Casa de Camilo Castelo Branco

casa em Vila Nova de Famalicão, Portugal

A Casa de Camilo, designação habitual da residência do escritor Camilo Castelo Branco na Quinta de S. Miguel de Seide, é uma casa-museu reconstituída localizada na freguesia de São Miguel de Seide, concelho de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga, em Portugal.

Casa de Camilo Castelo Branco
Tipo Casa-museu reconstituída
Inauguração 1922 (98 anos)
Diretor Aníbal Pinto de Castro e José Manuel Oliveira
Website www.camilocastelobranco.org/
Geografia
País Portugal Portugal
Cidade Vila Nova de Famalicão
Localidade Lugar Igreja, São Miguel de Seide

HistóriaEditar

A casa foi mandada construir por Pinheiro Alves, primeiro marido de Ana Plácido, por volta de 1830, quando regressou do Brasil na posse de avultada fortuna. Aquando da morte de Pinheiro Alves, em Julho de 1863, Camilo mudou-se com Ana Plácido para a quinta pois era património legado ao filho de Ana, Manuel Plácido. Aí, a 15 de setembro de 1864, nasceu o último filho do casal, Nuno Plácido de Castelo Branco.

A 15 de julho de 1866, Castilho, na companhia de Tomás Ribeiro e de Eugénio de Castilho, visitou S. Miguel de Seide, tendo Ana Plácido, como recordação dessa visita, mandado erigir um obelisco na cerca da casa.[1]

Os escritores viveram aí cerca de 26 anos, do inverno de 1863 até ao suicídio, em 1890.

A primitiva casa foi destruída por um incêndio em 17 de março de 1915. Reconstruída, foi transformada em museu camiliano em 1922.

Ao final da década de 1940 foi objeto de extensa campanha de intervenção de restauro, ficando, desde então, muito semelhante à que fora habitada pelo romancista.

Encontra-se classificada como Imóvel de Interesse Público desde 1978.

Em 1 de junho de 2005, por ocasião dos 115 anos do falecimento do escritor, foi inaugurado, em terrenos fronteiros à Casa de Camilo um edifício, o Centro de Estudos Camilianos, da autoria do arquiteto Álvaro Siza Vieira, que compreende um auditório, salas de leitura e de exposições temporárias, cafetaria, gabinetes de trabalho e reservas.

Foi considerado o melhor museu nacional em 2006 pela Associação Portuguesa de Museologia.[2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Esteves, João; Castro, Zília Osório de (2013). Feminae, Dicionário Contemporâneo. Lisboa: Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género. ISBN 978-972-597-372-1 
  2. Guia Visão - Portugal Inesquecível, pág. 37.

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Casa de Camilo Castelo Branco
  Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.