Abrir menu principal
IgrejaCatólicaEmblem of the Papacy SE.svg
Flag of Kosovo.svg
Kosovo
Catedral de Santa Madre Teresa, localizada em Pristina, Kosovo
Ano 2012[1]
Católicos 66.800 (3,1%)
População 2.160.000
Paróquia 24
Presbíteros 62
Religiosos 8
Religiosas 85
Núncio apostólico Sede vacante

A Igreja Católica no Kosovo[2][3][4][5] (também grafado Kossovo[6], Cosovo[7][8][9][10] ou Cossovo[11][12][13][10][14][15]) é parte da Igreja Católica universal, em comunhão com a liderança espiritual do Papa, em Roma, e da Santa Sé. Vale lembrar que o país declarou sua independência da Sérvia em 2008, de forma unilateral, e atualmente 111 países o reconhecem, dos 193 estados-membros da ONU. Entre o países de língua portuguesa, apenas Portugal e Timor-Leste o reconheceram.[16]

Índice

HistóriaEditar

Conflito no Kosovo (1998–1999)Editar

Durante a Guerra do Kosovo, ocorreram vandalismos de templos católicos albaneses.[17] A igreja histórica de Santo Antônio de Pádua, localizada em Gjakovë sofreu danos que foram cometidos por soldados iugoslavos sérvio.[18] Em Pristina, oficiais sérvios iugoslavos expulsaram freiras e um padre da igreja católica de Santo Antônio e instalaram um radar de aeronaves na torre, que resultou no bombardeio da OTAN à igreja e às casas vizinhas.[17]

Uma das mais velhas igrejas católicas do Kosovo é a de Vinarc, Mitrovica.[19][20]

EstruturaEditar

 
Presença de católicos por município do Kosovo, segundo o censo 2011.

A Diocese de Prizren-Pristina (até 5 de setembro de 2018 como uma Administração Apostólica de Prizren) é a circunscrição eclesiástica da Igreja Católica que cobre todo o território do país. Está sediada na cidade de Prizren. Dom Dodë Gjergji serve como bispo diocesano desde 2018. O arcebispo Juliusz Janusz, originalmente sacerdote da Arquidiocese de Cracóvia, da Igreja Católica da Polônia, é o Núncio Apostólico da Eslovênia e também declarado para o Kosovo. O país faz parte, junto das Igrejas da Macedônia, de Montenegro e da Sérvia da Conferência Episcopal Internacional dos Santos Cirilo e Metódio.

A Igreja Católica tem uma população no Kosovo de aproximadamente 65.000 pessoas em uma região de aproximadamente 2 milhões de habitantes. Outros 60.000 católicos kosovares vivem fora da região, principalmente devido ao trabalho.[21] Eles são principalmente albaneses étnicos, além de alguns croatas.

IgrejasEditar

Referências

  1. «Diocese of Prizren-Prishtina». Catholic-Hierarchy. Consultado em 19 de outubro de 2018 
  2. «ONU em português» 
  3. «Embaixada do Brasil na Albânia» 
  4. «Dicionário Aulete» 
  5. «Significado / definição de kosovar no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa». priberam.pt. Consultado em 16 de agosto de 2016 
  6. «Ministério das Relações Exteriores do Brasil» 
  7. «Forma usada em português pela União Europeia» 
  8. Única grafia aceita pelo "Vocabulário Onomástico da Língua Portuguesa" da Academia Brasileira de Letras
  9. «Por Uma Outra Justiça ("...no Cosovo e na Tchetchênia...")» (PDF). Arquivado do original (PDF) em 3 de março de 2016 
  10. a b A Enciclopédia Brasileira Mérito (São Paulo-Rio de Janeiro. Editora Mérito, 1959, em 20 volumes) registra: "Cosovo: Planície da Província Autônoma de Cosovo-Metoija, Sul da Iugoslávia. Seu território apresenta-se de modo geral montanhoso (...) Capital: Pristina. Variante: Cossovo."
  11. Dicionário Aurélio (verbete: cossovar: relativo a Cossovo)
  12. «Mundorama.net» 
  13. «Senado.leg.br: "...das Províncias autônomas de Voivodina e Cossovo, que fazem parte da República Socialista da Sérvia..."» (PDF) 
  14. A enciclopédia portuguesa Lello Universal (Porto, 1978) grafa: Cossovo (Planície de), ou "Campo de Melros", localidade da Jugoslávia, na "Velha Sérvia". Sangrentas batalhas travadas (...) 727.000 habitantes. Capital: Prishtina."
  15. Grande Enciclopédia Delta Larousse (Rio de Janeiro, 1970): Cossovo-Metóquia: forma aportuguesada de Kosovo-Metohija, território da Iugoslávia.
  16. «EUA e potências europeias pressionam países para reconhecerem Kosovo». Diário Liberdade. 21 de junho de 2018. Consultado em 19 de outubro de 2018 
  17. a b Schwartz, Stephen (2000). Kosovo: Background to a War. London: Anthem Press. 161 páginas. ISBN 9781898855569 Schwartz 2000, p. 161. " Albanian Catholic churches were also vandalized. Riedlmayer learned that Serb officers had installed anti-aircraft radar in the steeple of St. Anthony's Catholic church in Prishtina, after ejecting the priest and nuns; NATO bombing of the radar, and therefore the church and surrounding houses, would have been labelled an atrocity."
  18. Bevan, Robert (2007). The Destruction of Memory: Architecture at War. [S.l.]: Reaktion books. 85 páginas. ISBN 9781861896384  "Major damage to the Roman Catholic church of St Anthony in Gjakova, reportedly bombed by NATO, was actually committed by Serbian soldiers."
  19. Catholic Church in Upper Vinarc/ Vinarc i Epërm (Mitrovica). Acesso em 19 de outubro de 2018.
  20. CATHOLIC CHURCH OF VINARC. Acesso em 19 de outubro de 2018.
  21. "In Kosovo, whole families return to Catholic faith" Arquivado em 2009-02-11 na Biblioteca do Congresso catholicnews.com 9 February 2009 Link accessed 21 March 2010

Ver tambémEditar