Carlos Severiano Cavalcanti

Carlos Severiano Cavalcanti (Fazenda Monte, Campina Grande, 31 de julho de 1936) é um poeta brasileiro.

Carlos Severiano Cavalcanti
Nascimento 31 de julho de 1936 (84 anos)
Fazenda Monte, Campina Grande
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Poeta
Principais trabalhos Caminhos da vida (2000)
Prémios Prêmio Amaro de Lyra e César (2000)

Alfabetizado já na adolescência, viveu restrito à zona rural até os quinze anos, migrou para Pernambuco aos dezesseis, aprimorando seu aprendizado e ingressando no comércio de tecidos. Voltando à Paraíba, transferiu-se para Guarabira, onde tornou-se empresário do ramo têxtil.

Por sua atividade comercial e social naquela cidade, recebeu o título de Cidadão guarabirense, em 1967. Voltou a Pernambuco, onde reside atualmente. Retomando o estudo, formou-se Bacharel em Comunicação social, sendo, posteriormente, professor universitário de Comunicação Social na faculdade onde se graduara.

Título honoríficoEditar

  • Cidadão Guarabirense, 1967.

Livros publicadosEditar

  • Caminhos da vida. Recife: Bagaço, 1997.
  • Reflexos de Terra e Sol. Recife: CEPE, 2001.
  • Sertanidade. Recife: Facform, 2004.[1]
  • Histórias sertanejas. Recife:Edições Edificantes, 2008.
  • A gênese do tempo. Recife:Facform, 2008.
  • Tresafio. Recife:Paulo Camelo, 2009.[2]

Prêmios literáriosEditar

  • Prêmio De Lyra e César de poesia, 2001, oferecido pela Academia Pernambucana de Letras, para o livro Caminhos da vida
  • Menção honrosa no Prêmio Edmir Domingues de poesia, 2006, oferecido pela Academia Pernambucana de Letras, para o livro Sertanidade
  • Menção honrosa no Prêmio Edmir Domingues de poesia, 2007, oferecido pela Academia Pernambucana de Letras, para o livro inédito A gênese do tempo.

Objeto de tese de mestradoEditar

O popular e o erudito na poesia brasileira, do professor Carlos Alberto de Assis Cavalcanti, tendo como objeto de estudo o livro Sertanidade.

Instituições LiteráriasEditar

Carlos Severiano Cavalcanti pertence às seguintes instituições literárias:

Ligações externasEditar

Referências

  1. Sertanidade foi relançado, em Braile, em Portugal, em 2010.
  2. Tresafio foi produzido em coautoria com Paulo Camelo e Rosa Lia Dinelli, editado por Paulo Camelo (editor-autor).