Carlos de Bourbon-Duas Sicílias

Carlos de Bourbon-Duas Sicílias (em italiano: Carlo Maria Francesco di Assisi Pasquale Fernando Antonio di Padova Francesco di Paola Alfonso Andrea Avelino Tancredi di Borbone - Due Sicilie; Bolzano, 10 de novembro de 1870Sevilha, 11 de novembro de 1949), foi príncipe das Duas Sicílias e infante da Espanha pelo casamento. O segundo filho do príncipe Afonso das Duas Sicílias, Conde de Caserta, e de sua esposa, a princesa Maria Antonieta das Duas Sicílias, era e sobrinho do último Rei das Duas Sicílias, Francisco II. Avô materno do rei Juan Carlos I da Espanha, e o bisavô do atual rei da Espanha, Felipe VI.[1]

Carlos
Príncipe das Duas Sicílias
Infante da Espanha
Carlos Maria of Bourbon-Two Sicilies.jpg
Retrato fotográfico formal vestindo um uniforme hussardo espanhol, 1913
Nascimento 10 de novembro de 1870
  Bolzano, Império Austro-Húngaro
Morte 11 de novembro de 1949 (79 anos)
  Sevilha, Espanha
Sepultado em Igreja do Divino Salvador, Sevilha, Espanha
Nome completo  
Carlos Maria Francisco de Assis Pasqual Fernando Antonio de Pádua Francisco de Paula Afonso André Avelino Tancredo de Bourbon-Duas Sicílias
Esposas Mercedes, Princesa das Astúrias (1901–1904)
Luísa de Orléans (1907–1949)
Descendência Afonso, Duque da Calábria
Fernando da Espanha
Isabel da Espanha
Carlos da Espanha
Maria das Dores da Espanha
Maria das Mercedes da Espanha
Maria da Esperança da Espanha
Casa Bourbon-Duas Sicílias
Pai Afonso, Conde de Caserta
Mãe Maria Antonieta das Duas Sicílias
Assinatura Assinatura de Carlos
Brasão

BiografiaEditar

FamíliaEditar

Foi o segundo filho do príncipe Afonso de Bourbon-Duas Sicílias e da princesa Maria Antonieta de Bourbon-Duas Sicílias, sua esposa e prima.[2][3] Seus avós paternos foram o rei Fernando II das Duas Sicílias e sua segunda esposa, a arquiduquesa Maria Teresa de Áustria-Teschen; enquanto seus avós maternos foram o príncipe Francisco de Bourbon-Duas Sicílias e a princesa Maria Isabel de Áustria-Toscana.

Entre os descendentes do príncipe Carlos estão o rei Juan Carlos I de Espanha e o atual chefe da Casa Real das Duas Sicílias, príncipe Carlos de Bourbon-Duas Sicílias, Duque da Calábria.

Casamentos e filhosEditar

Casou-se em Madrid, em 14 de fevereiro de 1901, com Maria das Mercês de Bourbon, Princesa das Astúrias, filha do rei Afonso XII de Espanha e de sua segunda esposa, a arquiduquesa Maria Cristina de Áustria-Teschen. Como irmã mais velha do rei Afonso XIII de Espanha, que ainda não tinha filhos, Maria das Mercês ostentou o título de Princesa das Astúrias, herdeira presuntiva da coroa espanhola, até o dia de sua morte. Com o casamento, Carlos foi agraciado por seu cunhado com a condição de Infante de Espanha. O casal teve três filhos:

Maria das Mercês morreu por complicações no pós-parto de sua única filha, em 17 de outubro de 1904, aos 24 anos de idade. Foi sepultada no Panteão dos Infantes do Mosteiro do Escorial.

Carlos casou-se novamente em Wood Norton (Inglaterra), em 16 de novembro de 1907, com a princesa Luísa de Orléans, filha de Luís Filipe de Orléans, Conde de Paris, pretendente ao trono francês, e Maria Isabel de Orléans-Montpensier. O casal teve quatro filhos:

ExílioEditar

Transferiu-se de Madrid a Sevilha quando foi designado Capitão-general daquela região militar. Em 1929, por serviços prestados, lhe foi concedida a Grã-Cruz da Real e Militar Ordem de São Hermenegildo. Em 1931, com a proclamação da Segunda República Espanhola, partiu com sua família para o exílio na França, residindo inicialmente em Cannes e, mais tarde, em Paris. Somente então renunciou ao cargo de Capitão-general do Exército da 4ª Região. Anos depois, regressou à Espanha e se instalou, definitivamente, em Sevilha.

Questão dinásticaEditar

Em 1894, seu pai tornou-se herdeiro da Casa Real das Duas Sicílias, em virtude da morte de seu meio-irmão Francisco II das Duas Sicílias, sem descendentes. Em 1960, seu irmão mais velho, Fernando Pio também morre sem deixar herdeiros. Afonso, filho mais velho de Carlos, reclama para si os direitos dinásticos. Entretanto, seu pai havia renunciado a esses direitos quando se casou, transferindo-os a seu irmão mais novo, o príncipe Rainiero.

A questão dinástica se arrasta até os dias atuais pois, enquanto a Espanha reconhece os direitos legítimos dos descendentes de Carlos, as demais Casas Reais da Europa reconhecem como legítimos os descendentes do príncipe Rainiero.

MorteEditar

Carlos morreu em Sevilha, em 11 de novembro de 1949, aos 79 anos de idade. Seus restos mortais foram sepultados na Igreja do Divino Salvador, em Sevilha.

NotaEditar

Fontes e referênciasEditar

  1. «ABC MADRID 12-11-1949 página 9 - Archivo ABC». abc. 6 de agosto de 2019. Consultado em 15 de abril de 2022 
  2. Darryl Lundy (4 de abril de 2008). «Carlos Maria François di Borbone, Principe di Borbone delle Due Sicilie». thePeerage.com. Consultado em 3 de outubro de 2008 
  3. Paul Theroff. «TWO SICILIES». Paul Theroff's Royal Genealogy Site. Consultado em 5 de outubro de 2008 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Carlos de Bourbon-Duas Sicílias