Abrir menu principal
Carlo Sacconi
Cardeal da Santa Igreja Romana
Decano do Colégio dos Cardeais
Pró-datário da Dataria Apostólica
Prefeito da Sagrada Congregação Cerimonial
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 24 de março de 1884
Predecessor Dom Camillo Cardeal Di Pietro
Sucessor Dom Raffaele Cardeal Monaco La Valletta
Mandato 1884 - 1889
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 9 de janeiro de 1874
Ordenação episcopal 8 de junho de 1851[1][2]
por Papa Pio IX
Nomeado arcebispo 12 de fevereiro de 1884
Cardinalato
Criação 27 de setembro de 1861
por Papa Pio IX
Ordem Cardeal-presbítero (1861-1870)
Cardeal-bispo (1870-1889)
Título Santa Maria do Povo (1861-1870)
Palestrina (1870-1878)
Porto e Santa Rufina (1878-1884)
Óstia-Velletri(1884-1889)
Brasão
CardinalCoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento Flag of the Kingdom of the Two Sicilies 1816.gif Montalto
9 de maio de 1808
Morte Flag of Italy (1861-1946) crowned.svg Roma
25 de fevereiro de 1889 (80 anos)
Nacionalidade Italiano
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Carlo Sacconi (9 de maio de 180825 de fevereiro de 1889[1]) foi um cardeal italiano, pró-datário da Dataria Apostólica e Decano do Colégio dos Cardeais.

BiografiaEditar

Estudou no Seminário de Fermo e fez seu doutorado utroque iure em direito canônico e direito civil na Universidade La Sapienza.[1]

Foi ordenado padre em data incerta, provavelmente em 1825. Na diocese de Montalto, foi professor em seu seminário em 1829, cânone do seu capítulo da catedral e pró-vigário geral. Trabalhou na Sagrada Congregação do Conselho Tridentino por três anos. Camerlengo di onore in abito panoazzo, em 1832. Nomeado internúncio na Baviera, de 13 de novembro de 1847 a 1851.[1]

Eleito arcebispo-titular de Niceia em 27 de maio de 1851, sendo consagrado em 8 de junho, pelo Cardeal Giacomo Filippo Fransoni. Tornou-se núncio apostólico na Baviera em 6 de junho, onde permaneceu até 4 de outubro de 1853, quando foi transferido para a França.[1][2]

Criado cardeal-presbítero no consistório de 27 de setembro de 1861, recebeu o barrete cardinalício e o título de Santa Maria do Povo em 30 de setembro. Responsável pela construção e organização do Seminário Latino-Americano, em Roma, a partir de 22 de janeiro de 1863. Nomeado prefeito do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica em 20 de dezembro de 1867. Participou no Concílio Vaticano I, entre 1869 e 1870.[1][2]

Passa para a ordem de cardeais-bispos e assume a sé suburbicária de Palestrina em 8 de outubro de 1870. Feito pró-datário de Sua Santidade em 2 de junho de 1877, foi reconduzido pelo Papa Leão XIII em 5 de março de 1878, ocupando o cargo até sua morte. Passa para a sé suburbicária de Porto e Santa Rufina em 15 de julho de 1878. Passa para a sé suburbicária de Óstia-Velletri em 24 de março de 1884, quando se torna Decano do Colégio dos Cardeais e prefeito da Sagrada Congregação Cerimonial.[1]

Faleceu em 25 de fevereiro de 1889, às 16h15, de pneumonite, no palácio da Dataria Apostólica, em Roma. O corpo foi transferido para a basílica de Ss. XII Apostoli, em Roma, em 27 de fevereiro, às 11h, após a absolvição, levado para o cemitério Campo di Verano, Roma, e depois, transferido para Montalto e enterrado no túmulo de sua família. O funeral ocorreu na mesma basílica em 4 de março, a missa foi celebrada por Félix-Marie de Nekere, arcebispo-titular de Melitene e a absolvição final foi dado pelo cardeal Raffaele Monaco La Valletta, bispo de Albano, onde outros vinte e dois cardeais estavam presentes.[1]

ConclavesEditar

Referências

  1. a b c d e f g h «The Cardinals of the Holy Roman Church» (em inglês) 
  2. a b c d «Carlo Cardinal Sacconi» (em inglês). Catholic-Hierarchy. Consultado em 24 de julho de 2012 

Ligações externasEditar