followed by radical surgery». Rare Tumors. 3 (1): e6. PMC 3070456 . PMID 21464879. doi:10.4081/rt.2011.e6 
  3. Capizzello A, Peponi E, Simou N; et al. (2011). «Pure small cell carcinoma of the prostate: a case report and literature review». Case Rep Oncol. 4 (1): 88–95. PMC 3072185 . PMID 21475596. doi:10.1159/000324717 
  4. Fumantes auto-definidos como atuais ou ex-fumantes com mais de um ano de duração. Ver página da imagem no Wikimedia Commons para as porcentagens em números. Referência:
  5. http://www.emedicinehealth.com/small-cell_lung_cancer/article_em.htm
  6. http://www.uptodate.com/contents/extrapulmonary-small-cell-cancer
  7. a b http://www.cancer.gov/types/lung/patient/small-cell-lung-treatment-pdq
  8. Leslie M (2011). «Mysteries of the cell. How does a cell know its size?». Science. 334 (6059): 1047–8. PMID 22116854. doi:10.1126/science.334.6059.1047 
  9. Titulaer MJ, Verschuuren JJ (2008). «Lambert-Eaton myasthenic syndrome: tumor versus nontumor forms». Ann. N. Y. Acad. Sci. 1132: 129–34. PMID 18567862. doi:10.1196/annals.1405.030 
  10. http://www.emedicinehealth.com/small-cell_lung_cancer/page7_em.htm