Carro elétrico

Disambig grey.svg Nota: Para veículos elétricos em geral, veja Veículo elétrico.
Carro elétrico
Electric Car recharging.jpg

Carro elétrico recarregando-se
num eletroposto em Berlim.

Tipo
Funcionamento
Energia

Um carro elétrico é um veículo automotivo para transporte de carga e de pessoas com propulsão elétrica. O termo descreve carros de passeio em geral, mas pode, contudo, também ser entendido para toda a gama de veículos de várias faixas. A abreviatura usual e internacional é (B)EV do inglês (Battery) Electric Vehicle.

No início do desenvolvimento do automóvel em 1900 e nas décadas seguintes, veículos de propulsão elétrica desempenharam um papel importante no trânsito urbano. No entanto, mediante o avanço na construção de veículos a combustão e a expansão da rede de postos de gasolina, eles foram substituídos. A produção de veículos elétricos voltou a aumentar apenas nos anos de 1990. Nos anos 2000, baterias de lítio de alto desempenho foram adaptadas para veículos.

Em dezembro de 2018, 5,3 milhões de carros de passeio elétricos estavam em uso mundialmente (plenamente elétricos e carros híbridos plug-in)[1]

Vantagens do carro elétricoEditar

 
La Jamais Contente, carro elétrico equipado com dois motores, projetado por Camille Jenatzy (1868-1913). Foi o primeiro automóvel a superar a velocidade de 100 km/h (Paris, 29 de abril de 1899).[2]
 
Atualmente os trens e ônibus são os veículos elétricos mais populares.
  • Diminuição da poluição ambiental: É sabido que, por exemplo, o monóxido de carbono, que surge da combustão num veículo convencional e que é emitido pelo escape desse veículo, é altamente nocivo para a saúde humana, provocando diversas patologias, entre as quais do sistema respiratório e do sistema cardiovascular. Os gases com efeito de estufa, nos quais o dióxido de carbono se inclui, são também responsáveis pelo aquecimento global e pela desregulação climatérica do planeta, sendo que o transporte individual na atualidade tem um grande contributo nocivo para a poluição atmosférica global. Os veículos elétricos não emitem quaisquer gases com efeito de estufa na sua locomoção, sendo assim denominados zero emissões. Existem, no entanto, emissões desses gases no ato de fabricação dos veículos e das respectivas baterias.
  • Diminuição da poluição sonora: O ruído ou poluição sonora, que é frequente nas metrópoles, é também causador de diversos danos para a saúde humana, mais precisamente no sistema auditivo e no sistema endócrino, provocando estresse, hipertensão arterial e problemas circulatórios. Os veículos elétricos praticamente não emitem ruído, sendo extremamente silenciosos quando comparados com os veículos convencionais com motor de combustão.
  • Poupança nos combustíveis: Tendo o crude nos mercados internacionais um preço deveras instável e normalmente sempre crescente, e considerando que num estudo recente, as famílias portuguesas despendem cerca de 15% dos seus orçamentos para a aquisição de derivados do petróleo, o veículo elétrico torna-se deveras vantajoso pois tem um gasto em locomoção, ou seja, número de euros gastos por quilómetro percorrido, inferior em comparação com o veículo de combustão interna. O veículo elétrico é também energeticamente mais eficiente que o veículo de combustão, tendo um gasto de energia por espaço percorrido menor que um veículo convencional.

Desvantagens do carro elétricoEditar

  • Preço: Os carros eléctricos na atualidade ainda têm um preço elevado quando comparados com os equivalentes de combustão interna, mesmo considerando os enormes benefícios fiscais atribuídos por alguns Estados europeus. O incentivo aos veículos elétricos não contribui assim para a equidade social nos acessos aos meios de transporte. Parte desse aumento em relação aos tradicionais é devido ao preço das matérias-primas usadas (motor de cobre e baterias de lítio). Outra parte do aumento é atribuída a implantação e logística de uma nova infraestrutura, que requer investimentos adicionais em tecnologia.
 
Nissan Leaf, lançado em Portugal em Janeiro de 2011. À venda por 35000€[3]
 
Carro elétrico carregando-se num eletroposto de Amsterdã.
  • Autonomia: A autonomia dos carros eléctricos situa-se normalmente entre os 100 km e os 200 km, o que em certas situações é diminuto. Tal está muito dependente do desenvolvimento químico em torno das tecnologias associadas às baterias. Com o passar dos anos a autonomia tem vindo a melhorar drasticamente como é com o Chevrolet Volt, um híbrido com autonomia para mais de 600KM.
  • Espaço: O carro elétrico não resolve uma das questões fundamentais da qualidade do espaço público em meios urbanos, pois o espaço por si ocupado é igual ao de um carro convencional. Só em Lisboa, entram 700 mil carros por dia,[4] mesmo que todos fossem elétricos, a uma área de 12 m2 por lugar de estacionamento, teríamos uma área de cerca de 8,4 km2 só para estacionamento, praticamente a área da maior freguesia de Lisboa, os Olivais.
  • Outras formas de poluição ambiental: Quando se fala que o carro elétrico não polui, só um terço da afirmação está correto. Só se encontra correto no ponto de vista do utilizador. Polui tanto como um saco de plástico, não polui nada. Quando um utilizador utiliza um saco de plástico, este não polui o ambiente, só polui o ambiente no processo de destruição. Quanto à poluição do carro elétrico não é referido ao utilizador a poluição do seu fabricador, incluindo a fabricação das baterias, a poluição que se produz para com o consumo de petróleo para produzir a eletricidade para carregar as baterias e por fim não se informa o grau de poluição para a destruição das suas baterias quando estas atingem o seu tempo de vida útil.

Há também a questão da origem da energia elétrica usada nos veículos. Em muitos casos, a matriz energética pode vir de formas poluentes tradicionais. Portanto, não se pode falar de 100% ecológico. O uso desses veículos deve vir acompanhada com fontes renováveis e menos poluentes.

Fabricados atualmenteEditar

 Ver artigo principal: Lista de automóveis elétricos

Fora de fabricaçãoEditar

ProtótiposEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. December global electric vehicle sales set new record: S&P Global Platts data. S&P Global Platts, 11 de fevereiro de 2019, acessado em 24 de agosto de 2019.
  2. Hernandes, Dalmo (17 de outubro de 2014). «Este foi o primeiro carro a chegar aos 100 km/h – e que criou o famoso teste "0 a 100"». Flatout. Consultado em 3 de abril de 2020 
  3. José Manuel Fernandes. «Nissan Leaf ou o desafio do custo-benefício de andar eléctrico». 16.09.2010. Consultado em 29 de março de 2011 
  4. http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=862392