Abrir menu principal

Caucaia do Alto

distrito de Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo, no estado de São Paulo, no Brasil
Caucaia do Alto
  Distrito do Brasil  
RaposoTavares.jpg
Localização
Estado  São Paulo
Município Cotia
História
Criado em 1944
Características geográficas
População total (2010) 30 637 hab.

Caucaia do Alto é um distrito de Cotia, na Região Metropolitana de São Paulo, no estado de São Paulo, Brasil. É considerada uma "cidade-dormitório", devido ao facto de a maioria de seus habitantes trabalhar em outra cidade.

TopônimoEditar

"Caucaia" é um termo derivado da língua tupi, e significa "mata queimada", através da junção dos termos ka'a ("mata") e kaî ("queimar").[1]

DescriçãoEditar

Caucaia do Alto possui estrutura de cidade: abriga escolas, posto de saúde e uma base policial.

Apesar de ser conhecida como distrito ou bairro, possui outros bairros dentro de suas limitações.

Em 1931, foi criada a Estação Férrea de Caucaia, entre os trechos Mairinque/Santos da Sorocabana. Por ser a estação mais alta do ramal ferroviário, com 936 metros de altitude, foi incorporado ao nome "Caucaia" o "do Alto".

Conforme "Caucaia do Alto: subsídios para a história da região", por João Barcellos,[2] Caucaia é hoje Distrito integrado ao Município de Cotia, a oeste do planalto de São Paulo dos Campos de Piratininga. Caucaia era tida, antigamente, como "terra de índios", segundo velhas crônicas do Seiscentos; e é serra "que se estende aos municípios de Itapecerica da Serra, Ibiuna, Cotia, sendo (...) prolongamento da Serra da Queixada (...), sistema orográfico da Serra do Mar", como consta da Enciclopédia Universal Brasileira, Vol. 3º, DCL/1980-SP.

O primeiro registro histórico sobre Caucaia, porque consta das terras pedidas por Calixto da Motta, e outros, em petição de 10 de Novembro de 1637, e nela se lê: "...lhes fizesse mercê de lhes dar a terra de Caucaia pelo caminho que vae da villa de São Paulo...", segundo o Vol. 1º do Livro das Sesmarias. Este registro demonstra mais uma vez, que de um lado do Rio Cotia era o sertão itapecericano e do outro, pela campina do Caiapã, o sertão carapicuibano.

A aldeia de Caucaia foi, assim, um dos pontos avançados da boca-de-sertão assente na Acutia (do Koty=Moradia) pelos nativos Carijós - e, por isso, denominada "terra de índios" pelos sertanejos, bandeirantes e jesuítas. Cortando o sistema da Serra do Mar as terras daquele povoado nativo foram importantes no apoio à penetração dos europeus no sertão paulista e na abertura de novos roçados após as entradas pelos cursos dos rios.

Existindo uma Caucaia no litoral do Ceará, aldeia dos nativos potiguares (estes, catequizados pelos jesuítas em 1755), talvez o nome seja mesmo derivado de Caucaá, uma planta medicinal do Alto Amazonas. Entretanto, a Caucaia cotiana e paulista situa(va)-se no sertão itapecericano, que compreendia Embu, sendo o mando religioso da Paróquia de Cotia. E como boca-do-sertão continuou o povoado nascido nas alturas serranas. Também, e por essa razão topográfica, o nome poderia Ter saido das palavras Kakuaá e Kukaaikoé ( do tupi guarani, em tudo idênticas ao falar Carijó), que significam Enorme e Grande, ou Alto. É uma suposição, mas acontece que não existe registro definido sobre a origem deste nome nativo...

A economia de Caucaia era relacionada à troca de mercadorias com a tropa, os vaqueiros e os sertanejos a volante, e ao envio de mantimentos para a Villa; ainda hoje a sua atividade principal é rural, com algumas indústrias não-poluentes surgindo na região; até a instalação do ramal ferroviário Mairinque-Santos, com estação na aldeia, não teve força para mudar a característica sertaneja do local.

A principal Capela foi construída pela Irmandade da Conceição, pela técnica do pau-a-pique, nos últimos anos do Setecentos; aí começa a aldeia propriamente dita. No início do último quartel do Novecentos a aldeia foi (re)descoberta pela imigração nipônica que a tornou importantíssimo polo Horti-fruti-granjeiro.

A primeira Escola foi criada, como consta dos anais da Câmara Municipal de Cotia, em 1895, por Lei Estadual, e teve como professor Rodolfo Rodrigues.

No ano de 1944, em 30 de Novembro, o povoado de Caucaia tornou-se Distrito de Cotia com o nome de Caucaia do Alto, e já com indicação para virar Município sob a bandeira da ecologia sustentada...

Entre famílias tradicionais da região estão os Pereiras, os Ribeiros, os Nunes, os Dias, os Oliveiras, os Vieiras, os Camargos, os Godinhos, os Pires, os Silvas, os Duartes, entre outros.

O principal acesso a Caucaia do Alto fica no km 39 da rodovia Raposo Tavares.

A topografia (vales e montanhas) propicia um clima excepcional dentro dos 177 km2 de área verde que tem a região, e que compreende parte da reserva florestal do Morro Grande e a bacia do rio Sorocamirim. A altitude máxima da serra é de 1074 m, convidando à prática de esportes como alpinismo, caminhadas, mountain bike (ciclismo de montanha), etc.

Com cerca de 20.000 habitantes, Caucaia do Alto é um paraiso do sistema ecológico que defende a metrópole do planalto paulista.

A região possui estrutura básica e está em processo aberto de urbanização.

As festas tradicionais caucaianas são: a Romaria até Pirapora do Bom Jesus, que envolve milhares de peregrinos, Romaria a Aparecida do Norte, a celebração em honra da padroeira N. S. Imaculada Conceição, a Festa de N. S. de Fátima (na fazenda Nascimento) e a festa do agricultor; a que se junta o Baile do Cawboy e o Miss Cotia (organizações de Academia Energia).

DemografiaEditar

População de Caucaia do Alto
Ano Método População
1946 Estimativa 1.593
1950 Censo 1.968
1960 Censo 2.734
1970 Censo 4.564
1980 Censo 5.670
1991 Censo 16.435
1996 Contagem 20.042
2000 Censo 27.099
2010 Censo 30.637

ComunicaçõesEditar

O distrito era atendido pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[3], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[4], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[5] para suas operações de telefonia fixa.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Vocabulário tupi». www.fflch.usp.br 
  2. Roperto, Afonso. «Caucaia - História - CotiaNet». www.cotianet.com.br. Consultado em 11 de novembro de 2018 
  3. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  4. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  5. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1