Abrir menu principal

Carlos Pereira

economista e político português
Carlos Pereira
Deputado à Assembleia da República
Período 29 de janeiro de 2018
à atualidade
Período 23 de outubro de 2015
1 de novembro de 2017
Deputado à Assembleia Legislativa
Regional da Madeira
Período 2 de novembro de 2017
a janeiro de 2018
Período junho de 2007
a 22 de outubro de 2015
Presidente do
Partido Socialista – Madeira
Período 27 de junho de 2015
a 3 fevereiro de 2018
Dados pessoais
Nome completo Carlos João Pereira
Nascimento 30 de agosto de 1969 (50 anos)
Funchal, Madeira, Portugal
Nacionalidade portuguesa
Alma mater Instituto Superior de Economia e Gestão
Partido Partido Socialista
Profissão economista
professor
Ocupação político

Carlos João Pereira (Funchal, 30 de agosto de 1969) é um político e economista português.[1] Atualmente, é deputado à Assembleia da República e vice-presidente do grupo parlamentar do Partido Socialista. Foi também deputado e líder parlamentar do PS na Assembleia Legislativa da Madeira.[2][3]

BiografiaEditar

Licenciou-se em Economia pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG).[4] Tem duas pós-graduações, uma em Sociologia Rural (Instituto Superiro de Agronomia) e outra em Gestão do Turismo (Universidade da Madeira).[5]

Foi diretor da Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, empresa que gere a Zona Franca da Madeira, secretário-geral da Câmara de Comércio e Indústria da Madeira, diretor financeiro e adjunto da administração do Centro de Ciências e Tecnologia da Madeira, professor convidado na Universidade da Madeira entre 1995 e 2008 e fundador e primeiro presidente da delegação regional da Ordem dos Economistas.[4]

Em maio de 2015, publicou o livro A Herança, uma obra sobre a forma como Alberto João Jardim, ex-presidente do Governo Regional da Madeira, escondeu a dívida regional de mais de 6,3 mil milhões de euros.[6][7]

É consultor independente da Comissão Europeia para o Horizonte 2020, um programa-quadro de financiamento da União Europeia para a investigação e inovação.[5]

Percurso políticoEditar

Pereira concorreu, ainda sem filiação partidária, como cabeça-de-lista pelo Partido Socialista (PS) à Câmara Municipal do Funchal em 2005, contra Miguel Albuquerque, o titular na Câmara, do Partido Social Democrata e futuro presidente do Governo Regional da Madeira.[8] O PS ficou em segundo lugar e Pereira foi eleito vereador, acabando o mandato prematuramente em 2007, após decisão judicial, por não ter apresentado a declaração de rendimentos a tempo.[9]

Após o mau resultado do PS nas eleições regionais de março de 2015, Victor Freitas, então presidente regional do partido, demitiu-se e Carlos Pereira foi o único candidato a suceder-lhe.[10] No início de 2018, perdeu a liderança regional do PS para Emanuel Câmara, presidente da Câmara Municipal de Porto Moniz, que prometeu levar como cabeça-de-lista às eleições regionais de 2019 o independente Paulo Cafôfo, então presidente da Câmara do Funchal.[11][12]

Assembleia RegionalEditar

Foi eleito deputado à Assembleia Legislativa Regional da Madeira (ALRAM) nas eleições de 2007, 2011 – foi cabeça-de-lista nesse ano – e 2015 – nas quais foi o segundo candidato.[13][14] Foi presidente do grupo parlamentar do PS–Madeira.[5] Suspendeu o mandato no parlamento regional depois de ser eleito para a Assembleia da República (AR) em 2015. Regressou à ALRAM entre o final de 2017 e o início de 2018, desta feita suspendendo temporariamente o mandato na AR, para estar presente na votação de uma moção de censura ao governo de Miguel Albuquerque.[15]

Assembleia da RepúblicaEditar

Em outubro de 2015, foi eleito para a AR pelo círculo da Madeira, suspendendo o mandato de deputado regional.[16] No Parlamento, é um dos vice-presidentes do grupo parlamentar do PS e pertence às comissões de Assuntos Europeus, de Economia, Inovação e Obras Públicas e de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco e é suplente da Comissão de Defesa Nacional.[5]

Em abril de 2018, Pereira foi um dos deputados insulares envolvidos numa polémica sobre alegado uso indevido de subsídios públicos, por utilizarem dois subsídios que visavam os mesmos fins. Estes deputados recebiam, por inerência ao cargo, um subsídio de deslocação à respetiva morada fiscal (calculado em função da distância entre o Parlamento e o local de residência), mas levantavam ainda um subsídio atribuído a todos os ilhéus e que cobre parte do preço das viagens aéreas entre os arquipélagos e Portugal Continental.[17][18]

Voltará a ser o cabeça-de-lista do PS pelo círculo da Madeira nas eleições legislativas de 2019.[19]

ObrasEditar

Referências

  1. «Deputado Carlos Pereira» (PDF). ALRAM. Consultado em 7 de janeiro de 2017 
  2. Tolentino de Nóbrega (28 de maio de 2015). «Líder parlamentar do PS na Madeira apoia candidatura de António Costa». Público. Consultado em 3 de julho de 2015 
  3. Lusa (19 de maio de 2015). «Carlos Pereira é o unico candidato à presidência do PS-Madeira». Diário Digital. Consultado em 3 de julho de 2015 
  4. a b «Carlos Pereira, o corredor de fundo que quer agarrar o PS». Expresso. 17 de abril de 2015. Consultado em 3 de julho de 2015 
  5. a b c d «Biografia: Carlos Pereira (PS)». Assembleia da República. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  6. Sara Silvino (12 de maio de 2015). «"Herança" de Carlos Pereira». Tribuna da Madeira. Consultado em 3 de julho de 2015 
  7. Sandra Cardoso (14 de maio de 2015). «Carlos Pereira partilha 'A Herança'». Diário de Notícias da Madeira. Consultado em 3 de julho de 2015 
  8. Bernardes, Lília (21 de junho de 2005). «Autárquicas ao rubro na Madeira». Diário de Notícias. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  9. «Vereador do PS-M na Câmara do Funchal perde mandato por não apresentar declaração de rendimentos no TC». RTP. 20 de setembro de 2007. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  10. «A vez de Carlos Pereira». Diário de Notícias da Madeira. 26 de junho de 2015. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  11. Correia, Ana Luísa; Silva Gonçalves, Sandra da (20 de janeiro de 2018). «Emanuel Câmara venceu com 57% dos votos e já pensa na vitória nas Regionais de 2019». Diário de Notícias da Madeira. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  12. Berenguer, Márcio (12 de fevereiro de 2018). «Emanuel Câmara: quem é o homem que ganhou o PS-Madeira?». Público. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  13. Caires, Marta (17 de abril de 2015). «Carlos Pereira, o corredor de fundo que quer agarrar o PS». Expresso. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  14. «Carlos Pereira será o novo líder do PS-Madeira». Sol. 25 de maio de 2015. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  15. João, Alexandre (27 de outubro de 2017). «Líder do PS-Madeira suspende mandato para defender moção de censura ao Governo». TSF. Consultado em 2 de setembro de 2019 
  16. Berenguer, Márcio (20 de julho de 2015). «Carlos Pereira encabeça lista renovada do PS-Madeira à Assembleia». Público. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  17. Lacerda, Sofia (13 de abril de 2018). «Expresso revela que deputados da Madeira são reembolsados por viagens que não pagam». JM. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  18. «Deputados das ilhas recebem duas vezes por viagens que não pagam». Público. 14 de abril de 2018. Consultado em 1 de setembro de 2019 
  19. Berenguer, Márcio (20 de julho de 2019). «Carlos Pereira é a (improvável) escolha do PS-Madeira para São Bento». Público. Consultado em 2 de setembro de 2019 

Ligações externasEditar

Precedido por
Victor Freitas
Presidente do Partido Socialista – Madeira
2015 – presente
Sucedido por
Emanuel Câmara