Abrir menu principal

Carlos Fiolhais

cientista português
Carlos Fiolhais
Carlos Fiolhais numa palestra
Nascimento Carlos Manuel Batista Fiolhais
1956 (63 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra
Prémios 1994 - Prémio União Latina / JNICT de tradução científica

2005 - Globo de Ouro de Mérito e Excelência em Ciência
2005 - Ordem do Infante D. Henrique - Grande-oficial[1]
2006 - Inovação do Forum III Milénio e Rómulo
2006 - Rómulo de Carvalho (Universidade de Évora)
2017 - Grande Prémio Ciência Viva Montepio

Campo(s) Física

Carlos Manuel Batista Fiolhais GOIH (Lisboa, 1956) é um físico, professor universitário e ensaísta português. É um dos cientistas[2] e divulgadores de ciência mais conhecidos em Portugal.

BiografiaEditar

Filho de um militar da Guarda Republicana, cresceu numa família de poucas posses. Nasceu em Lisboa, na Maternidade Alfredo da Costa, tendo frequentado o primeiro ano da escola primária nesta cidade. Depois viveu em Coimbra, tendo estudado na Escola dos Olivais. Nos anos de liceu ganhou muitos prémios de pintura.

Não fez a tropa porque é daltónico.[3]

Teve um primeiro casamento com uma matemática, tendo tido um filho. O segundo casamento é com uma nutricionista.

CarreiraEditar

Licenciou-se em Física na Universidade de Coimbra em 1978 e doutorou-se em Física Teórica na Universidade Goethe, em Frankfurt am Main, Alemanha, em 1982. É professor catedrático no Departamento de Física da Universidade de Coimbra desde 2000. Foi professor convidado em universidades de Portugal, Brasil e Estados Unidos.

Tem 140 artigos científicos da sua autoria em revistas internacionais "e de mais de 450 artigos pedagógicos e de divulgação".[4]

Publicou 42 livros, sendo o mais conhecido a sua obra de divulgação científica "Física Divertida" e "Nova Física Divertida", publicado pela Gradiva.[5] Recebeu o Prémio Inovação do Forum III Milénio e o Prémio Rómulo de Carvalho da Universidade de Évora em 2006.[6] Foi consultor do programa "Megaciência" para o canal de televisão SIC.

Foi director da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra,[7] onde tem concretizado vários projectos relativos ao livro e à cultura. Também foi fundador e director do Centro de Física Computacional da Universidade de Coimbra, onde colaborou na instalação do maior computador português para cálculo científico. Criou e dirige o "Rómulo" - Centro de Ciência Viva da Universidade de Coimbra.[4]

Em novembro de 2012 lançou o livro "Pipocas com Telemóvel e outras histórias de falsa ciência", em coautoria com David Marçal, editado pela Gradiva. Neste livro os autores pretendem promover a ciência contando histórias de falsa ciência, histórias estas que entendem ser representativas do mundo pseudo-científico.[8] O título do livro, por exemplo, é inspirado num vídeo que circula na Internet mostrando milho a transformar-se em pipocas devido, alegadamente, à radiação de telemóveis. O "Iogurtegate", as "Pulseiras quânticas", "A racionalidade diluída da homeopatia", "Não há duas sem ómega-3" e "A bazófia dos basófilos" são alguns dos outros temas abordados.[9][10] Numa entrevista, questionados sobre como tiveram a ideia de explicar a ciência através da falsa ciência, Carlos Fiolhais responde, "A falsa ciência assenta em equívocos acerca da natureza ciência e do processo científico. Esclarecer esses equívocos é uma das maneiras de mostrar o que é a ciência"[11]

Na apresentação do livro, no dia 05 de novembro de 2012, na FNAC do Centro Comercial Colombo, por forma a demonstrar que a homeopatia não funciona, Carlos Fiolhais e David Marçal, "tomaram uma caixa inteira de um medicamento homeopático à frente de uma plateia de cerca de 30 pessoas". [10][12]

Em fevereiro de 2012 Carlos Fiolhais declarou-se publicamente contra o Novo Acordo Ortográfico.[4][13]

Prémios e DistinçõesEditar

  • 1994 - Prémio União Latina de tradução científica.
  • 2005 - Globo de Ouro de Mérito e Excelência em Ciência, atribuído pela SIC[necessário esclarecer].
  • 2005 - Ordem do Infante D. Henrique.
  • 2006 - Prémios Inovação do Forum III Milénio e Rómulo de Carvalho da Universidade de Évora.
  • 2012 - Prémio para melhor artigo pedagógico na área da Física no espaço ibero-americano.[4]
  • 2017 - Grande Prémio Ciência Viva Montepio

BibliografiaEditar

Referências

  1. Diário da República (PDF). N.º 14 II Série - 19 de janeiro de 2006. Chancelaria das Ordens Honoríficas Portuguesas - Alvará n.º 1/2006 - Ordem do Infante D. Henrique - Grande-oficial; pelo Presidente Jorge Sampaio, no segundo mandato. [S.l.]: INCM - IMPRENSA NACIONAL-CASA DA MOEDA, S. A. p. 867. ISSN 0870-9963. Consultado em 12 de novembro de 2012 
  2. «Scientific Advisory Committee». www.epj.org (em inglês). European Physical Journal. 2009. Consultado em 30 de junho de 2010 
  3. http://observador.pt/especiais/carlos-fiolhais-fiquei-preso-na-gruta-de-mira-de-aire-parece-que-estamos-sepultados-vivos/
  4. a b c d «Carlos Fiolhais subscreveu a Iniciativa Legislativa de Cidadãos Contra o Acordo Ortográfico». ilcao.cedilha.net. 15 de fevereiro de 2013. Consultado em 27 de fevereiro de 2013 
  5. «Física Divertida». www.gradiva.pt. Consultado em 30 de junho de 2010 
  6. «Prémio Rómulo de Carvalho atribuído a Carlos Fiolhais». www.cienciahoje.pt. Ciência Hoje. 16 de novembro de 2006. Consultado em 30 de junho de 2010 
  7. «Contactos». www.uc.pt. Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. Consultado em 30 de junho de 2010 
  8. «Pipocas com Telemóvel e outras histórias de falsa». www.gradiva.pt. Consultado em 20 de novembro de 2012 
  9. «Pipocas com Telemóvel e outras histórias de falsa ciência». www.culturafnac.pt. Consultado em 20 de novembro de 2012 
  10. a b «Portugueses enganados com a homeopatia». Correio da Manhã. 05 de novembro de 2012. Consultado em 20 de novembro de 2012  Verifique data em: |data= (ajuda)
  11. «Carlos Fiolhais: "Não há nenhum fundamento científico que abone a eficácia da homeopatia"». Diário Digital. 19 de novembro de 2012. Consultado em 20 de novembro de 2012. A falsa ciência assenta em equívocos acerca da natureza ciência e do processo científico. Esclarecer esses equívocos é uma das maneiras de mostrar o que é a ciência 
  12. «Lançamento pipocas com telemóvel com overdose homeopática». Consultado em 20 de novembro de 2012 
  13. Carlos Fiolhais (21 de fevereiro de 2013). «Contra o acordo ortografico 2». Blog De Rerum Natura. Consultado em 27 de fevereiro de 2013 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.