Catedral São João Batista (Niterói)

Catedral de São João

A Catedral Metropolitana de Niterói ou Catedral de Niterói, Catedral São João Batista, ou simplesmente Catedral de São João, é um templo católico em estilo colonial tardio, na cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro. Situa-se no Jardim São João, área histórica do Centro da cidade.

Possui duas torres campanários e rica em decoração religiosa.

HistóriaEditar

Em 1660 foi fundada a Capela Curada de Carri, Carahy ou Icarahy, levantada em honra de São João Batista “no morro próximo ao Campo da Fazenda do Mosteiro de S. Bento, cujo lugar denominado da Pedra de Carri” (Mons. Pizarro, vol. 3, pág. 155). Ficava, segundo vários indícios, no atual Morro de Santa Tereza. Transferiu-se depois para a Ermida de Nossa Senhora das Necessidades para o local da atual, Igreja de N. S. do Rosário. Mais tarde esta capela foi ampliada de uma capela-mór, para aí se colocar a imagem de São João Batista, que deu origem à atual Paróquia de São João Batista, em Niterói

No ano de 1742 foi fundada a Irmandade de São João Batista, atual  Irmandade do Santíssimo Sacramento da Freguesia de São João Batista de Niterói.

No ano de 1744, ficou concluída a obra, sendo então transferida para lá a imagem do Santo Padroeiro e a pia batismal no dia 28 de dezembro. A paróquia havia sido criada por Alvará de 18 de janeiro de 1696, tendo como seu primeiro Vigário Colado o Padre Miguel Luís Freire que dela tomou posse no ano seguinte.

Por ter desabado o côro da Capela, a paróquia foi transferida para a Igreja de N. S. da Conceição, lugar mais central. Com a criação da Vila Real da Praia Grande a 1º de maio de 1819, projetou-se construir uma nova Matriz. Foi Manoel Rodrigues Carvalho, conhecido por “Manoel Arqueiro” quem conseguiu que o Brigadeiro Manoel Alves da Fonseca Costa e sua mulher fizessem a doação do terreno, o que verificou a 29 de março de 1821.

Com a criação da Vila Real da Praia Grande em Niterói em 1819, projetou-se construir uma nova matriz para o rossio da vila.

Em 1831, sendo Vigário o Padre Tomaz de Aquino, foi benzido o novo templo, para o qual se fez a transladação do Santíssimo Sacramento e das imagens que se encontravam na igreja de N.S. da Conceição.

 
Catedral de São João Batista de Niterói

A construção da atual igreja iniciou-se em 1842, já havia Niterói tornado-se capital da Província do Rio de Janeiro 11 anos, por iniciativa do Marquês do Paraná, Presidente da Província, que solicitou recursos à Assembleia Legislativa.

Em 1854, em visita oficial a Niterói, o Imperador Dom Pedro II assistiu a benção do templo. Porém sua conclusão foi em 1885[1].

Foi bombardeada na Revolta da Armada (1891 - 1894) .

Consagrou-se como catedral em 1908, pelo bispo Dom Agostinho Francisco Benassi.

A eletricidade foi inaugurada em 1911.

Foi decorada internamente em 1929 pelo artista italiano Colossi, orçamento a despesa em 120 contos de reis.

O atual altar-mór foi inaugurado e consagrado em 26 de julho de 1942 por Dom José Pereira Alves.

Seu órgão foi inaugurado solenemente em 22 de junho de 1947, com a presença das Autoridades e muito povo. A Capela do Santíssimo Sacramento foi totalmente remodelada sob a orientação do salesiano Padre Paulo Consolini.

Em 1996, Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Navarro, idealizou uma Nova Catedral para Niterói e se iniciou o projeto que foi repassado para Oscar Niemeyer e o Prefeito Jorge Roberto Silveira.

Em outubro de 1997 o projeto da Nova Catedral assinado pelo arquiteto Oscar Niemeyer foi abençoada pelo Papa João Paulo II, hoje São João Paulo II, em sua segunda visita ao Rio. Na ocasião João Paulo II conheceu a planta e a maquete da catedral e abençoou a pedra fundamental da Nova Catedral de Niterói.

A pedra fundamental foi lançada no ano de 1999 em uma grande festa no terreno, pelo inicio das obras do Caminho Niemeyer.

Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Navarro, faleceu em 2 de fevereiro de 2003 (71 anos).

Em 2003, o projeto da Nova Catedral idealizado por Dom Carlos Alberto Etchandy Gimeno Navarro, foi arquivado devido seu falecimento até 2012.

Toda sua nave e suas dependências sofreram diversas reformas durante todo o século XX.

Sendo sua última restauração total entre 2010 e 2012 pela Arquidiocese de Niterói. Responsável pela restauração foi pelo pároco Padre Wallace Dahan.

 
Interior da Catedral de São João Batista

Em 2012, Dom José Francisco retomou o projeto da Nova Catedral, juntamente com a assinatura do termo de cessão do terreno pelo Prefeito Jorge Roberto Silveira.

  • 2013[2]
  • Março – Início das atividades do Comitê Executivo.
  • Maio – Lançamento da campanha “Nova Catedral Niterói – Uma Obra de Fé”, durante o evento Bote Fé.
  • Julho - Durante a Jornada Mundial da Juventude,  o projeto foi apresentado ao Papa Francisco, que também o abençoou.
  • 2014
  • Janeiro – Assinatura do contrato com o escritório de Oscar Niemeyer, para desenvolvimento do projeto de arquitetura.
  • Junho – Assinatura do contrato com Bruno Contarini, para desenvolvimento do projeto de Engenharia Estrutural.
  • Outubro – Assinatura de prorrogação do termo de cessão com o Prefeito Rodrigo Neves e início das obras.
  • 2015 Janeiro / Dezembro – Desenvolvimento de projetos técnicos de arquitetura, estrutural, instalações e ar condicionado. Sondagem do terreno.
  • 2016
  • Março – Terraplanagem do terreno. Com a conclusão das obras da Nova Catedral, esta Igreja, irá ser a antiga Sé e assim se tornará a Paroquia de São João Batista.

Ver tambémEditar

Referências