Carlo Mossy

ator brasileiro

Moisés Abrão Goldszal, conhecido como Carlo Mossy (Tel Aviv, outubro de 1946), é um ator, diretor, roteirista e produtor brasileiro. Ficou famoso na década de 1970 por produzir e protagonizar diversos filmes do gênero pornochanchada, o que lhe rendeu a alcunha informal de O Rei da Pornochanchada.

Carlo Mossy
Nome completo Moshe Avraham Goldszal
Moisés Abrão Goldszal
Nascimento outubro de 1946 (75 anos)
Tel Aviv
Ocupação ator, diretor, roteirista e produtor

BiografiaEditar

Nascido como Moshe Abraham Goldszal em Tel Aviv, filho de judeus poloneses refugiados da Segunda Guerra, Mossy chegou ao Brasil aos 2 anos.[1] Originalmente, viria a se chamar Stanislaw, porém o médico rabino do Hospital Hadassah, onde Mossy nasceu, indicou a seus pais que ele se chamasse Moshe Abraham (que em português é Moisés Abrão), por ser um "nome de judeu".

Na década de 1960, ao salvar o marchand Fernand Legros de se afogar na praia de Copacabana, Mossy recebeu do milionário em agradecimento, durante três anos, recursos para estudar cinema, teatro e música na França, nos Estados Unidos e na Inglaterra. Durante esses três anos, Mossy manteve um relacionamento afetivo com Legros. Nesse período conheceu grandes estrelas de cinema e diretores famosos como Alec Guiness e Roman Polansky.

No final dos anos 1960, Mossy voltou ao Brasil, onde colocou em prática o que aprendera. Como ator, estréia em Copacabana me engana, de 1968. Em 1972 cria a Vidya Produções, produzindo, dirigindo e atuando de forma independente na cena cinematográfica da época. Embora sua especialidade fossem as comédias eróticas, a chamada pornochanchada, investiu também em filmes policiais e até infantis. Mossy fala fluentemente, além do português, o espanhol, inglês, francês, polonês e se comunica com facilidade em italiano e alemão. Mossy é pluri desportista até os dias de hoje e no futevôlei de praia que ele encontra sua melhor forma.

Passou alguns anos longe das telas e dos holofotes da mídia, retornando em 2003 com um papel no filme O Homem do Ano e aparições em novelas e longa-metragens.

Graças ao Canal Brasil, seus filmes são vistos e reavaliados por uma nova geração de pesquisadores, cinéfilos e críticos. Coroando esse movimento, em fevereiro de 2006 foi exibida uma retrospectiva de sua obra no Cine Odeon, Rio de Janeiro, durante quinze dias ininterruptos.

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Notas
2021 Dom General Helleno Cruz Episódio:"Parceiros?"
2016 Malhação Cafajeste Setentão
A Terra Prometida
2014-18 Magnífica 70 Lúcifer Santos
2013 O Rei do Drama Nicolaiev
Salve Jorge Mafioso
2012 As Brasileiras Frederico Episódio: "A Reacionária do Pantanal
2011 Araguaia Lauro
2010 Tempos Modernos Marido na Ópera
2009 Filhos do carnaval Juiz Feitosa
2008 Larica Total
Profissão Voyeur
Malhação Daniel Viveiros
Dicas de Um Sedutor Jonas Episódio:"Embarangada"
Lutador Episódio: "Amor e Fantasia"
Queridos Amigos Macedo
2007 Vidas Opostas Professor Boáz
Sete Pecados Sálvio
Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Comandante
2006 Páginas da Vida Galvão
Minha Nada Mole Vida Beto Episódio: "Que Vença o Melhor "
2005 Carandiru, Outras Histórias Walter
A Lua Me Disse Nocaute Jackson / Josimar

CinemaEditar

Ano Título Personagem Notas
2021 Benjamin Zambraia e o Autopanóptico Homem das cavernas
2017 Ódio Delegado
2013 Boa Sorte, Meu Amor Pai de Maria
Réquiem para Laura Martin Dr. Guilherme
2012 O vazio está cheio de Nada e o Nada Vazio Filantropo
O Terno do Zé Flávio Curta-metragem
2011 A Despedida seu Francisco
2009 De Velha Basta Eu Namorado Curta-metragem
Cataldo convida
Ligação Delegado Feitosa
Catarses O Velho
2008 Luz de velas Pai
Cleópatra Profeta
Aporias Conjuminadas
Ego e as Estrelas também Pai Curta-metragem
2007 A Volta do Regresso Costão
Sarcófago Macabro Mr.Stone
Meu Nome É Dindi Açougueiro
2005 Cafuné Carlos
2003 O Homem do Ano Delegado Santana
1989 Solidão, uma Linda História de Amor
1986 As Sete Vampiras Luís Terra
1983 Giselle Ângelo
1981 O Sequestro Detetive Vilarinho
1978 Manicures a Domicílio Repórter
1977 Ódio Roberto
1976 As Granfinas e o Camelô Zé Maria
1975 Com as Calças na Mão Reg
Lucíola, o Anjo Pecador Paulo
Quando as Mulheres Querem Provas Bira
1974 Essa Gostosa Brincadeira a Dois Carlos
1973 Como É Boa Nossa Empregada Honorinho
Oh! que delícia de Patrão Rodolfo
1972 Viver de Morrer Carlos
1971 Lua-de-Mel e Amendoim Serginho
Soninha Toda Pura Betinho
Quando as Mulheres Paqueram Rodrigo
1970 Estranho Triângulo Durval
1969 A Penúltima Donzela Pedro
1968 Copacabana Me Engana Marquinhos
Como Diretor
  • 2014 - Só Pelo amor Vale a Vida
  • 2011 - Garota de Ipenama - o Bar
  • 1979 - As 1001 posições do amor
  • 1979 - Bonitas e gostosas
  • 1978 - As taradas atacam
  • 1976 - As Massagistas Profissionais

No TeatroEditar

  • 1967 - Espírito da coisa (Claudio Barreto e Carlo Mossy)
  • 1967 - Quarenta quilates(Barillet & Gredy)
  • 1966 - Sim mamãe! (Claudio Barreto e Carlo Mossy)
  • 1966 - Nana (Yves Furet)
  • 1965 - Fantasio(Alfred de Musset)

Referências

Ligações externasEditar