Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaElettaria cardamomum
Elettaria cardamomum
Elettaria cardamomum
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Zingiberales
Família: Zingiberaceae
Género: Elettaria
Espécie: E. cardamomum
Nome binomial
Elettaria cardamomum
(L.) Maton

O Cardamomo é uma planta cujo nome científico é Elettaria cardamomum.[1] Originário da Índia, o cardamomo chegou à Europa com as rotas das caravanas e seguiu com os viquingues de Constantinopla à Escandinávia onde é popular.[2]

A planta é da família do gengibre, com folhas grandes, flores brancas e frutos secos de cor esverdeada ou branca contendo sementes negras e aromáticas de sabor picante, que podem ser transformadas em pó ou em óleo.[2]

Tem propriedades antissépticas, digestivas, diuréticas, expectorantes e laxantes.[1] Não deve ser consumido em altas doses, pois pode provocar vômitos.

Usos culináriosEditar

As sementes de cardamomo são consumidas no café nos países árabes ("Arabian coffee"). Na Índia, no Líbano, na Síria, nos países do Golfo (baharat) e na Etiópia (berbere) é um componente essencial de misturas de especiarias. Também é aproveitado para aromatizar pães, carnes, pastéis, pudins, doces, salada de frutas, sorvetes, embutidos e licores. Fica bom ainda em maçãs assadas, peras escalfadas, entre outros. Combina em marinada e no vinho. Também em picles e no arenque em conserva.[2]

SementesEditar

As vagens contêm, cada uma, entre 15 e 20 pequenas sementes pretas ou marrom-escuras e viscosas. As vagens inteiras, levemente partidas, são usadas como tempero em arroz, ensopados e carnes refogadas lentamente. As sementes podem ser fritas ou tostadas e moídas antes de adicionadas ao alimento.[2]

A semente do cardamomo serve bem com alcaravia, pimenta-malagueta, canela, cravo-da-índia, café, coentro, cominho, gengibre, paprica, pimenta-do-reino, açafrão e iogurte.[2]

Referências

  1. a b "A saúde. "Cardomomo é digestivo"
  2. a b c d e NORMAN, Jill. Ervas & especiarias. Páginas 194—197. São Paulo. Publifolha (2012)
  Este artigo sobre monocotiledóneas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.