Carlos Jordy

político brasileiro

Carlos Roberto Coelho de Mattos Júnior (Niterói, 8 de fevereiro de 1982)[2], ou simplesmente Carlos Jordy,[3][4] é funcionário público e um político brasileiro filiado ao Partido Liberal (PL).[5]

Carlos Jordy
Carlos Jordy
Carlos Jordy
Deputado Federal pelo Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2019
até a atualidade
Legislatura 57ª legislatura (2023 — 2027)
Vereador de Niterói
Período 1º de janeiro de 2017
até 1º de fevereiro de 2019
Dados pessoais
Nome completo Carlos Roberto Coelho de Mattos Júnior
Nascimento 8 de fevereiro de 1982 (42 anos)
Niterói, RJ
Nacionalidade Brasileiro
Prêmio(s)
Partido PROS (2016)
PSC (2016-2018)
PSL (2018-2022)
UNIÃO (2022)
PL (2022-presente)
Religião Cristianismo
Profissão Servidor público e político
Website https://www.carlosjordy.com.br/

Concorreu nas eleições de 2018 ao cargo de deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro, sendo eleito o 4° candidato mais votado para o cargo neste estado com 204.048 mil votos (2,64% dos votos).[6] Atualmente é colunista no portal Pleno News.[7]

Biografia

editar

Nasceu na cidade de Niterói no ano de 1982, viveu primeiramente no bairro de Ingá, no qual viveu boa parte da infância e início da adolescência, e aos 13 anos se mudou junto com a família para o bairro de Icaraí. Nesta mesma época seus pais o matricularam no Colégio São Vicente de Paulo - foi nestes anos de colégio que ele diz que começou a se interessar por política - , instituição na qual terminaria o ensino médio no ano de 2001. Em 2004 ingressou na Universidade do Vale de Itajaí, na qual ganhou o diploma de Bacharel em Turismo e Hotelaria.[8]

Iniciou sua carreira no serviço público em 2011, quando, após ser aprovado em 10º lugar no concurso de Analista de Planejamento e Orçamento da Prefeitura Municipal de São Gonçalo, foi lotado na Secretaria de Fazenda e passou a trabalhar na elaboração dos instrumentos orçamentários (Plano Plurianual, Lei de Diretrizes Orçamentárias e Lei Orçamentária Anual) e na execução do orçamento do Município. Após um ano de exercício, foi nomeado Diretor de Divisão de Planejamento e Elaboração Orçamentária.[carece de fontes?]

Em 2013, foi aprovado no concurso para Escrivão de Polícia Federal, tendo cursado a Academia Nacional de Polícia,[9] No ano seguinte foi 1º colocado do processo seletivo para ingresso na Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão Pública Municipal, curso realizado pela Escola de Contas e Gestão do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.[10]

Atualmente é servidor público federal, exercendo o cargo de Analista na área de licitações e contratos da Agência Nacional de Transportes Aquaviários, ,concurso em que foi aprovado em 4° lugar num total de 6562 inscritos.

Carreira política

editar

Estreou na política nas Eleições em 2016 a qual ele concorreu ao cargo de vereador por Niterói pelo PSC, sendo eleito para o mandato de 2017-2020.[11]

Em 2017, enviou ofício à administração central da Universidade Federal Fluminense questionando a permissão do uso dos banheiros femininos nos respectivos institutos por transexuais. O sindicato dos professores da A UFF aprovou uma moção de repúdio contra o então vereador e em defesa do direito às identidades sexual e de gênero.[12]

Em fevereiro de 2018 saiu pré-candidato ao cargo de deputado federal, mas ele ainda estava no PSC e já demonstrava que iria trocar de partido, situação que foi definida em abril do mesmo ano em um ato de filiação dele ao PSL, realizado na Câmara Municipal de Niterói, evento este que reuniu militantes do partido e o então pré-candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro Flavio Bolsonaro.[13] Sua candidatura recebeu apoio do então candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro.

Em 2018, disputou as eleições para o cargo de deputado federal, tendo sido eleito com 204.048 mil votos (2,64% dos votos).[14] Em 2022 obteve uma reeleição para o mesmo cargo, com 114.587 votos.[15]

Controvérsias

editar

Campanha de difamação

editar

Em setembro de 2019, o deputado confirmou que iniciou uma campanha de difamação direcionada a Felipe Neto.[16] Sem provas, em outras duas ocasiões, o deputado disse em redes sociais que Felipe Neto estava vinculado ao Massacre de Suzano e estava ensinando seus seguidores a entrarem na deep web.[17] Carlos Jordy foi condenado na justiça em abril de 2019 a apagar a declaração que vinculava Felipe Neto ao Massacre de Suzano[18] e responde judicialmente sobre outras declarações.[16]

Ameaça a jornalista

editar

Após a Vaza Jato ser divulgada pelo The Intercept, Carlos Jordy ameaçou de "deportação" o jornalista Glenn Greenwald. Jordy acusou o jornalista de cometer um crime contra a "segurança nacional". A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) disse que as "tentativas de intimidar e silenciar um veículo são ações típicas de contextos autoritários e não podem ser tolerados na democracia que rege o país."[19]

Histórico Eleitoral

editar
Ano Eleição Partido Cargo Votos % Resultado Ref
2016 Municipal de Niterói PSC Vereador 2.388 0,94% Eleito [11]
2018 Estadual do Rio de Janeiro PSL Deputado Federal 204.048 2,64% Eleito [14]
2022 Estadual do Rio de Janeiro PL Deputado Federal 114.587 1,32% Eleito [15]

Referências

  1. «DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO - Seção 1 | Nº 197, quarta-feira, 14 de outubro de 2020». Imprensa Nacional. 14 de outubro de 2020. p. 9. Consultado em 13 de fevereiro de 2024 
  2. «Eleições 2018 | Carlos Jordy Deputado Federal 1777 | Estadão». Estadão 
  3. «Carlos Jordy, o "filhote de Bolsonaro", lança pré-candidatura a deputado federal - Niterói». Niterói. 25 de junho de 2018 
  4. «'Filhote de Bolsonaro' de Niterói lança pré-candidatura a deputado federal». Extra Online 
  5. «Bolsonaro acompanha filiação de deputados aliados ao PL». Poder360. 12 de março de 2022. Consultado em 12 de março de 2022 
  6. «Veja a lista de deputados federais eleitos no Rio de Janeiro». R7.com. 8 de outubro de 2018 
  7. «Grupo de mídia evangélica que pertence a senador bolsonarista é um dos que mais dissemina desinformação, afirmam pesquisadores». Agência Pública. Consultado em 27 de janeiro de 2021 
  8. «carlosjordy | BIOGRAFIA». Carlos Jordy. Consultado em 18 de novembro de 2018 
  9. http://www.pf.gov.br/agencia/noticias/2013/08/divulgado-resultado-do-concursos-para-escrivao-perito-e-delegado-da-pf
  10. http://www.tce.rj.gov.br/documents/10192/15504903/Resultado%20Final%20e%20Convoca%C3%A7%C3%A3o%20para%20Matr%C3%ADcula.pdf.
  11. a b «Carlos Jordy 20120 (Vereador)». Eleições 2016. Consultado em 18 de novembro de 2018 
  12. http://aduff.org.br/site/index.php/notocias/noticias-recentes/item/2877-professores-aprovam-mocao-de-repudio-ao-vereador-carlos-jordy
  13. «Carlos Jordy, "o filhote de Bolsonaro" se filia ao PSL - Niterói». Niterói. 6 de abril de 2018 
  14. a b https://especiais.gazetadopovo.com.br/eleicoes/2018/candidatos/rj/deputado-federal/carlos-jordy-1777/
  15. a b «Com 11 deputados, PL elege maior bancada do Rio de Janeiro - Notícias». Portal da Câmara dos Deputados. Consultado em 5 de outubro de 2022 
  16. a b Guilherme Amado (10 de setembro de 2019). «Deputado do PSL confirma que começou ataque a Felipe Neto: 'Defende tudo que há de pior'». Revista Época. Rede Globo. Consultado em 11 de setembro de 2019. Cópia arquivada em 12 de setembro de 2019 
  17. «Felipe Neto, um soldado de peso contra bolsonaristas nas redes». El País. 10 de setembro de 2019. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  18. Guilherme Amado (9 de setembro de 2019). «Deputado do PSL deu início a ataques virtuais contra Felipe Neto». Revista Época. Rede Globo. Consultado em 13 de setembro de 2019 
  19. Diretoria da Abraji. «Abraji repudia ataques a Glenn Greenwald e equipe do Intercept». Abraji. Consultado em 21 de outubro de 2019 

Ligações externas

editar
Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Notícias no Wikinotícias
  Categoria no Wikinotícias