Celestino Sfondrati

Celestino Cardeal Sfondrati OSB (Milão, 10 de janeiro de 1644Roma, 4 de setembro de 1696) foi teólogo beneditino italiano, príncipe-abade de São Galo e cardeal da Igreja Católica Romana.

Celestino Sfondrati
Cardeal da Igreja Católica
Príncipe-Abade de São Galo
Atividade eclesiástica
Ordem Ordem de São Bento
Diocese Abadia de São Galo
Nomeação 17 de abril de 1687
Predecessor Dom Gallus Alt, O.S.B.
Sucessor Dom Leodegar Bürgisser, O.S.B.
Mandato 1687 - 1696
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 26 de abril de 1668
Cardinalato
Criação 12 de dezembro de 1695
por Papa Inocêncio XII
Ordem Cardeal-presbítero
Título Santa Cecília
Brasão
St Gallen Stiftskirche Epitaph Coelestin I img02.jpg
Dados pessoais
Nascimento Milão
10 de janeiro de 1644
Morte Roma
4 de setembro de 1696 (52 anos)
Nome religioso Irmão Celestino Sfondrati
Nome nascimento Valentino Sfondrati
Progenitores Mãe: Paola Camilla Marliana
Pai: Valeriano Sfondrati
Habilitação académica Doutorado em Teologia e Direito Canônico pela Universidade Beneditina de Salzburgo
Funções exercidas Bispo-Eleito de Novara (1686-1687)
Vigário-Geral de São Galo (1682-1686)
Sepultado Santa Cecilia in Trastevere
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

BiografiaEditar

Nasceu Valentino Sfondrati em Milão, numa família nobre, filho de Paola Camilla Marliana e do marquês Valeriano Sfondrati, comissário-geral do exército espanhol. Pelo lado paterno, era sobrinho-neto do Papa Gregório XIV e do cardeal Francesco Sfondrati e sobrinho do cardeal Paolo Emilio Sfondrati.

Aos doze anos de idade, ele foi colocado na escola de Rorschach, no Bodensee, que era dirigida pelos beneditinos de São Galo, e, em 26 de abril de 1660, ele tomou o hábito beneditino em São Galo e mudou seu nome para Celestino. Aos vinte e dois anos de idade, ele já ensinava filosofia e teologia em Kempten e, após sua ascensão ao sacerdócio (26 de abril de 1668), tornou-se professor e mestre de noviços em seu mosteiro.

De 1679 a 1682, ele lecionou direito canônico na Universidade Beneditina de Salzburgo. Em 1682, ele retornou a São Galo para tomar conta de uma pequena igreja rural perto de Rorschach por um curto período de tempo, após o que o abade Galo o nomeou seu vigário-geral.

Em 1686, o Papa Inocêncio XI fê-o bispo de Novara, uma dignidade que ele aceitou apenas com relutância. Ele foi, no entanto, impedido de tomar posse de sua diocese ao ser eleito príncipe-abade de São Galo em 17 de abril de 1687.

Sua aprendizagem e piedade, assim como suas obras literárias em defesa da autoridade papal contra os princípios do Galicanismo, induziram o Papa Inocêncio XII a criá-lo cardeal-presbítero em 12 de dezembro de 1695, com a igreja titular de Santa Cecília em Trastevere. No entanto, ele mal chegou a Roma quando sua saúde começou a falhar. Ele morreu em Roma, nove meses depois de receber a púrpura e foi enterrado em sua igreja titular.

ObraEditar

Suas principais obras são:

  • "Cursus theologicus in gratiam et utilitatem Fratrum Religiosorum" (10 vols., St. Gall, 1670), publicado anonimamente;
  • "Disputatio juridica lege in praesumptione fundata" (Salzburgo, 1681; 2 ª ed., Salem, 1718), um tratado moral contra o probabilismo ;
  • "Regaleço sacerdotium Romano Pontifici assertum" (São Galo, 1684; 1693; 1749), publicado sob o pseudônimo de Eugênio Lombardus, uma defesa da autoridade papal e privilégios contra os quatro artigos da Declaração do clero francês (1682);
  • "Cursus philosophicus monasterii S. Galli" (3 vols., S. Galo, 1686; 1695);
  • "Gallia vindicata" (2 vols., St. Gall, 1688; 2ª ed., 1702), outro tratado contra o Gallicanismo, em particular contra Maimbourg ;
  • "Legatio Marchionis Lavardini ejusque cum Innocentio XI dissidium" (1688), um pequeno tratado sobre o direito de asilo (les franchises) dos embaixadores franceses em Roma;
  • "Nepensism theologice expensus" (S. Galo, 1692);
  • "Innocentia vindicata" (St. Gall, 1695; Graz, 1708), uma tentativa de provar que Tomás de Aquino sustentava a doutrina da Imaculada Conceição ;
  • "Nodus praedestinationis ex sac. Litteris doctrinaque SS. Augustini e Thomae, quantum homini licet, dissolutus "(Roma, 1697; Colônia, 1705), uma obra póstuma contra os jansenistas, na qual o autor expõe a questão da graça e da predestinação no sentido de Molina e dos jesuítas. Invocou numerosas réplicas, mas também encontrou muitos defensores (ver Dunand em "Revue du Cléré Français", III (Paris, 1895), 316-26).

ReferênciasEditar

  • Ziegelbauer, Hist. rei literariae ord. S. Ben. III, 416-20;
  • Egger, Colestin Sfondrati, Kardinal e Furstabt , (1896);
  • Sattler, Collectaneenblatter zur Gesch. der ehem. Ben. Universitat Salzburg (Kempten, 1890), 237-45.

Ligações externasEditar

Este artigo incorpora texto da Catholic Encyclopedia, publicação de 1913 em domínio público. Enciclopédia Católica . Nova Iorque: Robert Appleton.

Precedido por
Giambattista Spínola
Cardeal-Presbítero de Santa Cecília
1696
Sucedido por
Giacomo Antonio Morigia, B
Precedido por
Gallus Alt, OSB
Príncipe-Abade de São Galo
16871696
Sucedido por
Leodegar Bürgisser, OSB
Precedido por
Giuseppe Maria Maraviglia, CR
Bispo-Eleito de Novara
16861687
Sucedido por
Giovanni Battista Visconti Aicardi, B