Cemitério de Benfica

cemitério de Lisboa, Portugal
Cemitério de Benfica
Cemitério de Benfica.jpg
País
Endereço
Entrada em serviço
Estatuto patrimonial
sem protecção legal (d)Visualizar e editar dados no Wikidata
Find a Grave
Coordenadas

O Cemitério de Benfica é um cemitério da freguesia de Benfica, em Lisboa.

HistóriaEditar

Construído em 1869, por iniciativa do Município de Lisboa, o Cemitério de Benfica, acolheu as ossadas provenientes dos cemitérios das paróquias de Benfica e de Carnide. É um dos principais cemitérios públicos que servem a cidade de Lisboa, sendo circunscrito a várias freguesias.[1]

Até à construção do cemitério da Amadora, os seus residentes eram também aqui inumados. Além das numerosas sepulturas temporárias dispõe também de sepulturas perpétuas, jazigos particulares e municipais, além de ossários, destacando-se o jazigo criado pelo arquiteto Raul Rodrigues Lima e pelo escultor Leopoldo de Almeida onde repousa Francisco dos Santos, também escultor e autor do jazigo de Sousa Viterbo no Cemitério dos Prazeres.[1]

De realçar, ainda os túmulos: dos poetas Alexandre O’Neill, Delfim Guimarães, da escritora e jornalista Maria Lamas, do maratonista Francisco Lázaro, do hoquista António Livramento e o Memorial a Fernando Vaz, jogador e treinador de futebol, assim como o jazigo do Padre Cruz, alvo de romarias diárias.[1]

Ilustres sepultados no Cemitério de BenficaEditar

Referências

  1. a b c d e f g h i j «Cemitério de Benfica». informacoeseservicos.lisboa.pt. Câmara Municipal de Lisboa 
  2. «Livro de registo de óbitos da 3.ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (1922-04-03 a 1922-09-19)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 140, assento 417 
  3. «Livro de registo de óbitos da 3.ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (01-01-1971 a 24-03-1971)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 110, assento 219 
  4. «Livro de registo de óbitos da 3.ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (08-08-1914 a 19-11-1914)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 60 verso, assento 120 
  5. «Morreu Artur Agostinho (1920-2011)». Jornal Expresso. 22 de março de 2011 
  6. «Morreu a fadista Flora Pereira, criadora de "Antes só"». RTP Notícias. 9 de abril de 2008 
  7. «Faleceu antigo presidente do parlamento e dirigente do CDS Oliveira Dias». Diário de Notícias. 14 de janeiro de 2019 
  8. «Livro de registo de óbitos da 3.ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (01-01-1925 a 24-12-1927)». digitarq.arquivos.pt. p. 57, assento 113 
  9. «Joaquim Luís Gomes». Repertorial - Repertório de Portugal 
  10. «Funeral de José Carvalho». RTP Arquivos. 29 de outubro de 1989 
  11. «Assassinato de José Dias Coelho». Museu do Aljube. 19 de dezembro de 2020 
  12. «Morreu José Viana Baptista». CM Jornal. 19 de julho de 2004 
  13. «Livro de registo de óbitos da 6ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (29-06-1964 a 31-12-1964)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 371 verso, assento 742 
  14. «Livro de registo de óbitos da 7.ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (02-03-1963 a 15-05-1963)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 204, assento 404 
  15. «Morreu o crítico de televisão Mário Castrim». PÚBLICO. 15 de outubro de 2002 
  16. «Morreu o crítico de arte Rui Mário Gonçalves». CM Jornal. 2 de maio de 2014 
  17. «Livro de registo de óbitos da 2.ª Conservatório do Registo Civil de Lisboa (31-12-1915 a 06-03-1916)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 20, assento 39 
  18. «Livro de registo de óbitos da 3.ª Conservatória do Registo Civil de Lisboa (26-07-1973 a 12-11-1973)». digitarq.arquivos.pt. Arquivo Nacional da Torre do Tombo. p. 428 verso, assento 856