Categoria social

Categoria social é um conjunto de agentes, que, embora tenham diferentes origens de classe, são capazes de atuar politicamente como uma unidade e de maneira relativamente autônoma com respeito aos interesses das classes de que se originam.

Poulantzas, ao tomar como principal referência a burocracia dos funcionários do Estado, defende que as categorias sociais podem configurar-se como uma unidade, dada a sua relação com os aparatos de Estado e com a ideologia. Seu papel principal, segundo o autor, consiste em assegurar o funcionamento do aparelho de Estado e da ideologia dominante. Ainda segundo o autor, a burocracia estatal, como categoria social relativamente "unificada", serve à classe dominante, não em razão das suas origens de classe (que variam), nem por eventuais relações pessoais com a classe dominante, mas por uma unidade interna que deriva de sua função de atualização do papel objetivo do Estado - papel que, em seu conjunto, responde aos interesses da classe dominante.[1] Ainda de acordo com Poulantzas, o mesmo se aplica ao grupo comumente designado como intelectuais, cujo papel social principal seria o funcionamento da ideologia.[2]

Referências

  1. POULANTZAS, Nicos. Sur l’État dans la société capitaliste aujourd’hui. Paris: Maspero, 1970, apud Frédéric Sawicki, "Classer les hommes politiques", in Offerlé, Michel (dir.) La profession politique, XIXe-XXe siècle, Paris, Belin, coll. «Socio-histoires», 1999, p. 135-170.]
  2. POULANTZAS, Nicos. As classes sociais. Estudos CEBRAP, São Paulo, 3: 5-39, jan. 1973.
  Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.