Abrir menu principal

Carlota Amália de Hesse-Philippsthal

Carlota Amália
Duquesa de Saxe-Meiningen
Princesa de Hesse-Philippsthal
Duquesa de Saxe-Meiningen
Reinado 26 de setembro de 1725
a 27 de janeiro de 1763
Antecessor(a) Isabel Leonor de Brunsvique-Volfembutel
Sucessor(a) Luísa de Stolberg-Gedern
 
Marido António Ulrico, Duque de Saxe-Meiningen
Descendência Carlota de Saxe-Meiningen
Luísa de Saxe-Meiningen
Isabel de Saxe-Meiningen
Carlos Guilherme, Duque de Saxe-Meiningen
Frederico Francisco de Saxe-Meiningen
Frederico Guilherme de Saxe-Meiningen
Jorge I, Duque de Saxe-Meiningen
Amália de Saxe-Meiningen
Casa Hesse
Wettin
Nascimento 11 de agosto de 1730
  Philippsthal, Condado de Hesse-Philippsthal, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 7 de setembro de 1801 (71 anos)
  Meiningen, Ducado de Saxe-Meiningen, Sacro Império Romano-Germânico
Pai Carlos I, Conde de Hesse-Philippsthal
Mãe Carolina Cristina de Saxe-Eisenach
Religião Luteranismo

Carlota Amália de Hesse-Philippsthal (em alemão: Charlotte Amalie ; 11 de Agosto de 1730, Philippsthal7 de Setembro de 1801, Meiningen), foi uma duquesa e, posteriormente, regente de Saxe-Meiningen entre 1763 e 1782.

Índice

VidaEditar

Carlota Amália era fila de Carlos I, Conde de Hesse-Philippsthal, e da sua esposa, a princesa Carolina Cristina de Saxe-Eisenach. Em 1750, quando tinha vinte anos de idade, casou-se com António Ulrico, Duque de Saxe-Meiningen que, na altura, tinha sessenta-e-três anos.

No seu testamento, o duque estipulou que a sua esposa Carlota Amália deveria ser a única guardiã dos seus filhos e regente de Saxe-Meiningen. António Ulrico tinha-se retirado para Frankfurt, para fugir às intrigas familiares e vivia lá com a sua família. Após a morte do marido, Carlota mudou-se inicialmente para Philippsthal enquanto aguardava pela confirmação do sacro-imperador do seu papel como guardiã e regente. Entretanto, os parentes de Gota viajaram até Meiningen, para saber qual seria a herança deixada. Depois de o sacro-imperador a confirmar como regente e guardiã principal, Carlota Amália passou a viver em Meiningen.

Carlota assumiu a regência em 1763, numa altura em que o ducado atravessava uma grave situação económica e financeira. Graças às medidas de austeridade, reformas económicas e promoção da vida espiritual que adoptou, Carlota é considerada a "salvadora do ducado". A nomeação de novos ministros, nomeadamente Adolph Gottlieb von Eyben, permitiu que o governo central voltasse a funcionar normalmente no período de um ano. Graças à implementação de um sistema sofisticado de poupança e análise financeira, Carlota chamou a atenção do sacro-imperador José II, que a nomeou directora da comissão para salvar o Ducado de Saxe-Hildburghausen, que se encontrava numa situação ainda mais catastrófica.

Uma vez que os seus filhos podiam governar o ducado em conjunto, Carlota continuou a governar em conjunto com o seu filho Carlos entre 1775 e 1782, quando o seu outro filho, Jorge I, era ainda menor de idade.

O seu reinado marcou o início do absolutismo iluminado em Saxe-Meiningen; e Carlota educou os seus filhos para darem seguimento a essa política. Fundou a loja maçónica Charlotte zu den drei Nelken ("Carlota e os três cravos"). De modo a cumprir um dos seus últimos desejos, Carlota Amália foi sepultada no cemitério da sua cidade e não na cripta real da família.

DescendênciaEditar

Carlota Amália teve os seguintes filhos com o seu marido:

  1. Carlota de Saxe-Meiningen (11 de Setembro de 1751 - 25 April 1827), casada com Ernesto II, Duque de Saxe-Gota-Altemburgo; com descendência.
  2. Luísa de Saxe-Meiningen (6 de Agosto de 1752 - 3 de Junho de 1805), casada com Adolfo, Conde de Hesse-Philippsthal-Barchfeld; com descendência.
  3. Isabel de Saxe-Meiningen (11 de Setembro de 1753 - 3 de Fevereiro de 1754), morreu aos cinco meses de idade.
  4. Carlos Guilherme, Duque de Saxe-Meiningen (19 de Novembro de 1754 - 21 de Julho de 1782), casado com a princesa Luísa de Stolberg-Gedern; sem descendência.
  5. Frederico Francisco de Saxe-Meiningen (16 de Março de 1756 - 25 de Março de 1761), morreu aos cinco anos de idade.
  6. Frederico Guilherme de Saxe-Meiningen (18 de Novembro de 1757 - 13 de Abril de 1758), morreu aos cinco meses de idade.
  7. Jorge I, Duque de Saxe-Meiningen (4 de Fevereiro de 1761 - 24 de Dezembro de 1803), casado com a princesa Luísa Leonor de Hohenlohe-Langenburg; com descendência (incluindo a rainha Adelaide do Reino Unido.
  8. Amália de Saxe-Meiningen (4 de Março de 1762 - 28 de Maio de 1798), casada com o príncipe Carlos Henrique de Carolath-Bytom; com descendência.

GenealogiaEditar

Os antepassados de Carlota Amália de Hesse-Philippsthal em três gerações
Carlota Amália de Hesse-Philippsthal Pai:
Carlos I, Conde de Hesse-Philippsthal
Avô paterno:
Filipe, Conde de Hesse-Philippsthal
Bisavô paterno:
Guilherme VI, Conde de Hesse-Cassel
Bisavó paterna:
Edviges Sofia de Brandemburgo
Avó paterna:
Catarina de Solms-Laubach
Bisavô paterno:
Carlos Otão, Conde de Solms-Laubach
Bisavó paterna:
Isabel de Bentheim-Steinfurt
Mãe:
Carolina Cristina de Saxe-Eisenach
Avô materno:
João Guilherme III, Duque de Saxe-Eisenach
Bisavô materno:
João Jorge I, Duque de Saxe-Eisenach
Bisavó materna:
Joaneta de Sayn-Wittgenstein
Avó materna:
Cristina Juliana de Baden-Durlach
Bisavô materno:
Carlos Gustavo de Baden-Durlach
Bisavó materna:
Ana Sofia de Brunsvique-Volfembutel

Referências

FontesEditar

  • L. Hertel: Meiningische Geschichte von 1680 bis zur Gegenwart = Schriften des Vereins für Sachsen-Meiningische Geschichte und Landeskunde, issue 47, Hildburghausen, 1904.