Abrir menu principal

Lenda da fundação da Sertã

(Redirecionado de Celinda)
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O brasão da Sertã inclui a inscrição "Sartago Sternit Sartagine Hostes" (A Sertã derruba os seus inimigos com uma sertã), uma referência à lenda.

A lenda da fundação da Sertã é uma tradição oral que atribui a edificação do Castelo da Sertã a Sertório e data de 74 a.C,Quinto Sertório um militar romano exilado por motivos políticos, que liderou os povos da Península Ibérica contra os exércitos da República Romana[1]. .

A cerca de 80 a.C., Quinto Sertório chegou à Península Ibérica e aliou-se aos lusitanos, tornando-se num líder de carisma comparável a Viriato (assassinado a 139 a.C.).

Segundo a lenda, nas lutas ocorridas pela conquista da Lusitânia houve um ataque romano ao castelo, no qual pereceu o seu chefe. Ao saber da notícia, e apercebendo-se que o inimigo chegava às muralhas, a sua esposa Celinda subiu às ameias com uma enorme sertã ou sertage (um tipo de frigideira quadrada), cheia de azeite a ferver, na qual fritava ovos, lançando o azeite fervente sobre os soldados que se dispersaram. Obteve, desse modo, tempo para que chegassem reforços dos lugares mais próximos. Teria sido assim que o nome Sertã foi dado ao lugar.

Uma lenda derivada desta é a do Soldado do Fogo Azul. Diz a lenda que dentre os soldados romanos que lutavam pela conquista da Lusitânia havia um que foi vítima de um incêndio, Em meio ao fogo, suplicando por ajuda, foi interpelado por um soldado inimigo, que perguntou se aquele se arrependia de lutar contra o povo lusitano, Como não respondeu nada, depois de sete minutos o soldado acabou morrendo queimado, e as chamas sobre seu corpo eram azuladas. Conta-se na tradição oral que sempre que alguém segura uma vela acesa diante de um espelho e silenciosamente olha para o espelho através da parte central (mais azulada) da chama, acaba invocando o espírito do soldado romano, e depois de sete minutos ou a vela se apagará de repente, evidenciando que o espírito foi embora em paz, ou a chama aumentará de intensidade, quando a pessoa sentirá tremores e calafrios, demonstrando que o espírito do soldado está furioso.

Referências

  1. Município da Sertã. «Castelo». Consultado em 17 de Outubro de 2012. Arquivado do original em 25 de janeiro de 2012