Cartão Elo

Empresa brasileira nacional de serviços financeiros

Elo Serviços S.A.[1] (também conhecida como Cartão Elo) é uma empresa brasileira do setor de pagamentos fundada em 2011. Seu principal negócio é processar pagamentos entre os bancos dos clientes e os bancos emissores de cartões que usam a bandeira Elo, incluindo cartões de débito, crédito e pré-pago.

Cartão Elo
Cartão Elo
Razão social Elo Serviços S.A.[1]
Empresa de capital fechado
Slogan Elo, o cartão do brasileiro
Atividade Serviços financeiros
Fundação 2011
Sede Barueri, SP, Brasil
Proprietário(s)
Produtos Cartões de débito
Cartões de crédito
Cartões pré pago[2]
Empresa-mãe Elo Participações S.A.
Acionistas
Website oficial www.elo.com.br

A Elo foi criada por uma aliança de vários bancos: Banco do Brasil, Bradesco e Caixa Econômica Federal. Atualmente, possui mais de 132 milhões de cartões emitidos com a bandeira Elo, sendo assim a maior bandeira no Brasil. Desde 2016, a bandeira Elo expandiu a sua cobertura, passando a ser aceita nos Estados Unidos como Discover Card e, no restante do mundo, como Diners Club International. Também é possível utilizar os caixas eletrônicos da rede Pulse, no exterior.[4]

História

editar
 
Logotipo da Elo usada entre 2012 até 2015.

A Elo foi a primeira bandeira de cartão criada no Brasil. Inicialmente, foi lançada em 1970 pelo Banco Bradesco e, posteriormente, foi descontinuada. Em 4 de abril de 2011, foi relançada por três dos maiores bancos do país (Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal), sendo os dois primeiros por meio da Elo Participações S.A.[3]A Caixa Econômica inicialmente começou a implementar os cartões Elo apenas como cartões de débito e posteriormente como cartões de crédito.[5] Os três bancos fundadores utilizaram uma estratégia mais abrangente para promover a marca Elo, não apenas por meio de suas agências, mas também através das lotéricas, promotores de vendas e chamadas telefônicas.[5]

Em 2014, foram lançados os cartões Elo Mais, Grafite e Nanquim, com o objetivo de oferecer outros cartões com benefícios de outras empresas.[6]

Ao final de 2014, o volume total de cartões da bandeira Elo atingiu mais de 15,5 milhões, o que posicionou a Elo em terceiro lugar entre as maiores bandeiras de cartões do Brasil.[7]

Em agosto de 2015, a empresa fez uma parceria com a Discover Card, o que possibilitou o acesso aos cartões Elo em mais de 1 milhão de caixas eletrônicos e a disponibilidade deles em 185 países.[8]

Em março de 2016, a Caixa Econômica começou a emitir a bandeira Elo para benefícios sociais, como o Bolsa Família, por meio de uma conta poupança simplificada com cartão de débito, permitindo que os beneficiários efetuem compras antes de sacar todo o valor de uma vez.[9]

Em 2017, com a determinação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), todas as maquinas de cartão deveriam aceitar a bandeira Elo.[10][11] O órgão também determinou que a Elo deveria habilitar outras empresas de maquinas de cartão concorrentes da Cielo, que até aquele momento detinha exclusividade para aceitar a bandeira Elo.[10]

Em novembro de 2018, a Elo lançou uma linha de cartões em parceria com a Diners Club, apelidada de Elo Diners Club International, oferecendo cartões com pontos e vantagens, marcando um passo em direção à entrada da empresa no segmento de alta renda, que até então não tinha tido muito desenvolvimento.[12]

Em 2022, o Banco do Brasil foi o primeiro grande banco a emitir cartões Elo com a tecnologia de aproximação em seus cartões Elo Nanquim, Diners Club e Grafite.

Em 2023, a Elo reposicionou sua marca, buscando atingir outras classes de renda e promovendo-se como uma marca brasileira. Como parte de sua estratégia de marketing, eles estão oferecendo mais benefícios para seu público-alvo.[13][14] Nesse reposicionamento, também houve uma mudança em seu slogan, que passou de "Vai na sua. Vai com Elo" para o atual "Elo, o cartão do brasileiro", enfatizando a brasilidade da marca.[14]

Além da emissão de cartões, a bandeira Elo, por meio da EloPar, possui o Livelo (programa de pontos), a Alelo (alimentação corporativa) e a Stelo (soluções em pagamentos), essa última em conjunto com a Cielo.[15][16]

Identificação

editar

Em sua logomarca, há três principais cores (vermelho, amarelo e azul) que indicam seus idealizadores e proprietários: o Bradesco, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, respectivamente.[17]

Programa de Inovação Elo

editar

Em agosto de 2022, a Elo anunciou o lançamento de programa de inovação aberta, voltado para startups que desenvolvem tecnologia 100% brasileira.[18] [19]

Ver também

editar

Referências

  1. a b «Elo Serviços S.A.». Empresas do Brasil. 22 de setembro de 2020. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  2. http://www.elo.com.br/produtos
  3. a b «Elo Participações S.A.». Empresas do Brasil. 22 de setembro de 2020. Consultado em 22 de setembro de 2020 
  4. «Sobre a Elo | ELO». www.elo.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  5. a b «Bandeira de cartões Elo chega ao mercado em 4 de abril». VEJA. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  6. «Sobre Nós | ELO». www.elo.com.br. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  7. «Elo cresce e vai disputar liderança com Visa e Mastercard». Época Negócios. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  8. «Bandeira Elo faz acordo com Discover para aceitação no exterior». Época Negócios. 21 de agosto de 2022. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  9. «Caixa vai emitir bandeira Elo para pagar benefícios do Bolsa Família». Folha. 17 de março de 2016. Consultado em 23 de outubro de 2023. Cópia arquivada em 23 de outubro de 2023 
  10. a b «Bandeira Elo deverá ser aceita em todas as maquininhas de cartão, determina Cade». O Globo. 28 de junho de 2017. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  11. «Cade assina acordo para fim exclusividade entre Elo e Cielo». VEJA. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  12. dino. «Elo lança linha de cartões de crédito Elo Diners Club International». Terra. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  13. Oréfice, Giovana (22 de junho de 2023). «Elo reposiciona marca com foco em brasilidade». Meio e Mensagem - Marketing, Mídia e Comunicação. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  14. a b «Elo se reposiciona e quer ser o cartão da classe 'C'». Valor Econômico. 22 de junho de 2023. Consultado em 23 de outubro de 2023. Cópia arquivada em 23 de outubro de 2023 
  15. «Bradesco | RI». www.bradescori.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  16. «Elo cresce e vai disputar liderança com Visa e Mastercard». Época Negócios. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  17. «Cielo - Relações com Investidores». Cielo. Consultado em 20 de agosto de 2020 
  18. «Elo lança programa e quer incentivar startups de cripto, blockchain e tokenização no Brasil». Exame. 9 de julho de 2023. Consultado em 23 de outubro de 2023 
  19. «Elo lança programa de inovação aberta». Baguete. Consultado em 23 de outubro de 2023 

Ligações externas

editar