Abrir menu principal

Cascudo (peixe)

Acarí do nordeste
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaLoricariidae
o cascudo e legalcascudos
Pterygoplichthys pardalis (Cascudo-abacaxi)
Pterygoplichthys pardalis (Cascudo-abacaxi)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Siluriformes
Família: Loricariidae
Rafinesque, 1815
Subfamílias
Delturinae

Hypoptopomatinae
Hypostominae
Lithogeneinae
Loricariinae
Neoplecostominae

Gêneros:ver texto

Cascudo é a designação comum aos peixes siluriformes da família Loricariidae, também conhecidos como caximbau, ri, acari-bodó, bodó, cari, boi-de-guará, boi-de-carro e uacari.[1] Os loricariídeos são peixes exclusivamente de água doce, que vivem em rios e lagos da América Central e do Sul. O nome dessa família de peixes vem da palavra "lorica" que se refere a um tipo antigo de armadura em referência ao tipo de escamas desses peixes que formam uma carapaça flexível.

EtimologiaEditar

"Uacari" é proveniente do termo tupi waka'ri.[2]

DescriçãoEditar

Os cascudos caracterizam-se pelo corpo delgado, revestido de placas ósseas, e pela cabeça grande. A boca localiza-se na face ventral e em algumas espécies é rodeada por barbas. Estes peixes vivem nos fundos dos rios, até cerca de 30 metros de profundidade, e alimentam-se de lodo, vegetais e restos orgânicos em geral.

Ao contrário do que muitos afirmam, eles não "limpam o fundo" do aquário e não se alimentam dos detritos e dejetos.

GastronomiaEditar

Muito apreciado na região amazônica, este peixe possui até mesmo um festival,[3] onde todos os tipos de iguarias são preparadas, incluindo sanduíches, pizza e outros pratos.

ComidaEditar

Estes peixes são muito “bom de garfo”, vivem comendo, se alimentam de algas presentes em pedras, tanino, presente nos troncos, pequenos crustáceos e matéria orgânica.

GénerosEditar

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa, entre outras denominações mais localizadas da região amazônica. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.364
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 731
  3. Festival do Bodó de Iranduba